terça-feira, 27 de setembro de 2016

Corinthians X Cruzeiro - Copa do Brasil

Pelas quartas de final da Copa do Brasil, o Corinthians receberá o Cruzeiro nesta quarta feira, 28/09, às 21:45 horas, em sua Arena em Itaquera, São Paulo. Com dificuldades no Campeonato Brasileiro, o Timão tem na Copa do Brasil a oportunidade de conquistar um título em 2016 e, assim, garantir-se na Copa Libertadores do próximo ano. Já o Cruzeiro, que tenta salvar-se do rebaixamento no Brasileirão, embora dando prioridade ao mesmo, segundo o seu comandante, Mano Menezes, a equipe tem condições de trabalhar bem as duas competições. Pelo regulamento do campeonato, o gol fora de casa é decisivo em caso de empate, por isso, é importante não tomar gol.
Ficha Técnica - Corinthians X Cruzeiro 
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 28 de setembro de 2016, quarta-feira
Horário: 21:45 horas (de Brasília)
Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão
Árbitro assistente 1: Fabrício Vilarinho da Silva
Árbitro assistente 2: Bruno Raphael Pires
Quarto árbitro: André Luiz de Freitas Castro
Corinthians: Walter; Fagner, Yago, Balbuena e Guilherme Arana; Camacho, Giovanni Augusto, Marquinhos Gabriel, Rodriguinho e Marlone; Romero; Técnico: Fábio Carille
Cruzeiro: Rafael; Lucas, Bruno Rodrigo, Manoel e Edimar; Lucas Romero, Henrique, Robinho e Arrascaeta; Rafael Sobis, Ramón Ábila; Técnico: Mano Menezes 
Além dos possivelmente escalados, também foram relacionados
No Corinthians, os goleiros Matheus Vidotto e Caíque França, o zagueiro Léo Santos, o lateral Léo Príncipe, os volantes Willians, Cristian e Warian, e os atacantes Léo Jabá, Rildo, Carlinhos, Isaac e Lucca.
No Cruzeiro, os goleiros Lucas França e Lucão, os zagueiros Fabrício Bruno e Léo, os meio campistas Ariel Cabral, Bruno Ramires, Denílson, Elber, Frederico Gino e Rafinha, e os atacantes Alisson e Willian,
Estão fora, no Corinthians, Cássio, Uendel, Guilherme, Bruno Paulo, Pedro Henrique, e Danilo, todos lesionados, e Jean, Gustavo e Marciel, por já terem atuado na Copa do Brasil por outros times; e no Cruzeiro, Elisson, Bryan e Ezequiel, por já terem participado do campeonato por outras equipes.
Com exceção do goleiro, Fábio Carille manterá o mesmo time e o mesmo esquema tático do jogo das oitavas de final contra o Fluminense. Walter substituirá o Cássio, que se lesionou ao final daquela partida. Já no Cruzeiro, Mano Menezes é todo misterioso. Fechou a maior parte do treino para a imprensa e não revelou a escalação. Mas prometeu vir com a força máxima. 
No último treino, na tarde deste sábado, o técnico alvinegro trabalhou o posicionamento da equipe, apenas com os titulares em campo, além de ensaiar jogadas de bolas paradas e cobrança de faltas. 
Focado na Copa do Brasil como a tábua de salvação da temporada, o Corinthians necessita da vitória, de preferência com o placar adversário zerado, para fazer o jogo de volta em Belo Horizonte sem grandes dificuldades. É um enorme desafio para a equipe, que vai precisar de todo o apoio da Fiel. Sabemos das nossas limitações, mas, sabemos igualmente que nosso amor e nossa fidelidade são infinitos. Vaiar e xingar técnico e jogadores só vai piorar a situação e diminuir nossas chances. E sabemos que o maior responsável pelas dificuldades que ora enfrentamos estão no 5º andar do Parque São Jorge e não no CT Dr Joaquim Grava. Assim, em consonância com a nossa denominação de FIEL, vamos apoiar o time, incentivar, empurrar, torcer e vibrar. Vamos acreditar na força da camisa, na força da torcida, na superação. Se não for na técnica, que seja na raça.

