domingo, 30 de junho de 2013

Para que servem as categorias de base?

Se eu tivesse um neto com aptidão para jogar futebol, iria fazer o possível para ele jogar no Corinthians. Mas, se enganam aqueles que pensam que eu iria encaminhá-lo para as categorias de base do Timão, por mais que ela seja vencedora da Copa São Paulo de Juniores e até de torneios internacionais. Eu iria encaminhá-lo para um time do interior, de 2ª ou 3ª divisão em que tivesse chance de jogar no Paulistão. Lá ele teria a oportunidade de jogar e aparecer para os olheiros do Corinthians, de ser contratado e de, se fosse bom, ser aproveitado no time titular. 
Se ficasse na base do Corinthians, poderia ganhar muitos títulos e até subir para o profissional. Mas, ficaria só treinando, às vezes seria relacionado e entraria apenas eventualmente em alguns jogos, geralmente nos últimos minutos ou com o time perdendo. E depois, seria emprestado para ganhar experiência, na melhor das hipóteses para o Bahia ou para a Ponte Preta. Senão, para o Bragantino, para o Atlético-GO, para o América MG, para o Guaratinguetá, para o Oeste ou JMalucelli.
Não sei o que acontece, mas quando a molecada sobe para o profissional, os jogadores somem. Eu sei que é diferente jogar na base e no time principal, mas será que dos campeões das duas últimas Copas São Paulo que vencemos, não tinha ninguém para ser aproveitado? Ou será que falta vontade, paciência e competência para trabalhar com os jogadores oriundos da base?
Porque aos jogadores comprados é dado todo o tempo necessário para se adaptarem ao clube enquanto os meninos, no 1º tropeço, já são alijados até do banco e logo emprestados. O próprio Danilo, com todo o seu talento, precisou de quase um ano pra engrenar no Corinthians...
Porque a comissão técnica e a diretoria preferem investir em jogadores caros, muito deles com histórico de lesões, que aqui acabam ficando mais tempo no Departamento Médico do que no campo ou em jogadores em fim de carreira que vem pra se aposentar no Corinthians? Não querem ter trabalho na formação ou existirá alguma outra razão. O que e quem ganha com isso? Os empre$ário$? Ou mais alguém?
E ainda tem coisa pior. Contratamos um jogador da base de outro time, que lá era reserva e emprestamos o jogador da nossa base, da mesma posição, titular absoluto e campeão da Copinha, para um time totalmente inexpressivo.
Se a função principal da base é revelar jogador e não ganhar títulos, nosso time está andando na contramão. Os poucos que conseguimos revelar, revelamos para os outros. Ou emprestamos ou vendemos precocemente. Exemplos, a venda do William, do Jô e do Marquinhos. E, por falar no Marquinhos, na época em que ele foi para a Roma, até cheguei a ficar com raiva, por ele ter querido sair do Corinthians. Mas, analisando o que aconteceu e está acontecendo com os campeões das duas últimas Copas São Paulo, chego à triste conclusão que ele estava certo. Se ficasse aqui,  corria o risco de ser emprestado para a Ponte Preta ou para o Bragantino ou para o Oeste ou para o América MG ou para o Atlético GO ou para qualquer outro time da série B ou ainda inferior.
Em compensação, os jogadores comprados, não só os medalhões, estão tendo suas oportunidades e sendo testados. E alguns, principalmente os medalhões, têm sido assíduos no DM. Mas, disso não podemos reclamar, pois antes de contratá-los, todos sabiam dos seu históricos de lesões.
Pela despesa e pelo trabalho que a base dá ao clube e considerando que o Corinthians não usufrui desse investimento e prefere contratar jogadores prontos ou garimpar os jovens nos times de 2ª e 3ª Divisões, às vezes me vem uma ideia esdrúxula. Acabar com a base, pois se ela estiver dando lucro, e não me refiro apenas ao lucro financeiro, não é para o Corinthians. Porque, de nada adiantará a construção do CT da base ao lado do CT Dr Joaquim Grava, se não houver a mudança de mentalidade e de gestão, não só da base, mas da Diretoria de Futebol, implantando-se uma política capaz de aproveitar as potencialidades dos garotos e dar continuidade à formação dos atletas. Se não acontecer essa mudança, continuaremos jogando dinheiro no ralo, favorecendo os empresários e, possivelmente, outros envolvidos nas transações de jogadores. E quem mais perde com isso é o Corinthians.

