sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Parabéns Corinthians, campeão da Liga Paulista de Futsal

Pelo segundo ano consecutivo, o Corinthians conquistou o título da Liga Paulista de Futsal. É o 11º título da equipe alvinegra, a maior vencedora da competição. No jogo de ida, em Sorocaba, o Corinthians venceu por 4 a 2 e dependia de um empate para sagrar-se campeão. Mas, jogando em casa, com o Ginásio Wlamir Marques lotado, o Timão goleou o rival por 4 a 0, com gols de Leandro Lino (2), Vander Carioca e Rocha. 
O jogo foi precedido de homenagens ao Chapecoense, dentro e fora da quadra. A Fiel compareceu em peso, lotou o Ginásio e deu um show, apoiando o time e vibrando muito.
Com domínio total da partida, os comandados de André Bié, com muita garra e técnica, honraram a camisa e protagonizaram mais uma conquista do nosso glorioso Futsal.
PARABÉNS CAMPEÕES

Créditos e fontes de imagem
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.com

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Não era só futebol

Não era não. Para muitos era uma profissão, seu ganha pão. Para outros uma promessa de vida, a busca de uma carreira vitoriosa, a busca do sucesso, a garantia de um futuro melhor, a sua realização pessoal e profissional. Era o sentimento do dever cumprido e o coroamento do esforço, do trabalho, da dedicação. Para todos, a realização de um sonho. O sonho do pequeno que se agigantou e que, degrau a degrau, chegou à final de um torneio continental. O sonho de mais um título, do seu maior título. 
Não era só futebol. Era um sonho. O sonho de um time, de uma torcida, de uma cidade, de uma população.
Um sonho que virou pesadelo com ingredientes de um filme de terror. Vidas ceifadas, famílias desesperadas, filhos sem pais, esposas sem maridos, pais e mães sem seus filhos, só tristeza, muitos ais. 
O que falar neste momento de tanta dor e desespero? Palavras de consolo fogem-me como as vidas que se foram. Dói o peito, lágrimas lavam-me a face. Não sei o que fazer, não sei o que falar. Apenas chorar as lágrimas sentidas de uma dor que atinge meu coração com a partida desses irmãos, que não são irmãos de sangue, mas irmãos de Humanidade criados por um mesmo Pai. E diante da tristeza que minh'alma invade, sinto-me parte dessas famílias enlutadas. Coloco-me no lugar de cada parente, faço por eles uma vibração envolvendo-os no carinho e na solidariedade, pedindo que esses irmãos, os que partiram e os que ficaram, sejam acolhidos, amparados e confortados. 
Já não existe mais rivalidade, já não vejo mais adversários. Vejo apenas irmãos necessitados de um abraço, de um carinho... Ao invés do canto da torcida, entoo um canto de solidariedade a esses irmãos de Humanidade. 
Analisando as notícias e as mídias sociais, constato que não estou sozinha nesse sentimento. A solidariedade se multiplica, os rivais se irmanam e se mobilizam para todo o tipo de ajuda. A fraternidade extrapola os limites da cidade, do estado, do país, ultrapassa o mundo da bola. Em cada rosto solidário uma lágrima rola, fazendo emergir em cada um, o humano que ainda não perdemos e o divino que nem sempre reconhecemos. 
E, no meio de tanta dor que nos machuca o coração, as tragédias chamam a atenção para os verdadeiros valores e o sentido da vida. Fazem emergir o divino que temos guardado, muitas vezes escondido e ignorado até mesmo por nós que o possuímos. E assim como o lírio brota no lodo, nasce a esperança de que a semente da solidariedade possa renascer nos corações endurecidos pelo rancor e que a rivalidade não seja, jamais, maior do que o amor e a compaixão.

