sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Passou raspando

Melhores momentos
Após uma semana de muita expectativa e ansiedade, o Corinthians fez a lição de casa e passou raspando no teste para as quartas de final da Copa do Brasil. Sem ser brilhante e, em alguns momentos, até um pouco atrapalhado, levando alguns sustos nos contra ataques do adversário, o Timão venceu o Luverdense por 2 a 0 e vai enfrentar o Grêmio na próxima fase.
O valente time do Mato Grosso não ficou só se defendendo e nem se escondeu. Bem posicionado em campo, jogou de igual pra igual. Mas, a superioridade técnica do Corinthians fez a diferença, embora, como disse o Cássio, "o Luverdense jogou mais que muito time da série A." Além disso, pressionado pela necessidade de vencer por dois gols de diferença, nosso time demonstrou mais vontade em campo e o resultado poderia ser maior se não tivéssemos perdido tantos gols.
Mas, não fugimos muito do script. No 1º tempo o time jogou bem, marcou os dois gols que precisava e na etapa final, administrou o resultado.
Mesmo com alguns desfalques dos seus titulares, o Timão espantou a zebra. Sem Romarinho e Emerson, cumprindo suspensão e sem Renato Augusto, novamente lesionado, Douglas comandou o meio de campo corintiano com ótimos passes, enquanto Pato mostrou faro de gol e marcou o primeiro, além de ter iniciado a jogada do segundo.
Douglas assumiu a batuta e armou o jogo com maestria, voltando a jogar o bom futebol que sempre esperamos dele, com belos passes e deixando os companheiros na cara do gol. Passaram por ele a maioria das oportunidades de gol, infelizmente, nem sempre aproveitadas.
Pato, não só abriu o placar, mas também brigou muito, chamando a responsabilidade e buscando o jogo com muita vontade.
Guerrero apanhou muito, sofreu várias faltas e esteve extremamente irritado. E perdeu gols imperdíveis. Edenílson teve uma atuação muito aquém da sua capacidade e fez sua pior partida no Corinthians, possibilitando ao Luverdense suas maiores oportunidades. 
Apesar das dificuldades encontradas diante de um time de 3ª divisão, este foi um jogo inusitado. Após um jejum de mais de 1 ano, saiu um gol de falta. O último havia sido marcado por Douglas, no empate por 1 a 1 contra a Portuguesa, no Pacaembu, no dia 21 de julho, pelo Brasileirão de 2012. E Fábio Santos marcou um gol em que Ibson, de letra, deu o passe. 
Agora tenho certeza. São Jorge entrou em campo, os anjos são corinthianos e Deus é Fiel.
Apesar da noite gelada, a torcida não decepcionou. Quase 30 mil torcedores compareceram ao estádio, a quase totalidade corinthiana, para apoiar e empurrar o time. E o preço do ingresso não era dois reais.
O que destoou e causou surpresa foi a entrevista do Tite, que afirmou que com problemas no elenco será necessário priorizar uma das competições. Mas, alertado que os próximos jogos da Copa do Brasil serão em 23/09 e 25/10, mudou de posição e declarou que até lá o foco é o campeonato brasileiro.
A existência de problemas no elenco é preocupante por revelar problemas e equívocos no planejamento. Neste ano jogadores importantes do elenco foram descartados sem que houvesse uma reposição a altura. Alguns foram emprestados, outros negociados ou liberados e seus substitutos não corresponderam. A própria derrota pro Luverdense e os empates recorrentes no Brasileirão decorrem da fragilidade de algumas posições que não foram devidamente reforçadas. 
Se nesta prova passamos raspando, para a próxima precisamos estar melhor preparados, pois vamos enfrentar um time melhor estruturado e mais organizado. E até lá terá dois jogos por semana e, como declarou Tite, temos jogadores que precisam de um tempo maior de recuperação. Poderemos ter problemas e os jogadores emprestados, negociados e liberados farão falta. Para piorar, os que vieram da base para o profissional somente serão utilizados numa situação de emergência, pois Tite tem medo de "queimá-los". Mas, se não jogarem, como poderão adquirir a confiança e a experiência necessária para se firmarem como profissionais?
Aliviados com a classificação, novos desafios nos esperam. Urge que o time se fortaleça para os próximos embates e redefina algumas estratégias de atuação. E que a bolerada mantenha a disposição do último jogo e que encare cada jogo com uma decisão, como de fato são. Pois, independentemente do campeonato, é a camisa do Corinthians que está em jogo e quem a veste, tem a obrigação de fazer sempre o seu melhor.
Ficha Técnica - Corinthians 2 X 0 Luverdense
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP) 
Data: 28 de agosto de 2013, quarta-feira
Horário: 21:50 horas (de Brasília) 
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ) 
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Ivan Carlos Bohn (PR) 
Cartões amarelos: Fábio Santos (Corinthians). Rafael Prata, Braga, Carlão (Luverdense) 
Público: 28.576 pagantes
Renda: R$ 924.851,00
Gols: Corinthians: Alexandre Pato, aos 29, e Fábio Santos, aos 44 minutos do primeiro tempo
Corinthians: Cássio; Edenílson, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf e Ibson (Alessandro); Danilo, Douglas e Alexandre Pato (Léo); Guerrero. Técnico: Tite
Luverdense: Gabriel Leite; Raul Prata, Braga, Carlão e Edinho; Júlio Terceiro, Gilson, Washington (Marcelo Maciel) e Rafael Tavares; Tozin (Tatu) e Misael (Samuel) - Técnico: Júnior Rocha
Resumo da partida