Créditos e fontes de imagens
Agência Estado/espn.estadao.com.br
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com
timaonoar.blogspot.com
timaonoar.blogspot.com
facebook.com/GRÊMIO GAVIÕES DA FIEL TORCIDA
Tom Dib/lancenet.com.br
loucoporticorinthians.com.br

sábado, 29 de junho de 2013

No jogo treino, goleamos o Audax. Sabe o que isso significa? Quase nada.

Em fase preparatória para enfrentar o São Paulo pela Recopa, o Corinthians venceu o Audax por 4 a 1 em jogo treino, no CT Dr Joaquim Grava. No 1º tempo, os titulares venceram por 3 a 0, com gols de Émerson (2) e de Guerrero. Na etapa complementar, os reservas empataram por 1 a 1, com Pato marcando para o Corinthians.
O time titular, escalado com Cássio; Edenílson, Chicão, Gil e Fábio Santos; Ralf e Guilherme; Romarinho, Danilo e Emerson; Paolo Guerrero, ressentiu da falta de ritmo e só se encontrou em campo aos 20 minutos. Com a marcação falha do adversário, time que acabou de subir para a Série A do Paulista, o Timão não teve dificuldades para fechar o 1º tempo com 3 a 0.
No intervalo, os dois times foram completamente modificados e o Corinthians atuou com Júlio Cesar (Walter); Willian Arão, Felipe, Jocinei e Igor; Maldonado e Ibson; Léo (Paulo Victor), Douglas e Renato Augusto; Alexandre Pato. O jogo foi bem mais arrastado e em uma jogada individual, o Audax chegou ao gol. E, depois de perder uma chance clara, acertando a trave de pé esquerdo, Pato fechou a contagem, com um passe de Douglas.
O que significa essa goleada? Acredito que ela serviu para dar ritmo de jogo à bolerada, depois de quase um mês sem jogar. E só. O adversário é muito fraco e não serviu como teste. Um amistoso com um time de melhor qualidade e que pudesse oferecer algumas dificuldades serviria para um diagnóstico mais preciso das reais condições do elenco e para a correção dos aspectos mais falhos. Mas, contra o Audax, no CT e sem torcida, o jogo esteve muito mais próximo de um rachão do que de uma decisão de campeonato.
Outro ponto intrigante foi a escalação do Romarinho no time principal, tendo dois meias de ofício no elenco. Romarinho de meia é um meia boca. Como diz meu amigo Paulo Monteiro "Romarinho de meia fica aberto na direita, parece uma enceradeira, não cria, mas marca até morrer..."
Não vi o jogo e as informações aqui apresentadas foram as que saíram na imprensa. Mas, isso não invalida a conclusão de que, pela fragilidade do Audax, a goleada pouco significa. As duas decisões da Recopa, a 1ª no Morumbi e a 2ª no Pacaembu, terão um grau de dificuldade muito maior. 
Acho que  o Corinthians marcou bobeira ao não realizar um jogo treino com um adversário mais qualificado.

Crédito e fonte de imagem
facebook.com/loucoporticorinthians

terça-feira, 25 de junho de 2013

Partindo para novas conquistas

Mais uma semana e tudo voltará ao normal para a Nação Corinthiana. Voltaremos a sentir a emoção das arquibancadas, a disputa nos gramados e a presença do que realmente nos interessa no futebol: ver o Corinthians jogar.
Após um 1º semestre turbulento, com a conquista do Paulistão, com uma participação tumultuada por um lamentável acidente e com uma eliminação assaltada pelo apito na Copa Libertadores, de um início claudicante no Campeonato Brasileiro, o Corinthians retorna aos gramados para disputar a Recopa e retomar o campeonato nacional.
Após o descanso de uma semana, a bolerada voltou ao trabalho e, numa inter temporada, se prepara para mais uma etapa de lutas, com algumas modificações no elenco e com muita especulação quanto a chegadas e saídas de jogadores. De concreto, até agora, a saída de Paulinho para a Inglaterra e de de Giovanni para a Ponte Preta, bem como a chegada dos volantes Jocinei e Maldonado, do meia Ibson e do goleiro Walter.
Na avaliação do preparador físico, os jogadores estão em melhor forma que no início do ano e o grupo já foi entregue ao técnico Tite para o trabalho com bola e a montagem do time que iniciará o 1º jogo da Recopa. 
Com um calendário apertado no 2º semestre, com Recopa, continuação do Brasileirão e Copa do Brasil, é preciso que todos estejam preparados física e tecnicamente. Não dá para retomar os jogos com as mesmas dificuldades do final do semestre, onde dos 15 pontos disputados só conquistamos 6.
O time que começará jogando deve manter a mesma base do que terminou o semestre, com Edenílson e Chicão substituindo os lesionados Alessandro e Paulo André e com Guilherme no lugar do Paulinho. Com novas opções no meio campo e com a recuperação de Renato Augusto vai sobrar gente no setor ofensivo.
Tite ainda não deu pistas sobre o time e o esquema tático que vai utilizar. Independentemente de como e de quem irá jogar, é imprescindível que os principais fundamentos, passes, cruzamentos e finalizações sejam melhorados. E que não falte raça nem vontade quando o time entrar em campo.
Somente assim será possível um ano de conquistas e vitórias. Por melhor que tenha sido 2012, ele já faz parte do passado. Estará para sempre em nossa memória e no Memorial do Corinthians. Mas, chega de festa. 2013 já começou e está na hora de buscar novas vitórias e novas conquistas.