Créditos e fontes de imagens
twitter.com

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Que ataque de nervos

Mais um jogo sem fazer a lição de casa. E a lição nem era tão difícil. Bastava ao Corinthians fazer a sua parte, vencer o 2º pior visitante do campeonato e, das 21 bolas que chutou ao gol, encaixar uma. Mas, para o Corinthians, fazer gol parece ser uma missão impossível. O time paranaense pouco ameaçou. Das 7 vezes que chegou ao gol, só acertou uma. E o Walter salvou. Tivemos 54,9% de posse de bola, criamos algumas boas chances e desperdiçamos todas. Tivemos volume de jogo, criamos mais que em outros jogos e erramos o arremate final. Como o que manda é bola na rede, empatamos o jogo, perdemos a chance de ir para o G6 e agora não mais dependemos só de nós. Além de precisar vencer o Cruzeiro em Belo Horizonte, é necessário que Atlético-PR ou Botafogo, perca seu jogo.
Embora o jogo tenha sido um pouco melhor que os anteriores, o time continua devendo futebol. Nosso volume de jogo foi enganoso, um verdadeiro latifúndio improdutivo. Nossa defesa pareceu segura, mas não foi ameaçada. O meio campo criou, mas ninguém aproveitou e o ataque foi a mesma lástima de sempre. Além disso, continuamos errando os fundamentos básicos. O time finalizou 21 vezes, 6 certas, 15 erradas e nenhum gol. E errou 55 passes, 34 cruzamentos e 24 lançamentos. Fora alguns lances bizarros, como o protagonizado pelo Marquinho Gabriel. 
Rodriguinho foi o melhor em campo, Camacho e Marlone foram bem, Cristian, mesmo não sendo brilhante, fez seu melhor jogo depois que voltou para o Timão. Romero, apesar da raça, nada produziu, e Marquinhos Gabriel, após ter feito uma boa partida contra o Internacional, fez outro jogo medíocre. 
Com o resultado, o Corinthians ficou com 55 pontos, um a menos que o Furacão e Botafogo, quinto e sexto colocados, respectivamente. Assim, terá de vencer na última rodada, pois perde em todos os critérios de desempate, e torcer para que um dos dois rivais perca seu jogo.
Na próxima rodada, a última da competição, os alvinegros enfrentarão o Cruzeiro, no próximo domingo, 04/12, às 17:00 (de Brasília), em Belo Horizonte. E no mesmo horário, o Atlético-PR enfrentará o Flamengo, na Arena da Baixada, em Coritiba.
Melhores momentos
Ficha Técnica - Corinthians 0 X 0 Atlético-PR
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 26 de novembro de 2016, sábado
Horário: 21:00 horas (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden - RS (FIFA)
Assistente 1: Elio Nepomuceno de Andrade Júnior - RS (CBF-1) 
Assistente 2: Lúcio Beiersdorf Flor - (CBF-1)
Quarto árbitro: Márcio C. Brum Coruja - RS (CBF-2)
Público: 24.701 pagantes
Renda: R$ 1.291.293,00
Cartões amarelos: Rodriguinho, Vilson (Corinthians); Lucho González, Thiago Heleno (Atlético-PR)
Corinthians: Walter; Fagner, Vilson, Balbuena e Uendel; Cristian (Giovanni Augusto), Marquinhos Gabriel (Gustavo), Camacho, Rodriguinho e Marlone; Romero (Lucca); Técnico: Oswaldo de Oliveira
Atlético-PR: Weverton; Léo, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Hernani (Matheus Rosseto), Lucas Fernandes (Nikão), Lucho González (João Pedro) e Pablo; André Lima; Técnico: Paulo Autuori

Créditos e fontes de imagens e vídeo
globoesporte.globo.com-Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-MAON
youtube.com/Soccer Play-globo.com