Créditos e fontes de imagens 
meutimao.com.br-MAON
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/corinthians.com.br-Pedro Vilela/Light Press/Cruzeiro/gazetaesportiva.com-MAON
globoesporte.globo.com
Sergio Barzaghi/Gazeta Press/gazetaesportiva.com
Sergio Barzaghi/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-MAON

Quem não faz, toma

Incrível a incapacidade do Corinthians para fazer fazer um gol. Mesmo quando o time consegue criar, erra-se no arremate final, isolando a bola ou recuando-a para o goleiro. E isso tem acarretado um custo muito alto nos campeonatos, criando-se um círculo vicioso: gols perdidos, jogos perdidos, pontos perdidos, queda na tabela e títulos cada vez mais distantes. Já nem dá para se entusiasmar quando há falta ou escanteio a nosso favor. Não há ninguém que saiba cobrar e o desperdício é geral. Também se perde gol cara a cara com o goleiro e, quando se tenta chute de longa distância, erra-se o alvo. Nosso ataque não consegue marcar e, volto a afirmar: é um ataque de nervos para nós, torcedores, e um ataque de risos para os nossos adversários. 
Assim como já ocorreu em outras ocasiões, perdemos o jogo por falta de efetividade no arremate final. Até tivemos um bom volume de jogo, com um time mais compactado e melhor organizado, mas não conseguimos fazer valer esse volume, pois, no futebol, o que vale é bola na rede, é gol. Fomos melhores durante todo o jogo e, numa cobrança de uma falta que não ocorreu, com um jogador impedido, o Tapetense, ops. Fluminense, já nos acréscimos, fez o gol de sua vitória. Depois de toda pressão em cima da arbitragem, exercida pelo time que deve uma Série B, o árbitro se acovardou e não teve peito para anular o gol ilegítimo. E assim, despencamos na tabela, perdendo duas posições, afastando-nos do título e, se não reagirmos rápido, até da vaga para a Copa Libertadores. 
Em uma semana, Carille até conseguiu dar ao time uma organização e compactação, possibilitando melhorar o setor criativo. O problema maior não é tático. O elenco é limitado, falta qualidade física e técnica aos jogadores e, para alguns, falta motivação. 
A responsabilidade pelo mau momento do Corinthians não é da comissão técnica, ou do que restou dela, nem do elenco, mas de quem contratou jogadores sem qualidade, de quem permitiu sucessivos desmanches sem reposição de jogadores do mesmo nível, de quem está sendo incompetente para administrar um time com a grandeza do Corinthians. Se pelo menos houvesse transparência nas contas, se fossem apresentados os balancetes, poderíamos entender o que está acontecendo. 
Temos que reconhecer que, ao contrário da diretoria, o time não foi omisso e buscou a vitória. Mas, por deficiências técnicas, foi incompetente no arremate final. Precisa de muito treino para alguns jogadores superarem tais deficiências, o que é difícil num calendário apertado, com um jogo a cada três dias. Só na base da conversa é quase impossível. 
Novos desafios nos aguardam, no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil. Ainda temos muito o que melhorar, em todos os setores, do posicionamento da defesa ao setor ofensivo. Está na hora de experimentar novas formações, principalmente no ataque. Por que não dar uma chance para o Isaac e para os recém promovidos garotos da base, colocando-os no time, mesmo se for no 2º tempo. Se não está funcionando com os mesmos, por que não buscar uma alternativa? Há tempos, não temos gol de atacante e piorar essa situação parece ser impossível. 
Talvez, o grande desafio no Brasileirão seja preparar o time para 2017, o que só será possível com um mínimo de coragem e de ousadia. Não se trata de jogar a toalha, mas sim de fazer algo diferente e de dar oportunidades àqueles que ainda não tiveram chance de mostrar se têm ou não condições de jogar no Corinthians. Porque alguns que estão atuando já mostraram que, no máximo e com muito boa vontade, servem apenas para compor elenco.