Créditos e fontes de imagens e vídeos
meutimao.com.br
meutimao.com.br
globo.com/youtube.com
facebook.com/loucoporticorinthians
sportv.globo.com
globoesporte.globo.com
Rodrigo Capote/esporte.uol.com.br/meutimao.com.br
facebook.com/EuPresidenteRPC
Alex Silva/estadao.com.br
domingossccp.blogspot.com
Alex Silva/estadao.com.br
corinthians.com.br
esporte.uol.com.br
esporte.uol.com.br

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Copa do Brasil - Corinthians X Luverdense

Pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, o Corinthians enfrentará o Luverdense nesta 4ª feira, às 21:50 horas, no estádio do Pacaembu, precisando ganhar por 2 gols de diferença. Embora com um elenco muito superior técnica e financeiramente falando e com uma estrutura de 1º mundo, o Timão jogou muito mal e perdeu o jogo de ida por 1 a 0 e agora precisa correr atrás do prejuízo para continuar vivo na competição. Com uma vitória da equipe alvinegra por 1 a 0 a decisão vai para os pênaltis. Se o Luverdense marcar um gol avança com derrota por um gol de diferença e qualquer empate classifica o time de Lucas do Rio Verde.
Apesar de ser considerada favorita, grande é a pressão sobre a equipe corintiana devido à sua atuação muito abaixo do normal na partida de ida. Para reverter o resultado desfavorável, o time conta com o apoio de sua torcida no estádio do Pacaembu, que deverá ter um público semelhante à população de Lucas do Rio Verde.
Ficha  Técnica - Corinthians X Luverdense
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 28 de agosto de 2013, quarta-feira
Horário: 21:50 horas (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Ivan Carlos Bohn (PR)
Corinthians: Cássio; Edenílson, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf e Ibson; Danilo, Douglas e Alexandre Pato; Guerrero. Técnico: Tite
Luverdense: Gabriel Leite; Raul Prata, Braga, Renato e Edinho; Júlio Terceiro, Gilson, Washington e Rafael Tavares; Tozin e Misael. Técnico: Júnior Rocha
No banco do Corinthians estarão o goleiro Júlio Cesar, os laterais Alessandro e Igor, os zagueiros Felipe e Antonio Carlos, os volantes Maldonado e Jocinei e os atacantes Léo e Paulo Victor.
Com os desfalques de Guilherme e Renato Augusto, por contusão e de Émerson e Romarinho, suspensos por terem sido expulsos no jogo anterior, Tite terá um quarteto ofensivo inédito com Danilo, Douglas, Alexandre Pato e Guerrero.
Com Douglas, que tem entrado bem, o time ganha muito em capacidade de armação e criação. Infelizmente Danilo está numa fase ruim. Pato tem mais uma oportunidade para justificar o investimento feito pelo Corinthians e mostrar que está a altura de jogar no Timão e Guerrero, sempre esforçado e participativo, poderá se beneficiar muito da presença de Douglas, que consegue dar bons passes, armar boas jogadas e deixar os atacantes na cara do gol.
Pela superioridade do time alvinegro, temos plenas condições de, no Pacaembu, reverter o mau resultado do 1º jogo. Desta vez, não dá para recuar depois do 1º gol, pois precisamos do 2º. E a defesa não pode levar gol. O Fábio Santos precisa interditar aquela avenida de trânsito livre pela esquerda e o Paulo André ficar mais atento, pois os gols saem sempre por esse lado.
Espero que volte a valer o mantra: "se não for na técnica e se falhar a tática, vai na raça" e que os jogadores não se esqueçam de que tÊm a obrigação de honrar a camisa que vestem, tal como fizeram ídolos do nosso passado.

