quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Menos dois pontos - Fora do G4 - Mantivemos o tabu no Pacaembu - Danilo salvou o Timão

Acho que nem precisaria falar do jogo de sábado. O título sintetiza o que ocorreu em campo. Perdemos dois pontos para mais um time que luta pra se manter na Série A e que tem um elenco inferior ao nosso. A diferença é que, por manobras do STJD, eles estavam com o seu melhor jogador, Valdívia, e com o seu goleador, Henrique, e nós sem nosso principal jogador e goleador, o Guerrero. Assim, já entramos em campo em desvantagem, além do elenco estar mais desgastado devido à maratona de jogos fora de casa. 
Precisando do resultado, os dois times entraram pilhados e o jogo foi pegado. O Corinthians começou melhor, mas numa bobeada da defesa, principalmente do Fagner, o Palmeiras saiu na frente, o Timão sentiu o golpe e teve dificuldades de furar a defesa rival. Elias muito recuado, e errando muitos passes, pouco ajudou, Bruno Henrique tentou, mas a trave atrapalhou. Acho que o Elias está precisando de um chá de banco pra renascer para o mundo da bola. Petros  e Jadson não estavam em seus melhores dias, pelo contrário, obrigando Mano, em busca de mais velocidade e movimentação, a substitui-los por Romero e Malcom. Luciano mais reclamou que jogou e Renato Augusto, apesar de tentar, quase nada conseguiu criar. 
Em vantagem no placar, a porcada partiu pra cera e pra catimba. Valdívia, chegou até a sentar no gramado. E os corinthianos, embora tentassem, finalizavam muito mal e o gol não saia. A bola queimava nos pés dos garotos atacantes, que não tinham a tranquilidade necessária para mudar o placar. E , quando acertavam um chute, Fernando Prass, numa tarde inspirada, não deixava a bola entrar. 
Mas, se as alterações anteriores não contribuíram para alterar o resultado, Mano Menezes tinha uma carta na manga e, nos momentos finais, colocou Danilo em campo. Aí a calma  a tranquilidade e a experiência falaram mais alto e aos 45 minutos da etapa final, quando os adversários já comemoravam a vitória e a quebra do tabu no Pacaembu, o veterano meia empatou o jogo, para delírio da Fiel. 
Se para muitos corinthianos, o empate teve um sabor de vitória, por ter mantido um tabu de 19 anos sem derrota do rival no Pacaembu, e para os palmeirenses o sabor de derrota, na realidade, o resultado nos tirou do G4 e, não permitindo que nos aproximássemos do líder, afastou-nos ainda mais do título do campeonato.
Com o resultado, o Palmeiras, com 36 pontos e em 14º lugar na tabela de classificação, ainda não se afastou do perigo da degola, e o Corinthians, com 53 pontos e fora do G4, está em 5º lugar, com o mesmo número de pontos do 4º colocado, o Internacional.
Melhores momentos
video
Gols
Ficha Técnica - Palmeiras 1 X 1 Corinthians
Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP) 
Data: 25 de outubro de 2014, sábado
Horário: 16:20 horas (de Brasília) 
Árbitro: Flavio Rodrigues Guerra - SP (CBF-1)
Árbitro Assistente 1: Marcelo Carvalho Van Gasse - SP (FIFA)
Árbitro Assistente 2: Vicente Romano Neto - SP (ESP-2)
Quarto Árbitro: Marcelo Prieto Alfieri - SP (CBF-2)
Árbitro Assistente Adicional 1: Thiago Duarte Peixoto - SP (CBF-1)
Árbitro Assistente Adicional 2: Vinicius Furlan - SP (CBF-1)
Delegado: Wilson Luiz Seneme - SP (ASS)
Cartões amarelos: Nathan, Marcelo Oliveira, Henrique, Juninho, Washington (Palmeiras). Fábio Santos, Luciano, Petros (Corinthians)
Público: 24.245 pagantes
Renda: R$ 548.062,50
Gols: Palmeiras: Henrique, aos 25 minutos do primeiro tempo; Corinthians: Danilo, aos 45 minutos do segundo tempo
Palmeiras: Fernando Prass; João Pedro, Nathan, Tobio e Juninho; Marcelo Oliveira, Victor Luis, Wesley (Washington), Mazinho (Diogo) e Valdivia (Felipe Menezes); Henrique; Técnico: Dorival Júnior
Corinthians: Cássio; Fagner, Anderson Martins, Gil e Fábio Santos (Danilo); Bruno Henrique, Petros (Romero), Elias e Jadson (Malcom); Renato Augusto e Luciano, Técnico: Mano Menezes
Entrevista do Mano Menezes
video

Estatísticas
Faltas

  • Palmeiras: 17
Victor Luiz: 4
Marcelo Oliveira: 3
Juninho: 3
Henrique: 2
Wesley: 1
Diogo: 1
Washington: 1
Nathan: 1
João Pedro: 1

  • Corinthians: 14
Anderson Martins: 4
Fábio Santos: 3
Petros: 2
Luciano: 2
Danilo: 1
Gil: 1
Bruno Henrique: 1

Passes errados

  • Palmeiras: 13
Valdívia: 3
Marcelo Oliveira: 2
Juninho: 2
Vitor Luiz: 2
Fernando Prass: 1
Mazinho: 1
Tobio: 1
João Pedro: 1

  • Corinthians: 31
Fagner: 5
Elias: 5
Gil: 5
Renato Augusto: 5
Fábio Santos: 3
Bruno Henrique: 3
Luciano: 3
Jadson: 1
Cássio: 1
Anderson Martins: 1

Roubadas de bola

  • Palmeiras: 9
Juninho: 2
Tobio: 2
Wesley: 1
Mazinho: 1
Henrique: 1
Victor Luiz: 1
João Pedro: 1