Créditos e fontes de imagem
globoesporte.globo.com 

domingo, 25 de setembro de 2016

Corinthians X Fluminense

Pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Corinthians receberá o Fluminense neste domingo, 25/09, às 16:00 horas em sua Arena em Itaquera, em São Paulo. Quinto colocado no Brasileirão, com 41 pontos, 12 vitórias, 5 empates, 9 derrotas e 53% de aproveitamento, o Timão terá como adversário o 6º colocado, com 40 pontos, 11 vitórias, 7 empates. 8 derrotas e 51% de aproveitamento. Será, portanto, um jogo de 6 pontos, no qual o vencedor ficará mais próximo do G4 e o perdedor correrá o risco de ser ultrapassado e ficar mais distante da zona de classificação para a Copa Libertadores. 
Ficha Técnica - Corinthians X Fluminense
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo, SP
Data: 25 de setembro de 2016, domingo
Horário: 16:00 horas (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco - RS (FIFA)
Assistente 1: Rafael da Silva Alves - RS (ASP-FIFA) 
Assistente 2: Elio Nepomuceno - RS (CBF-1)
Quarto árbitro: Flávio Rodrigues de Souza - SP (ASP-FIFA)
Corinthians: Cássio; Fagner, Yago, Balbuena e Guilherme Arana; Camacho, Marquinhos Gabriel, Giovanni Augusto, Rodriguinho e Marlone; Romero; Técnico: Fábio Carille
Fluminense: Julio Cesar; Igor Julião, Gum, Henrique e William Matheus; Pierre, Douglas, Cícero e Gustavo Scarpa; Marcos Júnior e Wellington; Técnico: Levir Culpi 
Além dos possíveis escalados, também foram relacionados:
No Corinthians, os goleiros Walter e Matheus Vidotto, o zagueiro Léo Santos, os volantes Cristian, Willians, Jean, Marciel e Warian, e os atacantes Gustavo, Lucca, Isaac, Carlinhos e Léo Jabá.
No Fluminense, o goleiro Marcos Felipe, o zagueiro Renato Chaves, o lateral Giovanni, os meias Edson, Marquinho, Danilinho e Aquino, e os atacantes Henrique Dourado, Magno Alves, Maranhão, Osvaldo e Richarlison.
Estão fora, no Corinthians, Léo Príncipe, suspenso, Uendel, Guilherme, Bruno Paulo, Pedro Henrique, Danilo e Vilson, lesionados. No Fluminense, Cavalieri e Samuel, lesionados e Wellington Silva, suspenso. 
Estão pendurados, com dois cartões amarelos, no Corinthians, Balbuena, Vilson, Guilherme, Uendel, Pedro Henrique, Rodriguinho, Romero e Giovanni Augusto; e no Fluminense, Danilinho, Edson, Jonathan e William Matheus.
As novidades no Timão estão no banco e vêm da base. Além do volante Marciel, que voltou recentemente de empréstimo do Cruzeiro, também foram relacionados o volante Warian e os atacantes Carlinhos e Léo Jabá, recém promovidos ao time titular. Carille deverá manter o mesmo esquema tático e o mesmo time que venceu o Fluminense na Copa do Brasil. 
Na manhã deste sábado, em treino nas Laranjeiras, Levir Culpi manteve a escalação sem centroavante, com Marcos Junior e Wellington no ataque e confirmou a escalação de Igor Julião na lateral pelo lado direito. Para esse jogo, o técnico deverá reforçar a marcação com a entrada do volante Pierre, no lugar do atacante Henrique Dourado. Levir. que comandou um treino em campo reduzido, parou a atividade algumas vezes, para acertar o posicionamento em jogadas de bola parada. 
Sem dúvida, teremos um confronto decisivo na briga pelo G4. Jogando em casa, o Corinthians tem como vantagem o mando de campo e a torcida. No entanto, o adversário, com muito mimimi e chororó, tentou tumultuar a partida, botando pressão na arbitragem. Espero que isso não desestabilize emocionalmente os corinthianos, que já mostraram ser possível ganhar na bola, e que a equipe de árbitros não seja suscetível à pressão do time carioca. 
Precisamos dessa vitória, e para consegui-la é necessário ao time preocupar-se apenas com o jogo e manter a postura determinada da última partida. Com marcação reforçada, o Fluminense vai tentar impedir o Corinthians de jogar. Nesse contexto, os laterais terão que ser mais incisivos no apoio e não podemos continuar errando no arremate final, perdendo as chances de gol. Carille escalou o Romero de falso 9. Creio que Gustavo, embora não tenha ido bem contra o Palmeiras, seria mais útil para fazer o pivô e segurar os zagueiros rivais. Romero atua melhor pelos lados do campo e por ter baixa estatura, dificilmente pega uma bola alçada na área. Como o centro avante estará no banco, se o esquema não funcionar com o Paraguaio, será possível promover a mudança. 
Para se manter vivo no campeonato, o Timão não pode dar moleza, não pode jogar como timinho. Tem que entrar focado, determinado, com faca nos dentes e sangue nos zóios. No último jogo o Corinthians já se mostrou mais compactado e organizado, além de apresentar uma postura mais propositiva. É só manter a pegada, a concentração, trabalhar bem as jogadas, manter a bola nos pés e acertar os chutes a gol, lembrando que teremos um jogador a mais: a Fiel.

