terça-feira, 15 de agosto de 2017

Síndrome de abstinência

Tão cinzento quanto o clima, assim está meu coração. E tudo pela ausência do meu Timão. Duas semanas sem jogo é triste demais para qualquer torcedor apaixonado. Sei que essa inter temporada forçada foi bom para o time recuperar jogadores desgastados, repor energias, descansar e treinar novas estratégias. E isso consola em parte meu coração agoniado de saudades. Procuro compensar essa falta que o Corinthians me faz acompanhando os treinos e, de site em site, busco informações capazes de amenizar a saudades do Coringão. 
Conto as horas e os minutos que faltam para o próximo jogo. Tento ser paciente, mas maior que a paciência é essa tremenda crise de abstinência que invade todo o meu ser e que, nesses últimos dias, roubou minha alegria. Porque nada me faz mais feliz que ver meu time em campo, que torcer pela sua vitória, que vibrar por suas belas jogadas e pelos seus gols. Sem isso, sinto um vazio dentro de mim, um vazio que só será preenchido quando em campo, reencontrar o meu Timão. 
VOLTA CORINTHIANS!!!


Créditos e fontes de imagens 
cpt.com.br-Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com 

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Valorizando a base

Quem acha que o Corinthians não revelava jogadores se enganou. William, Marquinhos, Weverton, Malcom, Marcelo Oliveira, Nilton, Danilo Fernandes, Everton Ribeiro, bem como Fagner e Jô, que voltaram a jogar no Corinthians, são alguns exemplos de atletas formados em nossa base. O que acontecia é que o Timão revelava jogadores, mas pouco utilizava. Embalados pelo sonho europeu e pela ganância de empresários, do desinteresse do clube e da preferência dos técnicos trabalharem com jogadores já formados, os jovens e promissores atletas acabavam vendidos precocemente. Os que tinham talento brilhavam, enriqueciam seus empresários e sobravam algumas migalhas para o Corinthians como time formador. Os menos talentosos, que migraram seduzidos pelas falsas promessas dos empresários, de empréstimos a empréstimos, acabavam atuando em times menos expressivos no exterior ou no Brasil.
Com pouco interesse e/ou vontade de lapidar as jóias reveladas em nossa base, perdemos talentos promissores e dinheiro, para alegria e felicidade dos empresários dos jovens formados no Terrão. 
Felizmente, a situação mudou, mais por necessidade que por vontade própria da diretoria, confirmando o ditado popular que "há males que vêm para o bem", e temos hoje a oportunidade de usufruir do trabalho daqueles que se empenharam em formar os atletas da nossa base. Valorizados pela comissão técnica, temos jovens titulares absolutos, jovens reservas, que quando entram dão conta do que lhe foi pedido, e outros que estão sendo burilados para o próximo ano. Por falta de dinheiro em caixa, encontrou-se em casa a solução para diferentes posições. Enquanto muitos gastaram milhões, sem o mesmo retorno, vemos os garotos brilhando e sendo cobiçados por times europeus. Só espero que nossa diretoria tenha juízo e não mate a galinha dos ovos de ouro como fez em passado recente, vendendo os jovens por merreca e gastando muita grana com jogadores que pouco produziram. 
Espero também que a torcida tenha paciência com os garotos que vieram da base, entendendo que alguns ainda não estão prontos, que entram nas partidas ainda sem ritmo de jogo e que falhas podem ocorrer. Que não sejam crucificados por seu erros eventuais e que possamos dar-lhes o tempo necessário para o seu amadurecimento e adaptação no time profissional. 
Alguns já são uma realidade - Pedro Henrique, Guilherme Arana, Léo Príncipe, Marciel e Maycon - outros promissoras promessas - Matheus Vidotto, Caique França, Léo Santos, Mantuan, Warian, Rodrigo Figueiredo, Pedrinho e Carlinhos. Mas todos são motivo de esperança na valorização e na continuidade de um trabalho bem feito e na possibilidade do Corinthians não só revelar, mas saber aproveitar e usufruir dos frutos do trabalho realizado. 

Crédito e fonte de imagem 
twitter.com/@SporTV 

domingo, 6 de agosto de 2017

Matando o Leão

O Leão da Ilha chegou urrando e garantindo que iria tirar a invencibilidade do Timão, mas na realidade, o Leão foi apenas um gatinho assustado diante de um Corinthians compacto e organizado. O que falar desse Corinthians regular, taticamente disciplinado, de defesa sólida e precisa, que sabe marcar sem a bola e com ela é fatal? Desse time que não se afoba, que tem paciência, que troca passes, que deixa o adversário brincar com a bola, mas quando desarma é eficiente, que finaliza menos, mas acerta mais a meta adversária? O que falar que já não tenha sido dito pelos comentaristas e até por técnicos rivais? 
Que joga feio e que é retranqueiro? Que não fica com a bola? 
O que adianta ficar com a bola e não saber o que fazer com ela como tem ocorrido com nossos adversários? O importante é ser eficaz e eficiente, sabendo aproveitar as oportunidades e isso o Corinthians já mostrou ser capaz.
Jogo feio com tantas canetas e chapéus? Com gols reconhecidos como pinturas?
Retranqueiro ou eficiente sem a bola, com marcação precisa e segura? 
E quando tem a bola no pé, sabe o que fazer com ela e, por isso, ainda não perdeu no Brasileirão. E não perde há 34 jogos na temporada. E é líder invicto no Brasileirão e campeão do primeiro turno com  47 pontos. 
Gols
No último jogo ficou patente a força do jogo coletivo e a superioridade tática do Timão. E quando o conjunto vai bem, as individualidades aparecem e o talento dos jogadores evidencia-se na troca de passes, nos dribles, nos desarmes, no jogo quase sem falta (apenas duas) e nos gols. E assim aconteceu para fechar o turno com chave de ouro. Sei que ainda não tem nada ganho, mas se o time mantiver a pegada, a humildade, a concentração e a determinação é um sério candidato ao título. 
Em Itaquera, o Timão engoliu o Leão, vencendo a partida por 3 a 1, com gols do Guilherme Arana, Rodriguinho e Pedro Henrique. Thalisson fez o gol de honra do Sport. 
Clayson, com mais ritmo de jogo, foi um dos melhores em campo e mostrou já haver entendido o que se espera de um jogador do Corinthians. Rodriguinho, não só pelo belíssimo gol, também merece destaque, bem como Fagner, Arana e Pedro Henrique. 
Com o resultado, o Corinthians mantém-se na liderança com 47 pontos, 14 vitórias, 5 empates e 82% de aproveitamento, melhor marca da história dos pontos corridos e 8 pontos à frente do Grêmio, o 2º colocado.  O Sport, com 28 pontos, 8 vitórias, 4 empates, 7 derrotas e 49% de aproveitamento encerra o 1º turno em 6º lugar. 
O Corinthians terá duas semanas sem jogos antes de encarar a equipe do Vitória, no dia 19/08, sábado, às 16:00 horas (de Brasília) na Arena Corinthians em Itaquera, pois a partida contra a Chapecoense, que seria no próximo final de semana, foi reagendada para 23 de agosto. O Sport receberá a Ponte Preta, no próximo domingo, 13/08, às 16:00 horas (de Brasília), na Ilha do Retiro. 