Créditos e fontes de imagens
facebook.com/pages/Brahma
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
Sérgio Barsághi/Gazeta Press/gazetaesportiva.net.
fotolog.com

terça-feira, 18 de junho de 2013

Haja paciência! Estou com síndrome de abstinência

Pior que a gripe, a sinusite e a amigdalite, que resolveram fazer-me uma longa visita, é essa saudade imensa de ver o Corinthians em campo, de sentir o calor da torcida, de ouvir os cantos da arquibancada, de ver meu Timão jogar...

Nem o bom futebol da Espanha e da Itália foram capazes de aliviar essa falta que o Corinthians me faz. Apenas alguns momentos de alegria, acompanhando o futsal, a garotada sub 15 faturando o troféu no Canon Lion City Cup em Cingapura, o tricampeonato do Corinthians Steamrollers, o sucesso do Mineirinho e vendo o Paulinho fazer na selecinha o que ele costuma fazer no Corinthians, a minha única Seleção.
Mas, mesmo assim, a saudades permanece, pois o futebol é, sem dúvida, nosso carro chefe. E ainda faltam 15 dias pra acabar essa triste agonia. E para piorar, os corretores de jogadores, a cada hora fazem uma venda, uma troca e uma compra diferente. São tantas as especulações que resolvi apenas esperar. Não vou sofrer por antecipação.
O importante é que o time já voltou ao batente. Espero que essa parada acabe com as desculpas de cansaço, de desgaste e que a inter temporada sirva pra preparar a bolerada pra voltar a jogar bola, trazendo de volta aquele futebol que ficou lá no Japão. Consequentemente, que os laterais acertem os cruzamentos e que os atacantes façam gols. E que se resolva logo quem sai, quem chega e quem fica, para o time começar a engrenar.

Créditos e fontes de imagens
facebook.com/Grazilhpminafirmeza
facebook.com/Grêmio Gaviões da Fiel
facebook.com/SC Corinthians Paulista
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
facebook.com/fotos do mural