  • Corinthians: 16
Petros: 5
Luciano: 3
Fagner: 2
Elias: 2
Gil: 2
Fábio Santos: 1
Bruno Henrique: 1

Finalizações

  • Palmeiras: 11
Gol: 1
Henrique: 1
Trave: 1
Wesley: 1
Defendidas: 2
Tobio: 1
Henrique: 1
Fora: 7
Valdívia: 1
Diogo: 1
Juninho: 1
Mazinho: 1
Tobio: 1
Henrique: 1
Victor Luiz: 1

  • Corinthians: 13
Gol: 1
Danilo: 1
Trave: 1
Bruno Henrique: 1
Defendidas: 4
Renato Augusto: 1
Petros: 1
Luciano: 1
Romero: 1
Bloqueadas: 2
Renato Augusto: 1
Anderson Martins: 1
Fora: 5
Elias: 2
Fábio Santos: 1
Renato Augusto: 1
Anderson Martins: 1

Impedimentos: 2

  • Palmeiras: 2
Diogo: 1
Juninho: 1

  • Corinthians: 2
Anderson Martins: 1
Luciano: 1

Assistência

  • Palmeiras: 1
Wesley: 1

Fonte: http://globoesporte.globo.com/jogo/brasileirao2014/25-10-2014/palmeiras-corinthians.html

Créditos e fontes de imagens e vídeos
esportes.terra.com.br
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globo.com/youtube.com
globo.com/youtube.com
Marco Ribolli/globoesporte.globo.com
globo.com/youtube.com
globo.com/youtube.com
espn.com.br

sábado, 25 de outubro de 2014

Palmeiras X Corinthians

 
Pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Corinthians enfrentará o Palmeiras neste sábado, 25/10, às 16:20 horas no estádio do Pacaembu. Com 52 pontos e ocupando a 3ª posição na tabela de classificação, terá como adversário o 14º colocado, com 35 pontos e distante 4 pontos do 1º colocado da zona de rebaixamento. Enquanto o Corinthians precisa da vitória para cumprir a meta traçada pela diretoria para a temporada, o Palmeiras precisa vencer para se distanciar da zona da degola. 
Ficha Técnica - Palmeiras X Corinthians
Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 25 de outubro de 2014, sábado
Horário: 16:20 horas (de Brasília)
Árbitro: Flavio Rodrigues Guerra - SP (CBF-1)
Árbitro Assistente 1: Marcelo Carvalho Van Gasse - SP (FIFA)
Árbitro Assistente 2: Vicente Romano Neto - SP (ESP-2)
Quarto Árbitro: Marcelo Prieto Alfieri - SP (CBF-2)
Árbitro Assistente Adicional 1: Thiago Duarte Peixoto - SP (CBF-1)
Árbitro Assistente Adicional 2: Vinicius Furlan - SP (CBF-1)
Delegado: Wilson Luiz Seneme - SP (ASS)
Palmeiras: Fernando Prass; João Pedro, Lúcio, Tobio e Juninho; Marcelo Oliveira, Victor Luis, Wesley e Valdivia; Mouche (Cristaldo) e Henrique; Técnico: Dorival Júnior
Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Fábio Santos; Bruno Henrique, Petros, Elias e Jadson; Renato Augusto e Romero (Luciano); Técnico: Mano Menezes
Estão fora, no Palmeiras: Wellington, Mateus Muller, Allione, Weldinho, Thiago Martins, em  recondicionamento físico, Eguren e Rodolfo, lesionados. No Corinthians: Paolo Guerrero, suspenso pelo STJD.
Estão pendurados, com dois cartões amarelos, no Palmeiras: Cristaldo, Henrique, Juninho, Leandro, Valdívia e Wesley. No Corinthians: Anderson Martins, Elias, Fábio Santos e Gil.
O time mandante terá pelo menos três novidades, a volta de Valdívia, de Lúcio e de Marcelo de Oliveira.
Com a equipe desgastada pelas sucessivas viagens, com Anderson Martins com dores na coxa e sem Guerrero, seu principal jogador, suspenso, o Corinthians terá a volta do goleiro Cássio, do lateral Fagner e do volante Ralf, que depois de 8 jogos fora, voltou a ser relacionado, mas deverá ficar no banco de reservas. Se Anderson Martins não se recuperar, Felipe deverá substitui-lo na zaga.
O grande problema do Corinthians, além da ausência de Guerrero, é o desgaste da equipe após quatro jogos consecutivos longe de São Paulo, contra Botafogo, Atlético-MG, Internacional e Vitória. A delegação desembarcou na cidade somente na noite da última quinta, após fazer um treino regenerativo em Cuiabá. 
 
Mano Menezes, como de costume, fez mistério da escalação. Mas, não deve mudar o esquema tático, com o meio campo mais povoado, com Jadson e Petros na armação, com Renato Augusto mais adiantado e somente com um atacante na frente. A dúvida é quem será o atacante, Romero, que apresenta características mais próximas de Guerrero ou Luciano, que tem entrado bem nos jogos.
Vencer o derby é imprescindível para o Corinthians manter-se no G4, bem como, e principalmente, para manter a hegemonia sobre o arquirrival. É hora de superar o desgaste físico, a ausência do seu principal jogador, a torcida rival e fazer valer a raça e a tradição. É hora de jogar como Corinthians e de superar as dificuldades. Se não for na técnica, que seja na raça.