Créditos e fontes de imagens e vídeo 
globoesporte.globo.com-Fernando Dantas/Gazeta Press 
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com-Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com 
youtube.com/Futebol no Rádio-Radio Bandeirantes (narração:Ulisses Costa) 

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Depenando o Galo

Contrariando os prognósticos de anticorinthianos da imprensa e dos secadores de plantão, o Timão fez um belo jogo em Belo Horizonte e depenou o Galo no Mineirão. Com gols de Jô e de Rodriguinho, com boa marcação, mesmo com desfalques (Pablo, Jadson e Romero) e com jogadores desgastados, (Guilherme Arana e Maycon), o Corinthians manteve o padrão de jogo e voltou para São Paulo com mais três pontos na bagagem, com o artilheiro isolado do Brasileirão, Jô, e manteve a liderança e a invencibilidade no campeonato. 
Com o predomínio do jogo coletivo, efetiva troca de passes e organização tática, o Corinthians teve uma vitória sem sustos, enquanto o Galo Mineiro, tendo maior posse de bola (58%) não sabia o que fazer com ela e, mesmo finalizando mais, quinze finalizações contra 12 do Timão, não conseguiu vazar a melhor defesa do Brasileirão. 
Gols
Embora tenha predominado o jogo coletivo, merecem destaque as boas atuações do Jô, Fagner, Rodriguinho, Clayson, Balbuena, Maycon e Cássio, que completou 300 jogos no Timão. Infelizmente, Giovanni Augusto, novamente, não aproveitou sua oportunidade. 
Com o resultado, o Corinthians, com a invencibilidade de 33 jogos na temporada, mantém-se na liderança do campeonato com 44 pontos, (oito a mais do vice líder Grêmio), 13 vitórias, 5 empates e 81% de aproveitamento, e o Atlético-MG, com 23 pontos, 6 vitórias, 5 empates, 7 derrotas e 43% de aproveitamento ocupa o 11º lugar na tabela de classificação. 
Na próxima rodada, o Corinthians enfrentará a equipe do Sport, às 19:00 horas (de Brasília) neste sábado, 05/08, na Arena Corinthians em Itaquera. Para o jogo, já foram vendidos 35500 ingressos. O Atlético-MG enfrentará o Grêmio, no domingo, 06/08, às 16:00 horas (de Brasília), em Porto Alegre. 

Créditos e fontes de imagens e vídeo 
facebook.com/FanatiCorinthians-globoesporte.globo.com-twitter.com/@brunocassucci 
Cristiane Matos/Futura Press/globoesporte.globo.com-Pedro Vale/Estadão/globoesporte.globo.com 
youtube.com/Futebol no Rádio-Ulisses Costa-Rádio Bandeirantes 

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Corinthians 1 X 1 Flamengo/Arbitragem - Apito inimigo

Assalto à mão armada. E a arma não era um revólver e sim uma bandeira na mão de um árbitro incompetente e/ou de má fé, referendado pelo árbitro principal. Isso é revoltante, porque não foi a primeira vez que ocorreu, interferindo diretamente nos resultados dos jogos em que temos sido prejudicados. A CBF precisa urgentemente melhorar, técnica e moralmente, seu quadro de árbitros. Não dá para aceitar que no último jogo o problema foi de visão, pois mais de três metros atrás da linha da bola é uma distância considerável. O problema não é da alçada do oftalmologista, mas de preparo técnico e/ou ético. 
Quanto ao jogo, vimos dois tempos diferentes, o primeiro dominado pelo Corinthians e o segundo pelo Flamengo. Com domínio total do jogo, Jô marcou duas vezes, mas só um gol foi validado. Na etapa final, as mudanças promovidas pelo adversário foram efetivas, obrigando nossa defesa trabalhar. A substituição por contusão do Marquinhos Gabriel por Giovanni Augusto, que não foi bem, contribuiu decisivamente pela queda do rendimento corinthiano. E o time carioca conseguiu empatar a partida. 
Merecem destaque as atuações do Jô, o melhor em campo, do Balbuena, do Fagner, do Guilherme Arana e do Cássio. O destaque negativo foi a atuação do Giovanni Augusto, que sentiu muito a falta de ritmo de jogo. 
Infelizmente, a atuação da arbitragem influiu no resultado do jogo, pois de dois gols marcados, somente um foi validado. Mas os desfalques, antes e durante o jogo, também foram decisivos na queda do rendimento do time. 
Com o resultado, o Corinthians se mantém na liderança da tabela, com 41 pontos, 12 vitórias, 5 empates, 80% de aproveitamento e conquistou, antecipadamente, o primeiro turno do Brasileirão, pois com o empate entre Grêmio e Santos, não pode mais ser alcançado pelos adversários. O Flamengo, com 29 pontos, 7 vitórias, 8 empates, duas derrotas e 57% de aproveitamento ocupa o 5º lugar no campeonato. 
Na próxima rodada, o Corinthians enfrentará o Atlético-MG, na quarta-feira, 02/08, às 21:00 horas (de Brasília), no Mineirão, e o Flamengo, no mesmo dia, enfrentará o Santos, no estádio do Pacaembu, às 21:45 horas (de Brasília). 

Créditos e fontes de imagens 
globoesporte.globo.com-blogmiltonneves.bol.uol.com.br-Twitter.com/@brunocassucci

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Classificação garantida

Mesmo com vários desfalques, o Corinthians se classificou para as oitavas de final da Copa Sul Americana. Não foi um jogo tranquilo nem um jogo bonito. Mas valeu a classificação e para testar jogadores que pouco tem atuado. Infelizmente, nem todos aproveitaram a oportunidade e foram aprovados. Clayton e Kazin ficaram muito aquém do necessário para atuar no Timão. Mostraram que, no máximo, servem para compor o elenco. Clayton ainda se movimentou bem e tentou ajudar, mas perdeu um gol imperdível. Ambos erraram muito e, com a bola nos pés, quase nada fizeram. Léo Príncipe, Giovanni Augusto e Marquinhos Gabriel se saíram melhor e mostraram que podem ser úteis ao time. 
Romero, Fagner, Jô e Rodriguinho fizeram muita falta, principalmente o atacante paraguaio, e o Corinthians deu muito espaço para os colombinos que, por deficiências técnicas de seus jogadores, não souberam aproveitar. Mesmo com mais posse de bola, (54%), o Corinthians errou muitos passes (50). finalizações (7) e cruzamentos (8). Apenas duas finalizações certas e dois gols marcados, o que mostra que se tivesse atuado melhor, o resultado teria sido mais amplo e a vitória sem tanto sofrimento. 
Gols
O primeiro gol, aos 28 minutos do primeiro tempo, saiu de uma cobrança de escanteio de Maycon, em que Balbuena não perdoou e cabeceou para o fundo da rede. O segundo, saiu já nos acréscimos, aos 46 minutos da etapa final, quando Pedrinho aproveitou longo lançamento de Cássio, ganhou da defesa colombiana e encobriu o goleiro Villete. Um golaço, o primeiro do garoto como profissional. 
Balbuena e Pedrinho foram os melhores em campo. Arana fez uma partida aquém do que pode e Clayton e Kazin foram os piores em campo. 
Com o resultado, o Timão chega ao seu 31º jogo de invencibilidade na temporada, igualando a segunda maior sequência da história alvinegra, obtida pela primeira vez na década de 1930. Foi também a primeira classificação em uma competição internacional obtida na Arena e o passaporte para as oitavas de final da Copa Sul Americana, quando enfrentará o vencedor do duelo entre Racing e Independiente Medellin. Os dois times entram em campo nesta quinta-feira, às 21:45 horas (de Brasília), na Colômbia, com o time da casa precisando reverter os 3 a 1 obtidos pelos argentinos na partida de ida. Pelo Brasileiro, o Corinthians enfrentará o Flamengo no domingo, 30/07, às 16:00 horas (de Brasília), na Arena Corinthians, em Itaquera, em São Paulo. 
Coletiva do Carille e Balbuena