domingo, 27 de novembro de 2016

Eu choro por ti Corinthians

Te maltrataram, te vilipendiaram, te exploraram, te usaram, te abusaram, te estupraram. E num grande complô, te transformaram no paraíso dos gigolôs, de empresários mercenários, de diretores coniventes que te venderam, te liquidaram e te alijaram de teu bem maior.
Tentaram te asfixiar e te matar, te isolaram num palácio de mármore frio e sem vida, de onde tentaram expulsar sua torcida, que de torcer se vê impedida por regulamentos imbecis, criados por um mercado vil. Por aqueles que só vêm cifrão onde mora a paixão, transformando as arenas na tumba do futebol, no sepulcro da alegria que a cada dia que passa vai perdendo seu encanto, vai perdendo sua magia.
Corinthians amado, Corinthians idolatrado! O que fizeram pra ti? O que fizeram de ti?
Mas, mesmo com o coração sangrando, de tristeza e de dor, continuamos te amando com o mesmo ardor. 
E buscamos na lembrança de teu passado vencedor a flama da esperança de um novo porvir, de um futuro glorioso que faça jus à tua grandeza e que resgate teu esplendor. 
Tentaram matar tua alma, mas, a alma é imortal. Ela permanece e vive na paixão do torcedor, que ao interesse do empresário e à omissão do diretor contrapõe todo o seu amor. 
Amor à camisa, amor ao brasão, amor ao Corinthians: eterna PAIXÃO
Choro por ti Corinthians. Um pranto de dor mas, também um pranto de amor.
Mas, não ficarei inerte. Engulo o choro, enxugo as lágrimas e parto pra batalha. A batalha da sua libertação daqueles que de ti querem o bônus sem a contrapartida do ônus, daqueles que te usam, te abusam, que querem sorver o suco e te transformarem em bagaço, no bagaço da laranja chupada por quem só te vê como objeto de uso, de lucro e de poder. De quem te explora e na mídia te calunia, de quem te usa como trampolim, de quem te usa para auferir lucros em negociatas sem fim.
Quem sou eu para desafiar os poderosos que hoje te dominam? Para desafinar o coro dos contentes que vivem às custas de seu suor? Onde buscar munição para vencer o exército que te domina e que te escraviza?
Eu sou muitos, eu sou milhões, eu sou seu dono, o seu tutor. Eu sou seu eterno torcedor e minha arma é o amor. 
Eu sou a torcida, eu sou a arquibancada, eu sou o velho que torce no sofá.
Aparento estar amortecida por tantos golpes e sacanagens, mas, estou viva e não vou me calar diante de medidas abusivas.
Eu sou o teu resgate, a tua libertação, a libertação do jugo do ambicioso empresário e do diretor conivente. A libertação de quem não soube te amar, a libertação daqueles que apenas te usaram e te abusaram.
Eu sou tua torcida aguerrida, eu sou a Fiel das quebradas, da raiz da arquibancada.

Crédito e fonte de imagem
Gabriel Uchida/ fototorcida.com.br

sábado, 26 de novembro de 2016

Corinthians X Atlético-PR

Pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Corinthians receberá o Atlético-PR, neste sábado, 26/11, às 21:00 horas, em sua Arena em Itaquera. Será um confronto decisivo para a classificação para a Pré Libertadores. Em 7º lugar na tabela de classificação, com 54 pontos, 15 vitórias, 9 empates, 12 derrotas e 50% de aproveitamento, o Timão terá por adversário o 5º colocado com 55 pontos, 17 vitórias, 4 empates, 15 derrotas e 51% de aproveitamento. Em 6º lugar está o Botafogo também com 51 pontos. Faltando apenas dois jogos para o término do Brasileirão, o time que vencer terá a chance de permanecer no G6. 
Ficha Técnica - Corinthians X Atlético-PR
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 26 de novembro de 2016, sábado
Horário: 21:00 horas (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden - RS (FIFA)
Assistente 1: Elio Nepomuceno de Andrade Júnior - RS (CBF-1) 
Assistente 2: Lúcio Beiersdorf Flor - (CBF-1)
Quarto árbitro: Márcio C. Brum Coruja - RS (CBF-2)
Corinthians: Walter; Fagner, Vilson, Balbuena e Uendel; Cristian, Marquinhos Gabriel, Camacho, Rodriguinho e Marlone; Romero; Técnico: Oswaldo de Oliveira
Atlético-PR: Weverton; Léo, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Hernani, Lucas Fernandes, Lucho González e Pablo; André Lima; Técnico: Paulo Autuori
Além dos possivelmente escalados, também foram relacionados
No Corinthians, o goleiro Cássio, os laterais Guilherme Arana e Léo Príncipe, os zagueiros Léo Santos e Pedro Henrique, os volantes Jean e Marciel, os meias Giovanni Augusto e Guilherme, e os atacantes Gustavo, Lucca e Léo Jabá.
No Atlético-PR, o goleiro Santos, os laterais Rafael Galhardo e Renan Lodi, os zagueiros Marcão e Wanderson, os volantes Deivid e Mattheus Rosseto, os meias João Pedro, Marcos Guilherme e Nikão, e os atacantes Luan e Yago.
Estão fora, no Corinthians: Rildo, Yago, Danilo, no Departamento Médico; e no Atlético-PR: Lucas Macanhan, Cleberson, Juninho e Nicolas, no Departamento Médico.
Estão pendurados com dois cartões amarelos, No Corinthians: Giovanni Augusto, Guilherme e Uendel; e no Atlético-PR: Weverton, Marcão, Hernani, Nikão, Pablo, Luan.
No Corinthians, com o retorno de Rodriguinho que cumpriu suspensão no último jogo, Wendel volta para a lateral esquerda e o meia assume a armação do time. Desejando um time mais rápido, Oswaldo optou pela mesma formação do jogo anterior, com Marlone e Marquinhos Gabriel pelos lados e Romero de falso 9. No último treino, o técnico enfatizou as bolas paradas ofensivas e defensivas.
O que esperar desse jogo decisivo para salvar a temporada? Apenas a vitória. Jogando em casa, contra o pior mandante do campeonato, qualquer outro resultado será um desastre, não só pela perda da vaga na pré Libertadores, mas pelo conjunto da obra. Se não fossem os vacilos, estaríamos numa situação mais confortável. Agora o time tem que correr atrás do prejuízo e o mínimo que se espera é que joguem com raça e determinação, que coloquem o coração na ponta das chuteiras e que encarem o jogo como uma decisão. A classificação só depende do Corinthians, que se fizer sua parte, vencendo os dois jogos que faltam, conseguirá acabar a temporada com um mínimo de dignidade.