domingo, 9 de junho de 2013

O pior da história é que, com o empate, saímos no lucro

Melhores momentos
Ficha Técnica - Corinthians 0 X 0 Portuguesa
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 8 de junho de 2013, domingo
Horário: 18:30 horas (de Brasília)
Árbitro: Flávio Rodrigues Guerra (SP)
Assistentes: Rogério Pablos Zanardo e Celso Barbosa de Oliveira (ambos de SP)
Público: 30.785 pagantes (total de 33.219)
Renda: R$ 993.227,00 
Cartões amarelos: Bruninho, Cañete, Diogo (Portuguesa)
Corinthians: Cássio; Alessandro (Willian Arão), Gil, Paulo André (Ibson) e Igor; Ralf, Guilherme, Emerson, Douglas (Romarinho) e Danilo; Alexandre Pato. Técnico: Tite
Portuguesa: Glédson; Ivan, Valdomiro, Lima e Rogério; Bruninho (Lucas Silva), Corrêa, Souza (Jean Mota) e Cañete (Michel); Matheus e Diogo. Técnico: Edson Pimenta
Estatísticas
Uma hora é o gramado. Outra a altitude, a grama sintética, a viagem, o peso da bola. o cansaço... Agora a desculpa da vez é o calendário. Calendário, que todos sabemos que não é dos melhores, que todos já criticamos, mas, que é o mesmo para todos os times. Para quem está na rabeira, na intermediária e na ponta superior da tabela. Que, pela lógica, deveria desfavorecer times com elencos mais baratos e defasados, com estruturas mais precárias, com jogadores e comissão técnica de menor experiência. Sim, porque times menos estruturados, pela lógica, deveriam sofrer maior desgaste.
O que está acontecendo, realmente, é que em 2013, apesar do título paulista, o Corinthians ainda não mostrou um bom futebol. O pior é que, ao invés de se fazer um diagnóstico preciso, procurar as verdadeiras causas e trabalhar para eliminá-las, apenas apresentam desculpas, muitas delas esfarrapadas, estapafúrdias e genéricas. O último jogo não fugiu do padrão empaTITE de qualidade, além de revelar a fadiga de material que o time apresenta atualmente. Não sei se é a idade de alguns jogadores, problemas nos treinamentos, incluindo falhas no preparo físico, falta de vontade, de raça, acomodação, desmotivação ou tudo junto e misturado e algo mais... 
Só sei que o time não rende, não apresenta um futebol de qualidade, não tem um diferencial que possa trazer um bom resultado, erra os fundamentos, descontrola-se em campo... Se o técnico fosse um cozinheiro, diríamos que perdeu a mão, que o molho desandou, que o feijão azedou.
Sobre o jogo, nada de novo em relação ao que temos visto. Dá até vontade de copiar e colar um dos posts anteriores, pois a avaliação é a mesma. Sufoco de time pequeno, pouca produção, nenhuma jogada ensaiada, erros de passes, cruzamentos e finalizações. E ainda perdemos dois jogadores, Alessandro e Paulo André, por lesão, obrigando o técnico antecipar a estreia do Ibson e a improvisar na lateral, o William Arão.
O que nos dá esperança é que alguns jogadores reconhecem que o time não está bem e que precisa melhorar.
Ralf, preocupado com o tropeço no Pacaembu, embora admitindo que o desgaste físico atrapalhou, declarou após o jogo: "Esperávamos a vitória, infelizmente não deu. Perdemos muitas chances, temos que caprichar mais para que os gols saiam" (...) "Temos muito para melhorar, principalmente nos jogos em casa".
Agora todos, comissão técnica e jogadores, jogam todas as fichas na parada da Copa das Confederações, no descanso e na inter temporada. Tomara que dê certo!
O que não decepcionou, e não decepciona nunca, foi a torcida. 30785 pagantes foram ao Pacaembu (total: 32219 torcedores). E devem ter saído frustrados e preocupados com o que viram. Pois, pelo que o time jogou, o empate, foi lucro.

Créditos e fontes de imagens e vídeo
meutimão.com.br
globoesporte.globo.com
sportv.globo.com
republicadocorinthians.blogspot.com
1000_desculpas
a.casa.real.de.avyon.blogspot.com

sábado, 8 de junho de 2013

Corinthians X Portuguesa


Pela 5ª rodada do brasileirão, o Corinthians vai enfrentar o time da Portuguesa, neste sábado, às 18:30 horas no Pacaembu. Em 13º lugar no campeonato, com apenas 5 pontos, o Timão, depois de algumas vaciladas, vai ter que correr atrás do prejuízo. 
Sem conseguir cumprir a meta estabelecida por Tite, que era conquistar de 10 a 15 pontos, antes da parada da Copa das Confederações, o Timão, se vencer o jogo, conseguirá, no máximo, atingir 8 pontos. Como nenhum time conseguiu disparar na tabela, na última rodada, o Corinthians tem por objetivo recuperar-se da derrota do Cruzeiro e não se distanciar muito dos líderes. Depois é descansar e se preparar para a Recopa e para o reinício do campeonato brasileiro.
Já a Portuguesa, que tem um jogo a menos, ainda busca a primeira vitória. A equipe rubro-verde perdeu para o Vasco e vem de empate com o Internacional no Canindé.
Ficha Técnica - Corinthians X Portuguesa
Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 8 de junho de 2013, domingo
Horário: 18:30 horas (de Brasília)
Árbitro: Flávio Rodrigues Guerra (SP)
Assistentes: Rogério Pablos Zanardo (SP) e Celso Barbosa de Oliveira (SP)
Corinthians: Cássio; Alessandro, Gil, Paulo André e Igor; Ralf e Guilherme; Emerson, Douglas e Danilo; Alexandre Pato. Técnico: Tite
Portuguesa: Glédson; Luís Ricardo, Valdomiro, Lima e Rogério; Bruninho, Corrêa, Souza e Cañete; Matheus e Diogo. Técnico: Edson Pimenta
No Corinthians estão fora o lateral-esquerdo Fábio Santos, suspenso, o lateral Edenílson, com dores no joelho direito, e o zagueiro Chicão, vetado por lesão muscular, Renato Augusto, em fase final de tratamento de uma lesão muscular na coxa direita, Guilherme Andrade, que operou o joelho e ficará fora até outubro, Paulinho e Paolo Guerrero, com as seleções brasileira e peruana, respectivamente.
A Portuguesa terá o desfalque de Ferdinando, suspenso, Lauro, Alê, Moisés Moura, Douglas, Washington, Héverton e Diego Viana, lesionados.
No último treino, Tite trocou o treinamento tático por um treino de finalizações e o garoto Igor, que substituirá o suspenso Fábio Santos, treinou exaustivamente cruzamentos.
Se compararmos os dois times, podemos esperar uma vitória do Corinthians, que além da superioridade técnica do elenco e de melhor estrutura, contará com o fator casa e jogará com o apoio da sua torcida. Mas, diante da irregularidade do seu desempenho no campeonato e pela má fase que atravessa, o resultado é uma incógnita, principalmente porque diante do Corinthians, todos os times fazem o jogo da vida.

