sábado, 31 de maio de 2014

Corinthians X Botafogo

Entusiasmado e esperançoso com duas vitórias e com um bom desempenho, o Timão volta à Arena Corinthians com o objetivo de tirar a má impressão diante da derrota para o Figueirense e manter-se entre os primeiros colocados na tabela. É com este espírito que a equipe alvinegra enfrentará o Botafogo neste domingo, 01/06, às 16 horas, na Arena Corinthians.
O jogo estava inicialmente marcado para o Maracanã, mas a Fifa pediu um novo teste no estádio de Itaquera, que receberá a abertura da Copa do Mundo. Assim, o mando de campo foi invertido e o confronto dos alvinegros no Rio de Janeiro ficou para a 28ª rodada.
O Botafogo, que está na 13ª posição com 8 pontos, vem de uma vitória contra o Palmeiras na última rodada do Campeonato Brasileiro e busca uma vitória contra o Corinthians para se distanciar da ainda próxima zona do rebaixamento.
Ficha Técnica - Corinthians X Botafogo
Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 1º de junho de 2014, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Marcelo Bertanha Barison (RS)
Corinthians: Walter; Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique, Petros e Jadson; Romarinho e Guerrero; Técnico: Mano Menezes
Botafogo: Renan; Lucas, Bolívar, André Bahia e Junior Cesar; Aírton, Mario Bolatti, Edilson e Wallyson; Pablo Zeballos e Tanque Ferreyra (Daniel); Técnico: Vagner Mancini
Estarão no banco do Corinthians, o goleiro Danilo Fernandes, os laterais Guilherme Andrade, Uendel e Ferrugem, o volante Guilherme, os meias Renato Augusto, Danilo e Zé Paulo e os atacantes Luciano e Malcom.
Desta vez, Mano não escondeu a escalação e deverá iniciar o jogo com a mesma formação que deu certo nas últimas rodadas, com o elogiado Petros fazendo a marcação de um dos lados e puxando as jogadas mais rápidas, com Romarinho aproximando-se de Guerrero pelo outro e com Jadson armando o jogo na faixa central.
No Botafogo, Émerson Sheik não estará à disposição de Mancini por ter levado o terceiro amarelo na vitória por 2 a 0 sobre o Palmeiras, mas também não poderia enfrentar o Corinthians por cláusula contratual. Seu substituto será Tanque Ferreyra.
Buscando a vitória e foco no jogo, Mano não levou o time pra treinar na Arena Corinthians, para evitar o oba oba e o excesso de exposição. Admitindo a necessidade de concentração total, ele realizou os treinos no próprio CT Dr Joaquim Grava, onde, neste sábado, após treinar jogadas ensaiadas, sem a presença da imprensa, o time encerrou suas atividades do dia com um rachão.
Se mantiver a pegada dos dois últimos jogos, sairemos com a vitória e com os três pontos, entrando no recesso da Copa do Mundo nas primeiras posições da tabela.

Créditos e fontes de imagens e vídeo
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
gazetaesportiva.net
globoesporte.globo.com
Érica Papangelacos/facebook.com/gavioesoficial
gazetapress.com.br 

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Nós temos o peruano - Eles, um peru e alguns chapéus

