sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Parabéns Corinthians

Parabéns Corinthians, pelo teu aniversário.
Parabéns pelas tuas conquistas, pelas tuas lutas, pelas tuas vitórias e pelas tuas glórias.
Parabéns por ter conquistado para o povo, o direito de participar da elite do futebol.
Parabéns por ter enriquecido o esporte bretão com a ginga da várzea e com a beleza da miscigenação. 
Parabéns por ter viabilizado a ocupação do espaço aristocrático do Velódromo aos pretos, aos pobres, aos operários, às lavadeiras, aos lenhadores, aos cocheiros e aos tecelões.
Parabéns por ter, com a luta, a teimosia, a têmpora e a perseverança de seus fundadores e primeiros dirigentes, levado para o mundo da bola os ideais humanistas e libertários.
Parabéns por ter acolhido e gestado, nos períodos mais autoritários do país, durante o Estado Novo e a Ditadura Militar, lideranças e ideias que alavancaram as lutas sociais e políticas em prol da liberdade e da democracia.
Parabéns pelo teu protagonismo na luta pela anistia aos presos e exilados políticos e pela reconquista do direito ao voto direto para a presidência do país.
Parabéns pelos títulos conquistados em todas as categorias de esportes aquáticos e terrestres e pela tua imensa contribuição para o desenvolvimento esportivo do Brasil.
Parabéns por ser protagonista na sociedade e com tuas ações sociais, Sangue Corinthiano, Time do Povo, Jogando pelo Meio Ambiente e outras, bem como pelo engajamento de jogadores, ex jogadores, dirigentes e torcedores, contribuir para o bem estar de muitos que padecem as consequências de uma sociedade injusta e desigual.
Parabéns por ter conseguido agregar a torcida mais apaixonada, mais vibrante e mais Fiel do Planeta, uma torcida que apoia, que incentiva, que critica e que cobra, mas que não se esconde nem abandona e está ao teu lado nos bons e nos maus momentos. Uma torcida que está junto na vitória e na derrota, veste a camisa e, com todo orgulho, desfila pelas ruas com seu sagrado manto, qualquer que seja o resultado do jogo e do campeonato.
Parabéns por ter em tua torcida pessoas comprometidas com os ideais libertários e humanistas que nortearam sua fundação e que engajados, vigilantes e atentos lutam ardentemente para que eles não se percam pelos caminhos do business e do consumismo que permeiam nossa sociedade.
Parabéns por transcender os limites geográficos e por formar uma Nação com quase 40 milhões de torcedores fiéis espalhados por todo o mundo, por formar um bando de loucos, loucos por ti Corinthians... Uma Nação de fieis, que através de diferentes grupos e segmentos e com as mais diversas formas de organização, configura-se como uma imensa Nação incrustada em diferentes países, formando a República Popular do Corinthians. 
Não importa o local nem o país em que se encontram, os corinthianos sempre se reconhecem como irmãos e membros de uma mesma Nação.
Muito mais ações eu teria para te enaltecer e este espaço é insuficiente para conter tudo o que foi realizado nestes 102 anos de tua rica existência.
Por isso, neste dia do teu aniversário, irmanada com toda a Fiel, mais do que os parabéns, reafirmo a paixão, o amor e a devoção que sentimos e agradeço, não pelos seus inúmeros títulos, mas pela sua luta e pela sua existência.
Corinthians
Obrigada por existir e por me fazer tão feliz.



Créditos e fontes de imagens
facebook.com/fotos do mural
brigadamiguelbataglia.blogspot.com
facebook.com/fotos do mural
reinodemorango.blogspot.com
corinthians.com.br
facebook.com/fotos do mural
aresdoalambrado.blogspot.com
facebook.com/fotos do mural
fotolog.com
facebook.com/fotos do mural
claudiaandre.wordpress.com

Empacou e empatou...

