terça-feira, 30 de outubro de 2012

Em jogo treino o Corinthians degustou o bacalhau e torpedeou as caravelas. Ora pois...


No 1º jogo treino pra valer para o Mundial do Japão, o Corinthians venceu por 1 a 0, o Vasco, o calor e a arbitragem. Não foi uma partida brilhante, a vitória foi magra, mas o jogo serviu para mostrar os pontos de estrangulamento do time e o que precisa ser arrumado para o embate final na terra do Sol nascente.

Antes de comentar o jogo quero compartilhar uma dúvida. Ninguém avisou a CBF que o horário de verão já começou, que os relógios foram adiantados em uma hora e que jogar às 16:30 horas, significa na prática jogar com o sol e o calor das 15:20 horas?
O Vasco, pressionado pela necessidade da vitória para ter alguma chance de jogar a Libertadores, começou mais embalado e com mais vontade, enquanto o Corinthians teve um início apático, em ritmo lento e madorrento. Será o calor que causou tanto desânimo e moleza, num início de jogo mais desanimado que rachão?
Mas, no 2º tempo o time acordou. Além do puxão de orelha básico que a bolerada deve ter levado, o jogo já estava num horário mais compatível, o sol menos escaldante e a temperatura um pouco mais amena.

Com mais disposição o Corinthians passou a dominar o jogo e aos 13 minutos Guerrero pegou rebote na área do Vasco e bateu forte, sem dar chance a Fernando Prass, abrindo o placar para o time da casa. E foi com esse torpedo, que afundamos as caravelas.
Pênalti em Romarinho
O resultado poderia ter sido maior se não fossem as lambanças da arbitragem e as nossas próprias lambanças. Além de inverter faltas e outros erros recorrentes, o árbitro deixou de marcar o pênalti quando Felipe Bastos derrubou o Guerrero na área e ainda deu a falta para nosso camisa 9. E ainda houve outro erro de arbitragem. Após um choque com Renato Silva, Romarinho foi derrubado dentro da área e Vuaden ignorou,
Douglas perdeu um gol imperdível e se atrapalhou numa outra jogada em que o placar poderia ter sido ampliado. Com certeza, não era o dia do Maestro. Pra complicar, continuamos errando finalizações e quando acertávamos, Fernando Prass pegava.
A volta de Chicão na zaga deu mais consistência à defesa e Cássio estava mais seguro. Não fomos vazados, nem nas bolas paradas, o que é um bom sinal. Com o retorno dos laterais, do Xerife e dos volantes titulares o time resgatou o entrosamento perdido com o rodízio realizado nos jogos anteriores.
No time adversário, Marlone na armação foi um meia boca e Carlos Alberto de centroavante, perdido entre nossos zagueiros, o máximo que conseguiu foi arrumar confusão com o Chicão, o que resultou em cartão amarelo para os dois. 
Marcelo Oliveira ainda tentou mudar o jogo com as entrada de Maicon Assis, Thiago Feltri e Jhon Cley nos lugares de Éder Luiz, Felipe Bastos e Marlone, mas as mudanças não surtiram efeito diante da marcação precisa dos jogadores do Timão.
Do lado corintiano, Jorge Henrique, Edenílson e Guilherme Andrade substituíram Romarinho, Martínez e Douglas, mas, apesar das mudanças, o placar ficou inalterado.
Eventos
Nos minutos finais, o Corinthians apenas administrou a vantagem. O primeiro jogo treino pra valer antes do Mundial, ainda sem Émerson e sem Danilo, serviu para mostrar os pontos frágeis e onde o Corinthians precisa melhorar. Obviamente, as dificuldades de finalização e o aproveitamento deficitário das jogadas de bola parada, indicam que esses fundamentos precisam ser aprimorados. Das 15 finalizações, só 5 foram certas e apenas uma resultou em gol. E das 17 faltas cobradas, nenhuma resultou em gol, além de inúmeros escanteios desperdiçados. Para isso, bem como para melhorar a atuação ofensiva dos laterais, ainda (ou só) restam 5 jogos treinos.
Tite comenta o jogo
video
Tite elogia Guerrero
video
Tite gostou do jogo, considerou que a equipe foi consistente e que propiciou a retomada de ritmo dos jogadores que estavam fora. Reconheceu que o Vasco foi melhor no 1º tempo, neutralizando, marcando e parando o jogo com faltas, mas ressaltou que o Corinthians voltou com melhor postura na etapa final, cresceu no jogo, botou volume e conseguiu a vitória. Atribuiu nota 7 ao desempenho dos seus comandados.
Elogiou o Guerrero pelas oportunidades que tem criado, mas cobrou dele mais "faca entre os dentes" e a necessidade de procurar mais o gol. E reclamou da arbitragem, afirmando que se sente desconfortável quando o árbitro é o Vuaden.