Melhores momentos
Num jogo equilibrado, na quarta feira, no estádio do Canindé, o Corinthians parou o líder e embolou a linha de frente da tabela. Embora ainda continue líder, com seus 16 pontos, o Cruzeiro vê os adversários colados, inclusive o Timão, que alcançou a terceira posição, com 15 pontos, a mesma pontuação do Fluminense (segundo), Internacional (quarto) e Goiás (quinto). 
Como previsto, o Cruzeiro não ficou na retranca, buscou o jogo e deixou o Timão jogar. No 1º tempo, teve até maior posse de bola, mas não conseguiu traduzir tal superioridade em vantagem no placar. Empurrado pela torcida, o time da casa não se intimidou. Num jogo com chances entre lá e cá, brilharam as estrelas dos goleiros, até Guerrero vencer o goleiro cruzeirense e abrir o placar. Aos 22 minutos da etapa final, nosso centro avante, com a ajuda de Romarinho para dominar um balão de Walter, bateu de muito longe, Fábio se atrapalhou e viu a bola entrar em seu canto esquerdo. 
O importante foi que, aberto o placar, o time não recuou e continuou buscando o jogo, ao mesmo tempo em que nossa marcação conseguiu se sobrepor às investidas cruzeirenses. Assim, mesmo administrando a vitória, o Corinthians conseguiu se manter no campo de ataque até o apito final e esteve mais perto do gol que o Cruzeiro, com duas bolas na trave na mesma jogada, com Guerrero e Luciano. 
Se a goleada sobre o Sport, embora importante, não pode ser considerada como termômetro para medir o nível da equipe alvinegra, devido ao baixo nível técnico do adversário, a vitória sobre o Cruzeiro mostrou a evolução do Corinthians e reacendeu as esperanças na luta pelo título. Neste jogo, foi possível perceber, não apenas a evolução técnica do time, mas também, melhor entrosamento entre os jogadores, melhor movimentação em campo e principalmente uma nova atitude. Não, que tudo esteja perfeito. Ainda continuamos abusando dos chutões, em detrimento da troca de passes, temos problemas nas laterais, precisamos de um zagueiro mais confiável, para ser parceiro do Gil, de um volante que saiba sair jogando e de um centro avante pra reserva do Guerrero. Alguns de nossos problemas serão resolvidos com Elias e Lodeiro, mas os da zaga, das laterais  e do ataque, exigem novas contratações.
Apesar do equilíbrio entre os dois times, o Corinthians errou menos passes, (24 passes errados, contra 51 do Cruzeiro) e finalizou mais (15 contra 10 do adversário). Das finalizações alvinegras, uma foi o gol do Guerrero, uma foi bloqueada, (Jadson), duas foram na trave, (Guerrero e Romarinho), seis foram defendidas, (Jadson, Petros, Fagner, Bruno Henrique e Romarinho) e cinco foram para fora, (Fábio Santos, Ralf, Bruno Henrique, Cleber e Romarinho). Das finalizações cruzeirenses, duas foram bloqueadas, (Júlio Batista e William Farias), quatro foram defendidas, (Henrique, Borges, William e Ricardo Goulart) e quatro foram para fora, (Ricardo Goulart, duas, Dagoberto e Borges). (fonte: globoesporte.globo.com).
Na defesa corinthiana, Walter, ágil e seguro, brilhou e, com suas defesas, mostrou que pode substituir Cássio, sem nos assustar. No meio campo, Jadson, embora não tenha participado do gol, criou várias oportunidades e levou a Fiel ao delírio quando aplicou dois chapéus em William Farias. 
Gol
Entrevista
Guerrero foi o nome do jogo, não só pelo gol marcado, mas pelo conjunto da obra. Criou boas chances de gol, tanto para ele quanto para os companheiros. Jogando mais solto, deslocando-se além da área, teve um melhor desempenho, além de atuar com muita garra.
Entrevista
Mano falando de Petros
Mas, Petros, comparado ao Jorge Henrique pelo técnico, foi o jogador mais elogiado pela crítica e, ao ser substituído, teve seu nome gritado e recebeu os aplausos da torcida. Responsável por tornar a marcação do meio-campo alvinegro mais forte, chamou o jogo, grudou como carrapato nos armadores cruzeirenses, anulando totalmente o Éverton Ribeiro e é o líder de desarmes no Campeonato Brasileiro (32 em sete jogos). É interessante lembrar, que o único jogo que o Corinthians perdeu no Brasileirão, Petros não estava no time.
Se o time fez a sua parte, a torcida não ficou atrás. Numa noite gelada, mais de 17 mil torcedores, não apenas torceram, mas jogaram junto, apoiando o time. Cobranças e críticas, só para o Mário Gobbi, que com sua concepção de futebol business está fazendo de tudo para que os clientes ocupem o lugar do torcedores na Arena Corinthians, além de muito ter errado e se omitido na administração do clube. 
O jogo contra o Cruzeiro tem tudo para ser um divisor de águas no Corinthians, não só pelo resultado, mas principalmente pelo empenho e desempenho dos jogadores em campo. Com a evolução técnica e tática e com uma nova postura, mais propositiva e determinada, o time está reencontrando o futebol. Um ciclo vitorioso se encerrou. Um novo ciclo está se iniciando. Que as últimas vitórias sejam o prenúncio de um novo tempo, com novas lutas, novas conquistas e muitas glórias.