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br-twitter.com/@brunotrolo-MAON
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-Nelson Perez/Fluminense F.C./Divulgação/odia.ig.com.br-MAON
Fernando Dantas/Gazeta Press-Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/globoesporte.globo.com-MAON
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com-MAON

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Fazendo a lição de casa

Não foi uma vitória fácil. Sofremos do começo ao fim e só nos tranquilizamos após o apito final. Pelo menos fizemos a lição de casa, vencemos e nos classificamos para as quartas de final da Copa do Brasil. E, se ainda não vimos um Corinthians com cara de Corinthians, percebemos alguns progressos, pois vimos o Corinthians com cara de time, com mais organização e compactação, não levamos gol e a postura dos jogadores em campo foi mais determinada que nos últimos jogos. Pelo menos quem estava em campo não ficou só andando e desfilando. 
Mas, nem tudo foi perfeito. Nos gols impedidos, nossa defesa bobeou e se a arbitragem não estivesse atenta poderia ter validado pelo menos um dos gols, pois é difícil, na movimentação dos jogadores, perceber a diferença de centímetros. Tivemos mais posse de bola, 52,5%, mas pouca efetividade. No 1º tempo, apesar de 62% de posse de bola, não levamos perigo à meta adversária. Em todo o jogo, de 16 finalizações, acertamos 4 e só fizemos 1 gol. Erramos 41 passes e 22 cruzamentos, para apenas 4 certos. Ao final do jogo, tinha jogador muito cansado, obrigando Carille fazer substituições que facilitaram a vida do Fluminense. Física e tecnicamente temos muito que melhorar. Com muitos jogadores no Departamento Médico e sem meia no banco, ficou difícil para o treinador, que teve que apelar para os volantes e fechar o time no final.
Gol
Merecem destaques as atuações de Rodriguinho, o melhor em campo, não só pelo gol, mas pelo conjunto da obra, de Camacho, que como cabeça de área melhorou a qualidade do passe, e de Arana, seguro na defesa e bem no apoio. Fagner ficou muito preso à marcação e só se soltou um pouco na etapa final, Marquinhos Gabriel foi bem, mas precisa soltar mais a bola. 
Entrevista do Carille
Carille, com os ingredientes disponíveis não conseguiu preparar um banquete, mas soube preparar uma refeição nutritiva para matar a nossa fome de vitórias. Seu maior mérito foi, com apenas dois treinos e na concentração, ter mudado a atitude dos jogadores em campo, que tiveram uma postura muito diferente da apresentada no dérbi, mostrando maior comprometimento e respeito com a nossa camisa. 
Sou uma pessoa de fé e nunca perco a esperança. Por isso, acredito que meu Corinthians está voltando. 
Sobre o mimimi e o chororó, só vou me importar quando o Tapetense, ops, Fluminense, pagar a série B.
Melhores momentos
Ficha Técnica - Corinthians 1 X 0 Fluminense
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 21 de setembro de 2016 (Quarta-feira)
Horário: 21:45 horas (de Brasília)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques – PR (ASP-FIFA)
Árbitro assistente 1: Bruno Boschilia – PR (FIFA)
Árbitro assistente 2: Ivan Carlos Bohn – PR (ESP)
Quarto árbitro: Edivaldo Elias da Silva – PR (CBF-2)
Público: 20.614 pagantes
Renda: R$ 1.103.889,50
Cartões amarelos: Cícero e Marquinho (Fluminense)
Cartão vermelho: Marquinho (Fluminense)
Gol: Corinthians: Rodriguinho, aos 24 minutos do segundo tempo
Corinthians: Cássio; Fagner, Yago, Balbuena e Guilherme Arana; Camacho (Cristian), Rodriguinho, Giovanni Augusto (Willians), Marlone (Lucca) e Marquinhos Gabriel; Ángel Romero; Técnico: Fábio Carille
Fluminense: Julio Cesar; Wellington Silva, Gum, Henrique e William Matheus; Pierre (Marquinho), Douglas, Cícero, Gustavo Scarpa e Wellington (Richarlison); Marcos Junior (Magno Alves); Técnico: Levir Culpi
Bastidores

