sexta-feira, 29 de abril de 2016

Sem altitude para atrapalhar, mas sem atitude para vencer

Foi um jogo feio, difícil de assistir. Mesmo com um adversário muito inferior tecnicamente, o Corinthians sucumbiu a um time bem armado pelo Gustavo Manúa, que não deu espaço e só não venceu o jogo por ser pouco efetivo no ataque, pelas defesas do Cássio e por uma bola que o Fagner salvou. Se eles não fossem ruins de conclusão, teríamos perdido o jogo. Pelo que não jogamos, o empate sem gols, embora um resultado temerário, foi lucro. 
Mesmo com mais posse de bola, 57,4%, o Corinthians não sabia o que fazer com ela. Foi um verdadeiro latifúndio improdutivo, com vacilos na defesa, pouquíssima criação, passes e cruzamentos errados e sem nenhuma força ofensiva. A bola não passou do meio campo, havendo apenas cinco finalizações, todas erradas. O goleiro deles apenas assistiu o jogo, não tendo feito nenhuma defesa. 
Enquanto o Nacional-URU mostrou disposição e uma boa organização tática, que nos encurralou na intermediária, é só não venceu por deficiência técnica de seus jogadores, o Corinthians engessou seu futebol, preso num esquema tático que não prioriza as características de alguns jogadores e exclui outros do jogo. Para manter o 4-1-4-1, são escalados jogadores com deficiência técnica e que não têm correspondido. E para piorar, não vimos em campo um time aguerrido e raçudo, mas sim um time sem empolgação, até um pouco displicente e sem ambição. E pelo que assistimos, bem como pelo teor das entrevistas pós jogo, deduzimos que o objetivo do Corinthians no Uruguai era empatar e trazer a decisão para Itaquera. Jogaram com o regulamento debaixo do braço e esse conformismo, essa falta de ambição é muita pobreza para um time com a grandeza do Corinthians. 
Individualmente, embora todo o time tenha jogado aquém das suas possibilidades, Alan Mineiro e Lucca foram os piores em campo, Bruno Henrique, por mais que se esforce não consegue atuar como cabeça de área, deixando a zaga desprotegida e a defesa vulnerável, Felipe e Yago se atrapalharam em alguns lances, Uendel mostrou-se inseguro, Elias pouco produtivo e Fagner bem na defesa, mas tímido no apoio, onde foi prejudicado pelas falhas do Alan Mineiro.
Rodriguinho foi o mais eficiente no meio campo, mas foi prejudicado pelo mau desempenho do coletivo, André buscou o jogo, se empenhou, mas ficou muito isolado. Marlone foi mais participativo, melhorou a armação mas não conseguiu chegar ao ataque e Romero entrou muito tarde, com o time já conformado com o empate. Cássio deu alguns sustos e fez duas boas defesas. Foi considerado o melhor em campo e quando o goleiro é o melhor do jogo, significa que o time foi mal. 
Tite demorou para mexer no time e nem fez as três substituições, deixando o inoperante Lucca em campo durante todo o jogo. E mesmo com o time jogando mal, não alterou o esquema tático. Sem variação de jogadas e com um time previsível, qualquer técnico minimamente aplicado mata o jogo. Basta marcar os laterais que o time fica sem escape, principalmente numa noite em que o Elias esteve apático e bem marcado. Não entendo porque o técnico opta por sacrificar o futebol e não o esquema tático. 
Embora não tenha nada perdido, pois em Itaquera as chances são maiores, pelo conhecimento do campo e pela força da torcida, foi lamentável o desempenho do time no Uruguai, principalmente pela falta de atitude durante o jogo. Desta vez, não teve altitude para atrapalhar, mas também não teve atitude para vencer. E o time voltou satisfeito, porque cumpriu a meta. 
Tomara que dia 04/05 o script seja diferente. 
Melhores momentos
Ficha Técnica - Nacional-URU 0 X 0 Corinthians 
Local: Estádio Parque Central, em Montevidéu (Uruguai)
Data: 27 de abril de 2016, quarta-feira
Horário: 21:45 horas (de Brasília)
Árbitro: Patrício Loustau (Argentina)
Assistente 1: Gustavo Rossi (Argentina) 
Assistente 2: Ariel Scime (Argentina)
Quarto árbitro: Silvio Trucco (Argentina)
Delegado: Martin Vasques (Uruguai) 
Cartões amarelos: Polenta, Fernández e Porras (Nacional); Elias e Felipe (Corinthians)
Nacional-URU: Conde; Fucile, Victorino, Polenta e Espino; Porras, Romero, Barcia e Ramírez; Fernández e Nico López; Técnico: Gustavo Munúa
Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Elias, Alan Mineiro (Marlone), Rodriguinho e Lucca; André (Romero); Técnico: Tite

Créditos e fontes de imagens e vídeo
globoesporte.globo.com
footstats.net
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/meutimao.com.br
youtube.com/globo.com 

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Nacional-URU X Corinthians - Copa Libertadores