Ficha Técnica - Corinthians 1 X 0 Cruzeiro
Local: estádio do Canindé, em São Paulo (SP)
Data: 28 de maio de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e José Eduardo Calza (RS)
Público: 17.684 pagantes
Renda: R$ 546.413,00
Cartões amarelos: Petros e Cleber (Corinthians)
Gol: Guerrero, aos 22 minutos do segundo tempo
Corinthians: Walter; Fagner (Guilherme Andrade), Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique, Petros (Danilo) e Jadson; Romarinho (Luciano) e Guerrero; Técnico: Mano Menezes
Cruzeiro: Fábio; Ceará (Mayke), Léo, Bruno Rodrigo e Egídio; Willian Farias e Henrique (Julio Baptista); Everton Ribeiro, Ricardo Goulart e Willian (Dagoberto); Borges; Técnico: Marcelo Oliveira
Comentários na mídia

Créditos e fontes de imagens e vídeos
meutimao.com.br
globoesporte.globo.com
sportv.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
gazetapress.com.br
Djalma Vassão/Gazeta Press/
sportv.globo.com
sportv.globo.com
Alan Morici/esportes.terra.com.br
sportv.globo.com
sportv.globo.com
Alan Morici/esportes.terra.com.br
youtube.com
gazetapress.com.br
gazetapress.com.br
sportv.globo.com
sportv.globo.com
gazetaesportiva.net

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Corinthians X Cruzeiro

Recuperado dos últimos tropeços, com a goleada em Recife, o Corinthians tem um novo desafio, agora como mandante, mas numa casa que, além de não ser sua, não apresenta as melhores condições do gramado. Pela 8ª rodada do campeonato Brasileiro, terá como adversário o Cruzeiro, nesta 4ª feira, dia 28/05, às 22 horas, no estádio do Canindé.
Sexto colocado no início da oitava rodada, com 12 pontos em 21 disputados, o Corinthians está quatro pontos atrás do líder Cruzeiro, que vem de vitória sobre o Internacional, no Rio Grande do Sul.
Ficha Técnica - Corinthians X Cruzeiro
Local: estádio do Canindé, em São Paulo (SP)
Data: 28 de maio de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e José Eduardo Calza (RS)
Corinthians: Walter; Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique, Petros e Jadson; Romarinho e Guerrero; Técnico: Mano Menezes
Cruzeiro: Fábio; Ceará, Léo, Bruno Rodrigo e Egídio; William Farias, Henrique, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; Dagoberto e Borges; Técnico: Marcelo Oliveira
Embora não tenha declarado a escalação do time, o técnico Mano Menezes deverá manter a formação ofensiva que goleou o Sport, domingo passado, no Recife. Após o treino tático nesta terça-feira, no CT Joaquim Grava, ele manteve, praticamente, todo o time do jogo passadoA única exceção, foi no gol. Walter será titular no lugar de Cássio, que teve uma lesão no ligamento colateral medial do joelho esquerdo.
Mesmo sem confirmar a equipe, em entrevista, Mano deu indícios sobre a manutenção dos 10 atletas de linha, com Romarinho fazendo dupla com Guerrero no ataque e ambos armados por Jadson.
"Preciso respeitar o rendimento do time dentro de campo. A formação rendeu muito bem contra o Sport", resumiu o técnico.
Estão fora do jogo, no Corinthians, o goleiro Cássio, com um edema no ligamento colateral medial do joelho esquerdo, o volante Guilherme, com dores musculares no posterior da coxa direita e o meia Luiz Ramires, recuperando-se de contusão. No Cruzeiro, Dedé, com uma lesão na coxa, Samudio, com uma contusão muscular, o zagueiro Wallace, o volante Lucas Silva e o meia Alisson, convocados pela a Seleção Sub-21 na disputa do Torneio de Toulon, na França e Marcelo Moreno, convocado pela seleção da Bolívia para a disputa de dois amistosos nos Estados Unidos.
Estão pendurados, com dois cartões amarelos, no Corinthians, Guilherme, Jadson e Romarinho e no Cruzeiro, Dagoberto.
Preocupado com as bolas aéreas do Cruzeiro, que renderam a maioria dos gols do adversário, o treinador de goleiros do Timão realizou um treino especial. Na terça-feira, eles foram presos às traves por cordas elásticas, aumentando a força necessária para sair do gol e cortar bolas cruzadas pelo preparador Mauri Lima.
Esperando um desempenho melhor como mandante, os corinthianos acreditam que este, será um jogo diferente porque o Cruzeiro dificilmente terá um comportamento defensivo.
“Quando você pega uma equipe qualificada, que joga também, às vezes, fica mais fácil. Vai ser um jogo aberto. Eles vão querer buscar os pontos deles, mas a obrigação é nossa”, afirmou o meia Jadson.
Considerado vital para o Corinthians, o duelo contra o Cruzeiro tem por objetivos, diminuir a distância para o líder (o próprio Cruzeiro) e provar que o time está engrenando na competição. Para Mano, este jogo é o maior teste do Corinthians na temporada. 
Mesmo admitindo que, hoje, o Cruzeiro é o favorito ao título, Mano não o considera imbatível.
"O Cruzeiro é o favorito ao título porque manteve a base do ano passado, que foi campeã, com certa folga. É uma equipe muito entrosada. Por outro lado, não é imbatível. Vitórias contra esse tipo de adversário credenciam a equipe a, no mínimo, fazer parte do pelotão da frente" analisou o técnico.
Contra um adversário que atua mais aberto, ele espera uma partida bem diferente das realizadas contra Figueirense, na Arena Corinthians, e Atlético-PR, no Canindé.
Diante do líder, Mano espera que a Fiel desequilibre o confronto a favor do mandante. E pediu o apoio do torcedor.
“Queremos deixar bem claro que precisamos muito do torcedor. Pedimos que seja compreensivo com as dificuldades que vamos ter, e é normal que tenhamos com um adversário como o Cruzeiro. Mas só vamos conquistar a vitória com esse apoio”. (...) “Quando você não está bem, é que precisa do torcedor. E sempre foi essa a característica do torcedor do Corinthians. Ele cobra depois do jogo, quando o resultado não vem, como sempre foi, mas estamos precisando dele”, afirmou o treinador.
Com certeza, apoio da torcida não irá faltar. Mas, assim como técnico e jogadores esperam tal apoio, a torcida espera que o time mantenha a pegada do jogo de Recife e que atue com a responsabilidade e a garra necessárias para superar o adversário da noite. Como sempre, "esta noite, teremos que ganhar", não só para nos aproximarmos da liderança, mas para honrar o escudo que está no peito da nossa camisa. O adversário está num bom momento, mas, não é imbatível. Não podemos nos amedrontar nem recuar. Temos que jogar com raça e determinação. Entrar com a faca nos dentes e sangue nos olhos.