Melhores momentos
Sei que gosto não se discute, mas futebol sim. Mas, não resisto e vou dizer o que penso. No jogo do Rio, não sei o que foi mais feio, a camisa do uniforme 3 ou o jogo do Corinthians. Nem vou falar do gramado, pois os estádios cariocas não passam de pastos mal cuidados e ninguém faz nada para reverter esse quadro vergonhoso. Não sei se é verdade, mas saiu a notícia que o Fluminense queria levar o jogo para Volta Redonda e a Rede Globo vetou.
Falando do jogo em si, só assisti até o fim porque Aqui é Corinthians. E, pra mim, Corinthians é como o meu casamento, tem que estar junto nos bons e maus momentos. E, neste jogo, bota maus momentos... Jogo feio, retrancado, defensivo, com muitos passes errados, truncado por muitas faltas e com um árbitro confuso e incapaz de controlar a partida. Levou uma dura do Fred e saiu de lado com cara de paisagem... 
Jogo em que aconteceu de tudo. O Wallace marcou o bandeirinha e não o Fred, este enquadrou o árbitro, os atacantes foram fominhas e um não passava a bola para o outro, mesmo precisando fazer gol o jogo acabou com 4 volantes, eles fizerem o gol porque fomos desatentos e burra foi a nossa jogada e não a dita linha burra. E depois de tanta pasmaceira e de terem marcado bobeira, os jogadores, que pouco correram e mais andaram em campo, ainda acharam que jogaram bem e que mereciam ganhar...
Por favor, poupem-me. Não dá pra admitir que jogadores que ganham um baita salário mais direito de imagem, não gastam com assistência médica, têm um SPA e hotéis  de luxo à disposição, alimentação balanceada, se locomovem de carro e de avião, não sabem mais o que é enfrentar o transporte público e a fila do SUS, treinam em um só período num CT de 1º mundo, com material de jogo, equipamentos e profissionais top de linha possam ser tão displicentes e desmotivados para atuarem no Brasileirão. 
Mas, o que esperar, quando mesmo ainda havendo chances matemáticas de conseguir o título, o técnico joga a toalha e jogador dá entrevista dizendo que o Corinthians agora só quer tumultuar o campeonato e tirar ponto dos primeiros colocados? Só que com esse joguinho de pelada, andando em campo e se poupando, só vão tirar pontos é do próprio Corinthians.
Além disso, nossa tática está super manjada. Mesmo perdendo, o técnico adversário, observando o jogo do 1º tempo, volta do vestiário com o time arrumadinho para anular nossas jogadas, empata o jogo e, muitas vezes, até vira. E o Corinthians continua na mesmice, fazendo a linha burra de impedimento, com atacante e até o centro avante (quando jogamos com este jogador) tendo que marcar e buscar a bola, com meia tendo que marcar em vez de ter tranquilidade para pensar o jogo, buscar uma bola e deixar o atacante na cara do gol, com laterais inoperantes e com todo mundo virando volante. Jogando assim, estouramos, e depois descartamos, o Liedson, os centro avantes não conseguem fazer gols e os poucos que o time marca, são, na maioria, de chegada de surpresa na área e de contra ataque rápido. Nenhuma variação, nenhuma jogada ensaiada, nada que possa surpreender o adversário...
Ah! Ganhamos a Libertadores e fomos Penta jogando assim. Fato. Só que agora todos já estudaram nosso jogo e como não tem variação tática, os técnicos adversários não precisam ser nenhum Guardiola para anular e impedir nossas principais jogadas E passamos a ser marcados e anulados em campo. É só marcar os jogadores chaves, aqueles que chegam de surpresa na área ou que acertam as poucas bolas cruzadas que recebem. E quando estes estão numa inhaca danada como no último jogo, fica tudo mais fácil.
Parece que por ter ganho a Libertadores, o time acha que já cumpriu sua meta do ano e que agora é só pensar no Mundial. Está jogando o Brasileirão em ritmo de treino, de amistosos de pré temporada, sem grandes responsabilidades e esquecendo-se que o melhor preparo para o Mundial é atuarem bem no campeonato nacional. Os jogadores estão apáticos, sem garra, sem determinação. Temos o melhor time do Brasil e da América, mas falta empenho, falta comprometimento, falta pegada e vontade de vencer. E isto reflete no desempenho em campo e o resultado é nossa posição ridícula na tabela, nossa pontuação e nosso saldo de gols.
Graças ao bom desempenho do Cássio, voltamos com o empate. E, quando o melhor jogador do time é o goleiro, é porque o time foi muito mal.
Também vou poupar-me de uma análise detalhada do jogo. Foi transmitido pela TV aberta e quem não foi ao Pacaembu pode assistir. Deixo a ficha técnica e as estatísticas do jogo para você mesmo analisar e concluir.
Ficha Técnica - Fluminense 1 X 1 Corinthians
Local: Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro(RJ) 
Data: 29 de agosto de 2012 (Quarta-feira) 
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-PE) 
Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Kleber Lúcio Gil (SC) 
Cartão Amarelo: Fred, Thiago Neves e Gum (Fluminense); Fábio Santos e Ralf (Corinthians) 
Gols: Fluminense: Fred, aos 37 minutos do segundo tempo;  Corinthians: Emerson, aos 36 minutos do primeiro tempo
Fluminense: Diego Cavalieri, Bruno, Gum (Rafael Sóbis), Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Jean, Wagner (Michael) e Thiago Neves; Wellington Nem e Fred. Técnico: Abel Braga
Corinthians: Cássio; Alessandro, Chicão, Wallace e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Douglas (Guilherme); Romarinho (Giovanni) e Emerson (Edenílson). Técnico: Tite
Estatísticas - 1º tempo
Estatísticas
 