Pelas oitavas de final da Copa Libertadores, o Corinthians foi para o Uruguai, onde enfrentará o Nacional-URU nesta quarta feira, 27/04, às 21:45 horas, no Estádio Parque Central, em Montevidéu. Com quatro vitórias, um empate e uma derrota, o Timão foi o líder do Grupo 8, ficando à frente de Cerro Porteño, Santa Fe e Cobresal. O Nacional, no Grupo 2, que teve o Palmeiras em seu caminho, ficou em segundo lugar, atrás do líder Rosario Central, com um ponto acima do Verdão, de quem venceu as duas partidas: 2 a 1 em São Paulo e 1 a 0 em Montevidéu.
Ficha Técnica - Nacional-URU X Corinthians 
Local: Estádio Parque Central, em Montevidéu (Uruguai)
Data: 27 de abril de 2016, quarta-feira
Horário: 21:45 horas (de Brasília)
Árbitro: Patrício Loustau (Argentina)
Assistente 1: Gustavo Rossi (Argentina) 
Assistente 2: Ariel Scime (Argentina)
Quarto árbitro: Silvio Trucco (Argentina)
Delegado: Martin Vasques (Uruguai) 
Nacional-URU: Conde; Fucile, Victorino, Polenta e Espino; Porras, Romero, Barcia e Ramírez; Fernández e Nico Lopez; Técnico: Gustavo Munúa
Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Alan Mineiro, Elias, Rodriguinho e Lucca; André; Técnico: Tite 
Além dos escalados, também foram relacionados: 
No Nacional-URU: Luiz Megia, Erick Cabaco, Felipe Carballo, Sebastian Eguren, Matias Cabrera, Cristian Tabó, Marcio Benites, e Leo Gamalho. 
No Corinthians: os goleiros Matheus Vidotto e Walter, os laterais Edílson e Guilherme Arana, o zagueiro Balbuena, o volante Maycon, os meias Guilherme e Marlone e o atacante Romero.
Enquanto no Nacional todos os jogadores estão à disposição, no Corinthians, Giovanni Augusto e Rildo, ambos com problemas no tornozelo esquerdo, estão fora por lesão. 
http://globoesporte.globo.com/futebol/times/corinthians/
Em relação ao time que iniciou a partida contra o Audax, Tite fez apenas uma mudança, colocando Rodriguinho no ludar do contestado Guilherme, e, apesar da má performance contra o Audax, manteve Alan Mineiro no time.
Vindo de uma eliminação no Campeonato Paulista, com o agravante do Yago ter sido pego no doping, e da lesão de Rildo provocada por uma entrada dura do Edílson, é preciso que se dê importância não apenas ao aspecto técnico, mas também ao emocional. Além dos treinos táticos, muita conversa deve ter rolado para recuperar o equilíbrio psíquico do grupo. 
No treino de segunda feira, no CT Dr Joaquim Grava, Tite enfatizou as jogadas de bola parada, a transição da bola da defesa ao ataque, além de cobrança de pênaltis. 
Na terça feira, já no palco da partida, no Uruguai, Tite, no treino só com os titulares, priorizou a recomposição defensiva, aproximação e troca de passes, bolas paradas e bolas aéreas ofensivas e defensivas. E encerrou o treino com cobranças de pênaltis. 
Prevendo uma marcação adiantada do time uruguaio, o técnico pediu proximidade de seus jogadores, troca de passes curtos e triangulações. Pela direita, Alan Mineiro deverá ajudar Fagner na marcação para impedir bolas alçadas na área. Tite solicitou cuidado nas bolas paradas, um ponto forte do time adversário, bem como a marcação da saída de bola no campo de ataque, para a retomada rápida da mesma. 
Embora o Nacional não tenha feito uma campanha brilhante na fase de grupos, o mata mata é outra história. O Timão não pode vacilar. Tem que entrar focado, atento e determinado. Não pode dar espaço nem cometer os erros que têm sido recorrentes nos jogos decisivos. Está mais que na hora de exorcizar o fantasma do mata mata.

Créditos e fontes de imagens 
facebook.com/Renato Silva-conmebol.com/MAON 
somostodospalmeiras.com.br-Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/globoesporte.globo.com-MAON 
globoplay.globo.com 
Diego Ribeiro/globoesporte.globo.com 
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/gazetaesportiva.com-MAON

sábado, 23 de abril de 2016

Sobrou Audax, faltou audácia

Sim, o Audax sobrou em campo e até poderia ter vencido no tempo normal, enquanto para o Corinthians faltou audácia, faltou precisão na marcação e, sobretudo, pontaria na finalização. E ainda teve jogador mau escalado, substituição equivocada e exagerado respeito pelo adversário, gerando uma certa insegurança e afobação, denotando desequilíbrio emocional e falta de confiança. Faltou entrar com a faca nos dentes e sangue-no-zóio, faltou sagacidade, faltou manha, faltou malícia... Será que algum dia o Tite vai entender que ganhar um título é tão importante quanto receber o troféu fair play? 
Faltou um pitbull no meio campo para evitar que o adversário chegasse ao ataque e que chutasse de fora da área, o que teria evitado os gols do time de Osasco. Nossos volantes falharam muito na marcação. O meia Alan Mineiro é mais jogador de meio que de beirada, não rende pelo lado e possui pouca mobilidade. É mais jogador de força do que de velocidade. E vacilou vergonhosamente no gol que perdeu. Romero entrou e mudou a cara do jogo. Marlone é muito melhor que Lucca, mas este, além de iniciar a partida, ficou até o final, mesmo não jogando nada. Jogadas de bolas altas são o ponto vulnerável do time visitante. Balbuena é muito bom para neutralizar essa jogada, mas ficou no banco. E Yago, pego em exame de doping, provavelmente, não estava emocionalmente equilibrado para atuar num jogo decisivo. Arana tem sido mais efetivo que o Uendel, que oscila muito e, contra o Audax, assim como o Lucca, estava totalmente perdido em campo. Guilherme, que continua escalado numa posição que foge das suas características, continua não rendendo o que se espera dele. E, para piorar, Elias esteve apagado e omisso. 
E todo o desequilíbrio e insegurança refletiu nos arremates finais, com a bola rolando e com a bola parada. Um festival de gols perdidos e pênaltis desperdiçados. E o Corinthians eliminado. 
Sei que o time foi desmanchado, que está sendo remontado e que não está pronto. Mas, não estávamos enfrentando o Barcelona nem o Bayern de Munique, e sim um time que vai disputar a Série D e tem uma estrutura e uma folha salarial bastante modestas e muito inferiores às nossas. (O Audax tem folha salarial 20 vezes menor que a do Corinthians). Mesmo sendo um time bem arrumado e bem treinado, as condições estruturais do Corinthians são infinitamente superiores e nada justifica o vexame de mais uma eliminação em casa, nem os recorrentes erros de cobranças de pênaltis. 
Espero que sua diretoria, comissão técnica e jogadores tenham a capacidade de fazer uma auto crítica, de corrigir os erros cometidos e de aprender com eles. E que o Tite reveja seus critérios de ME RE CI MEN TO, colocando no banco jogadores que não estão rendendo, dando oportunidade aos que já mostraram serviço e escalando os atletas nas posições em que possam render mais. Afinal, estamos disputando uma Copa Libertadores e teremos pela frente uma Copa do Brasil e um Campeonato Brasileiro. E novos vexames são inadmissíveis. 