Mesmo sem disputar nada mais no campeonato, o Corinthians contou com todo o apoio e incentivo da Fiel, que compareceu no Pacaembu só para ver o Timão jogar.
Ficha Técnica - Corinthians 1 X 0 Vasco da Gama
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP) 
Data: 27 de outubro de 2012 (Sábado) 
Horário: 16:20 horas(de Brasília) 
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS) 
Assistentes: Fabrício Vilarinho Silva (Fifa-GO) e Janette Mara Arcanjo (MG)
Cartões amarelos: Guerrero, Chicão (Corinthians). Éder Luís, Carlos Alberto (Vasco)
Público: 24.376 pagantes
Renda: R$ 763.727,44
Gol: Corinthians: Guerrero, aos 13 minutos do segundo tempo
Corinthians: Cássio, Alessandro, Chicão, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Douglas (Guilherme Andrade); Romarinho (Jorge Henrique), Guerrero e Martínez (Edenílson). Técnico: Tite
Vasco: Fernando Prass, Jonas, Renato Silva, Douglas e Wendel; Fellipe Bastos (Thiago Feltri), Nilton, Juninho Pernambucano e Marlone (Jhon Cley); Éder Luís (Maicon Assis) e Carlos Alberto. Técnico: Marcelo Oliveira
Estatísticas

Créditos e fontes de imagem
meutimao.com.br
gpretos.blogspot.com
TV Globo/globo.com/youtube.com
facebook.com/fotos do mural
Miguel Shincariol/ lancenet.com.br
globoesporte.com
Eduardo Viana/lancenet.com.br
TV Globo/globo.com/youtube.com
meutimao.com.br/globo.com/youtube.com
Miguel Shincariol/ lancenet.com.br
esporte.uol.com.br
globoesporte.com
Lance TV/lancenet.com.br/youtube.com
sportv.globo.com/youtube.com
Lance TV/lancenet.com.br/youtube.com
facebook.com/fotos do mural
facebook.com/fotos do mural
meutimao.com.br
esporte.uol.com.br

sábado, 27 de outubro de 2012

Carta aberta ao futuro prefeito de São Paulo


Texto publicado no Blog http://brigadamiguelbataglia.blogspot.com.br/ que foi muito compartilhado nas redes sociais, twitter, facebook e até em blogs de jornalistas como do Luis Nassif: http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/carta-aberta-dos-corintianos-ao-futuro-prefeito. 

"Nós, da Brigada Miguel Bataglia, na linha intransigente de defesa do Sport Club Corinthians Paulista, consequentemente da Cultura secular que cerca o patrimônio Futebol, como a prática de o Torcedor ocupar as fileiras dos Estádios, manifestar-se livremente no espetáculo coletivo que é o próprio sentido do Futebol, viemos publicamente perante a Prefeitura de São Paulo exigir:

1.  Redução imediata da tarifa dos ônibus, que aumentou o dobro da inflação na última década;

2.  Regulamentação do espaço no entorno dos estádios em dias de jogos, fixando preço popular ao monopólio dos estacionamentos e fornecendo cuidadores e orientadores gratuitamente para quem estaciona na rua;

3.  Permitir e incentivar o comércio de alimentos no entorno do estádio, como é feito em feiras livres, com barracas autorizadas e fiscalizadas;

4.  Garantir serviço sanitário básico, com banheiros químicos;

5.  Mudar radicalmente a função da PM e da Guarda Civil Metropolitana nos eventos esportivos: de repressores de ambulantes e torcedores, ao apoio ao espetáculo;

6.  Segurança e orientação dos torcedores de responsabilidade do evento esportivo: tratamento com o público civil terá de ser desmilitarizado;

7.  Redução dos preços e melhoria do serviço de alimentação prestado nas dependências dos estádios;

8.  Imediata liberação ao torcedor do uso de bandeiras, faixas, instrumentos musicais, devolvendo ao espetáculo sua liberdade criativa, sua espontaneidade popular, que mais que construir o caráter do próprio futebol, é parte inalienável da Cultura Brasileira;

9.  Proibição taxativa de horário de jogos que não condizem com o transporte público para retorno dos torcedores em segurança, qualidade, e aproveitamento do evento.
Estamos falando de eventos com a presença de dezenas de milhares de pessoas, que por horas irão se dedicar aos espetáculos.
Consideramos que o Poder Público deve ser um incentivador da presença massiva, e não um entrave, um obstáculo, criando uma situação falsa de inimizade entre os interesses público e do Torcedor.
Somos quem faz a Festa do Futebol. Somos quem construímos esta cidade!
Brigada Miguel Bataglia"