Eventos
 

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br
facebook.com/fotos do mural
globoesporte.com/youtube.com
globoesporte.com
TV Lance/youtube.com
TV Lance/youtube.com
globoesporte.com
Sérgio Gandolphi/globoesporte.com
meutimao.com.br
esporte.uol.com.br
esporte.uol.com.br
esporte.uol.com.b
r

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Fluminense X Corinthians

Na 20ª rodada do Brasileirão, 1ª do 2º turno, o Corinthians vai pra o Rio de Janeiro, enfrentar o Fluminense no Engenhão, estádio onde o gramado é um verdadeiro pasto e vai trazer dificuldades para os jogadores de ambos os times, aumentando os riscos de lesão. Vindo de duas derrotas, com apenas 24 pontos e ocupando o 12º lugar na classificação, o Timão terá por adversário o vice líder, com 42 pontos, um a mais do que o Atlético Minas Gerais, que lidera o campeonato. O jogo reunirá os dois últimos campeões brasileiros, desta vez com seus jogadores titulares, pois no 1º turno, por estarem priorizando a Copa Libertadores, os times atuaram com os reservas.
Não será um jogo fácil. O Fluminense está embalado, motivado, luta pelo título e vai jogar em casa, enquanto o Corinthians, desde o início, jogou o Brasileirão para escanteio, priorizando a Libertadores, e agora, apesar dos discursos contrários, a prioridade é o Mundial de Clubes FIFA. Pela declaração dos jogadores e do técnico, dá para sacar que o campeonato nacional está sendo encarado apenas como preparação para o Mundial do Japão. Mas, o Corinthians precisa da vitória para acumular pontos e, assim, em dezembro, poder estar focado só no Mundial e não ter que se preocupar com a tabela.