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br
arenadotimao.wordpress.com
Sergio Barzaghi/Gazeta Press/Fernando Dantas-Gazeta Press/gazetaesportiva.net.
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
Gazeta Press
facebook.com/Caca Thimoteo

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Cumprindo a meta da Diretoria

Fora da Copa do Brasil, só sobrou o Brasileiro para tentar cumprir a meta proposta pela diretoria do Corinthians, a vaga na Libertadores. E o time, sobre pressão, parece que entendeu a situação, pois está trabalhando melhor a bola e apresentando uma postura mais propositiva em campo. Percebemos os jogadores atuando com mais entusiasmo, recuando menos, correndo mais e buscando o jogo. Mas, se sobra entusiasmo e vontade, ainda falta maior precisão, pois continuamos errando passes, (42 passes errados) e falhando nas finalizações. Apesar das falhas, se tivéssemos jogado assim anteriormente, estaríamos brigando pelo título com grande vantagem sobre os demais. 
Dominamos o jogo desde o início, com boa atuação de Renato Augusto, Fábio Santos e Bruno Henrique, os melhores em campo. Com mais jogadores no meio campo, (Bruno Henrique, Elias, Petros, Jadson e Renato Augusto), e com mais apoio dos laterais, o Timão conseguiu manter maior posse de bola e controlar melhor o jogo. Fábio Santos abriu o placar aos 18 minutos com um golaço. Mas a ausência de Guerrero foi bastante prejudicial, pois Romero não conseguiu prender a bola nem segurar os zagueiros adversários. Correu muito, mas pouco produziu. Petros, Elias e Jadson também deixaram a desejar, errando passes. O 1º muito afobado, Elias muito recuado e Jadson mal na troca de passes, (9 passes errados) e nas finalizações.
A entrada de Luciano e de Malcom deram maior movimentação ao ataque e foi da dupla, com assistência de Renato Augusto, que saiu o 2º gol, aos 35 minutos da etapa final. Aos 38 minutos, numa cobrança perfeita de falta, Edno marcou o gol do time baiano. O Vitória, acreditando na possibilidade de empatar, tentou, desesperadamente, fazer mais um gol. Mas, administramos o resultado e conseguimos a vitória, os três pontos e a vaga no G4.
Com o resultado, o Corinthians chegou aos 52 pontos e voltou para o G4. Em 3º lugar na tabela de classificação, está distante um ponto do vice líder São Paulo e oito do líder Cruzeiro. Com 31 pontos. o Vitória caiu para o 17º lugar e caiu para a zona de rebaixamento.
No próximo sábado, dia 25/10, às 16:20 horas, o Corinthians, como visitante, enfrentará o Palmeiras, no Pacaembu.
Melhores momentos
Gols
Ficha Técnica - Corinthians 2 X 1 Vitória
Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT)
Data: 22 de outubro de 2014, quarta-feira
Horário: 19:30 horas (de Brasília)
Árbitro: Alinor Silva da Paixão – MT (CBF-1)
Árbitro Assistente 1: Fábio Pereira – TO (FIFA)
Árbitro Assistente 2: Fábio Rodrigo Rubinho – MT (CBF-1)
Quarto Árbitro: Daniel Martins dos Santos – MT (CBF-2)
Árbitro Assistente Adicional 1: Wagner Reway – MT (ASP-FIFA)
Árbitro Assistente Adicional 2: Rafael Odílio Ramos dos Santos – MT (CBF-2)
Delegado: Paulo Cesar Pereira de Freitas – MS (ASS)
Público: 6.407 pagantes
Renda: R$ 478.500,00
Cartões amarelos: Gil (Corinthians); Luiz Gustavo (Vitória)
Gols: Corinthians: Fábio Santos, aos 18 minutos do primeiro tempo, e Luciano, aos 34 minutos do segundo tempo; Vitória: Edno, aos 38 minutos do segundo tempo
Corinthians: Walter; Fagner, Gil, Anderson Martins (Felipe) e Fábio Santos; Bruno Henrique, Elias, Petros e Jadson (Malcom); Renato Augusto e Romero (Luciano); Técnico: Mano Menezes
Vitória: Wilson; Luiz Gustavo, Kadu, Roger Carvalho e Mansur (Juan); José Welison, Cáceres, Richarlyson (William Henrique) e Marcinho (Edno); Vinicius e Dinei; Técnico: Ney Franco

Estatísticas
Faltas
  • Corinthians: 17
Petros: 4
Ferrugem: 3
Bruno Henrique:2
Romero: 2
Fábio Santos: 1
Jadson: 1
Anderson martins: 1
Elias: 1
Gil: 1
Malcom: 1
  • Vitória: 12
Dinei: 4
Kadu: 2
Juan: 1
Marcinho: 1
Roger Carvalho: 1
Vinicius: 1
Mansur: 1
Luiz Gustavo: 1

Passes errados
  • Corinthians: 42
Jadson: 9
Anderson Martins: 8
Elias: 5
Petros: 5
Fábio Santos: 3
Gil: 3
Ferrugem: 3
Renato Augusto: 2
Luciano: 1
Romero: 1
Malcom: 1
Bruno Henrique: 1
  • Vitória: 25
Richarlyson: 4
José Welison: 3
Mansur: 3
Luiz Cáceres: 3
Dinei: 2
Roger Carvalho: 2
Marcinho: 2
Luiz Gustavo: 2
Vinicius: 1
Kadu: 1
Wilson: 1
Juan: 1

Roubadas de bola
  • Corinthians: 16
Gil: 3
Bruno Henrique: 3
Petros: 3
Ferrugem: 3
Fábio Santos: 2
Elias: 2 

  • Vitória: 7
José Welison: 3
Marcinho: 2
Dinei: 1
William Henrique: 1

Finalizações

  • Corinthians: 11
Gol: 2
Fábio Santos: 1
Luciano: 1
Trave: 1
Anderson Martins: 1
Defendidas: 2
Bruno Henrique: 1
Malcom: 1
Bloqueadas: 2
Renato Augusto: 1
Elias: 1
Fora: 4
Jadson: 2
Fábio Santos: 1
Romero: 1