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Corinthians X Vasco da Gama

Pela 33ª rodada do campeonato Brasileiro, o Corinthians, em 8º lugar e com 44 pontos, enfrentará o Vasco da Gama, na 5ª posição, com 50 pontos, no Pacaembu, às 16:20 de sábado, dia 27 de outubro. Terminada a fase de testes dos reservas e de descanso dos  titulares, com o time do Mundial quase todo definido, apenas com dúvidas no ataque, inicia-se a fase de treino de luxo e de ajustes finais. E o Vasco, que ainda almeja a classificação para a Libertadores, será o 1º sparring da mini temporada. 
Diante do Vasco, o Corinthians vem com sua força máxima disponível e terá o retorno de seis jogadores considerados titulares: o lateral-direito Alessandro, o lateral-esquerdo Fábio Santos, o zagueiro Paulo André e os volantes Ralf e Paulinho que vinham sendo preservados e o zagueiro Chicão que retorna após uma cirurgia de hérnia inguinal, que o tirou de ação por oito rodadas. 
Mas, Tite não poderá contar com o zagueiro Wallace, com uma lesão na coxa direita, com o atacante Emerson, com dores no joelho direito, que só deve ser liberado para treinar com bola na próxima semana, nem com Danilo, vetado por ter um corte no pé direito.
Treino
video
Ficha Técnica - Corinthians X Vasco
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP) 
Data: 27 de outubro de 2012 (Sábado) 
Horário: 16:20 horas (de Brasília) 
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (FIFA-RS) 
Assistentes: Fabrício Vilarinho Silva (FIFA-GO) e Janette Mara Arcanjo (MG)
Corinthians: Cássio, Alessandro, Chicão, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Douglas; Romarinho, Guerrero e Martínez. Técnico: Tite
Vasco da Gama: Fernando Prass, Jonas, Renato Silva, Douglas e Wendel; Fellipe Bastos, Nilton, Juninho Pernambucano e Marlone; Éder Luis e Carlos Alberto. Técnico: Marcelo Oliveira
Além dos titulares, foram relacionados para o jogo, Danilo Fernandes, goleiro; Guilherme Andrade, lateral; Ânderson Polga, zagueiro; Guilherme e Edenílson, volantes; Ramires, meia; e Jorge Henrique, atacante.
Dos jogadores considerados titulares, só não irão para o jogo, Danilo e Émerson, substituídos respectivamente por Martínez e Romarinho. 
Guerrero, o único que faz o pivô, é opção preferencial para o time atuar com um centro avante, mas a formação ainda está em teste. Jorge Henrique, voltando de lesão, vai precisar ralar muito para reconquistar a titularidade na equipe. 
No Vasco, o técnico Marcelo Oliveira decidiu barrar o meia Felipe e dar uma oportunidade para Marlone. Outra modificação, em relação à formação que enfrentou o Internacional, será na zaga, onde Douglas atuará com Renato Silva, uma vez que Dedé sofreu uma fratura na fíbula da perna esquerda e não vai mais jogar nesta temporada.
Análise tática
video
Se para o Timão é um jogo treino, o Vasco precisa da vitória para ter alguma esperança de chegar ao G4. Vindo de resultados desfavoráveis, os cariocas foram ultrapassados pelo time do Jardim Leonor que, em 4º lugar na tabela, está 5 pontos à sua frente, e precisa muito do resultado favorável no Pacaembu.
Com a cabeça no Mundial, Tite precisa aprimorar o time, definir algumas posições e os jogadores têm que mostrar serviço para se garantirem. Embora com objetivos diferentes, os dois times vão jogar tudo o que sabem e o que podem, embora os corinthianos deverão ser mais cuidadosos para evitar lesões, pois ninguém quer  ficar de fora da viagem ao Japão. O Vasco, precisando da vitória, não vai poder ficar na retranca e deve vir pra cima. A previsão é de um jogo aberto. 
Apesar da falta de ritmo, a volta do Chicão na zaga deverá dar mais estabilidade para a defesa.
Jogando no Pacaembu, com o apoio da Fiel, com a volta dos titulares e com todo mundo precisando mostrar serviço, somada à má fase do nosso adversário, o Corinthians tem tudo para vencer. A pressão do Mundial deverá ser um fator de motivação, já que os altos salários e vestir a camisa do Corinthians não conseguiram, por si só, motivar todos os jogadores neste Brasileirão. Por isso, acredito na vitória e nos três pontos.