Ficha Técnica - Fluminense X Corinthians 
Local: Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ) 
Data: 29 de agosto de 2012 (Quarta-feira) 
Horário: 22 horas (de Brasília) 
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-PE) 
Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Kleber Lúcio Gil (SC) 
Fluminense: Diego Cavalieri, Bruno, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Jean, Wagner e Thiago Neves; Wellington Nem e Fred. Técnico: Abel Braga 
Corinthians: Cássio; Alessandro, Chicão, Wallace e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Douglas; Romarinho e Emerson. Técnico: Tite 
Tite relacionou, também, Júlio César, goleiro; Guilherme Andrade, lateral; Antonio Carlos, zagueiro; Guilherme e Edenilson, volantes; Ramires e Giovanni, meias e Adilson, atacante.
A única modificação em relação ao time que iniciou o jogo contra o São Paulo, é a entrada do zagueiro Wallace no lugar de Paulo André, suspenso. Além do zagueiro, são desfalques por lesão, os atacantes Jorge Henrique, titular, Guerrero e Martínez, reservas.
A novidade no banco é a presença de Edenilson, que retorna de cirurgia no nariz e, se entrar no decorrer da partida, deverá jogar com máscara. 
O Fluminense terá o desfalque de Deco, Marcos Júnior e Ânderson, lesionados e Samuel, suspenso.
Apesar da situação nada confortável, Tite, considera que o Time tem apresentado um bom desempenho, prometeu fazer ajustes pontuais, mas afirmou que não vai mudar a forma do time jogar. Em entrevista coletiva, prometeu corrigir os erros e cobrou a melhora da finalização nas bolas paradas. Sem grandes chances no campeonato, ele tenta motivar os atletas com o Mundial, fazendo inclusive a ameaça de "quem não jogar (bem) vai perder o lugar no time".
Para não ser surpreendido com as jogadas pelo alto, uma das maiores armas da equipe carioca, no último treino tático, Tite realizou uma atividade de bola parada, colocando ataque contra defesa. Além de simular várias situações de ataque adversário,  o técnico pediu que os jogadores bloqueiem o meio campo, evitando que a bola chegue aos atacantes fluminenses. 
Além de jogar num pasto teremos outras dificuldades. Nossa defesa, com a saída do Castán, perdeu força e velocidade, Wallace carece de entrosamento e é meio estouvado, nossos laterais tem falhado na marcação, não têm conseguido acompanhar os adversários e também pouco ajudam ofensivamente. Nosso meio campo anda manco. Ralf, talvez por sugestão do Mano, tem se aventurado no ataque e desguarnecido a zaga. Seu forte é a marcação, mas falhou nos dois últimos jogos quando não conseguiu dar o combate e o resultado foram os gols do empate... dos adversários. Paulinho depois que renovou e foi chamado para a seleção, também caiu de produção e empacou. Douglas tem qualidade, mas por ser um jogador mais cerebral, que pensa as jogadas e parece antecipá-las na mente antes de executá-las, não se encaixa no esquema TITEano, onde todos tem que correr e marcar. Pra complicar, Danilo não tem conseguido o bom desempenho do início do ano e Émerson e Romarinho, precisam deixar de ser fominhas e jogar mais no coletivo. Isso sem falar nos erros de finalizações, não só de bolas paradas, mas, principalmente com a bola em jogo. Na última partida, em 16 finalizações, acertamos 8 e marcamos só 1 gol.
Para trazer um bom resultado do Rio, não só os erros precisam ser corrigidos, É necessário que se recupere o espírito vencedor, a garra e a determinação. Tem que mudar a postura e resgatar a pegada anterior. Vendo o time em campo, dá a impressão que estão lá pra cumprir tabela e que já jogaram a toalha. 
Para voltarem a vencer é preciso que diretoria, time e torcida se conscientizem que a Libertadores já passou, o Mundial ainda não chegou e que o Brasileirão já começou. E já está pela metade. Já passou da hora de parar de festejar e voltar a jogar bola.

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.com
Alexandre Loureiro/lancenet.com.br
TV Lance/youtube.com
esporte.uol.com.br
Tom Dib/lancenet.com.br
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/globoesporte.com
globoesporte.com
band.com.br
Carlos Augusto Ferrari/globoesporte.com
facebook.com/fotos do mural

terça-feira, 28 de agosto de 2012

O que é isso meu Timão? Que papelão!