Créditos e fontes de imagens e vídeos
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
espn.com.br
espn.com.br
gazetapress.com.br
gazetapress.com.br
globoesporte.globo.com
gazetaesportiva.net
Gabriel Ushida/torcida.wordpress.com 
facebook.com/Corinthians Amor Eterno

terça-feira, 27 de maio de 2014

Vencendo, goleando e quebrando o tabu

Melhores momentos
Pelo menos por hoje, guardemos as cornetas e vamos comemorar. Não porque esteja tudo uma maravilha nem porque nossos problemas tenham acabado. Nem porque tenhamos jogado um futebol irretocável e sem falhas. Mas, sim porque vencemos o jogo, goleamos o adversário no alçapão da Ilha do Retiro e quebramos um tabu de 16 anos, que muito incomodava a Nação Corinthiana. A última vitória do Corinthians na Ilha do Retiro havia sido pelo Brasileiro de 1998 (2 a 0, gols de Marcelinho Carioca). E, também, porque conseguimos quebrar a cadeia de resultados negativos, continuamos ofensivos, após retomar a dianteira do placar, emplacamos três jogadores no troféu Armando Nogueira, Jadson, Guerrero e Romarinho, este último, o craque da rodada e o autor do gol mais bonito. Mas, o mais importante, é a influência positiva do jogo no ânimo da equipe, bastante abatida com os resultados negativos e a retomada da confiança dos jogadores e da comissão técnica. A física quântica já demonstrou a influência das boas energias e do pensamento positivo para alavancar nossas ações e obtermos os resultados desejados, portanto não podemos desprezar tal fator.
Sobre o jogo, valeram o resultado, os três pontos e a subida na tabela. Não foi o jogo dos sonhos, mas houve maior empenho e um melhor desempenho. Os jogadores estiveram mais focados, mais concentrados, movimentando-se mais, criando mais e atacando mais.