Créditos e fontes de imagens e vídeos 
globoesporte.globo.com-Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-MAON 
Djalma Vassão/Gazeta Press/gazetaesportiva.com 
youtube.com/Danilo Silva Gols HD-globo.com 
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.com 
youtube.com/Ligados no Timão
youtube.com/Sempre Futebol-globo.com 
twitter.com/@Corinthians 
youtube.com/Corinthians
youtube.com/Corinthians

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Corinthians X Fluminense - Copa do Brasil

Pela rodada de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, o Corinthians receberá o Fluminense em sua Arena em Itaquera, nesta quarta feira, 21/09, às 21:45 horas. Como as duas equipes empataram por 1 a 1 na ida, o ganhador deste duelo vai avançar e o empate por 1 a 1 levará a decisão para a disputa de pênaltis. Como o gol marcado fora de casa vale como critério de desempate, o 0 a 0 garante o Timão nas quartas de final e o empate, a partir de 2 a 2, classifica o tricolor carioca. 
Ambos os times, embora ainda tenham chance de classificação da Copa Libertadores no Campeonato Brasileiro, têm na Copa do Brasil outra possibilidade de participação no torneio continental. O Corinthians, com 41 pontos ocupa a 5ª posição na tabela, e o Fluminense, com 40 pontos, a sexta. 
O Timão vive um momento complicado. Além de inúmeras contusões no elenco, tem oscilado muito no Brasileirão e, na última rodada, foi derrotado em casa pelo Palmeiras, o que causou a dispensa do técnico Cristóvão Borges e sua substituição pelo auxiliar Fábio Carille. O Fluminense vem de vitória de 1 a 0 sobre o Grêmio, no Rio Grande do Sul. 
Ficha Técnica - Corinthians X Fluminense 
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 21 de setembro de 2016 (Quarta-feira)
Horário: 21:45 horas (de Brasília)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques – PR (ASP-FIFA)
Árbitro assistente 1: Bruno Boschilia – PR (FIFA)
Árbitro assistente 2: Ivan Carlos Bohn – PR (ESP)
Quarto árbitro: Edivaldo Elias da Silva – PR (CBF-2)
Corinthians: Cássio; Fagner, Yago, Balbuena e Guilherme Arana; Camacho; Marquinhos Gabriel, Rodriguinho, Giovanni Augusto e Marlone; Ángel Romero; Técnico: Fábio Carille
Fluminense: Julio Cesar; Wellington Silva, Gum, Henrique e William Matheus; Pierre, Douglas, Cícero e Gustavo Scarpa e Wellington; Marcos Junior; Técnico: Levir Culpi
No Corinthians, além dos escalados para iniciar a partida, também foram relacionados os goleiros Walter e Caíque França, o zagueiro Léo Santos, o lateral Léo Príncipe, os volantes Willians e Cristian, e os atacantes Isaac e Lucca.
Estão fora, no Corinthians, Jean e Gustavo, por já terem atuado no torneio por seus antigos times, Danilo, Guilherme, Bruno Paulo, Pedro Henrique, Uendel e Vilson, lesionados; e no Fluminense, Cavalieri lesionado, Samuel, Julião, e Maranhão, por já terem atuado no torneio pelos seus antigos times.
Pierre, do Fluminense, está pendurado com dois cartões amarelos. 