A Libertadores já acabou e o Brasileirão já começou
Aliás, não só começou, como já está na metade. E ainda estamos só comemorando, preocupados com mosaico e ostentação e o futebol, que é o que interessa, continua oscilando e patinando.
Embora tenham ocorrido modificações no elenco e a troca de alguns jogadores, o problema é mais de postura do que de entrosamento. Temos levado sufoco até de times considerados pequenos e de fregueses. Não é porque ganhamos a Libertadores invictos, que somos a última bolacha do pacote e a azeitona da empada e vamos ganhar um jogo a qualquer momento e quando quisermos. 
Mesmo com os títulos de melhor da América e do Brasil, temos algumas deficiências e não estamos em nossos melhores momentos. Não temos mostrado competência para aproveitar nossa superioridade técnica, não temos conseguido manter a pegada, perdemos o pique, o ritmo, nos desconcentramos, perdemos bolas e erramos passes de curta distância, erramos finalizações, deixamos de marcar e nos dois últimos jogos, nossa defesa foi um verdadeiro queijo suíço. Em dois jogos, tomamos o mesmo número de gols do que em 14 no torneio continental. Digo o mesmo número, considerando apenas os gols legítimos, (quatro), pois se contássemos o gol roubado, que entrou no cômputo do saldo oficial de gols, seriam cinco. Mas, para efeito de análise da defesa, valem os quatro.  
Na partida de domingo começamos com um jogo arrasador e acuamos o adversário. Depois do gol, caímos de produção, tomamos o empate e fizemos um 2º tempo desastroso. Mantivemos a posse de bola, mas, nosso desempenho foi o mesmo de um latifúndio improdutivo.
Não tivemos competência para aproveitar o bom momento para fazer o resultado, perdemos gols imperdíveis e o time parecia achar que ganharia o jogo na hora que quisesse. Era óbvio que ninguém consegue jogar 90 minutos naquele ritmo alucinado do início e que um time experiente, como o do adversário, não ficaria acuado o tempo todo. 
Na etapa final, com a saída de Douglas, que jogou gripado, e a entrada de Martínez, ganhamos na marcação, mas perdemos na criação. Danilo não estava em seus melhores dias, Émerson, voltando de contusão e sem ritmo de jogo, cansou, o Ralf esteve muito longe de ser o Pitbull de jogos anteriores, roubando bola, mas também perdendo-as na mesma proporção e Paulinho passou de marcador para marcado, jogando mais como ala do que como volante. E time sem meio campo, não chega a lugar nenhum. Como nossos laterais pouco ajudam ofensivamente, a situação ficou crítica. Para piorar, o São Paulo voltou melhor, tomamos o 2º gol, nos desestabilizamos, demoramos pra nos reequilibrar e não conseguimos nem o empate.
Tite mexeu no time tarde demais, além de ter posto o Guilherme numa roubada, colocando-o aos 41 minutos da etapa final. Paulo André não estava bem e deveria ter saído antes. Tite poderia ter deslocado o Ralf para a zaga e colocado o Guilherme de 1º volante, reforçando a marcação e melhorando a mobilidade.
Para Gaciba foi pênalti
E, mais uma vez, para não variar, houve uma ajudazinha dos árbitros, (do bandeira, do espantalho de quero quero e do Seneme), deixando de marcar um pênalti quando o Émerson foi derrubado dentro da área. Além de espantar os quero quero, para que serve aquele árbitro atrás do gol? Mas, com isso já estamos acostumados, razão pela qual nosso esforço tem que ser dobrado, e não adianta reclamar. 
Uma avaliação mais ampla do jogo e do momento atual do Corinthians permite-nos detectar alguns problemas sérios, que se não forem corrigidos a tempo, ocasionará nosso fracasso no Brasileirão 2012 e no Mundial do Japão.
Com a saída do Castán e a entrada do Paulo André, ficamos com dois zagueiros mais técnicos e perdemos em força e velocidade. 
Depois da crítica do Mano, Ralf ou ficou muito abalado com a mesma ou está fugindo de suas características de cão de guarda da zaga para sair mais para o ataque, como quer o professor, e cacifar-se para a seleção. Perdeu qualidade na marcação e não tem conseguido ter bom desempenho quando se aventura no ataque, perdendo-se, assim, a sintonia anterior, quando Ralf marcava e Paulinho avançava. O tiro está saindo pela culatra, pois perdeu-se o que tinha de bom sem nada acrescentar.
Paulinho pode ser decisivo e muitas vezes já foi, mas parece que a seleção mexeu com a sua cabeça. Ainda nem foi e já está com a síndrome da amarelinha.
No ataque, Romarinho é habilidoso, já foi decisivo, mas, ainda é um jogador em formação, falta-lhe experiência e precisão para finalizar as jogadas. Ramires é pouco utilizado e carece de entrosamento. Tite poderia, pelo menos, experimentar utilizar a dupla Ramires e Guerrero, aproveitando o entrosamento já existente na seleção peruana. Martinez não foi tão bem quanto no jogo anterior, mas com mais entrosamento tende a render mais. No momento a situação é crítica. Ainda não sabemos se temos um centro avante goleador e continuamos perdendo muitos gols.
Embora o Brasileirão não possa ser encarado como simples preparação para o Mundial de Clubes, se os problemas da equipe não forem solucionados, fracassaremos nos dois. Apesar da negação no discurso, a prática indica que o campeonato nacional deixou de ser prioridade, pois o time tirou o pé e perdeu a pegada.
Os jogadores, embora chateados com a derrota, não admitem que jogaram mal, acham que tiveram um bom desempenho e Chicão chegou até a elogiar e a parabenizar a postura da equipe. Se eles não conseguem perceber a queda do próprio rendimento, Tite vai encontrar muita dificuldade para corrigir os erros e resgatar a técnica, a pegada e o pique dos jogos da Libertadores. Isso não deixa de ser preocupante. Sem humildade  e sem consciência das limitações e  dificuldades, os problemas jamais serão sanados. Pelo contrário, serão agravados e poderão descambar para o excesso de confiança e para a soberba.
Ficha Técnica - Corinthians 1 X 2 São Paulo
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP) 
Data: 26 de agosto de 2012, domingo 
Horário: 16 horas (de Brasília) 
Renda bruta: R$ 1.035.952,56 
Público: 36.644 espectadores; 34.843 pagantes 
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP) 
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP) e Herman Brumel Vani (SP) 
Cartões amarelos: Rafael Toloi e Maicon (São Paulo); Chicão, Paulo André e Romarinho (Corinthians) 
Gols: Corinthians: Emerson, aos cinco minutos do primeiro tempo São Paulo: Luis Fabiano, aos 23 minutos do primeiro tempo e aos 16 minutos do segundo tempo
Corinthians: Cássio; Alessandro (Ramirez), Chicão, Paulo André (Guilherme) e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Douglas (Martinez); Romarinho e Emerson. Técnico: Tite 
São Paulo: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rhodolfo, Rafael Toloi e Douglas; Denílson, Paulo Assunção, Maicon (Cícero) e Jadson; Lucas e Luis Fabiano (Casemiro). Técnico: Ney Franco
Estatísticas - 1º tempo
 Estatísticas
Eventos
 