Créditos e fontes de imagens e vídeos 
globoesporte/globo.com-Luis Moura/Wpp/Gazeta Press 
Djalma Vassão/Gazeta Press/gazetaesportiva.com 
youtube.com/De Olho No Timão-foxsports.com.br 
youtube.com/FUTEBOL TOTAL-foxsports.com.br 

domingo, 23 de julho de 2017

Calando as cornetas

Gol
Para alegria da Fiel e tristeza dos antis, o Corinthians superou seus desfalques e venceu o Fluminense fora de casa, mantendo-se com folga na primeira posição do Campeonato Brasileiro. A profecia do Renato Gaúcho não se realizou e o Timão não despencou, porque acreditamos no Corinthians e não nas mandingas dos secadores de plantão. O trabalho do Carille é a garantia contra qualquer olho gordo e a energia emanada pela Fiel é maior que qualquer negatividade dos anticorinthianos. 
Depois de um primeiro tempo morno, com poucas chances para os dois times, com o Fluminense com maior posse de bola e com o Timão melhor na criação, com um pênalti não marcado quando Léo puxou a camisa do Jô dentro da área, o Corinthians voltou para o segundo tempo com uma postura mais aguerrida e, aos quatro minutos da etapa final, Balbuena abriu o placar na cobrança de escanteio pelo Giovanni Augusto. 
Após o gol, o jogo ficou mais aberto, pois ao time da casa não restou outra alternativa a não ser ir pra cima dos alvinegros. Mas com o meio campo sem poder de criação, mais na base do abafa do que na técnica, os cariocas não conseguiram seu intento, principalmente devido à boa atuação da defesa corinthiana e das boas defesas do Cássio. 
Carille, mesmo com os desfalques, conseguiu manter o padrão de jogo e a mesma disciplina tática dos jogadores. Pedro Henrique entrou bem no jogo e Giovanni Augusto, mesmo sem ritmo, não comprometeu e, inclusive participou da jogada do gol corinthiano. Cansou no final e foi substituído pelo Pedrinho. 
Balbuena e Cássio foram os melhores em campo, embora o mais importante tenha sido o jogo coletivo, que superou as ausências dos titulares. O resultado poderia até ser mais amplo, não fossem os erros de finalizações (11) e de cruzamentos (27). Mesmo com os erros, o Corinthians foi superior, criou mais e mereceu a vitória.
Com o resultado, o Corinthians, com 30 jogos de invencibilidade no ano, mantém-se na liderança do campeonato com 40 pontos, 12 vitórias, 4 empates e 83% de aproveitamento; e o Fluminense com 21 pontos, 5 vitórias, 6 empates, 5 derrotas e 44% de aproveitamento está em 12% lugar. 
Antes da próxima rodada do Campeonato Brasileiro, Corinthians e Fluminense participarão da segunda fase da Copa Sul-Americana. Na quarta-feira, 26/07, o Timão receberá o Patriotas, da Colômbia, em sua Arena em Itaquera, com a pequena vantagem de ter empatado por 1 a 1 no jogo de ida. No mesmo dia, o Fluminense estará no Equador para enfrentar a Universidad de Quito, adversário que goleou por 4 a 0.
Pelo Brasileirão, na próxima rodada, o Corinthians enfrentará o Flamengo, em Itaquera, e o Fluminense jogará com a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli. As duas partidas estão agendadas para domingo, 30/07, às 16:00 horas. 

Créditos e fontes de imagens 
globoesporte.globo.com-Edgard Maciel de Sá/globoesporte.globo.com 
youtube.com/Soccer 7i-globo.com 
Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians/gazetaesportiva.com 

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Perdendo gordura

A bruxa estava solta na Ressacada na fria noite de Floripa. O saldo do jogo não foi o desejado. Dois jogadores lesionados, um suspenso e dois pontos perdidos. E problemas para os próximos jogos. Pablo e Jadson farão falta nas próximas partidas, principalmente Jadson, que não tem substituto com suas características de armação e criação. 
Não estamos cortando na carne, mas com os dois últimos empates, já começamos a queimar gordura. De seis pontos possíveis, perdemos quatro e vimos a diferença para o vice líder diminuir para seis pontos. Precisando reagir, perdemos jogadores por lesão e suspensão, e o time vai ter que fazer das tripas o coração para não diminuir a diferença para o Grêmio. Será um grande desafio para o grupo, que terá que superar no coletivo as ausências individuais. 
O resultado do jogo não demonstra o desempenho em campo. O Corinthians teve posse de bola (67%), criou, mas errou no arremate final. Finalizou 21 vezes, 7 certas, mas parou na trave ou nas mãos do goleiro Douglas. Mas 14 finalizações erradas é um exagero. O Avaí, na retranca e saindo no contra ataque, finalizou 14 vezes, 5 certas e 9 erradas. Apesar de dominar o jogo e não ser vazado, perdemos dois pontos que, no final do campeonato poderão fazer falta. 
Jô foi o melhor jogador em campo, fazendo o pivô e distribuindo bem o jogo. Os piores desempenhos foram de Marquinhos Gabriel e Romero, ambos muito aquém do que podem render. 
A comissão técnica e o Departamento Médico precipitaram-se na escalação do Pablo, que sentiu a contusão, e Betão, mesmo fora do Corinthians, continua nos prejudicando. Com duas costelas quebradas num choque com o zagueiro, Jadson deverá ficar um mês fora do time. Com certeza, tais perdas, no início da partida, interferiram no desempenho do time. Com Marquinhos Gabriel produzindo menos do que é capaz e precisando de saídas mais rápidas, Carille, na substituição do Gabriel, deveria ter optado por Pedrinho, que é ágil e habilidoso, e não pelo Kazin. 
Com o resultado, o Corinthians com 37 pontos, 11 vitórias, 4 empates e 82% de aproveitamento permanece na liderança do Brasileirão, com seis de diferença do Grêmio, vice-líder, que derrotou o Vitória no Barradão. O Avaí com 14 pontos, 3 vitórias, 5 empates, 7 derrotas e 31% de aproveitamento está em 18º lugar, portanto, na zona de rebaixamento. 
Na próxima rodada, o Corinthians enfrentará o Fluminense, às 16:00 horas (de Brasília) no domingo, 23/07, no estádio do Maracanã, e o Avaí, na mesma data e horário, receberá  o Cruzeiro na Ressacada, em Florianópolis. 

Créditos e fontes de imagens 
globoesporte.globo.com-Thiago Pedro/Futura Press/globoesporte.globo.com 
Daniel Augusto Jr-/Agência Corinthians/gazetaesportiva.com