No Corinthians, por desfalques, por recuperação de lesões e por opção técnica, o agora técnico Fábio Carille promoveu algumas mudanças no time que iniciou o dérbi. Fagner estará de volta na lateral direita, Yago fará a dupla de zaga com Balbuena, Camacho ocupará a cabeça de área, Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto voltarão a ocupar o meio campo e Romero atuará como centro avante. Sairão do time o lateral Léo Príncipe, o zagueiro Vilson, o volante Cristian e os atacantes Lucca e Gustavo. 
O esquema tático será o 4-1-4-1, com o setor ofensivo tendo Giovanni Augusto e Rodriguinho centralizados, Marquinhos Gabriel pela direita, Marlone pela esquerda e Romero mais adiantado. No último treino, Carille promoveu um trabalho de posicionamento ofensivo e defensivo e ensaiou bolas paradas em cobranças de faltas e escanteios, bem como cobrança de pênaltis. 
No Fluminense, William Matheus e Douglas retornarão ao time nas vagas de Giovanni e Henrique Dourado. Levir Culpi montou o time com Marcos Júnior, Wellington e Scarpa formando o setor ofensivo. Precisando fazer gols, o time não vai poder ficar só na defesa esperando os contra ataques. Vai ter que sair para o jogo e dar espaços para o Corinthians. Para o técnico, é fundamental marcar bem e atacar. 
Para o Corinthians, além da classificação para a próxima fase, a partida é um desafio e uma oportunidade da retomada da vitória e da superação das dificuldades que a equipe vem enfrentando em decorrência de desmanches sucessivos, do time e da comissão técnica, oriundos dos desmandos administrativos da sua diretoria. Embora o problema maior do Corinthians não fosse o Cristóvão, sua saída pode tirar parte da pressão da torcida e da imprensa, e dar um pouco de tranquilidade ao trabalho da comissão técnica, com ganhos dentro do campo. Mais do que a mudança de jogadores, e alguns precisavam realmente sair do time, e da metodologia de trabalho, o que realmente poderá fazer a diferença será a mudança de postura dos jogadores em campo, será a garra, a determinação e o respeito à camisa e ao time que paga seus altos salários. Dois dias de treino é muito pouco para mudar o que precisa ser mudado, mas o comprometimento de cada um poderá alavancar uma nova atitude diante dos desafios do jogo e do campeonato. 
Corinthiano sempre tem fé. Corinthiano nunca desiste. Que se faça valer a mística da camisa e que, qual fênix renascida, a raça corinthiana aflore em Itaquera fecundada pelas energias da Fiel. 

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br-Total Corinthians/meutimao.com.br-MAON 
Djalma Vassão/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-Nelson Perez/Fluminense F.C./Divulgação/odia.ig.com.br-MAON 
twitter.com/@CarlosAFerrari 
Nelson Peres/Fluminense FC/globoesporte.globo.com 
Djalma Vassão/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-MAON 

domingo, 18 de setembro de 2016

"Boi de Piranha"