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br-facebook.com/Monikita SCCP-MAON
Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians/meutimao.com.br-Marco Oliveira/-Atlético-PR/globoesporte.globo.com-MAON
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.com
timaodecoracao.com.br

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

O corinthianismo se expressa no futsal

Futsal, a expressão do Corinthians e do Corinthianismo. Também teve desmanche. Também perdeu seu técnico. Mas, ao contrário do campo, teve inteligência e competência para superar suas dificuldades. Mesclando jogadores experientes e garotos da base, deu a volta por cima com muita técnica, raça e comprometimento. É hoje a expressão máxima da raça corinthiana. Os jogadores suam a camisa, jogam com paixão, transbordam emoção. E nos emocionam. 
E jogando bonito, com muita raça e competência, chegaram, às finais da Liga Paulista e da Liga Nacional de Futsal. 
Parabéns aos jogadores! Parabéns ao técnico Bié, o grande comandante desse time!
Obrigada futsal do Timão por não deixar o corinthianismo morrer.

Créditos e fontes de imagens
facebook.com/Gustavo Nascimento Landim-‎DEMOCRACIA CORINTHIANA
Reprodução TV-meutimao.com.br

terça-feira, 22 de novembro de 2016

"Ai, CORINTHIANS, Quando és o vencedor, Pobre fica milionário Rindo da própria dor".

Reafirmo que Corinthians é PAIXÃO que desafia qualquer indício de racionalidade. Em alguns momentos até consigo ser racional, fazer análise tática, técnica e que tais, questionar o time, sugerir estratégias, questionar jogador... Geralmente isso acontece quando o time vai mal, acumulando insucessos e fazendo meu coração sangrar. Talvez, no desespero e na ânsia de ajudar, procuro ser racional. Mas, basta uma vitória para emergir a paixão, ressuscitar a alegria, a emoção e reabastecer-me de esperança. Para fazer sentir-me feliz, alegre e contente. Nessas horas fico embriagada de amor e sinto todo o efeito da cachaça do torcedor. Saio do inferno e mergulho no céu, em todo o seu esplendor. A felicidade me visita e a alegria contagia. Digo adeus à racionalidade, distancio-me dos problemas e procuro apenas usufruir o momento, vivenciando integralmente sua magia. Se é provável que ele pode não perdurar pra sempre, procuro potencializá-lo ao máximo, para não perder nem um segundo dessa onda de euforia. Tudo se ilumina, a felicidade me afaga e tento vivê-la intensamente. Com a esperança resgatada, passo a vislumbrar novas vitórias, novas conquistas, novos momentos de glória. Esqueço os problemas, minimizo as dificuldades, sinto-me milionária e como diz a canção, rio da própria dor.
Num piscar de olhos, passo da água ao vinho, do inferno ao céu, da tristeza à alegria, inebriada de amor e de magia. A razão não explica. Mas, quem disse que a paixão é racional? A paixão é o tempero da vida nos momentos sem sal. Ela faz pulsar forte o coração. Só a paixão explica o que sinto pelo Coringão.
Se todos aqueles que atuam no Corinthians conseguissem entender essa paixão do torcedor, e também por ele se apaixonassem, todos seríamos mais felizes. Muitos do que nele atuaram a sentiram intensamente, como o nosso ídolo Sócrates Sampaio de Souza Vieira de Oliveira, o Doutor da bola e da Democracia. 

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.globo.com-Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-MAON 
facebook.com/Raul Corrêa Silva