  • Vitória: 9
Gol: 1
Edno: 1
Trave: 1
Marcinho: 1
Defendidas: 1
Richarlyson: 1
Bloqueada: 1
Vinicius: 1
Fora: 5
Dinei: 2
José Welison: 2
Marcinho: 1


Assistência

  • Corinthians: 1
Renato Augusto: 1


Impedimentos

  • Corinthians: 1
Malcom: 1

  • Vitória: 3
Dinei: 2
Roger Carvalho: 1

Fonte: http://globoesporte.globo.com/jogo/brasileirao2014/22-10-2014/corinthians-vitoria.html

Créditos e fontes de imagens e vídeos
esportes.terra.com.br
globoesporte.globo.com
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
globoesporte.globo.com
sportv.globo.com/youtube.com
sportv.globo.com/youtube.com
sportv.globo.com/youtube.com
sportv.globo.com/youtube.com

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Corinthians X Vitória

O jogo de hoje será decisivo para mostrar se, de fato, o que ocorreu em Belo Horizonte foi apenas um acidente de percurso e que o time está evoluindo. E para enterrar o complexo de Robin Hood e por fim à irregularidade do time e de alguns jogadores. Em 5º lugar na tabela de classificação, com 39 pontos, um a menos do Internacional, o último time do G4, o Corinthians vai enfrentar o Vitória, o 16º colocado com 31 pontos, com o mesmo número de pontos do 1º time da zona de rebaixamento. Como o Timão foi punido pelo STJD, mesmo sendo mandante, não poderá jogar em seu estádio, e por interesses financeiros levou o jogo para a Arena Pantanal, em Cuiabá. A equipe alvinegra vendeu o jogo por R$ 1 milhão A partida será realizada hoje, 22/10, às 19:30 horas, horário de Brasília.
Ambos os times necessitam da vitória. O Corinthians para chegar do G4 e o Vitória para se afastar da Z4. 
Ficha Técnica - Corinthians X Vitória
Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT)
Data: 22 de outubro de 2014, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Alinor Silva da Paixão – MT (CBF-1)
Árbitro Assistente 1: Fábio Pereira – TO (FIFA)
Árbitro Assistente 2: Fábio Rodrigo Rubinho – MT (CBF-1)
Quarto Árbitro: Daniel Martins dos Santos – MT (CBF-2)
Árbitro Assistente Adicional 1: Wagner Reway – MT (ASP-FIFA)
Árbitro Assistente Adicional 2: Rafael Odílio Ramos dos Santos – MT (CBF-2)
Delegado: Paulo Cesar Pereira de Freitas – MS (ASS)
Corinthians: Walter; Fagner, Gil, Anderson Martins e Fábio Santos; Bruno Henrique Elias Petros e Jadson Renato Augusto e Romero; Técnico: Mano Menezes
Vitória: Wilson; Luiz Gustavo, Kadu, Roger Carvalho e Juan; Richarlyson, Cáceres, Marcinho e Luís Aguiar; Edno e Dinei; Técnico: Ney Franco
Estão fora, no Corinthians: Ralf, recuperando-se de lesão no joelho direito, Cássio, Fagner e Paolo Guerrero, suspensos pelo terceiro cartão amarelo, e no Vitória: Escudero, Neto Coruja, Ayrton e Gustavo em tratamento no departamento médico, e o lateral-direito Nino Paraíba, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.
Estão pendurados, com dois cartões amarelos, no Corinthians: Anderson Martins, Elias e Fábio Santos; e no Vitória: Alemão, Danilo Tarracha, Edno, Escudero, Euller, José Welison, Luiz Gustavo, Mansur, Marcinho, Neto Coruja, Vinicius, Willie e Wilson.
No Corinthians, também foram relacionados, o goleiro Danilo Fernandes, os laterais Uendel e Guilherme Arana, o zagueiro Felipe, o volante guilherme Andrade, os meias Danilo e Lodeiro e os atacantes Malcom, Luciano e Gustavo Tocantins.
Sem Cássio, Fagner e Paolo Guerrero, suspensos, e Ralf, no departamento médico, o Timão terá uma equipe diferente, mas provavelmente com o mesmo esquema tático do jogo em Porto Alegre. 
Walter deverá substituir Cássio no gol, Romero, o único jogador do ataque com características minimamente semelhantes às de Guerrero, deverá substituir o peruano para prender a bola no ataque, Jadson provavelmente continuará no meio-campo e Ferrugem deverá substituir Fagner na lateral direita. 
Considero que seria uma opção melhor, colocar Danilo ou Renato Augusto de centro avante, fixo na área. Mas, para isso, o meio campo e os laterais teriam que ser mais efetivos para a bola chegar ao ataque. Mas, tudo indica que o conservadorismo do Mano não permita essa formação.
No Vitória, o volante paraguaio Cáceres é uma das novidades e sem o lateral direito Nino Paraíba, suspenso, e seu reserva, Ayrton, lesionado, Luiz Gustavo será improvisado na posição. 
Apesar dos desfalques, o Corinthians tem mais time que o Vitória. Se houvesse lógica no futebol, poderíamos prever uma vitória alvinegra. Mesmo assim, esperamos que o time não jogue pra ressuscitar o Robin Hood e que faça valer em campo suas melhores condições salariais e estruturais e que, principalmente, respeite a camisa do Corinthians.

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br
globoesporte.globo.com
Gazeta Press
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/globoesporte.globo.com
facebook.com/Imagens Timão

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Resultado bom, já o futebol...