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
gazetaesportiva.net
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
Djalma Vassão/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
uol.com.br/ timaoblogfiel.blogspot.com/Maria Angélica

terça-feira, 27 de agosto de 2013

EMPAtiteBILIDADE - Episódio 8

Até parecia que dessa vez seria diferente e que a chacoalhada de perder de um time de 3ª divisão tinha mexido com os brios da bolerada. Começaram com tudo, foram pra cima e logo saiu o gol. Mas, como gol no início atrapalha e empate fora de casa é um bom resultado, segundo a filosofia do Adenor, o time não segurou o rojão, sofreu o empate e quase levou a virada.
Tite filosofou: "O time sentiu a intensidade que aplicou no primeiro tempo." o que significa  num português menos empolado, o time cansou. Até entendo que o corre corre, tendo que voltar pra marcar, possa cansar e desconcentrar os atacantes/volantes, mas, será que é só isso? Ou será que a preparação física está deixando a desejar? É um caso pra se pensar.
A verdade é que no 2º tempo o time cansou, recuou, o Vasco equilibrou o jogo, nossa zaga bobeou e o jogo empatou. Levamos o maior sufoco e o jogo quase virou. 
Mas, ninguém se estressou e 1 ponto fora de casa, teve até quem comemorou. Pena que os 2 pontos perdidos nem foram percebidos.
Dos 16 jogos realizados no campeonato, o Corinthians empatou 8, venceu 6 e perdeu 2, conseguindo apenas 26 pontos dos 48 disputados. Portanto, perdeu 22 pontos. 
Quanto à posição na tabela, caiu para o 5º lugar. Mas, o mais grave é a instabilidade do time, a queda de rendimento, a falta de gols e o fato de estar entre os piores ataques do campeonato. E, principalmente, não se fazer nada para mudar essa situação. Sim, porque o time continua na mesmice de sempre, com a mesma tática e as mesmas jogadas, tudo muito previsível e facilmente anulável por qualquer técnico mais atento. E, com algumas exceções, com a mesma falta de vontade e de garra em campo.
E as justificativas de que o time está se reajustando são pouco convincentes e escamoteiam erros de planejamento de uma diretoria e comissão técnica que descartam jogadores experientes e jovens promissores, não sabem ou não gostam de trabalhar com a base, que contrata sem muito critério, pois gasta muito com jogadores com histórico de lesão, fala em diminuir a média de idade do elenco, deixando sair bons jogadores experientes, com história no clube e contrata outros, até mais velhos, fora de forma e de qualidade duvidosa. 
Não sei se os jogadores que permaneceram, por terem ganho tudo, perderam a ambição, se está havendo fadiga de material, se está havendo problemas de relacionamento e o técnico não tem mais o grupo na mão e que essa situação possa estar refletindo na postura do grupo. Só sei que o velho mantra, "se não for na técnica e se falhar a tática, vai na raça" não está funcionando e tem horas que chego a temer que o barco esteja afundando. Hoje falta atitude, falta postura, falta raça e a maioria parece pouco se importar com o resultado. Boa estrutura, salários altos e em dia e pouca produtividade. Tudo muito estranho e inexplicável para nós que não temos acesso aos vestiários e ao dia a dia do CT e ficamos a mercê das informações da mídia e das falas durante as entrevistas, sempre repetitivas e cheia de chavões ou com o palavreado empolado que escamoteia a realidade dos fatos.
Nem vou comentar o jogo, pois seria muito repetitivo. Seria igual a muitos posts anteriores, apenas trocando alguns nomes e as datas.
Apenas vou ressaltar a postura aguerrida do Ralf e do Guerrero, destoando dos demais jogadores, e a boa atuação do Douglas que além de melhorar muito a criação, atuou até como atacante e mesmo como zagueiro. Tomara que desta vez, o Maestro esteja, realmente, de volta e seu futebol volte a brilhar.
Creio que o vídeo dos melhores momentos, a ficha técnica e as estatísticas falem por si, embora para quem viu o jogo, eles apenas confirmem o que ocorreu em campo.
Resumo do jogo
Estatísticas
Ficha Técnica - Vasco 1 X 1 Corinthians
Local: estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data: 25 de agosto de 2013, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Marcelo Bertanha Barison (RS)
Cartões amarelos: Abuda, Fagner e Pedro Ken (Vasco); Danilo, Ibson, Paulo André, Guerrero e Ralf (Corinthians)
Gols: Vasco: André, aos nove minutos do segundo tempo; Corinthians: Guerrero, aos três minutos do primeiro tempo
Vasco: Diogo Silva; Fagner, Cris, Rafael Vaz e Yotún; Abuda, Wendel (Willie), Pedro Ken e Juninho; Marlone (Edmílson) e André (Tenório). Técnico: Dorival Júnior
Corinthians: Cássio, Edenílson, Paulo André, Gil e Fábio Santos; Ralf e Ibson; Danilo (Romarinho), Douglas e Emerson (Alexandre Pato); Guerrero (Alessandro). Técnico: Tite