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.globo.com
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
gazetaesportiva.net
esporte.uol.com.br
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
esporte.uol.com.br
globoesporte.globo.com
facebook.com/fotos do mural

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Vamos jogar bola...

Melhores momentos
Ficha técnica - Cruzeiro 1 X 0 Corinthians
Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Data: 5 de junho de 2013, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília) 
Árbitro: Jaílson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Fábio Pereira (TO) e Luiz Carlos Silva Teixeira (BA)
Cartões amarelos: Bruno Rodrigo (Cruzeiro); Emerson e Gil (Corinthians)
Cartão vermelho: Fábio Santos (Corinthians)
Gol: Dagoberto, aos 39 minutos do segundo tempo
Cruzeiro: Fábio; Ceará (Mayke); Dedé, Bruno Rodrigo e Egídio; Nilton, Leandro Guerreiro, Everton Ribeiro (Élber) e Diego Souza; Dagoberto e Anselmo Ramon (Luan). Técnico: Marcelo Oliveira
Corinthians: Cássio; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Emerson, Douglas (Romarinho) e Danilo; Alexandre Pato. Técnico: Tite

Estatísticas
Depois de um bom 1º tempo, onde foram criadas algumas chances de gol, inaproveitadas ou paradas pelo bom goleiro Fábio, o Corinthians morreu na etapa final e foi derrotado por 1 a 0, gol de pênalti marcado por Dagoberto, após uma jogada infeliz do Fábio Santos.
Tite, em entrevista, afirmou que o time está, fisicamente, abaixo do que pode, devido a um calendário mais extenso no ano passado e a maioria dos jogadores ter tido as férias e a pré temporada reduzidas. Por conta disso, o time perdeu a intensidade e o técnico aposta na parada da Copa das Confederações para a recuperação do elenco.
Esquisito nesta argumentação é que o Time tem mais de 30 jogadores, o que possibilitaria, através do revezamento, controlar melhor esse desgaste. Mas, são sempre os mesmos que são escalados, alguns que tem qualidade estão emprestados e outros nunca são utilizados.
Na realidade o Tite não conseguiu ler o jogo do Cruzeiro no 2º tempo e não foi capaz de armar o time para enfrentar a velocidade do adversário, após as substituições feitas pelo técnico Marcelo de Oliveira. Além disso, continuamos errando passes, cruzamentos, lançamentos e finalizações. E a via Expressa Fábio Santos, de trânsito livre  e sem cruzamentos, deu sua contribuição para a derrota. Depois de perder a corrida para Élber, acabou agarrando-o fora da área, mas ele caiu na área, e o árbitro marcou o pênalti, convertido por Dagoberto.
E lá se foram os 3 pontos, a vitória e a liderança do campeonato.
Na realidade, o time sofreu com a ausência de Paulinho, Douglas e Danilo pouco criaram, Émerson correu muito e só, Tite substituiu mal e nem usou as substituições a que tinha direito, faltou raça, empenho e intensidade. Se o Fábio Santos não ganhava uma corrida, porque não colocou o Igor, que estava no banco? Porque não colocou Paulo Victor pra dar mais velocidade ao ataque? Se os velhinhos estão cansados. porque não colocar os garotos, descansados e cheios de gás?
Se analisarmos só este jogo, poderemos atribuir a derrota aos gols perdidos pelo Pato, ao pênalti do Fábio Santos, à ausência do Paulinho, ao mau desempenho do Émerson, Danilo e Douglas. Ou, como diz o Tite, ao desgaste dos jogadores.
Mas, essa seria uma análise incompleta. Como diria o saudoso Vinícius de Morais, "o buraco é mais embaixo". Precisamos analisar a temporada como um todo, na qual, apesar do título paulista, ainda estamos longe do futebol apresentado em 2012. Além de uns poucos lampejos de bom desempenho, parece que o time ainda não voltou do Japão e que a maioria dos jogadores prefere continuar deitado eternamente no berço esplêndido das coquistas do ano passado. Parece existir uma acomodação, uma fadiga de material, em alguns momentos, até uma certa soberba. No Paulista, perdemos para times abaixo de medianos, Na Libertadores, mesmo eliminados em condições trágicas, não jogamos com a mesma pegada do ano anterior e no Brasileiro, dos 20 pontos disputados, só conquistamos 5. 
O time está precisando de uma boa chacoalhada, de renovar peças, de mais raça, de sair da zona de conforto proporcionada pelas últimas conquistas. Está jogando um futebol engessado, burocrático e com um esquema tático mais que manjado e facilmente anulado. Nenhuma variação de jogada, erros em todos os fundamentos e nenhum gol de bola parada. E alguns jogadores estão muito estressadinhos, esquentadinhos e briguentos em campo. O Corinthians está precisando voltar a jogar futebol. Com vontade, com seriedade e com intensidade.
Se quiser ser campeão, tem que melhorar muito...