Pelas regras do esporte bretão, o que vale é bola na rede, é gol.
Pelo pragmatismo do futebol moderno, o importante é vencer e o jogo não precisa apresentar um futebol arte, bonito, com grandes lances e belas jogadas. Tudo isso é supérfluo e perfumaria. O que importa é fazer o gol, administrar destruindo as jogadas do adversário, se der fazer mais um de segurança e marcar, marcar, marcar... Sem se arriscar. E se precisar, simular, fazer cera e catimbar.
Para quem assume essa concepção do anti espetáculo e do futebol de resultados, o jogo do Corinthians contra o Internacional no Beira Rio foi perfeito. Fizemos um gol no início, eles vieram pra cima, marcamos bem e tivemos a felicidade de ampliar o placar num lance de bola parada. A partir daí, continuamos firmes na marcação, não sem levar sustos com tanta bola cruzando na nossa área. Continuamos marcando, destruindo as jogadas deles que, nervosos, erravam passes e perdiam a bola, facilitando nosso trabalho. Mesmo vindo pra cima, eles só conseguiram o gol aos 27 minutos da etapa final, quando sob a chuva que caia, a bola desviou na cabeça do Gil, tirando Cássio da jogada e sobrando para o Nilmar mandar pra rede. Na luta pelo gol, eles simularam muito, jogando-se ao mínimo esbarrão na tentativa de cavar umas faltas. Alex tentou cavar um pênalti e levou cartão por simulação. Do nosso lado, demorávamos para repor as bolas e reiniciar o jogo. Cássio levou cartão por fazer cera ao bater tiro de meta. Entre sustos, cartões, (cinco pra cada lado) e algumas provocações, administramos o resultado e voltamos pra São Paulo com a vitória, os três pontos e um grande alívio pelo bom resultado.
Mas, analisando a dinâmica do jogo e não apenas o resultado, não temos muito para comemorar. Continuamos com a mesma tática, jogando por uma bola e confiando na estrela e na boa performance do Guerrero. Pouco foi criado pelo meio campo, que não conseguiu manter a posse de bola. Elias se escondeu o jogo todo e não conseguiu organizar os contra ataques, Petros jogou recuado, Renato Augusto sem inspiração, Jadson, com pouca participação, mas eficiente na cobrança de falta do 2º gol e Bruno Henrique, o melhor do meio campo, correu muito, marcou bem, segurou as investidas do Alex e carregou a bola com primazia, numa jogada que há tempos não se via e que deu origem ao 1º gol. Saiu machucado do campo e com a entrada do Guilherme Andrade, o Corinthians caiu muito de produção. 
Com pouca criatividade no meio campo, Guerrero voltava para buscar a bola, além de ajudar na marcação e lutar com os zagueiros. Seu gol saiu no incio do jogo, quando, bem posicionado dentro da área, recebeu cruzamento de Fábio Santos, tirou Fabrício da jogada ao matar a bola e mandou para o fundo da rede, abrindo o placar no Beira Rio. 
A inoperância do meio campo ficou evidente nas poucas investidas no ataque. O Corinthians finalizou apenas 4 vezes, com 2 gols e duas bolas fora, além de 4 impedimentos. Em contrapartida, os gaúchos finalizaram 13 vezes, além de terem dois impedimentos. Se não fosse a trave, as defesas do Cássio e as bolas fora, teriam vencido o jogo. Com 65% de posse de bola, os colorados nem sempre sabiam o que fazer com ela.
Nervosos, perdiam muito tempo com discussões e simulações, erravam passes, perdiam a bola e erraram 8 das suas 13 finalizações, (uma na trave e 7 para fora). Ao final do jogo, desesperados em busca do empate, nem parecia que eram mandantes e tinham a grande maioria da torcida a seu favor, facilitando a atuação corinthiana em administrar o resultado favorável.
Nossa defesa foi eficiente na marcação, prioridade da zaga, dos laterais e do meio campo. A presença de Gil na zaga e de Bruno Henrique na cabeça de área foram os diferenciais em relação ao jogo do Mineirão, onde a má atuação de Felipe e de Guilherme Andrade foram determinantes para os gols atleticanos.
No mais, o mesmo do mesmo. Laterais ajudando pouco na criação e limitando-se a marcar, Elias apagado no jogo, Renato Augusto nada criando, mais uma tentativa com o Jadson, Bruno Henrique melhorando a cada jogo, Cássio e Guerrero com muita raça. Raça de Cássio que insistiu em continuar em campo, mesmo com o corte na orelha que precisou ser suturado no intervalo e nas defesas que salvaram o time. Raça do Guerrero, jogador multiuso, que marca, corre, dribla, arma, ataca e faz gol.
A pressão e a necessidade de limparem a barra após a vergonhosa eliminação da Copa do Brasil, fizeram os jogadores atuarem com mais determinação e menos displicência. Cientes de que só uma vitoria seria capaz de apaziguar os ânimos, diminuir a pressão e recolocar o Corinthians na disputa pela vaga da Copa Libertadores, eles tiveram uma postura mais propositiva e se empenharam mais. No entanto, a vitória apenas mascara as limitações técnicas que alguns jogadores vem apresentando, possivelmente causadas por estarem atuando fora de posição ou por falhas nos treinamentos. Algo precisa ser feito para acabar com o mau rendimento do Elias, com a irregularidade do Renato Augusto e do Petros, bem como para resgatar o futebol apresentado pelo Jadson nos seus primeiros jogos do Campeonato Paulista. 
Com a vitória, o Corinthians passou para a quinta posição, com 49 pontos, um atrás do Atlético-MG, o quarto time no G-4. Seu próximo compromisso será no dia 22/10, na Arena Pantanal, contra o Vitória. Mesmo tendo o mando de jogo, o Timão não poderá atuar em sua Arena, devido à uma briga protagonizada por maus torcedores, e para diminuir o prejuízo financeiro, levou o jogo para Cuiabá. 
Melhores momentos
Gols
Ficha Técnica - Internacional 1 X 2 Corinthians
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data: 19 de outubro de 2014, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília) 
Árbitro: Dewson Fernando de Freitas da Silva-PA (ASP-FIFA)
Árbitro Assistente 1: Kleber Lúcio Gil-SC (FIFA)
Árbitro Assistente 2: Carlos Berkenbrock - SC (ESP-1)
Quarto Árbitro: Marcio C Brum Coruja -RS (CBF-2)
Árbitro Assistente Adicional 1: Claudio Mercante Júnior - PE (ESP-2)
Árbitro Assistente Adicional 2: Emerson Luiz Sobral - PE (CBF-2)
Delegado: Paulo Jorge Alves -BRA (ASS)
Cartões amarelos: Willians, Ernando, Paulão, Fabrício e Alex (Internacional); Elias, Guerrero, Fagner, Petros e Cássio (Corinthians)
Gols: Internacional: Nilmar, aos 27 minutos do segundo tempo; Corinthians: Guerrero, aos três, e Gil, aos 53 minutos do primeiro tempo
Internacional: Alisson; Wellington Silva (Wellington Paulista), Paulão, Ernando e Fabrício; Willians (Jorge Henrique), Aránguiz, Alex, D’Alessandro e Alan Patrick (Valdívia); Nilmar; Técnico: Abel Braga
Corinthians: Cássio; Fagner, Gil, Anderson Martins e Fábio Santos; Bruno Henrique (Guilherme Andrade), Elias, Petros e Jadson (Lodeiro); Renato Augusto (Danilo) e Guerrero; Técnico: Mano Menezes