Crédito e fonte de imagem 
globoesporte.globo.com

Corinthians X Grêmio Osasco Audax - Campeonato Paulista - Semifinal

Pela semifinal do Campeonato Paulista, o Corinthians receberá o Grêmio Audax Osasco em sua Arena em Itaquera, neste sábado, 23/04, às 18:30 horas. O Timão, líder do campeonato e do seu grupo, terá por adversário o líder do Grupo C, que nas quartas de final venceu o São Paulo por 4 a 1. Em um jogo único, quem se classificar enfrentará, na final, o vencedor do duelo entre Santos e Palmeiras, que será disputado domingo, 24/04, às 16:00 horas, na Vila Belmiro, em Santos. 
Ficha Técnica - Corinthians X Grêmio Audax Osasco 
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP) 
Data: 23 de abril de 2016, sábado 
Horário: 18:30 horas (de Brasília) 
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto (SP) 
Assistente 1: Rogério Pablos Zanardo (SP) 
Assistente 2: Daniel Paulo Ziolli (SP) 
Quarto árbitro: Vinicius Furlan (SP) 
Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Elias, Alan Mineiro, Guilherme e Lucca; André; Técnico: Tite 
Grêmio Osasco Audax: Sidão; André Castro, Yuri, Bruno Silva e Velicka; Camacho, Tche Tche e Juninho; Mike, Bruno Paulo e Ytalo; Técnico: Fernando Diniz 
No Corinthians, além dos escalados, também foram relacionados o goleiro Walter, os laterais Edílson e Guilherme Arana, os zagueiros Balbuena e Vilson, os volantes Cristian e Maycon, os meias Danilo, Marlone e Rodriguinho, e os atacantes Romero e Luciano.
Estão fora, no Corinthians, Giovanni Augusto, com uma torção no tornozelo esquerdo, Rildo, com uma fratura no tornozelo esquerdo, e Willians, com edema na coxa direita. Fagner, Yago, Lucca, Edílson e Romero estão pendurados com dois cartões amarelos. 
Diante de um adversário entrosado, com toque de bola rápido e sem chutões, com boa mobilidade e triangulações, Tite mandará a campo a equipe considerada titular, com exceção do lesionado Giovanni Augusto, que será substituído por Alan Mineiro, que tem entrado bem nos jogos em que atuou.  Tite justificou a presença do meia, e não de Romero, como opção tática, por ele ser um meia armador e atuar na mesma posição do atleta lesionado. 
Para superar o adversário, o time precisará marcar sobre pressão para fechar os espaços e recuperar a bola no campo de ataque e explorar a dificuldade do Audax para marcar a bola aérea. 
No último treino, sexta feira, no CT Dr Joaquim Grava, Tite promoveu, inicialmente, um coletivo, simulando possíveis situações de jogo: pressão do adversário na saída de bola da defesa e também marcação alta. Após o coletivo, somente com os titulares, o técnico focou no posicionamento da equipe e em jogadas de bola parada: escanteios, laterais, faltas e pênaltis. 
A expectativa é de um jogo complicado, estudado e equilibrado, onde qualquer vacilo poderá ser fatal, exigindo um alto nível de concentração e muita atenção. O Corinthians precisa saber explorar os pontos fracos do adversário e impor seu jogo, com marcação adiantada, fechando os espaços. E utilizar o mando de campo, o conhecimento do gramado e a bola correndo rápida, bem como a força de sua torcida, para sufocar o adversário e não dar brechas para ele atacar. Até sexta feira já haviam sido vendidos 38 mil ingressos e a expectativa é de casa cheia. 
Apesar da dificuldades, temos plenas condições de vencer e, no caminho para o título, buscar a classificação. 

Créditos e fontes de imagens 
facebook.com/Renato Silva 
Friedemann Vogel/Getty Images Sport/goal.com-Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com-MAON 
globoesporte.globo.com 
Djalma Vassão-Gazeta Press/gazetaesportiva.com 
Daniel Augusto Jr/corinthians.com.br 
portalinboox.com 