Créditos e fontes de imagens e vídeo
meutimao.com.br
globoesporte.globo.com
globo.com
esporte.uol.com.br
republicadocorinthians.blogspot.com

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Cruzeiro X Corinthians

Hoje é dia de caçar Jacaré nas Sete Lagoas. De caçar jacaré e mais três pontinhos. É com este pensamento que o Corinthians tem que entrar em campo esta noite contra o Cruzeiro, na Arena do Jacaré, às 22 horas, pela 4ª rodada do Campeonato Brasileiro.
Aliviado pela sua 1ª vitória contra a Ponte Preta, o Timão luta para melhorar sua classificação, após ter perdido 4 pontos preciosos contra o Botafogo no Pacaembu e contra o Goiás no Serra Dourada.
O Cruzeiro, que depois de golear o Goiás, na estreia do Brasileirão, sofreu uma derrota para o Botafogo e um empate para o Atlético Paraná, busca sua recuperação e para isso conta com o apoio da sua torcida.
Ficha Técnica - Cruzeiro X Corinthians
Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
Data: 5 de junho de 2013, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília) 
Árbitro: Jaílson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Fábio Pereira (TO) e Luiz Carlos Silva Teixeira (BA)
Cruzeiro: Fábio; Ceará; Dedé, Bruno Rodrigo e Egídio; Nilton, Leandro Guerreiro, Everton Ribeiro e Diego Souza; Dagoberto e Anselmo Ramon. Técnico: Marcelo Oliveira
Corinthians: Cássio; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Emerson, Douglas e Danilo; Alexandre Pato. Técnico: Tite
Tite relacionou, também, o goleiro Júlio. Cesar, o lateral Igor, os zagueiros Felipe e André Vinícius, os volantes Maldonado e William Arão e os atacantes Romarinho, Paulo Victor e Léo.
O Corinthians entrará em campo com algumas modificações em relação à formação anterior. Alessandro e Paulo André, recuperados de contusão, voltam ao time, enquanto Edenílson e Chicão voltam para o Departamento Médico.
No meio campo, Douglas, jogando por dentro, assume o lugar de Romarinho e junto com Danilo, que ficará mais pelos lados do campo, será o responsável pela armação. Assim, o ataque alvinegro terá dois jogadores de armação e dois de velocidade, Alexandre Pato e Émerson.
Além de Edenílson e Chicão, também estão fora Paulinho e Guerrero, servindo as seleções brasileira e peruana, o meia Renato Augusto, e o volante Guilherme Andrade, em recuperação física.
No Cruzeiro, Marcelo Oliveira tem praticamente todos os seus titulares em condições de jogo. A única exceção é o atacante Borges, com contusão muscular, que será substituído por Anselmo Ramon.
No último treinamento, o Timão trabalhou insistentemente o jogo aéreo defensivo. Tite posicionou os 11 titulares do Corinthians dentro da área e explicou como cada um deverá agir quando o Cruzeiro tiver oportunidade de alçar bolas na área alvinegra.
Com a entrada de Douglas o Corinthians deverá ganhar em criação, pois o meia sabe como tratar a bola e deixar os atacantes na cara do gol. Só não vale eles errarem as finalizações.