Estatísticas
Faltas
  • Internacional: 19
Valdívia: 3
Alex: 3
Paulão: 2
Nilmar: 2
Fabrício: 2
Willians: 2
Ernando: 1
Wellington Paulista: 1
Alan Patrick: 1
Arânguis: 1
Wellington Silva: 1
  • Corinthians: 19
Bruno Henrique: 5
Guerrero: 5
Fábio Santos: 3
Renato Augusto: 2
Fagner: 1
Anderson Martins: 1
Elias: 1
Petros: 1

Passes errados
  • Internacional: 25
Alex: 5
Willians: 3
Fabrício: 3
D'Alessandro: 3
Alan Patrick: 3
Paulão: 2
Wellington Silva: 2
Jorge Henrique: 1
Wellington Paulista: 1
Ernando: 1
Valdívia: 1
  • Corinthians: 20
Guerrero: 6
Fagner: 5
Jadson: 3
Anderson Martins: 2
Danilo: 1
Cássio: 1
Bruno Henrique: 1
Petros: 1

Roubadas de bola
  • Internacional: 12
Alex: 2
Paulão: 2
Arânguis: 2
Wellington Silva: 2
Valdívia: 2
Ernando: 1
Willians: 1
  • Corinthians: 17
Bruno Henrique: 4
renato Augusto: 3
Elias: 3
Jadson: 2
Fagner: 2
Danilo: 1
Fábio Santos: 1
Petros: 1

Finalizações
  • Internacional: 13
Gol: 1
Nilmar: 1
Trave: 1
Arânguis: 1
Defendidas: 4
Nilmar: 1
Alex: 1
Willians: 1
D'Alessandro: 1
Fora: 7
Nilmar: 2
Fabrício: 2
Alex: 1
D'Alessandro: 1
Valdívia: 1
  • Corinthians: 4
Gol: 2
Guerrero: 1
Gil: 1
Fora: 2
Fábio Santos: 1
Lodeiro: 1

Impedimentos
  • Internacional: 2
D'Alessandro: 1
Paulão: 1
  • Corinthians: 4
Renato Augusto: 1
Gil: 1
Guerrero: 1
Petros: 1

Assistências
  • Corinthians: 2
Fábio Santos: 1
Jadson: 1


Créditos e fontes de imagens e vídeos
meutimao.com.br
Gazeta Press
Rodrigo Coca/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
Gazeta Press
Gazeta Press
Gazeta Press
Gazeta Press
globo.com/youtube.com
globo.com/youtube.com