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br
Andressa Anholete/meutimao.com.br
Ed Ferreira/Agência Estado/estadao.com.br
Ed Ferreira/Agência Estado/estadao.com.br
Ed Ferreira/Agência Estado/estadao.com.br
youtube.com
esporte.uol.com.br 
esporte.uol.com.br

domingo, 25 de agosto de 2013

Vasco X Corinthians

Depois do vexame na sua estreia na Copa do Brasil, o Corinthians volta a campo neste domingo, às 16 horas, para enfrentar o Vasco, na 16ª rodada do campeonato Brasileiro, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. O Timão é o 4º colocado com 25 pontos enquanto o o Vasco, com 19, está na 12ª posição. Nos confrontos entre as duas equipes, o Corinthians tem 36 vitórias, 28 empates e 22 derrotas. Enquanto o time alvinegro tenta dar a volta por cima depois da  derrota na Copa do Brasil, no Vasco, seus jogadores, de olho na recuperação no Campeonato Brasileiro, almejam a vitória e a superação, pois o time cruz maltino vem se arrastando na faixa intermediária da tabela, alternando jogos bons e ruins, como o último, uma derrota em casa para o Grêmio.
Ficha Técnica - Vasco X Corinthians
Local: estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data: 25 de agosto de 2013, domingo
Hora: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Marcelo Bertanha Barison (RS)
Vasco: Diogo Silva; Fagner, Cris, Rafael Vaz e Yotún; Abuda, Wendel, Pedro Ken e Juninho; Éder Luis e André. Técnico: Dorival Júnior
Corinthians: Cássio; Edenílson, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Ibson; Danilo, Douglas e Sheik; Paolo Guerrero. Técnico: Tite
A equipe carioca terá a volta dos jogadores poupados na Copa do Brasil no meio da semana, o zagueiro Rafael Vaz, o meio-campista Juninho Pernambucano e o atacante André. O lateral esquerdo Yotún retoma a sua condição de titular e Cris será mantido no sistema defensivo.
No Corinthians, o time já está escalado e além dos titulares, também viajaram para Brasília, o goleiro Walter, os laterais Alessandro e Igor, o zagueiro Felipe, os volantes Maldonado e Jocinei e os atacantes Romarinho, Alexandre Pato e Léo.
Na defesa, teremos a volta do Fábio Santos e Paulo André e no ataque a de Émerson. Mas, a grande novidade no Timão é a volta do Maestro Douglas. Apesar da irregularidade com que vem se apresentando no Corinthians, alternando bom desempenho com maus jogos, o meia tem qualidade indiscutível, sabe tratar a bola e pode deixar os atacantes na cara do gol. 
No sistema defensivo levamos uma grande vantagem, pois enquanto o adversário tem a segunda pior defesa, o Timão tem a melhor defesa do Campeonato Brasileiro. O que nos preocupa mais é o ataque, que vem errando finalizações e perdendo gols em demasia.
Tite não mudou o esquema tático e jogaremos no tradicional 4 2 3 1, com Douglas na criação, Émerson e Danilo abertos pelos lados e com Guerrero como referência na frente.
A expectativa é de um jogo equilibrado. Precisamos da vitória para não nos distanciarmos dos primeiros colocados enquanto o Vasco vai brigar para avançar na tabela. Espero que a derrota para um time de 3ª divisão tenha dado uma chacoalhada no time do Corinthians e que tenha servido para mexer com os brios dos jogadores e da comissão técnica.