Depois do último vexame, a corda rompeu no lugar mais fraco e o presidente do Corinthians demitiu o técnico Cristóvão Borges. Por justiça e hombridade, a diretoria e, também o gerente de futebol e o diretor adjunto, deveriam ter a humildade de reconhecer que faliram na condução do Corinthians e renunciarem coletivamente. Mas, é mais cômodo e vantajoso para eles manterem seus status, seus cargos, suas boquinhas e jogar na água um "boi de piranha", do que admitirem suas falhas. Cristóvão nunca foi um técnico top e foi contratado por ser um técnico barato, disponível no mercado e, possivelmente, por seu temperamento pacato, por ser "boa praça", por não criar encrenca, por aceitar um contrato sem multa rescisória. 
E foi defenestrado no vestiário, após a derrota para o Palmeiras, como se fosse o único ou o maior responsável pelo vexame, pela oscilação do time, pela inoperância e moleza da bolerada em campo, pela falta de qualidade dos contratados pós desmanches promovidos pela diretoria e por todos os desmandos cometidos. 
Demitir Cristóvão foi a solução mais fácil, mas não vai resolver o problema do Corinthians, porque ataca um dos seus efeitos, mas não a causa real, que é a má administração, a incompetência e a omissão de seus diretores, do seu conselho e de maus profissionais. Daqueles que foram incompetentes e omissos ao elaborar os contratos dos jogadores vendidos sem que o Corinthians tivesse alguma vantagem nessas transações, que foram incompetentes e omissos nas reposições pós desmanches e no preenchimento dos cargos de técnico, diretor adjunto e gerente de futebol. De quem contratou um técnico que não conseguiu se impor, de um diretor adjunto que sofre de diarreia mental, de um gerente que, por seus erros e inoperância, está jogando no lixo sua bonita história como jogador, e de jogadores sem condições técnicas, sem garra e sem as mínimas condições de vestirem nossa camisa. De uma diretoria que transformou o Parque São Jorge num balcão de negócios e no paraíso dos empresários. De um presidente que desrespeita o maior patrimônio do clube, sua torcida, e que se administrasse sua agência de automóveis como administra o Corinthians, estaria falido. 
Sobre o jogo só resta lamentar a falta de técnica, padrão tático, de organização e de vontade. Com raríssimas exceções, o time não entrou em campo. Faltou técnica, padrão tático, mas principalmente faltou o que no passado foi a marca do Corinthians. Faltou garra, faltou raça, faltou ser Corinthians. Não seria exagero dizer que perdemos por WO, pois o que vimos em campo não foi o Corinthians, mas sim um amontoado de jogadores sem alma, um bando de zumbis, subjugado por um time que nem precisou se esforçar para nos derrotar. 
Derrota que caiu nos ombros do elo mais fraco da corrente, o técnico, que tem sua responsabilidade no resultado, mas não a única nem a principal. Enquanto isso, o presidente ainda tem o desplante de afirmar não ser o responsável pelo caos que se instalou no Corinthians e para livrar-se da sujeira que essa diretoria produziu, lança-a aos técnicos Tite e Cristóvão Borges, responsabilizando-os pelas péssimas contratações na reposição dos desmanches. Mas, omite que entre os inúmeros jogadores solicitados e monitorados, contratou os mais baratos e não os melhores. Comprou na xepa da feira e reclama porque os chefes de cozinha não conseguiram, com os ingredientes de qualidade duvidosa, preparar um banquete. Na realidade, com alguns desses ingredientes não dá nem para fazer um sopão. 
A oscilação do time e o futebol apresentado nos últimos jogos, a falta de qualidade, a falta de garra de jogadores que andam em campo e que se escondem atrás de um desconforto muscular, parecem indicar o descompromisso dos mesmos com Corinthians e a ausência de profissionalismo, ou mesmo uma ação deliberada para derrubar o técnico. 
Mas, com certeza, toda essa desorganização, má vontade e o caos reinante refletem o caos administrativo implantado pelo grupo que se intitula Renovação e Transparência, mas utiliza métodos análogos ao que o antecedeu, portanto sem renovação, que não apresentou até hoje as contas da construção da Arena, portanto, sem transparência, o que nos faz temer pelo futuro do nosso Coringão.
Já passou da hora da torcida assumir sua responsabilidade e exigir que o Corinthians retome os ideais de seus fundadores e que seja refundado como time do povo e não do grupo que dele se apropriou. É urgente resgatar nossas origens, nossa identidade, nossa raça, nossa essência e nossa marca. 
QUERO MEU CORINTHIANS DE VOLTA