domingo, 19 de outubro de 2014

Internacional X Corinthians

 
Chegou a hora da onça beber água. E com essa seca, água é uma coisa rara. Resta saber se a onça vai encontrar água pra beber nessa seca de vitórias que o nosso time vem sofrendo e nessa maré baixa que vem enfrentando. Eliminado VERGONHOSAMENTE da Copa do Brasil, em baixa com a torcida, com o time aparentemente rachado e numa péssima fase em campo, o Corinthians foi para Porto Alegre enfrentar o Internacional pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. O jogo acontecerá às 16 horas de domingo, dia 19/10, no estádio Beira Rio em Porto Alegre, RS. Em 6º lugar na tabela, com 46 pontos, terá como adversário o 3º colocado, com 50 pontos, mas com um jogo a menos que o vice líder São Paulo, que tem 52 pontos. 
Para cumprir a meta da diretoria e continuar vivo no campeonato, o Corinthians precisa iniciar imediatamente sua recuperação, o que implica, no mínimo, em não perder em Porto Alegre. O ideal seria uma vitória, mas o técnico Mano Menezes pensa diferente.
Para ele 'Mostrar a recuperação não significa obrigatoriamente chegar a Porto Alegre e vencer o Internacional, que é uma grande equipe e tem os mesmos objetivos que nós. Recentemente, (o Inter) passou por uma situação até pior que a nossa: tomou de cinco da Chapecoense. Essas coisas acontecem no futebol. O mais importante é o tipo de comportamento e a resposta que vamos dar na tentativa de conseguir algo melhor'.
Não sei se com essa declaração ele quer dizer que se contenta com um empate ou o que significa para ele o referido "tipo de comportamento". Só sei que se não vencer no sul, terá ainda maiores dificuldades de salvar a temporada.
video
Ficha Técnica - Internacional X Corinthians
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data: 19 de outubro de 2014, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília) 
Árbitro: Dewson Fernando de Freitas da Silva-PA (ASP-FIFA)
Árbitro Assistente 1: Kleber Lúcio Gil-SC (FIFA)
Árbitro Assistente 2: Carlos Berkenbrock - SC (ESP-1)
Quarto Árbitro: Marcio C Brum Coruja -RS (CBF-2)
Árbitro Assistente Adicional 1: Claudio Mercante Júnior - PE (ESP-2)
Árbitro Assistente Adicional 2: Emerson Luiz Sobral - PE (CBF-2)
Delegado: Paulo Jorge Alves -BRA (ASS)
Internacional: Dida; Wellington Silva, Paulão, Ernando e Fabrício; Willians, Aránguiz, Alex, D’Alessandro e Alan Patrick (Valdívia); Nilmar; Técnico: Abel Braga
Corinthians: Cássio, Fagner, Gil, Anderson Martins e Fábio Santos; Bruno Henrique, Elias, Petros, Jadson e Renato Augusto; Guerrero; Técnico: Mano Menezes
No Corinthians, também foram relacionados os goleiros Walter e Danilo Fernandes, os laterais Ferrugem e Wendel, o zagueiro Felipe, o volante Guilherme Andrade, os meias Danilo e Lodeiro e os atacantes Malcom, Luciano e Romero.
Estão fora, no Internacional, Juan com lesão no tendão do pé direito e o volante Wellington, que operou o tornozelo esquerdo na quinta, Luque, Eduardo Sasha e Muriel, em tratamento fisioterápico. Não há jogadores suspensos; no Corinthians, Ralf, com dores no joelho direito. Não há ninguém suspenso.
Estão pendurados com dois cartões amarelos, no Internacional, Cláudio Winck, Dida, Gilberto, Jorge Henrique, Juan, Nilmar, Paulão e Wellington Paulista; e no Corinthians, Anderson Martins, Cássio, Fagner e Paolo Guerrero.
Abel Braga contará com retornos importantes à equipe do Internacional: Wellington Silva e Jorge Henrique, recuperados de lesão, Aránguiz, que retorna após convocação para a seleção chilena, e Dida, que volta após cumprir suspensão. No entanto, a grande atração será a estreia de Nilmar como titular.
No Corinthians, embora tenha fechado o treino de sábado, Mano, na sexta feira, deu sinal de possíveis mudanças no time. Devido à falta de posse de bola na derrota para o Atlético-MG, o time treinou com mais jogadores no meio de campo. O meia Jadson substituiu o atacante Malcom e Guerrero foi o único atacante em campo. O zagueiro Gil e o volante Elias retornam ao time após a excursão com a seleção e Bruno Henrique deverá substituir Ralf, com dores no joelho.
Internacional e Corinthians duelarão em condições bastante diferentes. Enquanto o time gaúcho tem 50 pontos, a seis do líder Cruzeiro, e luta pelo título do Brasileirão, o Corinthians encontra-se em crise e jogará pressionado, necessitando da vitória para se recuperar, inclusive psicologicamente,  da eliminação na Copa do Brasil. A maior pressão da torcida é pela demissão do técnico Mano Menezes, que apesar de ter tido tempo suficiente para treinar, de ter a sua disposição excelente estrutura e de ter sido atendido na quase totalidade das solicitações de reforços, não conseguiu dar um padrão tático ao time, nem motivar os jogadores, que com raríssimas exceções, têm entrado em campo com uma postura apática e displicente. Vencer hoje é obrigação para o time continuar vivo no campeonato e até para o Mano manter o seu emprego.
Diante da irregularidade e da péssima atuação do time em Belo Horizonte, não consigo estar otimista. É claro que vou torcer, vibrar e rezar para o Corinthians ganhar e apoiar sempre. E desejar que as alterações deem certo e que todos no time, e não apenas o Cássio e o Guerrero, joguem com raça e que respeitem a camisa do Corinthians.

Créditos e fontes de imagens e vídeo
meutimao.com.br
Diego Guichard/globoesporte.globo.com
gazetaesportiva.net
gazetaesportiva.net
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com
MAON
Fernando Dantas-Gazeta Press/gazetaesportiva.net/MAON

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Lei de ação e reação - Os "deuses" do futebol castigam a incompetência e a omissão