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
facebook.com/loucoporticorinthians
Facebook.com/fotos do mural

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Vexame na estreia da Copa do Brasil

Melhores momentos
Raiva, vergonha, indignação. Estes foram os sentimentos predominantes da maioria dos torcedores corinthianos após a derrota do Corinthians na sua estreia na Copa do Brasil. Tal como aconteceu em muitos jogos do campeonato Paulista, quando levamos sufoco e fomos derrotados por times de 3ª divisão, perdemos do Luverdense, um time com uma estrutura deficitária e cuja folha de pagamento mensal, R$250,00, é menor que o salário dos principais jogadores do Corinthians. 
Não se trata de desrespeitar o Luverdense, pois, o que esse time, limitado tecnicamente e com uma estrutura deficitária mais merece é respeito.
Respeito pela sua luta em campo, pela sua coragem, pela sua garra, pela sua determinação, pela sua ousadia, pela sua alegria, pela superação de suas dificuldades. Respeito por não ter se encolhido e por não ter ido a campo para tietar os campeões mundiais, mas para jogar futebol e enfrentar de igual para igual medalhões famosos  e estrelas do futebol mundial.
Coragem, garra e determinação que o Corinthians não teve em campo. Ousadia que faltou ao time que apresentou um futebol medíocre, uma tática mais que manjada, sem variação, sem jogada ensaiada, sem garra. Perdidos em campo, desarticulados, nervosos e desastrados, nossos jogadores não conseguiram manter a posse de bola, (57,72% para o time da casa), finalizou apenas 4 vezes e 3 erradas e a defesa permitiu que o Luverdense finalizasse 12 vezes. Respeito que faltou com a Fiel que pagou R$120,00 o ingresso, fora as despesas com locomoção e alimentação. Custo muito caro para ver um espetáculo de horrores.
Muitos vão dizer que a arbitragem foi muito ruim e que o gol foi irregular, o que é verdade. Mas, muito pior que a arbitragem foi o futebol apresentado pelo Corinthians. O time foi tão mal que não dá nem pra xingar o juiz.
Repetimos nacionalmente o vexame Tolima de 2011. E não dá para o Pato pagar o pato, embora ele não tenha jogado nada. Com exceção de Gil, Ralf e Guerrero, o time foi um fiasco.
Na defesa, Cássio caçou borboleta e bateu roupa, Igor teve seu pior desempenho, Alessandro ressentiu a falta de ritmo e Felipe errou em demasia, inclusive no lance do gol. Só salvou o Gil.
No meio campo, só o Ralf jogou pra valer. Ibson é péssimo e ainda não entendi porque foi contratado, Danilo não criou nada e sem o apoio dos laterais, os atacantes, além de terem que cobrir os laterais, precisavam voltar pra marcar e para buscar a bola que não chegava. E o esforçado do Guerrero pegava a boa no meio campo e não tinha pra quem passá-la, pois seria ele, pela lógica, quem deveria recebê-la. Romarinho, de Jorge Henrique cover, não tem a mesma qualidade técnica do original, que por suas habilidades, conseguia ser atacante, volante, zagueiro e lateral. Como atacante não sabe marcar, faz faltas bobas e desnecessárias, levando muitos cartões. É o que dá jogar fora da posição. Aumenta o risco de expulsões. E o Émerson, esquentadinho e descontrolado, depois das confusões em que se meteu, perdeu a chance de se recuperar com a torcida e com o técnico e acabou sendo expulso por brigar em campo.