Pressionado pelo Sport, O Corinthians passou a explorar os contra ataques e conseguiu abrir o placar. Numa bobeada da nossa defesa, tomamos o empate e tivemos que correr atrás do prejuízo, mas, numa cobrança de falta, Jadson nos colocou novamente em vantagem no placar.
Diferentemente dos jogos anteriores, o time não recuou e continuou atacando, para desespero dos anfitriões, que tentavam parar as jogadas com faltas. Numa dessas tentativas, Durval derrubou Petros dentro da área, recebeu o 2º cartão amarelo, foi expulso, o juiz marcou o pênalti e Jadson ampliou o placar.  Então, o Timão tomou conta do jogo e, com gritos de olé, ainda houve tempo de Romarinho fazer mais um gol e de Neto Baiano ser expulso por dar uma cotovelada no zagueiro Cléber.
Jadson, autor de dois gols, um de falta e outro de pênalti, de uma assistência no 1º gol do Romarinho e de um chute defendido pelo Magrão, atua melhor com Petros do que com Renato Augusto. Movimentou-se bem, armou o time, fez a bola girar em campo e foi efetivo na criação. Como o maior roubador de bolas do campeonato, Petros abastece Jadson, possibilitando-lhe maiores oportunidades de criação de jogadas.
Guerrero, muito guerreiro, com boa movimentação, saiu várias vezes da área, atuando como um ponta esquerda, teve participação decisiva no jogo. No 1º gol, ele brigou com três marcadores e tocou a bola para Jadson, que ajeitou para Romarinho finalizar e abrir o placar. No 4º gol, o 2º do Romarinho, Guerrero fez outra grande jogada pela esquerda, superando a marcação e cruzando rasteiro para Romarinho, na pequena área, empurrar a bola pro gol. Embora não tenha marcado seu gol, teve participação fundamental na goleada. Teve ainda um chute defendido e mandou três bolas para fora.
Romarinho, considerado o melhor em campo e o craque da rodada, movimentou-se bem, fechou os espaços pela direita, puxou contra-ataques com velocidade, fez dois gols, levou a falta que gerou o segundo gol e marcou o quarto, aproveitando ótimo passe de Guerrero. Saiu cansado e aplaudido.
Na defesa, o mais lamentável não foi a vacilada no gol do Sport, mas sim a contusão do Cássio, que só retornará ao time após a Copa do Mundo. 
Se tivesse apertado um pouco mais, a goleada poderia ter sido maior. Acredito que após o 4º gol, com o resultado garantido, a opção foi se pouparem para o jogo de quarta feira contra o Cruzeiro no Canindé. Com um adversário mais forte, teremos a prova de fogo pra saber se o time, realmente, melhorou ou se o resultado no Recife foi devido à inferioridade técnica do Sport.
Ficha Técnica - Sport 1 X 4 Corinthians
Local: Ilha do Retiro, em Recife (PE)
Data: 25 de maio de 2014, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (RJ)
Assistentes: Eduardo de Souza Couto e Michael Correia (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Augusto César, Durval e Patric (Sport); Bruno Henrique (Corinthians)
Cartões vermelhos: Durval e Neto Baiano (Sport)
Gols: Sport: Augusto César, aos 27 minutos do primeiro tempo; Corinthians: Romarinho, aos 19, e Jadson, aos 37 minutos do primeiro tempo; Jadson, aos 9, e Romarinho, aos 22 minutos do segundo tempo
Sport: Magrão; Patric, Ferron, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Rithely (Wendel), Augusto César e Renan Oliveira (Felipe Azevedo); Leonardo (Ewerthon Páscoa) e Neto Baiano; Técnico: Eduardo Baptista
Corinthians: Cássio (Walter); Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique (Renato Augusto), Petros e Jadson; Romarinho (Luciano) e Guerrero; Técnico: Mano Menezes

Créditos e fontes de imagens e vídeos
meutimao.com.br
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
globo.com/youtube.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
globoesporte.globo.com/MAON
globoesporte.globo.com
facebook.com/corinthians
globoesporte.globo.com
Arte Áurea Zanoni