Fotos e fontes de imagens
ridmerjunior.blogspot.com
globoesporte.com
gazetaesportiva.net
globoesporte.com
globoesporte.com
lancenet.com.br
Tom Dib/lancenet,com,br
Djalma Vassão/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
globoesporte.com
Miguel Shincariol/lancenet.com.br
Lance TV/lancenet.com.br
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
Djalma Vassão/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
facebook.com/fotos do mural

"Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima..."

A letra do samba de Paulinho Vanzolini, imortalizada na voz de Noite Ilustrada, lembra a trajetória corinthiana da queda pra Série B à conquista da Copa Santander Libertadores. Naquele fatídico momento, o então presidente Andrés Navarro Sanches fez uma declaração profética e emblemática: "Quem quiser rir aproveitem pra rir agora, daqui pra frente ninguém mais vai rir do Corinthians..."
E a profecia se tornou realidade a partir de uma reestruturação geral, de uma faxina onde os fantasmas foram exorcizados e o Corinthians, apoiado pela Fiel Torcida, retomou sua caminhada de sucesso, num verdadeiro mutirão, onde todos se uniram para algo muito maior do que a volta pra elite do futebol, trabalhando no resgate da dignidade vilipendiada por maus dirigentes que não souberam honrar a Nação Corinthiana.
Sem dinheiro em caixa, mas com muita raça, foi remontado o time e a comissão técnica e de degrau em degrau, o Timão, em menos de 5 anos tornou-se o time brasileiro melhor rankeado no futebol mundial, de maior arrecadação, o mais valioso, de maior torcida nacional e com grande visibilidade no cenário esportivo, sobressaindo, não só no futebol, mas em outras modalidades.
E a torcida, tal como nos quase 23 anos de jejum de títulos, só cresceu. Ninguém desanimou, ninguém abandonou, todo mundo apoiou e, declaramos publicamente nosso amor incondicional, nosso amor imortal, nosso amor total... E estampamos no peito esse amor imenso para que todos soubessem que estávamos juntos na travessia e que sabíamos que sairíamos vencedores. E cantamos e gritamos para todos ouvirem:
Eu nunca vou te abandonar
Porque eu te amo
Eu sou Corinthians

E, não satisfeitos, assumimos a nossa paixão e nos declaramos um bando de loucos
Loucos por ti Corinthians
E a Fiel percorreu todo o Brasil, acompanhando e apoiando o Timão, até colher, em 25/10/2008, o fruto da vitória da 1ª etapa da escalada corinthiana rumo ao topo do futebol mundial. E aí, a música foi outra:
O Coringão voltou
O Coringão voltou...
Era esse o som da arquibancada, enquanto nos alto falantes do Pacaembu, Roberto Carlos, o cantor, numa homenagem ao seu filho corinthianíssimo cantava:
Eu voltei!
Agora pra ficar
Porque aqui!
Aqui é meu lugar
Era o começo de uma nova era, de uma escalada vitoriosa e de conquistas, não só de títulos, mas de uma nova estrutura, de melhores condições de trabalho, de novas aquisições, de progresso, de sucesso.
CT do Corinthians
Arena Corinthians

Vieram o novo Centro de Treinamento, CT top de linha, que teve como referência o que há de melhor no futebol mundial, a construção da Arena Corinthians, futuro palco de abertura da Copa do Mundo de 2014, aumento de arrecadação, prestígio mundial e grande visibilidade internacional.
Mas vieram também títulos no gramado. Campeão da Série B, 2008, título invicto do Paulistão 2009, com direito ao momento mais brilhante de Ronaldo, a conquista do tricampeonato da Copa do Brasil diante do Internacional, em pleno Beira-Rio, também em 2009, o penta campeonato brasileiro em 2011 e a conquista da Copa Santander Libertadores, em 2012, de forma invicta, vencendo na final o badalado Boca Juniors da Argentina.
Corinthians 2 X 0 Ceará - Melhores momentos
E no aniversário do início da volta por cima, dia 25/10, celebramos a raça, a vontade e a garra de uma Nação que jamais desanimou e que diante de um grande revés, quando parecia que tudo ia desabar, teve a grandeza de reconhecer a queda, teve a capacidade de sacudir a poeira e dar a volta por cima. Sim, choramos a queda, mas fomos pra luta. E se:
Ali onde eu chorei
Qualquer um chorava
Dar a volta por cima que eu dei
Quero ver quem dava...