domingo, 16 de julho de 2017

Estamos mal acostumados

Acostumamos com as vitórias e, por isso, lamentamos o empate. Até nos esquecemos que o time é formado por seres humanos e não por robôs. E, como tal, tem seus altos e baixos e são suscetíveis a erros. E nos amarguramos com um empate como se tivéssemos sido derrotados. Tentamos nos consolar com a liderança e com a gordurinha na tabela, mas não conseguimos superar totalmente a frustração de um empate em Itaquera. Só não podemos superestimar esse tropeço, pois foi apenas um tropeção, um acidente de percurso, e nossa condição é ainda bastante favorável. Portanto, sem stress e lamúrias, para não baixar o padrão vibratório e, tal como os torcedores presentes na Arena Corinthians, vamos continuar apoiando o time na busca do hepta campeonato. 
Talvez pela ressaca da vitória e do grande jogo contra o Palmeiras, o Corinthians entrou um tanto relaxado e desconcentrado. Numa zona de conforto, praticamente, só começou a jogar após levar o primeiro gol, quando buscou a reação e conseguiu a virada. Infelizmente, levamos o empate, numa jogada em que Balbuena tentou interceptar a bola e a desviou para a própria meta. Após o empate, o Timão foi para o abafa, mas a afobação e o Weverton não permitiram uma nova virada. Fagner, Jô e Pedrinho não tiveram êxito em suas tentativas. 
Jô e Maycon, o aniversariante do dia, foram os melhores jogadores em campo. 
Não podemos atribuir o empate apenas ao relaxamento do time no início do jogo. A pouca pressão na marcação e o espaço dado ao adversário foram fruto das mudanças no time, decorrentes de lesão (Pedro Henrique no lugar de Pablo) e suspensões (Moisés e Marquinhos Gabriel em substituição a Arana e Rodriguinho). Sem rimo de jogo e desentrosados com os titulares, apesar da boa atuação, os jogadores que entraram não tiveram o mesmo desempenho que os substituídos e o jogo coletivo teve uma queda de rendimento. Erramos muitos passes (49), finalizações (9), cruzamentos (23) e lançamentos (23).
Com o resultado, o Corinthians continua na liderança do campeonato com 36 pontos, 11 vitórias, 3 empates e 86% de aproveitamento, oito pontos à frente do Grêmio, o segundo colocado. 
Na próxima quarta feira, 19/07, às 21:00 horas, o Corinthians enfrentará o Avaí, na Ressacada, em Florianópolis, e na quinta feira, 20/07, às 21 horas, o Atlético-PR receberá o Botafogo-RJ, na Arena da Baixada, em Curitiba.

Créditos e fontes de imagens 
globoesporte.globo.com-Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com 
Djalma Vassão/Gazeta Press/gazetaesportiva.net-Luis Moura/Gazeta Press 

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Leitão à pururuca no Arana Parque

Para ficar macio e saboroso, o leitão tem que ser assado em fogo baixo e sem pressa. Assim, e com muita paciência, o Timão assou o porco. Deixou a bola com o adversário e ficou na espreita para dar o bote, o que aconteceu em dois tempos. Aos 21 minutos da etapa inicial, Romero recebeu a bola na linha de fundo, rolou para Arana que foi abalroado por Bruno Henrique dentro da área. Pênalti claríssimo. Aos 22 minutos, Jadson bateu para abrir o placar e silenciar o chiqueiro. Aos 19 minutos do segundo tempo, Arana recebeu a bola de Romero na lateral e chutou para ampliar o placar. E pururucar o leitão. 
Melhores momentos
Além de ter sofrido o pênalti e marcado o segundo gol, Arana deixou de lembrança mais uma caneta, no que foi seguido por Rodriguinho. 
Vimos em campo, de um lado um time organizado, focado, determinado e consciente do que fazer e, do outro, um bando de jogadores afoitos, afobados e desorganizados, que mais parecia um catadão para a pelada de final de semana. Um time de uma jogada só, chuveirada na área. Com mais posse de bola, não sabiam o que fazer com ela, com mais finalizações, não acertavam o alvo. Nervosos e descontrolados, os porcos apelavam para agressão diante de um árbitro que fez vistas grossas às deslealdades palestrinas. Do outro lado tinha um time que não judiava da bola e, quando a tinha nos pés, sabia exatamente o que fazer. E fez. Três chutes, dois gols. E mais uma vitória na casa do rival. Se tínhamos um salão de festas, o Morumbi, agora temos também um parque de diversões, o Arana Parque. 
Embora o jogo coletivo tenha sido fundamental para a vitória corinthiana, não podemos deixar de destacar a eficiência da dupla de zaga e as participações exemplares do Arana e do Romero. 
Com o resultado, o Corinthians, com 27 jogos de invencibilidade na temporada, continua na liderança com 11 vitórias, 2 empates e 90% de aproveitamento, 10 pontos a mais que o Grêmio. o segundo colocado. O Palmeiras, que perdeu a invencibilidade em casa, está em 7º lugar, com 19 pontos, 6 vitórias, 1 empate, 6 derrotas e 49% de aproveitamento. 
Pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Corinthians receberá o Atlético-PR neste sábado, 15/07, às 19:00 horas, na Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo; e o Palmeiras, receberá no domingo, às 11:00 horas o Vitória, no Allians Parque, em São Paulo. 
Parabéns ao Corinthians por tudo o que vem fazendo na temporada. Parabéns ao Carille e à toda a comissão técnica pela competência e pelo trabalho realizado. Parabéns aos jogadores pela disciplina tática e pela garra demonstrada. Parabéns à Fiel Torcida pelo apoio e incentivo. 

Créditos e fontes de imagens e vídeo 
globoesporte-globo.com-Ormuzd Alves/mdemulher.abril.com.br 
Luis Moura/Wpp/Gazeta Press-Ale Vianna/Agência Eleven/Gazeta Press 
youtube.com/Ligados no Timão- globo.com 
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/corinthians.com.br 

domingo, 9 de julho de 2017

Outra vez a Macaca caiu da Ponte

Sem susto, sem sufoco e com muito equilíbrio, o Corinthians, novamente, derrubou a Macaca da Ponte. Ela até tentou manter-se de pé, veio pra cima, mas não aguentou manter o ritmo e acabou sucumbindo à superioridade corinthiana. Com mais posse de bola (54%), os ponte-pretanos  nem sempre sabiam o que fazer com ela, errando muito e finalizando mal. Com muita paciência e disciplina tática, o Corinthians só não obteve um resultado mais amplo devido às boas defesas do goleiro Aranha. Mas, também neste quesito fomos superior. Cássio não foi vazado, fez uma defesa espetacular aos 40 minutos da etapa final, além de ter defendido um pênalti. 
Gols e defesa do pênalti
Nosso primeiro gol saiu aos 46 minutos do primeiro tempo. Romero cruzou na área, Jô cabeceou, Aranha defendeu e no rebote, Guilherme Arana tocou para trás, e Jadson finalizou em direção ao gol, abrindo o placar em Itaquera. No primeiro minuto da etapa final, Jadson buscou a bola na intermediária, lançou-a para Rodriguinho, que encontrou Jô livre na área, que chutou para o gol, ampliando a vantagem do Corinthians em Itaquera. 
O time teve uma boa atuação. Com dificuldades com a bola no chão, devido à forte marcação da Ponte, a equipe optou pelas bolas aéreas, explorando a estatura privilegiada e a boa movimentação do Jô. 
Além do atacante, merecem destaque a atuação do goleiro Cássio e do meia Jadson, eficiente na marcação e na distribuição, além de ter feito o 1º gol. De negativo, o pênalti de Arana em Emerson Sheik e a fraca atuação do Kazin. 
Com o resultado, o Corinthians, com uma invencibilidade de 26 jogos na temporada, permanece na liderança do Campeonato Brasileiro, com 32 pontos, 10 vitórias, 2 empates e 89% de aproveitamento, com 9 pontos a mais do 2º colocado, o Flamengo. A Ponte Preta, com 15 pontos, 4 vitórias, 3 empates, 5 derrotas e 42% de aproveitamento, está em 13º lugar na tabela de classificação. 
Na próxima rodada, o Corinthians enfrentará o Palmeiras na 4ª feira, 12/07, às 21:45 horas, no Allians Park, e a Macaca receberá o Bahia no mesmo dia, às 19:30 horas, no Moisés Lucarelli, em Campinas. 