Créditos e fontes de imagens e vídeos
globoesporte.globo.com
gazetaesportiva.net
globoesporte.globo.com
Diego Ribeiro/globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
facebook.com/corinthians

terça-feira, 4 de junho de 2013

Passamos pela Ponte e derrubamos a Macaca

Melhores momentos
Desta vez a Macaca deu trabalho e tivemos mais dificuldade pra passar pela Ponte. Mas, como ponte é pra se passar por cima, nada como chamar alguém acostumado a lidar com a macaca pra facilitar a travessia. Assim deve ter pensado o Tite quando sacou o Chicão do time, tirou o Émerson do banco e o colocou no campo. E bastaram poucos minutos para ele passar pela Ponte e derrubar a Macaca, marcando um golaço e levando o Pacaembu à loucura.
Gol do Émerson
"...E um grito forte ecoou, o o o
Estremecendo toda a arquibancada."
Um grito de alegria, de alívio, de satisfação...
Sim, estava mais que na hora de vencer no Brasileirão. E, mais uma vez, brilhou a estrela do Émerson, até então cornetado pela torcida e sacado do time para a entrada do Pato. 
Em vantagem no placar, Tite recompôs a defesa, substituindo o Alexandre Pato pelo zagueiro Felipe. O Corinthians ainda levou alguns sustos, mas conseguiu administrar o resultado e sair do Pacaembu com a vitória e com os três pontos.
Ficha Técnica - Corinthians 1 X 0 Ponte Preta 
Local: Pacaembu, em São Paulo (SP) 
Data: 1º de junho de 2013, sábado 
Horário: 21 horas (de Brasília) 
Árbitro: Rodrigo Guarizo do Amaral (SP) 
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Herman Brumel Vani (SP) 
Público: 24.449 pagantes 
Renda: R$ 759.630,50 
Cartões amarelos: Guilherme (Corinthians); (Ponte Preta) 
Gol: Emerson, aos 28 minutos do segundo tempo 
Corinthians: Cássio; Edenílson, Chicão (Emerson), Gil e Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Romarinho (Douglas) e Danilo; Alexandre Pato (Felipe) e Guerrero. Técnico: Tite 
Ponte Preta: Edson Bastos; Cicinho (Éverton Santos), Cléber, Ferron e Rodrigo Biro; Baraka e Magal; Rildo (Roger), Fernando e Chiquinho (Artur); William. Técnico: Guto Ferreira

Estatísticas
O novo esquema tático, ainda precisa de alguns ajustes e de maior entrosamento. Sem dúvida, ele funcionaria melhor com dois meias de ofício, pois Romarinho atua melhor no ataque, sua posição original, do que improvisado de meia.
Mas, o grande problema do time continua sendo os erros de fundamentos. Embora com maior posse de bola, continuamos errando passes, (38 errados), finalizações, (duas certas e 13 erradas), cruzamentos, (nenhum certo e 18 errados) e lançamentos (29 certos e 25 errados).
Por outro lado, a Ponte Preta é um time organizado, rápido, sabe explorar os contra ataques e vem dificultando a vida dos seus adversários.
Para a comissão técnica e para os jogadores, o jogo foi difícil, o desempenho foi bom e a vitória tirou um peso do time. Mas, é bom que fiquem atentos, pois para o time ser campeão ainda tem que melhorar muito.
Embora tenha feito o gol salvador, o herói da noite fez questão de dividir as honras com todo o grupo e ressaltou o respeito e a união do elenco.  O atacante elogiou o técnico Tite, negou ter entrado mordido pela condição de reserva, reconheceu a importância da torcida e reafirmou que o time vai brigar pelo título.
Para Guerrero, que amarga um jejum de 8 jogos sem gols, a vitória dá mais tranquilidade ao time. Convocado para a seleção peruana, ele somente terá nova oportunidade de marcar, após o retorno da parada da Copa das Confederações.
Ralf, que completou sua 200ª partida pelo Timão, sem nunca ter levado um cartão vermelho, foi o melhor homem em campo. Firme nos desarmes e na marcação, foi o monstro de sempre na proteção da zaga. 
Mais uma vez, a torcida compareceu para apoiar o time, apesar do horário inoportuno, da noite fria e do jogo ter sido realizado no meio de um feriado prolongado, com muita gente viajando. 
Se, de fato, a vitória dá mais tranquilidade e renova as esperanças da conquista do hexacampeonato, as estatísticas revelam que Tite terá muito trabalho na inter temporada para colocar o time voando, não só taticamente, mas também nos aspectos físico e técnico. Sem o aprimoramento dos principais fundamentos, não haverá tática milagrosa capaz de conseguir as vitórias necessárias para a conquista de mais um título brasileiro.
Mas, a vitória sobre a Ponte Preta não deixa de ser um tremendo alívio, além de resgatar a confiança e a esperança de novas conquistas. Que façamos novas travessias!