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Belo e atrevido no lar

Belo e atrevido foi o Timão contra o Cobresal, em seu lar, lá em Itaquera. Com um futebol pra ninguém botar defeito, com uma marcação segura e precisa, infiltrações e triangulações, rápida transição pelas laterais, dribles e chapéus, com um time bem arrumado e entrosado, muita disciplina tática, muita garra e com muitos gols, o Corinthians colocou o time chileno na roda e se classificou como o melhor time brasileiro na fase de grupos da Copa Libertadores. Foi um baile, um massacre, uma aula de futebol. 
Gols
Os gols foram saindo naturalmente, foram 6, mas poderiam até ser mais, não apenas pela fragilidade do adversário, mas pela garra, disciplina tática e qualidade técnica do time. Aos 8 minutos da etapa inicial Edílson cobrou escanteio, Balbuena desviou pelo alto no meio da área, a bola sobrou para Marlone que tocou de cabeça e abriu o placar em Itaquera. Aos 12 minutos, Romero recebeu passe de Rodriguinho em velocidade, aplicou dois dribles no zagueiro Rojas dentro da área e tocou com categoria para o gol. Um golaço. Aos 38 minutos, Luciano deu um passe de calcanhar para Edílson disparar até a linha de fundo e fazer o cruzamento. Marlone apareceu na entrada da área, matou a bola no peito e, de voleio, fez um golaço. Aos 44 minutos, Guilherme Arana, de fora da área, chutou rasteiro para ampliar o placar em Itaquera. Aos 29 minutos da etapa final, Elias deu um passe de calcanhar para Romero, recebeu do paraguaio na área e tocou com categoria, no canto direito do goleiro chileno. Aos 31 minutos, Edílson arrancou pela direita, cruzou rasteiro, a bola passou por um zagueiro e sobrou para o Romero, que desviou para as redes, fechando a goleada. 
O Corinthians iniciou o jogo no tradicional 4-1-4-1, mas, diante da fragilidade do adversário passou para um 4-1-2-3, com Romero e Marlone mais próximos de Luciano. A fragilidade do Cobresal em nada desmerece a equipe alvinegra, que teve uma atuação de gala e sufocou o time chileno. A seriedade e a garra com que os reservas corinthianos encararam o jogo leva-me a crer que esse time teria vencido o Palmeiras com facilidade, pois não teriam se poupado nem se omitido. Há momentos em que a via alternativa torna-se a melhor opção. 
Marlone e Romero foram os melhores em campo, não só pelos gols, mas pelo conjunto da obra. Também merecem destaque as atuações de Rodriguinho, Arana, Edílson e Elias. Luciano continua atrapalhado pela ansiedade pelo gol e Cássio nos deu dois sustos, numa saída do gol e numa rebatida pelo meio, mas no geral ambos foram bem. Edílson e Willians precisam ser menos afoitos e evitar faltas desnecessárias. 
Méritos, e muitos, para o Tite, que pela qualidade dos treinamentos e pela habilidade de lidar com o elenco, deu um padrão de jogo para o time, independentemente de quem atua. E, em tempo record está conseguindo remontar uma equipe que perdeu seus melhores atletas. 
Méritos, também para a Fiel, que mesmo às vésperas de um feriado prolongado e com o time já classificado, colocou 42.090 torcedores em Itaquera, transformando a Arena num verdadeiro caldeirão. 
Com o resultado o Corinthians, com 13 pontos ganhos, classificou-se em 1º lugar no Grupo 8, ficando à frente de Cerro Porteño (10 pontos), Independiente Santa Fe (8 pontos) e Cobresal (3 pontos) e é o 3º colocado entre os 16 times que disputarão as oitavas de final, quando terá por adversário o Nacional do Uruguai.
O jogo de ida será dia 23/04, quarta feira,às 21:45 horas, em Montevideo, no Uruguai e o de volta no dia 04/05, quarta feira, às 21:45 horas, na Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo. Se passar para a fase seguinte, o Timão enfrentará nas quartas de final o vencedor do duelo entre o Boca Junior da Argentina e o Cerro Portenho do Paraguai. As oitavas de final começam na próxima semana, ainda em datas já definidas pela CONMEBOL. 
Melhores momentos
Ficha Técnica - Corinthians 6 X 0 Cobresal
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 20 de abril de 2016, quarta-feira
Horário: 21:45 horas (de Brasília)
Árbitro: Carlos Orbe (Equador)
Assistente 1: Flavio Nall (Equador)
Assistente 2: Edwin Bravo (Equador)
Quarto árbitro: Nilson Monção (Equador)
Público: 41.710 pagantes (total de 42.090)
Renda: R$ 2.635.754,50
Cartão amarelo: Benítez (Cobresal)
Gols: Corinthians: Marlone, aos 8 e aos 38, Romero, aos 12, e Guilherme Arana, aos 44 minutos do primeiro tempo; Elias, aos 29, e Romero, aos 31 minutos do segundo tempo
Corinthians: Cássio; Edílson, Vilson, Balbuena e Guilherme Arana; Willians (Elias), Maycon, Romero, Rodriguinho (Cristian) e Marlone (Alan Mineiro); Luciano; Técnico: Tite
Cobresal: Cuerdo; Contreras, Rojas, Cerón e López; Ureña, Cabión (Sarabia), Poblete (Jerez), González e Benítez (Fuentes); Maldonado; Técnico: Dalcio Giovagnoli 

Créditos e fontes de imagens e vídeos 
globoesporte.globo.com-Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com-MAON
Daniel Augusto Jr/corinthians.com.br-MAON
youtube.com/foxsports.com.br
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com-Daniel Augusto Jr/corinthians.com.br-Djalma Vassão-Gazeta Press-gazetaesportiva.com-MAON
Djalma Vassão/Gazeta Press/gazetaesportiva.com
Djalma Vassão/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-twitter.com/@jhonysilva-MAON
twitter.com/@LigadosNoTimao
Divulgação-Conmebol-globoesporte.globo.com
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com-Djalma Vassão/Gazeta Press-MAON
youtube.com/globo.com
facebook.com/Renato Silva 

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Corinthians X Cobresal-Chile - Copa Libertadores

Já classificado para as oitavas de final, o Corinthians recebera o Cobresal-Chile nesta quarta feira, 20/04, às 21:45 horas, em sua arena, em Itaquera. O Corinthians, com 10 pontos, precisa apenas de uma vitória para garantir a primeira colocação no seu grupo, enquanto Cerro Porteño-Paraguai e Santa Fe-Colombia brigam pela classificação no estádio Defensores Del Chaco. Apesar de já estar classificado, se vencer, o Timão ainda pode melhorar a sua pontuação e terminar melhor colocado em relação aos times dos outros grupos. Com apenas três pontos ganhos, o time chileno já está eliminado da Libertadores. Sua única vitória foi contra o Cerro Porteño, no Chile, por 2 a 0. Mas, seu desempenho tem sido ruim quando atua fora do Estádio El Cobre, no deserto do Atacama. Nas duas partidas fora, a equipe sofreu cinco gols e marcou apenas um. Já o Corinthians, atuando em Itaquera, venceu seus dois confrontos, não sofreu nenhum gol e marcou três. No confronto entre Cerro Porteño e Santa Fe, se os paraguaios vencerem, o Corinthians poderá garantir o primeiro lugar do grupo apenas com um empate. No caso de empate no Defensores del Chaco, o Timão garante automaticamente a primeira colocação, e se o Santa Fe vencer, será necessário que o Corinthians ganhe em Itaquera. 
Ficha Técnica - Corinthians X Cobresal-Chile
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo-SP
Data: 20 de abril de 2016, quarta-feira
Horário: 21:45 horas (de Brasília)
Árbitro: Carlos Orbe (Equador)
Assistente 1: Flavio Nall (Equador)
Assistente 2: Edwin Bravo (Equador)
Quarto árbitro: Nilson Monção (Equador)
Corinthians: Cássio; Edílson, Vilson, Balbuena e Guilherme Arana; Willians; Romero, Rodriguinho, Maycon e Marlone; Luciano; Técnico: Tite
Cobresal-Chile: Cuerdo; Contreras, Rojas e Cerón; Sepúlveda, Cabión, López e Otárola; Poblete e González; Grbec, Técnico: Giovagnoli 
No Corinthians, além dos escalados, também foram relacionados o goleiro Walter, o lateral Uendel, os zagueiros Felipe e Pedro Henrique, os volantes Elias e Cristian, os meias Alan Mineiro e Matheus Pereira, e o atacante André.
Estão fora, no Corinthians, Fagner, suspenso, e Danilo e Giovanni Augusto, lesionados; no Cobresal, Sepúlveda, suspenso.
Tite surpreendeu e, com exceção de Cássio no gol, escalou o time reserva, ops, alternativo. Embora na semana passada, após a vitória no jogo com o Red Bull Brasil, o técnico tivesse declarado que não colocaria os reservas para jogar, o intervalo de dois jogos em menos de 72 horas, pois no sábado terá a semifinal do Paulita contra o Audax, fez com que os planos fossem alterados. 
Com os 10 jogadores de linha reservas no time, as duas grandes novidades são a volta de Rodriguinho, recuperado de lesão e Marlone, que pela primeira vez atuará desde o início da partida. O esquema tático permanece o mesmo 4-1-4-1, com Yago e Balbuena nas zaga, Edílson e Guilherme Arana nas laterais, Willians na cabeça de área, Rodriguinho e Maycon atuando pelo meio, Romero e Marlone abertos pela direita e esquerda, respectivamente, e Luciano de centro avante.
Mesmo classificado, o Corinthians tem a obrigação de vencer, não só para garantir o 1º lugar do Grupo 8, mas para melhorar sua classificação geral e assegurar o mando de campo nas decisões nas próximas fases. E, também, para manter a invencibilidade em casa na temporada. O adversário, já eliminado, está mais preocupado com o campeonato chileno e seu técnico vai usar a partida para observar alguns jogadores que não vem atuando com frequência. Jogando em Itaquera, com a casa lotada, a Fiel, o 12º jogador, fará toda a diferença. Além disso, os "alternativos" sempre têm atuado bem e precisam mostrar serviço para terem chance no time titular. Diante das circunstâncias do jogo, temos plenas condições de vencer e vencer bem, sem sufoco e sem sustos.