Créditos e fontes de imagens e vídeo 
globoesporte.globo.com-Marcello Zambrana/Agif/Gazeta Press 
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com-Leo Pinheiro/Código 19/Gazeta Press 
youtube.com/Os Donos da Bola BR-foxsports.com.br 
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com 

domingo, 2 de julho de 2017

Pedrinho Botafogo na partida e Corinthians vence mais um JÔgo

O time carioca armou a maior retranca e o jogo estava difícil. Furar a defesa botafoguense era o grande desafio do Timão. Um verdadeiro jogo de paciência. O Corinthians rolava a bola, entrava na área, mas não conseguia acertar o gol. E assim o primeiro tempo acabou no 0 a 0. 
Carille foi ousado e o time voltou do vestiário sem o volante Gabriel, mas com o meia ofensivo Marquinhos Gabriel e em cinco minutos criou e atacou mais que em toda a etapa inicial. Mas o gol, que interessava, não saia. Jô até perdeu um pênalti mal marcado. A falta foi fora da área. 
Gol
Carille trocou o Clayson pelo garoto Pedrinho que no seu primeiro lance deu um chapéu em João Paulo, invadiu a área e tocou para Jô bater. Gatito defendeu e no rebote de Rodriguinho, o goleiro defendeu novamente, mas Jô pegou o segundo rebote e conseguiu estufar a rede. Foi um gol chorado, mas o suficiente para garantir a vitória e os três pontos. E nos distanciar na liderança.
Carille fez uma ótima leitura do jogo e acertou nas substituições. Com um time que se limitava a se defender, não havia necessidade de dois volantes, e Maycon, com melhor posse de bola, deu conta do serviço. A entrada de Marquinhos Gabriel tornou o time mais ofensivo e Pedrinho, moleque atrevido, ágil e habilidoso, iniciou a jogada do gol. Jô foi do inferno ao céu e quando a bola chegou insistiu e não perdoou. Clayson fez boas jogadas, mas precisa melhorar o arremate final. Jadson e Rodriguinho não renderam tudo o que podem, Cássio assistiu o jogo dentro do campo e a defesa teve pouco trabalho.
Entrevista do Carille
Com o resultado, o Corinthians, há 25 jogos sem perder, permanece na liderança do campeonato Brasileiro com 29 pontos, 9 vitórias, 2 empates e 88% de aproveitamento. O Botafogo com 15 pontos, 4 vitórias, 3 empates, 4 derrotas e 45% de aproveitamento, ocupa o 10º lugar. 
O Corinthians volta a campo no sábado, 08/07, às 19:00 horas, em sua Arena em Itaquera, contra a Ponte Preta. Já o Botafogo na quinta-feira, 06/07, enfrentará o Nacional, no Uruguai, pela Copa Libertadores, e no domingo, 09/07, às 16:00 horas, enfrentará o Atlético-MG no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro. 

Créditos e fontes de imagens e vídeo 
globoesporte.com-twitter.com/@brunocassucci
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com
youtube.com/CANALDEMOCRACIA CORINTHIANA-globo.com
youtube.com/FUTEBOL TOTAL 

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Mais altitude que atitude

No pior jogo do ano, quase o Corinthians sucumbiu no estádio La Independência na cidade de Tunja, na Colômbia. Tomando sustos e levando sufoco, o misto frio do Timão jogou como timinho e só empatou nos acréscimos, mais por mérito pessoal do Balbuena do que do time. Aliás, louva-se o empenho da dupla paraguaia, Romero e Balbuena, os que mais correram, mais lutaram, mais se esforçaram e menos sentiram a altitude de 2800 metros. 
Se os paraguaios não sentiram, a maioria da equipe sofreu a ressaca do jogo desgastante de domingo e da viagem de Porto Alegre à Colombia, estranhou o gramado fofo e as dimensões do campo, sentiu a altitude, a falta de ritmo de jogo e o desentrosamento dos reservas no mistão alvinegro. Nossos jogadores apanharam da bola, erraram passes, falharam na marcação, o meio campo nada criou, o ataque foi inoperante e o resultado só não foi pior pelas defesas de Cássio e pela boa atuação da zaga, que apesar de algumas falhas, fez o gol que o ataque não conseguiu fazer. 
Embora limitados tecnicamente, os colombianos beneficiaram-se do conhecimento do campo, de estarem acostumados com a altitude e pela motivação de estarem participando pela primeira vez de um campeonato internacional. Ao contrário, a equipe alvinegra entrou em campo menos concentrada, cometendo erros primários, rifando a bola e com algumas jogadas muito estabanadas. Pela atuação desastrosa, Moisés demonstrou não servir nem para gandula. Se colocar um cone no lugar do Kazin, o efeito será o mesmo. Sem nenhuma mobilidade, sem fazer o pivô, o gringo da favela ficou encaixotado entre os zagueiros colombianos, quando conseguiu pegar na bola errou as finalizações e provou que seu carisma é maior que o seu futebol. Marquinhos Gabriel perdeu o fôlego e o pique, Giovanni Augusto continua devendo e Clayton nada acrescentou ao jogo. Só não entendi porque Pedrinho, jogador leve e de boa movimentação não ficou nem no banco, nem porque, mesmo estando no banco, Arana não substituiu o inútil Moisés. Se não tinha condições de jogo deveria ter ficado em São Paulo para não se desgastar com a viagem. 
Gols
O gol do Corinthians saiu aos 47 minutos da etapa final. Balbuena iniciou a jogada, tocou para Fagner na direita, que devolveu para o zagueiro completar de cabeça, sem chances para o goleiro Villete. 
Esse jogo serviu para mostrar que não temos substituto para o Arana e que Carlinhos, já recuperado de cirurgia, precisa deixar de reforçar o sub 20 para ser o reserva imediato de Jô. Moisés e Kazin podem ser negociados para diminuir a folha de pagamento. São gasto para o clube e não investimento.
Com o resultado o Corinthians pode empatar sem gols no jogo de volta para assegurar vaga nas oitavas de final. Novo 1 a 1 leva a decisão para os pênaltis, enquanto igualdade com mais tentos dá a vaga aos forasteiros. Caso haja vencedor, este estará classificado. Com o gol fora de casa, o Timão tem uma pequena vantagem no jogo em Itaquera. 
A partida de volta está marcada para o dia 26 de julho, no estádio de Itaquera, mas, até lá, o Corinthians terá que disputar seis jogos do Campeonato Brasileiro. O primeiro será no domingo, 02/06, às 16:00 horas (de Brasília), contra o Botafogo, também em Itaquera. Os colombianos, estreiam no seu torneio nacional no dia 9 de julho, contra o Hulia, em casa. 