Mas, não dá para por tudo na conta dos jogadores. Quando os músicos de uma orquestra desafinam, o maestro é o maior responsável. E o regente de um time de futebol é seu técnico. E, assim como o maestro tem que variar o repertório e cuidar da afinação dos instrumentos, o técnico tem que buscar novas variações táticas e não repetir sempre as mesmas jogadas. E treinar os fundamentos a exaustão, para que o jogo não seja comprometido por lances que desafinem a harmonia do conjunto. E isso não deve estar sendo bem feito pelo Tite, porque se fosse uma orquestra o time do Corinthians seria um conjunto desafinado e de repertório monotemático, cuja atuação impediria que os talentos individuais pudessem se manifestar. E isso é evidente no ataque que não faz gol e nos meias que não criam porque precisam marcar. Isso sem falar no descarte de jogadores que faziam a diferença e na contratação de outros que beiram a mediocridade. E muitos dos descartados estão fazendo a diferença e gols, atuando em times rivais.
O que precisamos é de um choque de gestão capaz de sair da mesmice que nosso Corinthians está se tornando, de recuperar a raça perdida, de reciclar estratégias e posturas e de um maior comprometimento. E de coragem para mudar, inclusive pessoas nos cargos e posições. E não falo isso pelas derrotas, pois perder e ganhar fazem parte do jogo, mas pela falta de empenho, de atitude, de responsabilidade e de comprometimento.
Vive a época do jejum e nos 23 anos em que não comemoramos títulos não vimos nada semelhante ao que vemos hoje. Se faltavam títulos, não faltavam empenho e comprometimento e por isso a torcida crescia e se multiplicava.
E a torcida atual precisa acordar e resgatar as lutas do passado. Apoiar sempre, mas criticar os erros e exigir que sejam corrigidos. Cobrar compromisso, postura, atitude e seriedade de todos os profissionais. E exigir respeito com a nossa camisa e com a instituição Sport Club Corinthians Paulista.
Resumo do jogo
Ficha Técnica - Luverdense 1 X 0 Corinthians
Local: Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde (MT)
Data: 21 de agosto de 2013, quarta-feira
Horário: 21:50 horas (de Brasília)
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (ES)
Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Adson Márcio Lopes Leal (BA)
Cartões amarelos: Braga e Carlão (Luverdense); Alexandre Pato (Corinthians)
Cartões vermelhos: Romarinho e Emerson (Corinthians); Zé Roberto (Luverdense)
Gol: Misael, aos 44 minutos do segundo tempo
Luverdense: Gabriel Leite; Raul Prata, Zé Roberto, Braga e Edinho; Julio Terceiro (Carlão), Gilson, Washington e Rafael Tavares (Samuel); Misael e Tozin (Tatu). Técnico: Júnior Rocha
Corinthians: Cássio; Edenílson, Felipe, Gil e Igor (Edenílson); Ralf e Ibson; Romarinho, Danilo e Alexandre Pato (Emerson); Guerrero. Técnico: Tite