Créditos e fontes de imagens
facebook.com/Renato Silva-twitter.com/@SCCPinf-MAON
Friedemann Vogel-Getty Images Sport/goal.com-adnradio.cl-MAON
Marcelo Braga/globoesporte.globo.com
GLOBOESPORTE.COM/globoesporte.globo.com Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/globoesporte.globo.com-MAON 

domingo, 17 de abril de 2016

Tourada em Itaquera

O touro é louco, mas não tão bravo como falaram. Gabavam-se de não perder para time grande. Isso até encontrarem o Gigante e saírem toureados, abatidos e eliminados. Tentaram marcar o toureiro, mas foram agarrados pelos chifres e sucumbiram numa goleada. 
Num jogo pra ninguém botar defeito, com Fagner comendo a bola, com a defesa segura, com muita organização, movimentação, triangulações e infiltrações, os gols foram saindo e a classificação foi construída sem sufoco, sem sustos e com muita tranquilidade. Podemos dizer que o Red Bull Brasil levou um baile e que nem precisou nos dar asas, pois temos brevê e sabemos voar. 
Gols
O primeiro gol saiu aos 16 minutos. Após escanteio, a defesa do Red Bull Brasil rebateu mal e Giovanni Augusto, de voleio, abriu o placar. Um golaço. Aos 39 minutos, Fagner tabelou com Elias, saiu livre na área e rolou para o André, que dividiu com a zaga e ampliou o placar. Aos 11 minutos da etapa final, depois de ter seu chute defendido por Saulo na primeira tentativa, Alan Mineiro ganhou dividida de Dráusio e tocou com categoria na saída do goleiro, fazendo 3 a 0 para o Timão. Aos 23 minutos, Fagner avançou pela direita e Alan Mineiro achou Lucca livre na ponta esquerda, que bateu de primeira e acertou o ângulo oposto, no contrapé de Saulo.
O resultado coloca Timão na semifinal do Campeonato Paulista, além de garantir-lhe a vantagem de jogar uma possível final em casa. O clube tem 38 pontos e chegaria a no mínimo 39 para alcançar a decisão (empate e passagem nos pênaltis na semifinal). O Santos, principal perseguidor, só pode chegar aos 38 pontos. O Red Bull perdeu a chance de se classificar para a Série D do Campeonato Brasileiro. 
Mas, antes da semifinal, os alvinegros têm a última disputa para a fase de grupos da Copa Libertadores da América. Já classificado, o Corinthians busca confirmar a liderança da sua chave e uma das melhores campanhas da fase de grupos, contra o Cobresal-Chile, às 21:45 horas, (de Brasília), nesta quarta-feira, 20/04, em sua Arena, em Itaquera. 
Além do show nos gramados, o Corinthians marcou um golaço pela solidariedade. Em ação do seu Departamento de Cultura e Responsabilidade Social, em parceria com a Caritas Arquidiocesana de São Paulo, que mantém o Centro de Referência do Refugiado, e com o apoio da ONU/ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados), 80 refugiados que adotaram a cidade de São Paulo como morada visitaram o Parque São Jorge pela manhã e depois acompanharam a partida. Os jogadores entraram em campo de mãos dadas com 11 crianças. Nas arquibancadas, foram distribuídas faixas para os torcedores com os nomes de uma série de países de onde vieram os refugiados. 
O grupo de refugiados era formado por pessoas dos seguintes países: Congo, Angola, Nigéria, Mali, Colômbia, Filipinas, Iraque, Síria, Guiné-Conacri e Guiné Bissau. A ação teve por objetivo, reforçar a característica do Corinthians de ser o "time das mil nações", apelido dado ao clube no início da sua história, por receber bem imigrantes de todos países, sem restrições. O Timão também se comprometeu a dar oportunidade de trabalho na arena de Itaquera e em sua sede social para imigrantes refugiados. 
Embora mereçam destaque a atuação irrepreensível do Fagner, o fato de André e Lucca terem se reconciliado com os gols e o bom desempenho do Alan Mineiro, o importante da partida foi o jogo coletivo, a disciplina tática, a organização e a tranquilidade com que a vitória foi construída. Méritos do Tite e méritos do time que, em plena reconstrução, está conseguindo superar as dificuldades e impor seu futebol nos dois campeonatos que participa. 
Se ainda não temos nada ganho, está tudo bem encaminhado. Lamentavelmente, perdemos Giovanni Augusto por contusão. No entanto, tem reforço chegando e, pelo regulamento do Paulistão, jogador contundido poderá ser substituído em qualquer fase. Apesar de não ser o ideal, dos males o menor. 
Melhores momentos
Ficha Técnica - Corinthians 4 X 0 Red Bull Brasil 
Local: Arena corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 16 de abril de 2015, sábado
Horário: 16:20 horas (horário de Brasília) 
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira
Assistente 1: Bruno Salgado Rizo 
Assistente 2: Fabrício Porfírio de Moura 
Quarto árbitro: Thiago Luiz Scarascati
Público: 36.957 pagantes
Renda: 1.948.897,50
Cartões amarelos: Lucca e Guilherme (Corinthians); Maylson, Nando Carandina e Roger (Red Bull)
Gols: Corinthians: Giovanni Augusto, aos 17, e André, aos 40 minutos do primeiro tempo, Alan Mineiro, aos 12, e Lucca, aos 24 minutos do segundo tempo 
Corinthians: Cássio; Fagner (Edílson), Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Giovanni Augusto (Alan Mineiro), Elias, Guilherme e Lucca (Romero); André; Técnico: Tite
Red Bull Brasil: Saulo; Everton Silva, Anderson Marques, Diego Sacoman e Dráusio; Nando Carandina, Willian Magrão (Igor Sartori), Maylson (Rafael Costa), Thiago Galhardo (Edmilson) e Misael; Roger; Técnico: Mauricio Barbieri 