Créditos e fontes de imagens e vídeo 
globoesporte globo.com-twitter.com/@bruno Cassucci 
Luis Acosta/AFP/gazetaesportiva.com 
Luis Acosta/AFP/gazetaesportiva.com 
youtube.com/Danilo Silva/Gols HD2-globo.com 

domingo, 25 de junho de 2017

Quebrando tabus

A magnífica vitória corinthiana em Porto Alegre não representou só três pontos e a manutenção da liderança. Ela foi, também responsável pela primeira vitória corinthiana na Arena Grêmio, pela quebra da invencibilidade do Grêmio em sua casa na temporada de 2017, pela quebra da invencibilidade da defesa gremista, que, neste Brasileirão ainda não tinham tomado gol em casa e pela vitória sobre o melhor ataque e o melhor mandante do campeonato. Mas tabus existem para serem quebrados e o Corinthians não se intimidou na casa do adversário, diante de mais de 54 mil torcedores, a maioria gremista. Foi lá, saboreou o churrasco e entornou o chimarrão do rival. 
O Grêmio, com mais posse de bola partiu para cima, exercendo grande pressão sobre o visitante. Mas o Timão, com boa organização ofensiva, marcação compacta, segura e precisa e saindo no contra ataque foi quem levou a melhor. 
Gol
O gol do Corinthians saiu aos seis minutos da etapa final, numa bela jogada de Paulo Roberto. O volante arrancou em velocidade pela esquerda, invadiu a área e rolou a bola para trás. Jô fez o corta luz e Jadson chutou na direção do gol. A bola passou por entre as pernas do goleiro gremista e estufou as redes. 
Defesa do pênalti
Tão importante quanto o gol do Jadson foi a atuação do Cássio, que fez várias defesas, inclusive de um pênalti cobrado por Luan. Foi o melhor homem em campo, seguido por Paulo Roberto, que construiu a jogada do gol e por Jadson. Destaque negativo para Marquinhos Gabriel pelo pênalti por puxar a camisa de Geromel dentro da área. 
Com o resultado o Timão, com 26 pontos, 8 vitórias, 2 empates e 87% de aproveitamento, mantém sua invencibilidade na temporada, continua na liderança do Campeonato Brasileiro e abre quatro pontos do vice líder Grêmio, que tem 22 pontos, 7 vitórias, 1 empate, duas derrotas e 73% de aproveitamento.
Se a torcida está empolgada com o desempenho do Corinthians no jogo e na temporada, Carille, mesmo valorizando a atuação de seus comandados, tratou de conter a empolgação. Valorizou os jogadores, elogiou a disposição tática, ressaltou a importância da vitória para o fortalecimento do grupo, mas afirmou que o campeonato é longo e que muita coisa pode acontecer. Sem empolgação, continuará trabalhando com humildade e pensando jogo a jogo. 
Na próxima rodada da competição, o Corinthians enfrentará o Botafogo, no domingo, dia 2 de julho, às 16:00 horas (de Brasília), na Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo. Antes, porém, viajará para Tunja, na Colômbia, local do jogo de ida contra o Patriotas-COL, pela segunda fase da Copa Sul-Americana. O Grêmio, pelo Brasileirão, visitará o Palmeiras, no sábado, dia 1º de julho, três dias após receber o Atlético-PR, também na Arena, pela ida das quartas de final da Copa do Brasil. 

Créditos e fontes de imagens e vídeos 
globoesporte.globo.com-twitter.com/@diegoribeiro 
Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians/corinthians.com.br 
youtube.com/channel-globo.com 
Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians/corinthians.com.br 
youtube.com/Love Games-globo.com 
youtube.com/youtimao 



sexta-feira, 23 de junho de 2017

Apimentamos o vatapá e acertamos três acarajés

Foi um jogo disputado e até um pouco sofrido. Os baianos tiveram mais posse de bola, (53%), atacaram mais, nós erramos muitos passes e algumas finalizações, mas eles não conseguiram furar o bloqueio corinthiano. Mesmo com dificuldades, fomos mais precisos no ataque. Colocamos pimenta no vatapá e com três acarajés certeiros vencemos mais um jogo no Brasileirão. 
Gols
O primeiro gol saiu aos 24 minutos do 1º tempo. Numa jogada individual, Fagner encontrou Jô em ótima posição, o centro avante driblou o goleiro Jean e mandou a bola para o fundo da rede. Aos 34 minutos do 2º tempo, Fagner cobrou escanteio, Romero desviou para Balbuena ampliar o placar. E aos 37 minutos, Marquinhos Gabriel roubou a bola na entrada da área e marcou um belo gol por cobertura. 
O ponto negativo do jogo foi a ocorrência das expulsões de Gabriel, do Corinthians e de René Júnior, do Bahia, ambas em faltas duvidosas, deixando os times com 10 jogadores de cada lado. 
Entrevista do Carille
Apesar de elogiar o resultado, Carille não ficou satisfeito com o desempenho do time e criticou a pouca posse de bola, a pressão do Bahia e os erros de passe e finalizações. 
Com o resultado, o Corinthians com 23 pontos, 7 vitórias, 2 empates, 85% de aproveitamento e invicto há 22 jogos, continua na liderança do campeonato, seguido de perto pelo Grêmio, que chegou a 22 pontos ao derrotar o Coritiba por 2 a 0, em Porto Alegre. O Bahia com 10 pontos, 3 vitórias, 1 empate, 5 derrotas e 37% de aproveitamento, ocupa a  15ª colocação na tabela de classificação.
Na próxima rodada o Corinthians visitará o Grêmio, em Porto Alegre, no domingo, 25/06, às 16:00 horas. O Bahia retornará à Fonte Nova para jogar contra o Flamengo no mesmo dia, às 18:30 horas. 
E que venha o Grêmio. 

Créditos e fontes de imagens e vídeos
peixeurbano.com.br-Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com-globoesporte.globo.com
Ronny Santos-Folhapress-folha.uol.com.br-Daniel Augusto Jr/corinthians.com.br
youtube.com/foxsports.com.br
youtube.com/foxsports.com.br 

domingo, 18 de junho de 2017

Dois pontos roubados - Cartão vermelho para a arbitragem

Foi um jogo equilibrado e o empate teria sido justo, não fosse o erro descarado da arbitragem que anulou um gol legítimo do Jô, roubando-nos dois preciosos pontos, que podem nos custar a liderança do campeonato. Infelizmente, o Corinthians não jogou tudo o que sabe e o que pode. Os jogadores sentiram o novo horário, Fagner e Rodriguinho sentiram o fuso horário, Marquinhos Gabriel sentiu a coxa e Clayson continua sentindo o peso da camisa do Corinthians. E todos sentimos muito a emboscada que nossa torcida foi vítima quando se dirigia para o estádio. Parece que a polícia paranaense só é eficiente para reprimir professores em suas manifestações. 
Como donos da casa, o time paranaense iniciou agredindo mais, mas o Corinthians conseguiu sustar seu ímpeto com uma defesa segura e precisa. Nosso maior problema no jogo foi a criação, com nossos meias tendo dificuldades, principalmente após a saída do Marquinhos Gabriel. Jô ficou muito isolado no ataque e quando conseguiu chutar a bola teve seu gol legítimo mau anulado pela arbitragem. Não dá para saber se foi ruindade ou maldade dos homens do apito. Talvez as duas coisas. 
Gol mau anulado
A lamentável atuação da arbitragem foi determinante no resultado. Erros de arbitragem têm sido recorrentes nos jogos do Timão, evidenciando o baixo nível e o despreparo da arbitragem brasileira. No gol, indevidamente anulado, Jô estava atrás da linha da bola no momento do passe. 
Os melhores em campo foram a dupla de zaga, Pablo e Balbuena, o goleiro Cássio e o atacante Jô, que mesmo isolado conseguiu chegar na área adversária. O pior foi o Clayson, que ainda não se encaixou no time nem justificou sua contratação. Carille, talvez para não queimar o jogador, errou ao deixá-lo no time até o final do jogo. Pedrinho, no pouco tempo que esteve em campo, mostrou mais futebol que o Clayson. 
Entrevista do Carille
Carille reconheceu que o jogo não foi bom e atribuiu a má atuação à falta de concentração do time e apesar de ter lamentado o gol mau anulado, valorizou o ponto conquistado fora de casa. 
Fagner considerou que o desgaste dele e do Rodriguinho, bem como a diferença do fuso horário, influenciaram negativamente no desempenho de ambos. Sempre essa selenike da cbf (com minúscula mesmo) atrapalhando os times. 
Com o resultado, o Corinthians com uma invencibilidade de 21 jogos na temporada, alcançou 20 pontos no Campeonato Brasileiro com 6 vitórias, 2 empates e 83% de aproveitamento. Continua na liderança, mas pode perder a posição para o Grêmio que tem 18 pontos e poderá assumir a ponta da tabela de classificação se derrotar o Cruzeiro na noite de segunda-feira, no Mineirão. O Coritiba totaliza 15 pontos e também briga pelas primeiras colocações. 
Corinthians e Coritiba voltarão a campo na quinta-feira, 22/06 à noite. O Timão enfrentará o Bahia em sua Arena em Itaquera às 19:30 horas, e o Coritiba enfrentará o Grêmio, em Porto Alegre, no mesmo dia, às 21:00 horas. 