Melhores momentos
Agora um pouco menos irritada, já posso escrever sobre o fiasco e o vexame do Corinthians no Mineirão. Se tivesse escrito antes, com certeza, o post seria impublicável. Sim, nem o corinthiano mais pessimista imaginaria que seríamos vergonhosamente eliminados, pois tínhamos uma boa vantagem conquistada no jogo de ida e apesar dos tropeços anteriores, confiávamos na existência de um mínimo de competência para segurar o resultado, bem como no respeito à camisa do Corinthians. 
E até começamos bem, com o gol do Guerrero e quando acreditávamos que estaríamos classificados e que seria impossível o adversário fazer 4 gols, apesar da nossa desorganização em campo, a raça e a competência atleticana foi mais forte e sucumbimos graças aos nossos próprios erros e à falta de empenho e de compromisso e respeito da maioria dos jogadores, com a camisa do Timão. E aconteceu o inesperado e o indesejado. Um, dois, três, quatro gols e o Galo cocoricou. E o Corinthians eliminou.
Obviamente, numa situação como a vivida quarta feira, a primeira reação é de ira e de raiva. Mas, também de dor e de vergonha, não só pela perda de um jogo e pela desclassificação, pois, perder e ganhar fazem parte do jogo. Mas, sim pela forma como as coisas ocorreram. Dor e vergonha por constatar que expropriaram nosso Corinthians e transformaram o time num bando de zumbis se arrastando em campo, num time burocrático e sem alma, num time onde a maioria dos seus jogadores carecem de garra, de raça e de respeito à camisa. 
É doloroso e vergonhoso ver nosso querido Corinthians ser dirigido por pessoas omissas e incompetentes e treinado por um técnico fracassado, de padrão de Série B, que até hoje se mostrou incapaz de dar ao time um padrão tático definido, que foi um fracasso na seleção brasileira, que afundou o Flamengo, que na sua passagem anterior pelo Corinthians só conquistou o título da Série B, pois a Copa do Brasil e o Paulista de 2009 quem ganhou foi o Ronaldo, que na prática era quem mandava no time, e que na sua volta foi vergonhosamente eliminado do Paulista e da Copa do Brasil e que no Brasileirão foi derrotado pelos piores times do campeonato. Por um técnico que do alto de sua arrogância jamais assume a responsabilidade nas derrotas, atribuindo-as ao gramado, à arbitragem, ao calendário, às viagens, ao calor e sempre aos fatores externos e estranhos, mas jamais às táticas equivocadas, aos maus treinamentos, às substituições erradas e à sua própria incompetência como treinador.
Também é dolorido e vergonhoso ter em nosso elenco, com poucas exceções, jogadores mercenários, frouxos e que não têm um pingo de respeito pela camisa do clube que paga os seus salários. Nem estou cobrando amor à camisa como tiveram Vladimir e Zé Maria, pois ninguém consegue dar o que não tem, mas apenas responsabilidade e profissionalismo. Mas, dói e dá vergonha ver jogadores andando em campo, jogadores displicentes e que na hora que o clube precisa, em momentos decisivos, não joga porque estão cansados. 
Analisando mais friamente o último jogo e situando-o no contexto mais amplo do desempenho do Corinthians na temporada, constatamos que somente nos surpreendemos com seu resultado devido ao nosso coração corinthiano. Sim, o nosso amor pelo Corinthians nos cegou ao ponto de confundirmos nossos desejos com a realidade e não percebermos que, pela lei de ação e reação, a eliminação no Campeonato Paulista, as perdas de pontos e de jogos no Brasileirão e a eliminação na Copa do Brasil são consequências naturais de dirigentes omissos e incompetentes, que administram mal o SCCP, que estão onerando financeiramente o clube, pagando jogadores para reforçarem os adversários, que contratam e vendem jogadores sem atentarem para a qualidade dos mesmos e para as necessidades do clube e de uma comissão técnica, igualmente incompetente e que, apesar de 3 períodos só para treinar o time, (pré temporada, período sem jogos devido à eliminação do Paulistão, e parada para a Copa do Mundo), não foi capaz de definir um padrão tático para a equipe e nem de garantir um mínimo de condições físicas e técnicas aos jogadores. Pelo contrário, alguns até regrediram em suas capacidades individuais, por serem mau treinados e escalados fora das posições em que apresentam um melhor rendimento.
No fiasco do Mineirão, enquanto nosso time, com raríssimas exceções, se arrastava, os atleticanos voavam em campo. Enquanto eles vinham pra cima, nossos marcadores deixavam livre seus articuladores e só faziam bobagens, permitindo-lhes total liberdade para chutar fora da área, errando nos lances de bola parada e inclusive atrapalhando as defesas do Cássio. O meio campo errava na marcação e nada criava, exigindo um esforço descomunal do Guerrero para conseguir a bola pra finalizar.
Enquanto Diego Tardelli, prontamente se dispôs a iniciar jogando e se doou muito em campo, Gil e Elias, que participaram com ele da excursão da Seleção, estavam cansadinhos e ficaram no banco. Elias entrou no 2º tempo e nada acrescentou e o Gil, além de não entrar pra ajudar o time, mesmo com Felipe fazendo besteiras e, com sua incompetência, doando gols aos adversários, ainda protagonizou um episódio lamentável, provocando o árbitro e tomando cartão vermelho após o término da partida, o que prejudicará o Corinthians no Campeonato Brasileiro.
 
Não vou fazer análise tática do jogo, pois não quero reviver a angústia e o sofrimento que passei na noite de 4ª feira. Mas, por dever de justiça, louvo a postura aguerrida e a raça do Guerrero, o único jogador de linha que atuou com garra e se doou totalmente, respeitando e honrando a camisa do Timão. 
Cássio, apesar dos 4 gols do Galo, não pode ser responsabilizado pela derrota, devido às falhas gritantes de nossa defesa e do cabeça de área, Guilherme Andrade. E o garoto Malcom, apesar de ter feito sua pior partida na temporada, devido à sua pouca idade e à sua inexperiência, não pode ser crucificado nem responsabilizado pelo fracasso no Mineirão. Os mais velhos e experientes falharam ainda mais, foram displicentes, andaram em campo e, portanto, são os grandes responsáveis pela eliminação, juntamente com o técnico, que além de não preparar devidamente o time para o desafio, orientou mal seus pupilos durante o jogo e fez as substituições erradas. E ainda foi irônico e arrogante na entrevista coletiva.
Depois de tantos fracassos na temporada, de duas eliminações em campeonatos e do fraco desempenho no Brasileirão, onde perdeu de times que estavam na zona de degola, o técnico Mano Menezes, se tivesse um mínimo de ombridade, teria pedido demissão na entrevista coletiva. Mas, pela foto após ao jogo, percebemos que ele não está nem aí com a derrota. Quem sofreu com a eliminação, além do Cássio e do Guerrero, foi o torcedor corinthiano. Ao desabafo de Cássio no final do jogo, afirmando que "...tem gente que não está preparada para jogar no Corinthians", eu acrescento: nem para dirigir o clube, nem para treinar o time.


Créditos e fontes de imagens e vídeo
meutimao.com.br
globo.com/youtube.com
meutimao.com.br
fotowho-net/meutimao.com.br/MAON
Gazeta Press
Bruno Drumond/Agência Estado/globoesporte.globo.com/Gazeta Press/MAON
MAON
meutimao.com.br
MAON