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br
Leonardo Soares/esporte.uol.com.br
globoesporte.com
Leonardo Soares/esporte.uol.com.br
meutimao.com.br
arquivinho.com
globoesporte.com
TV Lance/lancenet.com
domingossccp.blogspot.com

domingo, 26 de agosto de 2012

Corinthians X São Paulo

Magestoso no Pacaembu
Tite fala do clássico
Domingo de clássico, domingo de Magestoso no Pacaembu. Jogo em que, independentemente de pontuação e de posição na tabela, é um campeonato à parte. O Corinthians, atual campeão brasileiro e campeão da Libertadores, já garantido para o próximo ano no campeonato continental, enfrentará o time do Morumbi, que luta para conseguir vaga para disputar esse campeonato. O São Paulo é o 6º colocado na tabela, com 28 pontos e o Corinthians, que disputou os primeiros jogos do Brasileirão com o time reserva, por ter priorizado a Libertadores, é o 11º colocado, com 24 pontos. Se para o São Paulo, a vitória é necessária para alavancar  a conquista da tão almejada vaga, para o Timão, vencer o clássico significa manter um tabu de 7 anos de vitória sobre o rival no Pacaembu.


Ficha Técnica - Corinthians X São Paulo
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP) 
Data: 26 de agosto de 2012, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP) e Herman Brumel Vani (SP)
Corinthians: Cássio; Alessandro, Chicão, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Douglas; Romarinho e Emerson. Técnico: Tite
São Paulo: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rhodolfo, Rafael Toloi e Douglas; Denilson, Paulo Assunção, Maicon e Jadson; Lucas e Luis Fabiano. Técnico: Ney Franco

O Corinthians terá o retorno de Chicão e Alessandro, que voltam de suspensão e de Émerson, já recuperado de contusão. Jorge Henrique, lesionado, continua afastado do time e será substituído por Romarinho.

O São Paulo terá o retorno de Douglas e Luiz Fabiano, mas terá o desfalque de Cortez, suspenso pelo 3º cartão, Fabrício e Canete, lesionados.