Créditos e fontes de imagens e vídeos 
globoesporte.globo.com-bloguedoesporto-com-MAON 
twitter.com/@globoesportecom 
youtube.com/Esportes F.C. Conde Blank-globo.com 
youtube.com/CORINTHIANO FIEL SCCP

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Vencendo a retranca e superando o Professor

Foi um jogo duro, o mais difícil do campeonato. A turma do pão de queijo veio na maior retranca e só conseguimos marcar o gol num lance de bola parada. E na etapa final corremos riscos e tomamos sufoco. Mas nossos guerreiros foram valentes, seguraram o rojão e conseguimos a vitória, os três pontos e manter a liderança. Carille não foi mano do Mano e superou seu Professor. Mais calmo e tranquilo que o antigo Mestre, conseguiu controlar o jogo e manter o resultado, apesar das investidas do time mineiro. E assim, caçamos a Raposa e devoramos o pão de queijo. 
O gol corinthiano saiu aos 42 minutos. Jadson cobrou escanteio e Balbuena subiu para cabecear com precisão e abrir o placar. 
Após o gol, Mano abandonou a retranca e seus comandados partiram para o ataque, o que permitiu, também que o Timão tivesse mais chances de atacar. Se não fosse a marcação de um impedimento inexistente do Jô e as boas defesas do Fábio, poderíamos ter ampliado o placar. Mas os visitantes não deram trégua, obrigando nossa defesa trabalhar para evitar o empate. 
Gol
Balbuena, o melhor em campo, destacou-se na defesa e ainda marcou o gol corinthiano. Cássio foi muito bem, com ótimas defesas no segundo tempo. Jadson, apesar de ter cobrado magistralmente o escanteio que deu origem ao gol, não rendeu o que pode render e Paulo Roberto apresentou as dificuldades naturais de quem está jogando fora de sua posição. 
Dessa vez as substituições de Carille não surtiram o efeito desejado. Clayson e Giovani Augusto estiveram aquém de Marquinhos Gabriel e Jadson e não foram capazes de dar um gás a mais ao time, e Camacho, que entrou no final para segurar o resultado, cumpriu o que dele se esperava. 
Com o resultado, o Corinthians com 19 pontos, 6 vitórias, 1 empate e 90% de aproveitamento mantém sua invencibilidade e a liderança do Campeonato Brasileiro. Foi também a sexta vitória consecutiva da equipe, três na Arena e três fora de casa. O Cruzeiro estacionou nos dez pontos, podendo ser ultrapassado pelo Bahia e cair para a nona colocação. 
Na próxima rodada, os alvinegros enfrentarão o Coritiba, fora de casa, às 11:00 horas (de Brasília) do domingo, 18/06, no estádio Couto Pereira. A Raposa receberá o Grêmio no Mineirão, às 20:00 horas (de Brasília) na segunda-feira, 19/06. 
No próximo jogo o Corinthians terá a volta de Fagner e Rodriguinho, que estiveram a serviço da seleção brasileira na Austrália. 
Entrevista do Carille

Créditos e fontes de imagens e vídeos 
globoesporte.globo.com-twitter.com/@SporTV-MAON 
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com 
youtube.com/Central de Futebol-globo.com 
youtube.com/Ligados no Timão-globo.com 

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Freguês bom volta sempre

Era um, eram dois, eram três... Um gol para cada zagueiro do São Paulo. E com o Lucão Delivery em campo, a entrega está garantida. E ainda tiveram gol impedido e bola no braço ignorados pela arbitragem. Quero saber para que tanto árbitro no campo se ninguém enxerga nada. Mesmo assim a vitória foi garantida e a freguesia foi mantida. Com exceção dos minutos finais, em que tomamos sufoco, o Corinthians controlou o jogo, teve mais posse de bola e foi mais agressivo. Pelo que jogaram os dois times, três a dois ficou barato. 
O gol do Gilberto, impedido, resultou de uma falta duvidosa e o do Wellington Nem de uma desconcentração de nossa defesa. Infelizmente Pablo anda meio aéreo. Será devido a sua compra ainda estar indefinida? Falhou nos dois últimos jogos, mas tem crédito. Só precisa estar mais atento e focado. 
Com mais posse de bola (52%), boa troca de passes, com boa marcação e desarmes, triangulações, construção de jogadas e bom entrosamento, apesar dos desfalques, o Timão propôs o jogo e teve mais chances reais de gol que o adversário. Mas precisa acertar o arremate final e ser menos afobado. Poderia ter matado o jogo antes e mesmo goleado, não fosse a afobação e a ansiedade em marcar o gol.
Fisicamente o time está voando, embora o Jadson ainda não esteja em sua melhor forma física e técnica. Em compensação, o "garoto" Jô está muito bem.
Gols
O melhor em campo foi o Romero, não só pelo primeiro gol, mas pelo conjunto da obra. Correu, marcou, atacou, participou dos gols e deixou o seu. E que assistência do Marquinhos Gabriel, que renasceu para o futebol. Jô não fez gol, mas participou do gol do Gabriel e sofreu o pênalti cobrado pelo Jadson, ajudando a manter a freguesia. Arana resolveu diversificar e ao invés de canetas, distribuiu chapéus. 
Se o Corinthians apresentou-se com um padrão tático definido, o mesmo não ocorreu com o São Paulo. Começou com três zagueiros, voltou diferente no segundo tempo e, com exceção dos minutos finais, mesmo assim na base do "bumba meu boi", não conseguiu se acertar em campo. Rogério Ceni como técnico, parece não passar de um goleiro cobrador de faltas. Ainda não conseguiu se encontrar nem encontrar um time. 
Com o resultado, os corintianos chegaram a 19 partidas sem derrota, com 16 pontos conquistados, mantêm a invencibilidade no Campeonato Brasileiro e a liderança da competição, não podendo ser alcançados por nenhum time nesta rodada. O São Paulo permanece com nove pontos, todos conquistados no estádio do Morumbi.
Na próxima rodada, o Timão enfrentará a equipe do Cruzeiro, em sua Arena em Itaquera, na quarta-feira, 14/06, às 21:45 horas (de Brasília), e o SPFC, no mesmo dia, visitará o Sport na Ilha do Retiro, às 19:30 horas. 