Créditos e fontes de imagens e vídeos 
globoesporte.globo.com-inglesnoteclado.com.br-corinthians.com.br-escudo.rbbr.wordpress.com-MAON 
youtube.com/Corinthians-
Luis Moura/WPP/Gazeta Press-Mauro Horita/Agif/Gazeta Press-Miguel Shincariol/Gazeta Press-Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/meutimao.com.br-MAON 
youtube.com-globo.com 
Djalma Vassão/Gazeta Press 
Marcelo Braga/globoesporte.globo.com 
twitter.com/@SCCPinf 
Djalma Vassão/Gazeta Press 
youtube.com-band.uol.com.br 

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Corinthians X Red Bull Brasil - Campeonato Paulista

Chegou a hora da onça beber água. Acabou a moleza. Agora mata ou morre. Agora não pode ter erro. Quem errar cai fora. É decisão. E é nesse clima de pressão que o Corinthians receberá em sua Arena o Red Bull Brasil, pelas quartas de final do Campeonato Paulista, neste sábado, 16/04, às 16:20 horas, horário de Brasília. Mesmo tendo feito a melhor campanha da fase de grupos, o Timão terá como única vantagem o mando de campo. As quartas de final serão disputadas em jogo único e se a partida terminar empatada, a decisão será nos pênaltis. 
Ficha Técnica - Corinthians X Red Bull Brasil 
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 16 de abril de 2015, sábado
Horário: 16:20 horas (de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira
Assistente 1: Bruno Salgado Rizo 
Assistente 2: Fabrício Porfírio de Moura 
Quarto árbitro: Thiago Luiz Scarascati 
Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Giovanni Augusto, Elias, Guilherme e Lucca; André; Técnico: Tite
Red Bull Brasil: Saulo; Everton Silva, Anderson Marques, Diego Sacoman e Breno Lopes; Nando Carandina, Willian Magrão, Igor Sartori, Thiago Galhardo e Misael; Roger; Técnico: Mauricio Barbieri 
No Corinthians, além do escalados, também foram relacionados o goleiro Walter, os laterais Edílson e Guilherme Arana, o zagueiro Balbuena, os volantes Cristian, Maycon e Willians, os meias Alan Mineiro e Marlone, e os atacantes Romero, Luciano e Rildo.
No Timão, Rodriguinho e Danilo, ambos lesionados, estão fora do jogo; e Fagner, Yago, Edílson, Willians e Romero estão pendurados com dois cartões amarelos. 
No Red Bull Brasil, o lateral-esquerdo Willian Rocha cumpre suspensão.
Tite mandará a campo o time considerado titular, ou seja o mesmo que atuou contra o Palmeiras no Pacaembu e contra o Santa Fe na Colombia. A grande novidade está no banco. É o atacante Rildo, recuperado de lesão e que foi inscrito recentemente no campeonato, na vaga que na 1ª fase pertencia ao Claudinho. 
Na sexta feira, Tite promoveu, no CT Dr Joaquim Grava, o último treino da equipe. De início, Tite comandou um treino de posicionamento com duas equipes em campo, com Guilherme mais avançado próximo à área. A seguir, somente com os titulares, o técnico deu ênfase à saída de bola desde a defesa, com os zagueiros aproximando-se do meio campo. Os jogadores também treinaram pênaltis.
Jogando na Arena, onde está invicto na temporada, o Corinthians atuará com total apoio e incentivo da Fiel. Trinta e seis mil ingressos já foram comercializados, e a expectativa é de casa cheia. 
Embora tenha feito uma campanha irregular no campeonato, nosso adversário foi muito bem contra os times considerados grandes, não tendo enfrentado o Timão por estar no mesmo grupo. Empatou com o São Paulo e venceu Santos e Palmeiras. 
Assim, todo cuidado é pouco. Tem que jogar pra ganhar. Manter a máxima concentração, entrar focado, com a faca nos dentes e sangue nos olhos. Mas, sem afobação. Tem que fazer valer o mando de campo, o conhecimento do gramado e o apoio da torcida. Não pode titubear e qualquer vacilo será fatal. Se o toro é louco, vamos toureá-lo e domá-lo. Só não podemos dar moleza pra não levar chifrada. Espero, desejo e confio na vitória. 