domingo, 25 de maio de 2014

Sport X Corinthians

Há três jogos sem vencer e com apenas 9 pontos, em 18 disputados, e em 9º lugar na tabela de classificação, o Corinthians enfrentará o Sport, neste domingo, dia 25/05, às 16 horas, na Ilha de Recife, em Pernambuco, pela 7ª rodada do campeonato Brasileiro. Nosso adversário, com um jogo a menos, tem 7 pontos, ocupa o 11º lugar na classificação do campeonato e vem de uma derrota para o Cruzeiro.
Ficha Técnica - Sport X Corinthians
Local: Ilha do Retiro, no Recife (PE)
Data: 25 de maio de 2014, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (RJ)
Assistentes: Eduardo de Souza Couto (RJ) e Michael Correia (RJ)
SPORT: Magrão; Patric, Ferron, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Rithely, Augusto César e Renan Oliveira; Leonardo e Neto Baiano; Técnico: Eduardo Baptista
Corinthians: Cássio; Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique, Petros e Jadson; Romarinho e Guerrero; Técnico: Mano Menezes
No Corinthians, além dos escalados, também foram relacionados o goleiro Valter, os laterais Ferrugem e Uendel, o zagueiro Felipe, o volante Guilherme Andrade, os meias Renato Augusto, Danilo e Zé Paulo e os atacantes Luciano e Malcom.
Com pouco tempo para treinar a equipe, o técnico do Sport, Eduardo Batista, deverá repetir o time que perdeu para o Cruzeiro.
Estão fora do jogo, no Sport, o lateral-esquerdo Danilo, com uma lesão no tornozelo direito, e no Corinthians, o volante Guilherme com dores na coxa direita, Elias, que só pode jogar após a Copa do Mundo e Luiz Ramires, recuperando-se de contusão.
Estão pendurados, com dois cartões amarelos, no Sport, Ferron, e no Corinthians, Guilherme, Jadson e Romarinho.
Sem ainda ter conseguido manter um padrão tático no time, Mano voltou a treinar no 4-4-2 e substituiu Renato Augusto por Romarinho. Com a mudança promovida, ele busca conseguir mais agilidade para o meio campo e menos erros de passes.
Focando os treinos no meio campo, setor mais deficitário do time, Mano espera que, em Recife, o Corinthians tenha uma performance semelhante à apresentada no segundo tempo do confronto com o Atlético-PR. 
"Ficamos pouco definidos sobre como queríamos construir o jogo na primeira parte. Vou definir como a equipe deve jogar para crescer. Temos potencial para render mais, e acredito que o fato de estarmos rendendo muito abaixo em alguns jogos é por não conseguirmos manter a mesma ideia e a mesma clareza. Quero passar isso para os jogadores", esclareceu o técnico, em entrevista coletiva.
Com o esquema 4-4-2, o Corinthians deve buscar um estilo de jogo mais ágil. O técnico ressaltou a importância da equipe não falhar nos fundamentos mais simples do jogo e saber como chegar até a área adversária de maneira mais objetiva.
Mano Menezes pediu velocidade nos passes dos volantes para os armadores e calma na troca de bolas no meio campo, setor por ele considerado, o mais vital no funcionamento de um time de futebol.
“O segredo das grandes equipes está no coração. E o coração está no meio. Quando a equipe consegue se sobressair com frequência nesse setor, quase sempre é uma grande equipe”, afirmou o técnico.
“Eu gosto que se trabalhe a bola. E não é para gastar o tempo; é para desmontar a marcação do adversário. Se você encontra cinco ou seis marcadores, é hora de rodar a bola para chegar a um lugar onde só encontre dois. É assim que se constrói o jogo quando se está bem marcado. E eu quero, em contrapartida, em outros momentos, que se acelere o jogo para aproveitar uma marcação não tão postada”, explicou.
Voltando ao esquema 4-4-2, Mano Menezes espera que o Corinthians apresente, em Recife, um estilo de jogo mais ágil. O técnico exaltou a importância da equipe não falhar nos fundamentos mais simples do jogo e saber como chegar até a área adversária de maneira mais objetiva.
"Tenho cobrado bastante o domínio e o passe. Esses são os fundamentos básicos para tentar criar com qualidade. Penso que o domínio influencia muito nas decisões seguintes, lentas ou rápidos, e estou insistindo para que sejam mais rápidas, para que a bola passe onde precisa passar. As cobranças têm sido em cima disso. Todos têm contribuído e entendido. Tenho certeza que a equipe vai melhorar", completou.
Mas, de nada valerá esse discurso, se os jogadores não compreenderem o que o técnico deseja. Parece que está faltando sintonia entre o que se almeja, o que se fala e o que acontece dentro do campo. E mais objetividade, raça, dedicação e concentração pelos jogadores, que vem falhando, e muito, nos principais fundamentos. Mais do que nunca, este jogo, teremos que ganhar e não apenas para minorar o ânimo da Nação Corinthiana, após os recentes vexames do time. Já passou da hora do Corinthians encontrar um padrão de jogo e começar a atuar no campeonato com mais eficácia (fazer as coisas certa) e eficiência (fazer certo as coisas). O time precisa engrenar para se aproximar dos líderes. Caso isso demore para ocorrer, não passaremos de meros figurantes no campeonato Brasileiro, o que é pouco para um time com a grandeza do Corinthians.