Créditos e fontes de imagens e vídeo 
globoesporte.globo.com-twitter.com/@jcpdirani-twitter.com/@SillerGunther-MAON 
facebook.com/Nação Corinthiana 
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com 
youtube.com/SÓ ESPORTS-globo.com 
Gero Rodrigues/Estadão/@mabragatchelo 

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Afundando a caravela em São JÔnuário

Após um primeiro tempo vencendo por dois a zero, o Corinthians voltou do vestiário desconcentrado e em dois minutos levou dois gols de bola parada e viu tudo igual no placar. Mesmo em posição duvidosa de Luiz Fabiano no primeiro gol e da bola no braço no segundo, não dá para vacilar e tomar gols por bobeira. Pablo falhou feio e um jogo que estava controlado, quase se tornou dramático. Com o empate os vascaínos se animaram, mas faltou qualidade para virar o placar, qualidade que sobrou para o Timão que soube manter a tranquilidade, continuar jogando e desempatar com Maycon. 
Gols
O primeiro gol corinthiano aconteceu aos três minutos de jogo. Clayson passou a bola para Guilherme Arana, que cruzou para o meio da área. Marquinhos Gabriel apareceu com um foguete para abrir o placar em São Januário. Aos 38 minutos Marquinhos Gabriel passou a bola para Jô nas costas de Paulão, que driblou Martín Silva e mandou para o fundo das redes. Aos 12 minutos do segundo tempo, Clayson lançou a bola para Maycon, que invadiu a área e bateu na saída de Martín Silva. Aos 38 minutos, Jô recebeu a bola de Pedrinho na direita e cruzou para o meio da área. Clayton cabeceou e contou com desvio de Pikachu para marcar o quarto gol. Aos 46 minutos, Paulo Roberto recebeu a bola na linha de fundo, cruzou para a área e Clayton escorou para o gol, fechando a goleada. 
O placar de 5 a 2 para o Timão, ao contrário do que aparenta, não significa que foi um jogo tranquilo. Ao contrário, foi um jogo nervoso, com chances para ambos os times, onde a disciplina tática prevaleceu. Mesmo assim, o Corinthians deu muito espaço e tomou alguns sustos. Felizmente, repetiu-se o script e Luiz Fabiano fez mais dois gols que se revelaram inúteis para o time dele. Marcou como nunca e perdeu como sempre. 
Outro aspecto negativo foi a péssima arbitragem, comandada por Wagner Reway, que usou critérios diferentes, favorecendo o time da casa. Só deu cartão para os corinthianos, qualquer contato físico marcava falta contra o Corinthians e deixou de assinalar várias faltas a nosso favor. E, mesmo com sete árbitros em campo, ninguém viu a posição duvidosa de Luiz Fabiano no seu primeiro gol nem seu braço na bola no segundo. 
Merecem destaque as atuações de Marquinhos Gabriel, com um gol e uma assistência, Jô, Maycon, Clayton, Clayson e Arana, que fez sua 8ª assistência no ano. Mesmo sem quatro titulares, o time manteve o padrão tático e conseguiu superar a falta de entrosamento decorrente da entrada dos reservas. As substituições no decorrer do jogo surpreenderam. Ao invés de colocar mais um volante para segurar os 3 a 2, Carille ousou mandando a campo três jogadores ofensivos. E deu muito certo. 
Apesar dos sustos, o resultado foi fundamental para manter a confiança da equipe. Mesmo com os desfalques, o time manteve o padrão de jogo e superou as dificuldades decorrentes da mudanças. Carille é o grande responsável pelo sucesso que o time vem alcançando na temporada. Com um elenco limitado, mas guerreiro, está conseguindo manter o time no pelotão de frente, credenciando-se para voos maiores. Tem o respeito do grupo e respeita seus jogadores. Com humildade e muito trabalho, vem se destacando como a grande promessa dessa temporada. 
Melhores momentos
Ficha Técnica - Vasco 2 X 5 Corinthians
Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 7 de junho de 2018 (Quarta-feira)
Horário: 21:45 horas(de Brasília)
Árbitro: Wagner Reway – MT (FIFA)
Árbitro Assistente 1: Fabio Rodrigo Rubinho – MT (CBF)
Árbitro Assistente 2: Marcelo Grando – MT (CBF)
Quarto Árbitro: Renan Antonio Angelim Rodrigues – MT (CBF)
Árbitro Assistente Adicional 1: Alinor Silva da Paixão – MT (CBF)
Árbitro Assistente Adicional 2: Rafael Odílio Ramos dos Santos – MT (CBF)
Analista de Campo: Claudio José de Oliveira Soares — RJ (CBF)
Cartões amarelos: Clayson, Pablo, Gabriel (Corinthians)
Gols: Vasco: Luis Fabiano, a um e dois minutos do segundo tempo; Corinthians: Marquinhos Gabriel, aos três, Jô, aos 39 minutos do primeiro tempo, Maycon, aos 14, e Clayton, aos 39 e aos 47 minutos do segundo tempo
Vasco: Martín Silva; Gilberto (Nenê), Breno, Paulão e Henrique; Jean (Muriqui), Douglas, Yago Pikachu, Matheus Vital e Kelvin (Manga Escobar); Luis Fabiano; Técnico: Milton Mendes
Corinthians: Cássio; Paulo Roberto, Pedro Henrique, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Camacho, Marquinhos Gabriel (Clayton), Jadson (Giovanni Augusto) e Clayson (Pedrinho); Jô; Técnico: Fábio Carille 
Bastidores

Créditos e fontes de imagens e vídeo
globoesporte.globo.com-Reprodução/TV Gazeta/globo.com-vasco.com.br-MAON 
youtube.com/Dalf Soccer-globo.com 
youtube.com/BDV Football-globo.com 
youtube.com/Corinthians 

domingo, 4 de junho de 2017

Na festa JÔnina, a atração principal foi a pescaria

Um jogo com dois tempos bem diferentes. O primeiro, onde o Santos teve mais posse de bola e algumas chances de abrir o placar. O segundo onde o Corinthians dominou e não deixou o Santos jogar. Até por isso, na impossibilidade de validar gol irregular, só restou ao apitador anular gols do Timão, o segundo deles, de forma muito duvidosa. Mesmo assim, desta vez Doronco não conseguiu comprometer o resultado, como já fizera nos três últimos jogos que apitou contra o Corinthians. 
De fato, o mar de Itaquera não estava pra Peixe e o resultado do jogo foi uma festa JÔnina, onde a atração principal foi a Barraca da Pesca e ainda teve caneta de brinde.
Carille conseguiu acertar o time no vestiário, que voltou para a etapa final com uma nova postura, com mais agilidade e boa movimentação, atuando com maturidade, sem afobação, com marcação segura e boa organização tática. 
Gols
Romero e Jô marcaram os gols corinthianos. Aos 24 minutos da etapa final, Fagner lançou a bola na área, Jô desviou de cabeça e Romero completou para o gol. Aos 29 minutos, Jadson mandou a bola pra área, Rodriguinho ajeitou, Jô deu um giro no ar para desviar de Vanderlei e fazer 2 a 0 para o Timão. Um golaço!!! 
Merecem destaque na partida Jô, com um gol e uma assistência, Romero, Rodriguinho, Fagner, Arana e Gabriel. Camacho também entrou bem. Só não entendi porque, vencendo de dois a zero e com um jogador a mais, Carille colocou o Felipe Bastos no time.
Com o resultado, o Corinthians, com 17 jogos sem perder, chega aos dez pontos e assume a segunda colocação na tabela do Campeonato Brasileiro, com o mesmo número de pontos do líder Chapecoense, mas com um gol a menos. O Santos, com três pontos, está em 17º lugar, portanto, na zona de rebaixamento. O resultado do jogo derrubou Dorival Júnior, o técnico do Peixe. 
Corinthians e Santos voltarão a campo pelo Campeonato Brasileiro na próxima quarta-feira, 07/06. O Timão visitará o Vasco da Gama em São Januário, às 21:45 horas, e o Santos enfrentará o Botafogo no Pacaembu, às 21:00 horas. 

Créditos e fontes de imagens e vídeo 
globoesporte.globo.com-twitter.com/@LiderSCCP-br.pinterest.com-MAON 
Sergio Barzaghi-Gazeta Press-gazetaesportiva.com 
youtube.com/GOLS TEMPO REAL-globo.com