Créditos e fontes de imagens 
facebook.com/Renato Silva 
Daniel Augusto Jr/corinthians.com.br-Robson Ventura/Folhapress/folha.uol.com.br-MAON  
globoesporte.globo.com 
meutimao.com.br

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Misto Quente

Como prevíamos no pré jogo, o Misto do Corinthians foi um misto quente e jogou com muito mais vontade, garra e determinação que o time morno que domingo se poupou no Pacaembu. Hoje os jogadores entraram com a cabeça, a alma e o coração no jogo. Não estavam pensando na Libertadores nem se pouparam para evitar desgastes e contusões. Focados no jogo, não fugiram das divididas e, quando fazem o certo, o correto, o resultado positivo acontece. O placar foi 3 a 0, mas até poderia ser mais. E os reservas mostraram que podem ameaçar os titulares. 
Walter, no gol, foi pouco acionado, mas quando exigido, foi preciso e seguro. Tranquilo, com ele não levamos nenhum susto. Boa sombra para o Cássio. Balbuena foi um dos melhores em campo, um verdadeiro Xerife. Danilo, muita técnica e domínio da bola, não jogou, bailou em campo, tal a harmonia demonstrada em cada jogada. Romero, pura raça. Com ele não tem bola perdida, Não foge das divididas. Compensa as limitações técnicas e se supera com a garra, a raça e a entrega em campo. 
Luciano lutou, correu, não se omitiu, mas foi prejudicado pela ansiedade excessiva na busca do gol que só virá quando colocar a cabeça no lugar e serenar seu coração. Alan Mineiro, após ter entrado em forma, está sabendo agarrar sua oportunidade. Fez um golaço e se coloca como alternativa para o meio campo. Fez muitos gols no Bragantino e tomara que esse seja o primeiro de muitos que virão. Marlone, voltando de contusão, substituiu o cansado Romero e, no pouco tempo em que atuou, deu bons passes e mostrou empenho em campo. Willians atuou pouco tempo, mas precisa ser menos afoito na marcação e tomar cuidado com as faltas e entradas desnecessárias.
Como previsto, os reservas entraram com muita garra, na busca de se colocarem como alternativas no time titular. Mas, os titulares não deixaram por menos. Vimos um Fagner e um Elias vibrantes, propositivos, intrépidos e muito atuantes. Juntos com Danilo, os melhores em campo. Fagner comandou o setor ofensivo, marcou dois gols e foi bem na defesa. Foi o nome do jogo. Elias apareceu bem no ataque, deu bons passes e foi muito participativo. Bruno Henrique e Guilherme atuaram melhor que em jogos anteriores, com o volante conseguindo parar as investidas adversárias e com o meia muito mais participativo. Mas, precisa melhorar as finalizações, pois perdeu três gols seguidos. Yago não teve muito trabalho, mas fez os desarmes necessários, e Uendel errou alguns cruzamentos, mas não comprometeu o jogo. 
Gols
Coletivamente, o time foi bem, o que permitiu que as individualidades sobressaíssem e os gols acontecessem. Isso deve-se, principalmente à postura do time em campo, muito diferente daquela apatia, talvez covardia, demonstrada no derby. O Corinthians dominou a partida, ditando o ritmo do jogo. A defesa e a marcação foram precisas, o meio campo criou e, com o apoio dos laterais, as oportunidades de gol surgiram naturalmente. Foram três gols marcados, além dos muitos perdidos. 
Foi um jogo sem sustos, sem sufoco e sem nervosismo. Foi um jogo de muita movimentação, troca de passes, infiltrações e triangulações. Foi um jogo de responsabilidade, de dedicação, de vontade e de determinação. Foi um jogo de empenho, no qual o bom desempenho determinou o bom resultado, a vitória e a confirmação da liderança do campeonato.
Diferentemente do que ocorreu domingo no Pacaembu, foi um jogo de Corinthians. 
A vitória por 3 a 0 sobre o Novorizontino rendeu também ao Timão a maior série de resultados positivos na Arena Corinthians. O Alvinegro alcançou o décimo triunfo seguido em Itaquera e segue com 100% de aproveitamento no estádio na atual temporada.
Já classificado, o Timão enfrentará o Red Bull Brasil no próximo final de semana, em sua Arena, em Itaquera. A FPF marcou o jogo para domingo, 17/04, às 16:00 horas, mas a Secretaria de Segurança Pública solicitou que, devido às manifestações programadas, contra e a favor do golpe, os jogos de domingo sejam cancelados. 
Melhores momentos
Ficha Técnica - Corinthians 3 X 0 Novorizontino 
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 10 de abril de 2015, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Douglas Marques das Flores
Assistente 1: Rogerio Pablos Zanardo
Assistente 2: Leonardo Augusto Villa
Quarto árbitro: Magno de Sousa Lima Neto
Público: 30.475 pagantes (total de 30.687)
Renda: R$ 1.580.493,50
Cartões amarelos: Luciano (Corinthians); Paulinho, Fahel, Rayllan, Luisão e Domingues (Novorizontino)
Gols: Corinthians: Fagner, aos 40 minutos do primeiro tempo e aos 2 minutos do segundo tempo; Alan Mineiro, aos 43 minutos do segundo tempo
Corinthians: Walter; Fagner, Balbuena, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Elias (Willians), Danilo (Alan Mineiro), Guilherme e Romero (Marlone); Luciano; Técnico: Tite
Novorizontino: Veloso; Jeci, e Luisão e Domingues; Fahel, Michel, Cléo Silva (Luiz Araújo), Pedro Carmona (Adriano) e Paulinho; César (Rayllan) e Roberto; Técnico: Guilherme 

Créditos e fontes de imagens e vídeos 
globoesporte.globo.com-Daniel Augusto Jr./corinthians.com.br-MAON 
Luiz Moura/WPP/Gazeta Press-Mauro Horita/Agif/Gazeta Press-Luiz Moura/WPP/Gazeta Press-Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/gazetaesportiva.com-MAON 
Mauro Horita /Agif/Gazeta Press-MAON 
youtube.com/globo.com 
gazetaesportiva.com 
youtube.com/globo.com 