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
gazetaesportiva.net
gazetaesportiva.net
globoesporte.globo.com
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
Carla Nascimento/Áurea Zanoni/MAON

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Vacilou - Empatou - Despencou

Melhores momentos
O Corinthians vai mal das pernas no campeonato Brasileiro. Ocupa a 9ª posição na tabela de classificação, com 9 pontos e com apenas 50% de aproveitamento, levou baile do lanterna do campeonato em seu estádio novo, apresenta um esquema tático confuso e seus jogadores, desorientados e atrapalhados, não conseguem render em campo. Mas, para quem acompanha o time, não há surpresas, apenas tristeza e desesperança.
Essa situação caótica é reflexo da omissão da diretoria, da falta de comando técnico e da mesmice que impera no Corinthians. Embora eu não seja mana do Mano e seja crítica da escola gaúcha de futebol, cheguei a ter esperanças que a limpeza feita no elenco e as novas contratações pudessem dar um novo padrão de jogo e melhorar o desempenho do Timão.
Ledo engano. Os jogadores estão mais perdidos do que cego em tiroteio, o técnico não consegue fazer o time jogar ofensivamente, por falhas na transição a bola não chega ao ataque e quando chega, vem sem qualidade, chega quadrada. E o Guerrero fica isolado na área.
E quando um gol é achado, o time recua, até com certa covardia e dá espaço pro adversário empatar. Depois, só resta lamentar, reclamar e se desculpar.
O último jogo não fugiu da regra. Ninguém se entendia em campo, os jogadores, trombando entre si, pecavam pela falta de objetividade, não conseguiam fazer a transição defesa, meio campo e ataque e o centro avante, cansado de esperar, vinha pro meio campo pra buscar a bola. Os três meias não conseguiram armar as jogadas e bateram cabeça no meio campo. Guerrero guerreiro, foi derrubado na área, o juiz marcou o pênalti, o Jadson fez o gol e colocou o Timão na frente.
Estava dada a senha para o recuo, para a retranca, para um novo vacilo, para o adversário empatar e quase virar o jogo. Sem poder ofensivo, mesmo com uma ligeira melhora com a entrada de Romarinho no lugar de Renato Augusto, com o Cléber, novamente vacilando na defesa e permitindo o gol do Atlético-PA, tomamos o maior sufoco no final do jogo.
Entrevista do Mano
Pelo que o Corinthians jogou, o empate saiu barato. Pela sua desorganização tática, inoperância do meio campo, vacilos da defesa e recuada após o gol. E no final, a torcida vaiou, o time lamentou e o técnico, novamente, não conseguiu dar uma explicação convincente e se enrolou. E pediu paciência e tempo pra acertar o time. Mas, desde que chegou, muito tempo já passou e a paciência da torcida já acabou.
Sinceramente, já perdi a esperança de que ele possa resolver os problemas do Timão. Tudo indica, que assim como aconteceu no Flamengo, os jogadores não conseguem compreender suas orientações. Ou, pior, ele parece estar perdido, não saber o que fazer. O time não deslancha e parece estar sem comando, os jogadores não se entendem, batem cabeça, são irregulares e oscilam muito. O desempenho é fraco e está em queda livre. E quando uma orquestra inteira desafina, está na hora de trocar o maestro.
Ficha Técnica - Corinthians 1 X 1 Atlético-PR
Local: estádio do Canindé, em São Paulo (SP)
Data: 21 de maio de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Luiz Cláudio Regazone (RJ)
Público: 13.137 pagantes
Renda: R$ 383.542,50
Cartões amarelos: Jadson (Corinthians); Natanael, Marcos Guilherme, Suéliton, Cléberson e Otávio (Atlético-PR)
Gols: Corinthians: Jadson, aos 13 minutos do segundo tempo; Atlético-PR: Douglas Coutinho, aos 39 minutos do segundo tempo
Corinthians: Cássio; Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf e Bruno Henrique; Petros (Luciano), Renato Augusto (Romarinho) e Jadson (Danilo); Guerrero; Técnico: Mano Menezes
Atlético-PR: Weverton; Suéliton, Cléberson, Léo Pereira e Natanael; Deivid e Paulinho Dias (Nathan); Otávio, Bady e Marcos Guilherme; Éderson (Douglas Coutinho); Técnico: Leandro Ávila

Créditos e fontes de imagens e vídeos
meutimao.com.br
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com
sportv.globo.com
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
globoesporte.globo.com
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
sportv.globo.com
domingossccp.blogspot.com 