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br
globoesporte.globo.com
globo.com/youtube.com
esporte.uol.com.br
esporte.uol.com.br

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Copa do Brasil - Luverdense X Corinthians

Depois de uma maratona por esse Brasilsão afora, com voo fretado até Sinop e mais duas horas de ônibus, o Corinthians vai enfrentar o Luverdense pelas oitavas de final da Copa do Brasil, no Município de Lucas do Rio Verde, nesta 4ª feira, às 21:50 horas no estádio Passo das Emas.
Sem disputar uma partida da Copa do Brasil desde 1º de julho de 2009, quando empatou com o Internacional em Porto Alegre e conquistou seu tricampeonato, o Corinthians, por ter obtido sua classificação para a Libertadores, já estreia nas oitavas de final, enfrentando um time da terceira divisão no futebol nacional.
Para o confronto, o acanhado estádio do Luverdense teve sua capacidade ampliada para mais de nove mil lugares, com a construção de arquibancadas modulares e o estado do gramado deixa muito a desejar, colocando em risco os jogadores.
Com o objetivo de fazer caixa, o time local elevou o preço dos ingressos e para os setores populares o valor cobrado foi de R$120,00. Todos os lugares foram esgotados antecipadamente, e a renda ultrapassará R$ 1 milhão.
O Corinthians, campeão em 1995, 2002 e 2009, inicia a busca pelo seu quarto título da competição e vê na Copa do Brasil um dos caminhos para disputar a Taça Libertadores da América pela quinta vez consecutiva. A Copa do Brasil é o único título que o técnico Tite ainda não tem no do Timão.
Ficha Técnica - Luverdense X Corinthians
Local: Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde (MT)
Data: 21 de agosto de 2013, quarta-feira
Horário: 21:50 horas (de Brasília)
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (ES)
Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Adson Marcio Lopes Leal (BA)
Luverdense: Gabriel Leite; Raul Prata, Zé Roberto, Braga e Edinho; Julio Terceiro, Gilson, Washington e Rafael Tavares; Misael e Tozin. Técnico: Júnior Rocha
Corinthians: Cássio; Edenílson, Felipe, Gil e Igor; Ralf e Ibson; Romarinho, Danilo e Pato; Guerrero. Técnico: Tite
Sem quatro jogadores considerados titulares, Paulo André, Fábio Santos, Guilherme e Renato Augusto, todos vetados pelos departamentos físico e médico e com Edenilson e Émerson no banco, por opção do treinador, o Corinthians fará sua estreia na Copa do Brasil com um equipe bastante modificada.
Edenilson, na avaliação do técnico, teve uma sequência de partidas e sai para a entrada de Alessandro, que terá nova chance no time titular. Emerson, que no último jogo foi mal e, ao ser substituído, saiu irritado do campo, começará no banco de reservas. Alexandre Pato, mesmo não tendo agradado na vitória suada contra o Coritiba, começará o jogo como ponta pela esquerda, formando dupla com Guerrero. Pato, que não tem características de centro avante e rende mais pelas pontas, terá uma excelente oportunidade de mostrar serviço e de se firmar no time.
Tite declarou que o time está em reconstrução e ainda está trabalhando para reencontrar o seu melhor momento depois das mudanças que ocorreram no elenco após o Mundial de 2012.
Tudo indica que o Luverdense, time da terceira divisão  e de apenas 9 anos de idade, é o adversário ideal para testar as mudanças promovidas. No entanto, todo cuidado é pouco, porque no Paulistão passamos sufoco e mesmo fomos derrotados por times da terceira e até da 4ª divisão. Não podemos entrar de salto alto e achar que o jogo vai ser ganho na hora que o time quiser. Mas, também, não podemos ter um respeito além do normal e ter dó do adversário. Num jogo de mata mata, o Luverdense não vai poder se fechar na retranca, porque sabe que terá menos chances no jogo de volta no Pacaembu. E, num jogo aberto, não temos que esperar o adversário. Temos que ir pra cima e liquidar a fatura já no 1º jogo, pois temos time para isso. 
Pela recepção da chegada, pelo treino com 2000 pessoas assistindo o rachão e com todos os ingressos vendidos, apesar dos preços abusivos, teremos um bom público, com a presença de corinthianos mato grossenses e daqueles que vão em busca do espetáculo e para ver o campeão do mundo jogar. Não podemos decepcionar o público e o time tem a obrigação moral de dar o seu melhor e de mostrar aos presentes no estádio a garra, a raça e a técnica de um campeão.

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
facebook.com/Corinthianos do Brasil
gazetaesportiva.net
facebook.com/Gilmar Ribeiro Rodrigues/CorinthiansNaVeia
meutimao.com.br
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
facebook.com/Mauricio Sumagawa
facebook.com/corinthians
facebook.com/ScCorinthians1910