Até sábado, já haviam sido vendidos mais de 34 mil ingressos, o que significa que teremos o Pacaembu lotado. 
O jogo deverá ser equilibrado, mas, com a volta dos titulares e o apoio maciço de sua torcida, o Timão tem tudo para ganhar o clássico, desde que jogue como Corinthians.


Olha o esboço do mosaico

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.com
lancenet.com.br
TV Gazeta/gazetaesportiva.net
TV Lance/lancenet.com.br
esporte.uol.com.br
globoesporte.com
facebook.com.br/fotos do mural
Nelson Almeida/lancenet.com.br
facebook.com/fotos do mural
lancenet.com.br

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Taça Malabaristas da Arbitragem


Numa iniciativa da Brigada Miguel Bataglia que, assim como toda a Nação Corinthiana, se indignou com a atitude da arbitragem que, com seus erros, interferiu diretamente no resultado do jogo Santos e Corinthians, foi entregue na sede da Federação Paulista de Futebol,  no dia 24 de agosto de 2012, para ser encaminhada aos árbitros Émerson Augusto Carvalho e Flávio Rodrigues Guerra, a Taça Malabaristas da Arbitragem.
Com esse ato, a Brigada, bem como toda a Nação Corinthiana, reconhece o talento da dupla na construção da vitória do Santos Futebol Clube sobre o Sport Club Corinthians Paulista, em 19 de agosto passado, em partida válida pelo primeiro turno do Campeonato Brasileiro 2012. 
Na convocação para o ato, a Brigada Miguel Bataglia explicita toda sua indignação e revolta diante do ocorrido, ratifica o seu compromisso com a defesa do CORINTHIANISMO e com o resgate das virtudes que deram origem à fundação do TIME DO POVO e reafirmam seu engajamento na luta pelo resgate dos ideais humanistas, libertários e democráticos, protagonizados pelos seus fundadores. 

"Os malabarismos de Carvalho e Guerra exibiram o talento da arbitragem brasileira para desmoralizar o futebol brasileiro e, assim, quem sabe, dirigir o interesse público para outros divertimentos, como o estudo da acústica dos apitos seletivos e das moléstias da articulação complexa entre o braço e a escápula.

A dupla é responsável pelo recorde mundial de impedimentos não assinalados em um único lance de gol. Foram três no segundo “tento” do clube mandante.

De forma extraordinária, mostraram capacidade reversa, ao assinalar impedimento em jogada do atleta Romarinho, do Sport Club Corinthians Paulista, no primeiro tempo da referida partida.

Os brigadistas celebram as raízes populares, democráticas, libertárias e humanistas do clube do Bom Retiro. Valorizam a miscigenação, o multiculturalismo, a universalização de direitos a inclusão por meio do esporte.

Ao mesmo tempo, combatem a elitização do espetáculo da bola, a divinização do “business” de pilhagem e a instrumentalização do futebol por partidos e instituições associadas ao pensamento egoísta-conservador.

O Corinthians tem um papel na sociedade brasileira, que é despertar paixões, construir identidades solidárias e agregar esforços no processo civilizatório. Como sentenciou nosso primeiro presidente, Miguel Bataglia, 'o Corinthians é o time do povo, e é o povo que vai fazer o time'." (Convocação dos Brigadistas para a entrega da Taça malabaristas da Arbitragem).

Segundo Walter Faceta, um dos participantes da ação direta " os insignes magistrados do ludopédio Emerson Carvalho e Flavio Guerra não compareceram a tempo para cumular honras e erguer o merecido troféu. O trânsito caótico de São Paulo deve tê-los retido em algum canto da azafamada urbe. Uma pena. O tímido Coronel Marinho, muitíssimo ocupado, também não pôde nos receber, mas gentilmente enviou ao passeio público um emissário sem nome ou patente. O referido, sem muita ginga ou malemolência, ouviu nossa mensagem, brilhantemente verbalizada pelo brigadista Rodrigo Foganholi. Em seguida, num sussuro indistinto, pareceu agradecer o dourado mimo e retornou a seu reduto de labor".
Parabéns à Brigada Miguel Batalha pela iniciativa e pela ação direta realizada.

Créditos e fontes de imagens
Brigada Miguel Bataglia/facebook.com/fotos do mural