Créditos e fontes de imagens
facebook.com/fotos do mural
postersdocorinthians.blogspot.com
facebook.com/fotos do mural
facebook.com/fotos do mural
facebook.com/fotos do mural
globoesporte.com
facebook.com/fotos do mural
Fonte de vídeos
youtube.com

terça-feira, 23 de outubro de 2012

"O sonho que se sonha junto é realidade" - Nossa visita ao CT

Com Vanessa Martins e Carlos Zaparolli na sala Vip aguardando o treino
Dia 28/09/2012 ficará pra sempre gravado, não só em minha memória, mas, principalmente, em meu coração. Nesta data, eu, Edu Sakurai, Vanessa Martins e Carlos Zaparolli, estivemos no CT do Timão, representando a República Popular do Corinthians, RPC. Assistimos o treino e conversamos com vários jogadores, com o Tite e com preparador físico Fabio Mahseredjian.
Numa tarde em que até o Sol nos deu uma força e resolveu aparecer, tivemos a oportunidade de compartilhar, por algumas horas, o mesmo ambiente e o dia a dia do nosso time, de conversarmos com jogadores, tirarmos fotos e, principalmente, sentirmos o clima de um treinamento. 
Infelizmente, apenas o felizardo do Edu conseguiu conversar com os jogadores em tratamento, Chicão, Paulo André, Denner e Jorge Henrique, e ninguém viu o Émerson Sheik, que ganhou uma folga antecipada, devido estar suspenso. Mas, o que vimos, vivenciamos e curtimos lá no CT, foi algo extremamente prazeroso e inesquecível. 
O bom ambiente e o clima de amizade entre os jogadores era evidente, principalmente no treino recreativo, o popular rachão, onde rolaram muitas brincadeiras e provocações. 
Enquanto aguardávamos o treino, conversamos com outros torcedores que lá se encontravam, conhecemos pessoas, fizemos novas amizades e compartilhamos muito corinthianismo. Merece destaque, uma família que veio de Sertãozinho, viajando mais de 4 horas de carro, só para visitar o Memorial e o CT do Corinthians. E, nessa mini caravana, tinha um vozinho de mais de 90 anos, que sabia de cor a escalação do Corinthians da década de 50 e que tem um filho de nome Cláudio, em homenagem ao hábil ponta direita e maior artilheiro de nossa história. 
Conhecemos, também, Henrique Silva, o simpático rapaz da foto, amigo do Ralf e de vários jogadores, que fez o meio campo para que pudéssemos conversar com alguns jogadores que não havíamos conseguido contatar na saída do gramado.

No entanto, mais que as fotos, os autógrafos na camisa, assistir o treino, conhecer o próprio CT, o que foi mais significativo foi o carinho e a paciência dos jogadores, do Tite e do Fábio Mahseredjian, preparador físico que, mesmo cansados, depois de mais um dia de trabalho e de um treino, que não se resumiu só no rachão, nos atenderam com um sorriso nos lábios, pousaram para as fotos, autografaram camisas e bandeiras e nos trataram com muita amabilidade e delicadeza. 
Nenhum estrelismos nem cara feia. Eram os campeões brasileiros e da Libertadores, mas foram um exemplo de simplicidade e de humildade, de simpatia e de educação. Atenderam a todos com muita gentileza, responderam perguntas, deram autógrafos, pousaram para fotos, sem esboçar o menor gesto de impaciência. E continuaram sorrindo, mesmo depois das fotos batidas. Sentíamos que nosso carinho, era por eles retribuído.  
Voltamos do CT muito felizes pelos bons momentos que lá passamos, trazendo na mochila muitas fotos, bandeiras e camisas valorizadas pelos autógrafos do nosso elenco, e eu, ainda mais privilegiada, trouxe a camisa que ganhei do Giovanni, uma camisa por ele utilizada num jogo.
Mas, além disso, trouxemos muita alegria pelos bons momentos que passamos no CT e a confirmação do fato de que o Corinthians é muito mais que um time de futebol. Como dizia Sócrates, o Doutor da Bola, "o Corinthians é um estado de espírito..." E, esse estado de espírito, compartilhado por um bando de quase 40 milhões de loucos, é que nos faz uma família, uma Nação.
Mais do que nunca, nos sentimos privilegiados por fazer parte dessa Nação Corinthiana, de pertencermos à República Popular do Corinthians, de vestirmos essa camisa e de podermos bater no peito e soltar o grito:
EU SOU CORINTHIANS
AQUI É CORINTHIANS!

Outras fotos


















Créditos e fontes de imagens
Vanessa Martins/Carlos Zaparolli/Edu Sakurai/facebook.com/fotos do mural