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Corinthians X Atlético-PA

Ainda sob o impacto da derrota sofrida na inauguração da Arena Corinthians, o Timão enfrentará nesta 4ª feira, às 22 horas, o Atlético-PA, no estádio do Canindé, pela 6ª rodada do Campeonato Brasileiro.
O confronto acontece uma semana após um amistoso entre as duas equipes, parte da programação da reinauguração do estádio Arena da Baixada. A equipe alvinegra levou a melhor por 2 a 1, vencendo de virada. Mas, valendo pontos no Brasileirão, a situação é diferente, até porque, devido à derrota de domingo, a vitória hoje, mais que obrigação, é uma necessidade para se aproximar do topo da tabela.
Com oito pontos em cinco partidas, o Timão é o oitavo colocado no campeonato e precisa vencer para tentar cumprir o objetivo traçado para a pausa da Copa do Mundo, terminar as nove primeiras rodadas entre os quatro primeiros colocados.
O Atlético-PR está numa posição intermediária na tabela, tem cinco pontos, e ocupa a 13ª colocação. Os paranaenses buscam  a recuperação após o empate por 1 a 1 com a Chapecoense, em Maringá e tenta reagir após quatro tropeços seguidos: derrotas para Cruzeiro e Internacional e empate com a Chapecoense pelo Brasileirão, além da derrota para o Corinthians no amistoso disputado na Arena da Baixada. Nesses quatro jogos, o Rubro-Negro saiu na frente, mas não conseguiu segurar o resultado.
Ficha Técnica - Corinthians X Atlético-PR
Local: estádio do Canindé, em São Paulo (SP) 
Data: 21 de maio de 2014, quarta-feira 
Horário: 22 horas (de Brasília) 
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Luiz Cláudio Regazone (RJ)
Corinthians: Cássio; Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf e Bruno Henrique; Petros, Renato Augusto e Jadson; Guerrero; Técnico: Mano Menezes
Atlético-PR: Weverton; Suéliton, Cléberson, Léo Pereira e Lucas Olaza; Deivid, Natanael, Paulinho Dias e Marcos Guilherme; Marcelo e Éderson; Técnico: Leandro Ávila
No treino de terça feira, Mano Menezes fez duas mudanças no time, uma por problemas médicos, outra por opção tática. No meio-campo, o volante Guilherme sentiu dores no músculo posterior da coxa direita e foi substituído por Bruno Henrique. No ataque, Luciano deixou o time e deu lugar a Petros, mudando a forma de o Timão jogar.
Com as modificações efetuadas, o meio campo foi formado com Ralf, Bruno Henrique, Petros, Renato Augusto e Jadson, com um armador de cada lado e Renato Augusto na faixa central mais avançado, aproximando-se de Guerrero.
Mano optou por um meio de campo mais consistente diante do Atlético-PR. A ideia é manter mais a posse de bola e fazer com que Guerrero tenha mais oportunidades de gol. Se confirmada a escalação treinada na véspera, será a primeira vez que Petros, Jadson, Renato Augusto e Guerrero vão atuar juntos.
Apesar de treinar a equipe no 4 2 3 1, como de costume, Mano não confirmou a escalação e disse que só vai divulgá-la 45 minutos antes da partida, mas admitiu que o novo esquema tático tem boas chances de ser utilizado.
Durante o treino, o técnico deu especial atenção às bolas paradas defensivas e se irritou quando uma cobrança curta de escanteio dos reservas acabou com passe de Luciano e gol de Felipe. O treinador cobrou uma saída correta após o corte, erro cometido no gol sofrido na abertura do estádio de Itaquera.
O Atlético-PA, que perdeu seu técnico após o empate com o Chapecoense, será comandado pelo auxiliar Leandro Ávila.
Com cinco pontos em cinco jogos e perto da zona de rebaixamento, o time paranaense precisa conquistar ao menos mais um pontinho. Sem tempo para grandes ajustes, Leandro tem boa chance de repetir a formação que empatou com a Chapecoense.
Estão fora, no Corinthians, o volante Guilherme, com dores na coxa direita e Elias, que só pode jogar após a Copa do Mundo. No Atlético-PR, o zagueiro Ricardo Silva e o lateral-esquerdo Willian Rocha seguem em recuperação no departamento médico.
Ao Timão, só interessa a vitória, pois uma derrota irá afastá-lo mais ainda do topo da tabela. Na semana passada, o mistão alvinegro venceu, de virada, o adversário de hoje. Tomara que os titulares  também consigam a vitória e que ela venha sem sustos e sem sofrimentos. 

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
Marcelo Braga/globoesporte.com
gazetaesportiva.net
tvuol.uol.com.br
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/corinthians.com.br
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/globoesporte.globo.com
Marcos Bikudo/MAON