domingo, 10 de abril de 2016

Corinthians X Novorizontino - Campeonato Paulista

Pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista, o Corinthians receberá o Novorizontino neste domingo, 10/04, às 16:00 horas, em sua Arena, em Itaquera, São Paulo. Líder do Grupo D e do campeonato, com 32 pontos, 10 vitórias, 2 empates, duas derrotas e 76% de aproveitamento, o Timão terá como adversário o 2º colocado do Grupo B, que tem 5 vitórias, 6 empates, 3 derrotas e 50% de aproveitamento. Já classificado, o Corinthians entra em campo para fazer as pazes com a vitória e garantir-se como mandante numa possível semifinal. O Novorizontino, num grupo bastante embolado, busca a classificação.
Ficha Técnica - Corinthians X Novorizontino
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 10 de abril de 2015, domingo
Horário: 16:00 horas (de Brasília)
Árbitro: Douglas Marques das Flores
Assistente 1: Rogerio Pablos Zanardo
Assistente 2: Leonardo Augusto Villa
Quarto árbitro: Magno de Sousa Lima Neto
Corinthians: Walter; Fagner, Balbuena, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Elias, Danilo, Guilherme e Romero; Luciano; Técnico: Tite 
Novorizontino: Veloso; Domingues, Jéci e Luizão; Cléo Silva, Fahel, Michel, Pedro Carmona e César; Luiz Araújo e Roberto; Técnico: Guilherme
No Corinthians, também foram relacionados o goleiro Matheus Vidotto, os laterais Edílson e Guilherme Arana, os zagueiros Vilson e Pedro Henrique, os volantes Cristian, Maycon e Willians, os meias Alan Mineiro e Marlone, e o atacante Claudinho. 
O Corinthians vai pro jogo com um time misto e com cinco modificações no time que empatou com o Independiente Santa Fe, na Colombia. Cássio foi liberado para visitar a avó, que está doente, em Caxias do Sul (RS); Giovanni Augusto está com desgaste muscular; André com tendinite patelar direita; Lucca será preservado para evitar lesão, e Felipe está suspenso. Rodriguinho, que não viajou à Colômbia, segue em tratamento de um estiramento muscular na coxa direita.
No gol, Walter substituirá o Cássio, Balbuena substituirá Felipe na zaga, Danilo jogará pela direita no lugar de Giovanni Augusto, Romero fará a função de Lucca e Luciano atuará na posição de André. 
Uma preocupação do Corinthians no jogo é o grande número de jogadores pendurados. Os laterais Fagner e Edílson, o zagueiro Yago, o volante Willians e o atacante Ángel Romero têm dois cartões amarelos e, se receberem cartão no jogo, desfalcarão o Corinthians diante do Red Bull Brasil, em jogo único a ser disputado no próximo final de semana, em Itaquera. 
Embora classificado, o Corinthians precisa da vitória para se garantir como mandante até o final do campeonato. Portanto, apesar de atuar com o time misto, tem que vencer o jogo em Itaquera. Até sábado, mais de 27 mil ingressos já haviam sido vendidos e a expectativa é de um bom público. Teremos portanto, o apoio da torcida. Creio que os jogadores que entrarem, não irão se poupar em campo como fizeram os titulares contra o Palmeiras. Além de não ter jogo no meio da semana, precisam mostrar serviço, já que disputam uma vaga no time titular. E sempre que entraram, se empenharam. O Novorizontino, precisando da vitória, dará o sangue neste jogo. Mas, temos um elenco mais qualificado, a torcida a favor e a necessidade de garantir o mando de campo nas rodadas finais. Temos que ir pra cima e mostrar logo quem manda em Itaquera. Temos que ser uma pedra dura nas chuteiras adversárias. 

Créditos e fontes de imagens 
meutimao.com.br-facebook.com/renato Silva-MAON 
Sergio Barzaghi/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-Wiliam Brás de Lima/Grêmio Novorizontino/globoesporte.globo.com-MAON 
twitter.com/@SCCPinf 
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/corinthians.com.br-MAON 
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/corinthians.com.br-MAON 

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Nove de abril, dia do torcedor dar o sangue

Cobramos diariamente que o jogador dê o sangue pelo Corinthians. Mas, precisamos lembrar, que nós, torcedores, também temos a oportunidade de dar o nosso sangue. E não é apenas gritando na arquibancada e apoiando o time em campo. Existe outra forma de testemunharmos nosso corinthianismo e ampliarmos nossa torcida, mostrando-nos solidários e salvando vidas. E essa hora, mais uma vez, está chegando. É a hora de darmos o sangue, de salvar vidas e de mostrar que somos também um Fiel torcedor da solidariedade. É a hora de ser, também, um Fiel Doador.
Neste sábado, 09/04, a campanha Sangue Corinthiano, que realizará sua primeira edição em 2016, terá seu Dia D em diversas cidades brasileiras. Na capital paulista, o local que receberá as doações dos torcedores será a Pró-Sangue do Hospital das Clínicas. No dia 24, o projeto acontecerá também no Japão. 
A Sangue Corinthiano é uma campanha nacional organizada pela torcida corinthiana que usa a força e a união da Fiel para conscientizar as pessoas sobre a importância da doação de sangue.
Para doar, é necessário estar em boas condições de saúde, ter idade entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50 kg, estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas que precede a doação), estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas quatro horas que antecedem a doação), não ingerir bebidas alcoólicas no dia da doação e apresentar documento original com foto emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).
Para ver os requisitos completos, acesse http://www.sanguecorinthiano.com.br/requisitos/.
A maioria das cidades realizará a campanha no dia 09 de abril, porém, em outras a data é diferente. Para saber o dia e o hemocentro participante mais próximo, acesse: http://www.sanguecorinthiano.com.br/onde-doar/.
Se alguma criança acompanhar o doador no dia da doação, traga outro adulto para fazer-lhe companhia.
Caso sua cidade não esteja na lista, não deixe de participar e faça sua doação no hemocentro mais próximo. 
Doar sangue é doar vida. É um testemunho de grandeza e de solidariedade. É um ato de amor universal, de amor pela humanidade, principalmente porque se ignora quem será o beneficiado que receberá o sangue doado. 
“Representar o Corinthians é um sonho para a maioria dos torcedores e participar da campanha Sangue Corinthiano é a forma mais solidaria de fazer isso. Precisamos continuar provando nossa fidelidade e ajudar os hemocentros que hoje já contam com as nossas doações. Já foram doadas mais de 30 mil bolsas de sangue corinthiano pelo Brasil e precisamos da sua ajuda para continuar salvando vidas e mostrando a força da nossa torcida.” (Milton Oliveira, idealizador da campanha). 
Demonstre seu corinthianismo sendo Fiel, também na solidariedade. E se você, por alguma razão não puder fazer a doação, participe divulgando a campanha e incentivando seus amigos para participarem.

Créditos e fontes de imagens
guiarioclaro.com.br
meutimao.com.br
meutimao.com.br
colegiomarista.org.br
corinthians.com.br-MAON