Créditos e fontes de imagens e de vídeos
meutimao.com.br
domingossccp.blogspot.com
globo.com/youtube.com
globo.com/youtube.com
facebook.com/C0r1nth14n5 m1L gr4u
corinthians.com.br
esporte.uol.com.br
republicadocorinthians.blogspot.com
gazetaesportiva.net
esporte.uol.com.br
globoesporte.globo.com
sportv.globo.com
sportv.globo.com
domingossccp.blogspot.com
facebook.com/Corinthiano Roxo

sábado, 1 de junho de 2013

Corinthians X Ponte Preta


"Vamos, vamos Corinthians, essa noite, teremos que ganhar..."
Mais do que uma música, este canto é uma necessidade. Hoje, pela terceira rodada do Brasileirão, às 21 horas, no Pacaembu, só nos interessa a vitória. Depois de dois empates e de 4 pontos perdidos, está mais que na hora de reagir. Se, antes do início do campeonato, a meta era acumular gordura, agora é correr atrás do prejuízo e recuperar os pontos perdidos.
Com apenas dois pontos na tabela, o Corinthians precisa da vitória nos próximos três jogos para fazer de nove a 15 pontos, antes da pausa da Copa das Confederações, no início de junho. Os empates contra Botafogo e Goiás deixaram a torcida preocupada e os jogadores incomodados. O sinal de alerta foi ligado e a necessidade de recuperação é indiscutível.
O adversário é novamente a Ponte Preta, desta vez no Pacaembu. Com três pontos na tabela e vindo de uma boa vitória sobre o Flamengo, fora de casa, a Macaca está animada e promete manter o bom resultado de três vitórias e dois empates nos últimos cinco duelos no Pacaembu.
Ficha Técnica - Corinthians X Ponte Preta
Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 1º de junho de 2013, sábado
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Guarizo do Amaral (SP)
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Herman Brumel Vani (SP)
Corinthians: Cássio; Edenílson, Chicão, Gil e Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Romarinho e Danilo; Alexandre Pato e Guerrero. Técnico: Tite
Ponte Preta: Edson Bastos; Cicinho, Cléber, Ferron e Rodrigo Biro; Baraka, Magal, Fernando e Chiquinho; Rildo e William. Técnico: Guto Ferreira
Também foram relacionados por Tite, o goleiro Danilo Fernandes, o lateral Igor, o zagueiro Felipe, o volante William Arão, o meia Douglas e os atacantes Émerson e Léo.
Com duas mudanças em relação ao time que empatou com o Goiás e com um novo esquema tático, Tite pretende obter sua 1ª vitória no campeonato. Ele substituiu o meia Douglas e o atacante Emerson por Danilo e Guerrero. Douglas, segundo o técnico, foi sacado, exclusivamente por problemas físicos. Já o Émerson sai por mudança tática. Não mais no 4 2 3 1 e sim num 4 2 2,  o Timão terá dois atacantes mais enfiados na área, Pato e Guerrero, e dois armadores, Danilo, que volta ao time depois de ter se recuperado de dores musculares e Romarinho. 
Na Ponte, a equipe será semelhante à que derrotou o Flamengo em Juiz de Fora na quarta-feira. A única alteração será a entrada do lateral esquerdo Rodrigo Biro, destaque do Penapolense no Paulista, no lugar de Uendel, que não poderá atuar por problemas burocráticos na renovação de seu contrato. 
No último treino do Corinthians, após o tradicional rachão, por falta de tempo hábil, Tite substituiu o treino fantasma, só com os titulares em campo, por uma conversa e pelo treino de finalizações.
Segundo Tite, a bola mais leve utilizada no Campeonato Brasileiro fez os jogadores terem dificuldades de adaptação. No treino, Guerrero e Sheik começaram com muitos erros, mas aos poucos foram dosando a força na bola. Danilo foi o que teve melhor aproveitamento, mesmo quando chutou com o pé direito, que não é seu preferido. Com essa atividade, espera-se um melhor aproveitamento do time neste fundamento. Embora a equipe tenha voltado a criar, os erros de finalizações foram responsáveis pelo dois empates no Brasileirão. 
Apesar da boa fase do adversário fora de casa, o Corinthians, jogando no Pacaembu e com o apoio da torcida, tem plenas condições de vencer. E precisa vencer para manter vivo o sonho do hexacampeonato. O Brasileirão está no início e se não tem nada ganho, também não tem nada perdido. Podemos e precisamos começar a vencer.

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
gazetaesportiva.net
gazetapress.com
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
facebook.com/Timão de Ouro