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Venceu mas não convenceu

Melhores momentos
Em mais um jogo truncado, com muitas faltas, feio e decepcionante, o Corinthians venceu por 1 a 0 o desfalcado e remendado time do Coritiba em pleno Pacaembu. Com o resultado, voltamos ao G4, embora jogando mal. E só vencemos devido a um pênalti nos últimos minutos, cobrado e convertido magistralmente pelo Guerrero. Pênalti que gerou muita polêmica e foi contestado pelos jogadores do Coxa e pela anticorinthianada. Mas, se empurrão de zagueiro dentro da área derrubando o jogador adversário não for pênalti o que será necessário para o juiz marcar? Fratura exposta ou sangue jorrando?
No jogo contra o Coxa o Corinthians teve a mesma dificuldade que tem encontrado em partidas em que os times atuam muito fechados. Com as jogadas de sempre, as tabelas entre Fábio Santos e Emerson, resultando geralmente em cruzamentos ou chutes tortos e com Danilo pródigo nos carrinhos e nas divididas mais ríspidas, o gol só saiu aos 45 minutos do 2º tempo, com o pênalti de Luccas Claro em Danilo. Tite até tentou mudar o jogo, invertendo as posições de Émerson e Renato Augusto, mas mesmo assim a criação continuou precária e o ataque lento. E para piorar, quando a bola chegava ou se errava o chute ou o goleiro do Coxa defendia. Mesmo assim, o time voltou igual para o 2º tempo e o técnico só começou a mexer aos 11 minutos quando trocou o Émerson pelo Romarinho e logo após, atendendo aos apelos da torcida, colocou Guerrero no lugar do Alexandre Pato, que saiu vaiado por alguns torcedores. Está certo que o atacante perdeu alguns gols, mas ele não pode ser o bode expiatório do setor ofensivo. Ele não tem características de centro avante e costuma render mais jogando pelas pontas. Além disso, se o meio campo cria pouco, a situação fica complicada para os atacantes.
Aos 21 minutos, Tite resolveu substituir o Renato Augusto por Douglas, que deu um novo gaz no time, mas sem conseguir furar a retranca adversária. A partida continuou travada e com muitas faltas no meio campo.
Somente aos 45 minutos, quando Danilo foi derrubado dentro da área por Luccas Claro e o juiz marcou o pênalti, saiu o gol, numa cobrança precisa do Guerrero. Apesar do chororó dos jogadores do Coritiba, o pênalti foi claro. Danilo foi empurrado pelo zagueiro dentro da área e foi ao chão. Como é possível observar no vídeo, não foi um simples esbarrão numa dividida de bola, foi um empurrão com o braço.
Danilo, que sofreu o pênalti, garantiu que foi derrubado no lance e declarou: "Meu pensamento era chegar primeiro na bola e esperar a trombada, eu botei o corpo na frente. Mas zagueiro costuma levar a pior dentro da área em lances como esse" (...) "Se o juiz deu, é porque foi".
Embora tenha demonstrado mais vontade do que no jogo anterior, o time como um todo ficou devendo e volto a insistir que o problema é mais tático do que técnico. É preciso explorar mais chutes de longa distância e melhorar a transição do meio campo para o ataque, ou seja, menos correria e mais cérebro.
O próprio Tite reconheceu que o time não rendeu o esperado e preferiu não criticar a atuação individual de nenhum jogador. E na tentativa de justificar a má atuação afirmou que "futebol também se faz com erros, com acertos, com repetição e com calma para trabalhar". Para o técnico, a equipe está numa fase de reajuste e mesmo não criando tanto, está com volume de jogo. E justificou o resultado, lembrando que o time está há nove jogos sem perder.
O que precisa ser encarado de frente é a má fase do ataque, em parte consequência de problemas no meio campo que tem encontrado muita dificuldade na criação e na armação das jogadas bem como dos recorrentes erros de finalizações. Muito presos à marcação, meias e laterais pouco têm contribuído com o setor ofensivo, obrigando os atacantes a virem buscar a bola na intermediária.
Com um desempenho muito aquém do esperado, diante de um time com 6 desfalques, o Corinthians venceu mas não convenceu. No balanço geral, valeram os três pontos.
Como de praxe, a Fiel fez a sua parte. 33545 torcedores estiveram no Pacaembu, com predomínio total da torcida alvinegra. E com ingressos a preços normais e não a dois reais.
Ficha Técnica - Corinthians 1 X 0 Coritiba
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 18 de agosto de 2013, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols (RJ)
Assistentes: Kleber Lúcio Gil e Nadine Schramm Camara Bastos (ambos de SC)
Público: 31.519 pagantes (total de 33.545)
Renda: R$ 1.060.923,50
Cartões amarelos: Emerson e Gil (Corinthians); Bill, Diogo e Luccas Claro (Coritiba)
Gol: Corinthians: Guerrero, aos 45 minutos do segundo tempo
Corinthians: Cássio; Edenílson, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Ibson, Renato Augusto (Douglas), Danilo e Emerson (Romarinho); Alexandre Pato (Guerrero). Técnico: Tite
Coritiba: Vanderlei; Victor Ferraz, Luccas Claro, Chico e Diogo; Junior Urso, Gil, Robinho e Bottinelli; Arthur (Zé Rafael) e Bill (Júlio Cesar). Técnico: Marquinhos Santos
Resumo da partida
Números da partida

Créditos e fontes de imagens e vídeos
meutimao.com.br
globoesporte.globo.com
foxsports.com.br/Youtube.com
meutimao.com.br
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
timaodafiel.com.br/youtube.com
Marcelo Pereira/esportes.terra.com.br
domingossccp.blogspot.com
esporte.uol.com.br
esporte.uol.com.br
numerosdotimao.blogspot.com.br