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Corinthians X Palmeiras

Pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Corinthians receberá o Palmeiras neste sábado, 17/09, às 16:00 horas em sua Arena, em Itaquera, na cidade de São Paulo. Quinto colocado no campeonato, com 41 pontos, 12 vitórias, 5 empates, 8 derrotas e 55% de aproveitamento, o Timão receberá o líder, com 48 pontos, 14 vitórias, 6 empates, 5 derrotas e 64% de aproveitamento. Ambos os times empataram por 1 a 1 na última rodada, o Corinthians com o Coritiba, fora de casa, e o Palmeiras com o Flamengo, em sua arena. 
Ficha Técnica - Corinthians X Palmeiras
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 17 de setembro de 2016, sábado
Horário: 16:00 horas (de Brasília)
Árbitro: Héber Roberto Lopes - SC (FIFA)
Assistente 1: Kleber Lúcio Gil - SC (FIFA) 
Assistente 2: Carlos Berkenbrock - SC (MAST)
Quarto árbitro: Elmo Alves Resende Cunha - GO (ESP)
Corinthians: Cássio; Léo Príncipe, Yago (Vilson), Balbuena e Uendel (Guilherme Arana); Cristian (Giovanni Augusto), Camacho, Lucca, Rodriguinho e Marlone; Gustavo; Técnico: Cristóvão Borges 
Palmeiras: Jaílson; Jean, Mina, Edu Dracena e Zé Roberto; Gabriel, Tchê Tchê, Moisés; Dudu, Roger Guedes (Erik) e Lucas Barrios (Leandro Pereira); Técnico: Cuca 
Além dos possíveis escalados, também foram relacionados: 
No Corinthians, os goleiros Matheus Vidotto e Walter, o zagueiro Léo Santos, os volantes Jean e Willians, o meia Marquinhos Gabriel, e os atacantes Romero e Isaac.
No Palmeiras, o goleiro Vagner, os laterais Fabiano e Egídio, o zagueiro Thiago Martins, os volantes Arouca e Thiago Santos, os meias Allione, Cleiton Xavier, Vitinho e Fabrício, e o atacante Rafael Marques.
Estão fora, no Corinthians Danilo, Rildo, Pedro Henrique, Bruno Paulo e Guilherme, lesionados e Fagner, suspenso; e no Palmeiras Fernando Prass, e João Pedro, lesionados, Vitor Hugo, Gabriel Jesus, e Alecsandro, suspensos. 
Estão pendurados, com dois cartões amarelos, no Corinthians, Vilson, Guilherme, Uendel, Pedro Henrique, Rodriguinho, Romero e Giovanni Augusto; e no Palmeiras, Arouca, Gabriel, Matheus Sales, Cleiton Xavier, Dudu e Rafael Marques.
Cristóvão Borges só vai definir o time titular horas antes do jogo, após avaliação médica de Vilson e Uendel. Mas, já definiu a escalação de Léo Príncipe na lateral direita e voltou a relacionar o Giovanni Augusto, que, se tiver condições clínicas, poderá substitui o Cristian na cabeça de área. 
No Palmeiras, Edu Dracena foi confirmado na zaga, mas Cuca ainda não definiu o substituto de Gabriel Jesus. Erik, Barrios, Rafael Marques e Leandro Pereira brigam por uma vaga. 
Para os dois times, a vitória é fundamental. Em vantagem na tabela e com um time mais entrosado, que conservou sua base e seu técnico, o Palmeiras vai enfrentar num jogo de torcida única do rival, o caldeirão de Itaquera. Com vários desfalques, o Timão, em processo de reorganização, vai precisar superar na raça e na mística de Itaquera suas dificuldades técnicas e organizacionais. Será um jogo em que os alvinegros terão que colocar o coração no bico da chuteira, reabastecendo-se na energia e no apoio da Fiel. Todos os ingressos foram vendidos e apoio não deverá faltar. Clássico é sempre um campeonato a parte, onde mais valem a garra, a mística e a determinação. É portanto uma excelente oportunidade de superação em busca da vitória, dos três pontos e de uma melhor posição na tabela. Vencer não é apenas possível. É necessário.

Créditos e fontes de imagens 
meutimao.com.br-fotografiasaereas.com.br-MAON 
verdaoweb.com.br-Marcelo Braga/globoesporte.globo.com-MAON 
Mauro Horita/Agif/Gazeta Press-Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/globoesporte.globo.com-MAON 
facebook.com/corinthians