quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Renovando as esperanças

Melhores momentos
Os últimos jogos do Corinthians mostram uma evolução do time na temporada e enche de esperanças seus torcedores. Embora sem o brilho de outros tempos, o time vai se encontrando. Conseguiu estancar as derrotas, fez as pazes com os gols e com as vitórias. 
Com o elenco renovado, com uma nova postura em campo, com jogadores empenhados em construir um futuro promissor e não em usufruir as glórias do passado, com um time mais ofensivo, aos poucos as peças estão se encaixando e a cada nova estreia, renovam-se as esperanças e o otimismo.
Mano teve a coragem de romper com o esquema anterior, de desfazer a panela, de buscar novos jogadores, de enquadrar os antigos e de impor um novo padrão tático. Quem não se enquadrou, espirrou. Ou foi espirrado...
Mas, nem tudo são flores, até porque as mais belas, tem seus espinhos. E, no último jogo, muitos espinhos nos espetaram, fazendo-nos sangrar de sustos e de muita pancadaria.
Sim, o Comercial não veio para jogar, mas para marcar e bater. Na marcação, até que foram bem, pois marcando individualmente, dificultaram muito a vida do Jadson, do Romarinho e do Guerrero, na criação e no ataque, obrigando o Bruno Henrique a assumir a armação. Mas, na pancadaria, exageraram. Bateram sem dó nem piedade e o juiz, pouco enérgico, deixou a agressão correr solta.
O jogo foi feio, truncado com faltas e ainda acabamos perdendo o Guerrero por contusão. Sem conseguir o tão almejado gol, ele, que apanhou muito, deixou o campo com suspeita de contusão grave no joelho. Eta zica Bárbara. Felizmente, parece que não é tão grave como pareceu num 1º momento, mas ainda são aguardados os resultados dos exames.
Com a saída do Guerrero, parecia que o jogo iria piorar. Mano colocou em campo um garoto de 20 anos, recém chegado do Avaí, que pouco havia treinado. E que no 1º lance abriu o placar num cruzamento de Uendel. E o garoto Luciano, vibrando muito e aplaudido pelos companheiros, chorou na comemoração.
No 2º tempo, embora Jadson, conseguindo quebrar a marcação já criasse algumas jogadas, o Corinthians não conseguia ampliar o placar e se contentava em administrar o resultado. Mas, a noite era do Luciano e aos 44 minutos, quando a bola chegou para ele na entrada da área, ele iludiu a marcação e acertou um bom chute rasteiro no canto direito do gol adversário. Um golaço.
Mas, o jogo ainda não tinha acabado e aos 48, no último lance, após cobrança de escanteio, Gil cabeceou e fez seu 1º gol com a camisa do Timão.
Mano Menezes reconheceu que o jogo não foi brilhante, mas gostou do comportamento da equipe na busca pelo resultado diante de um adversário que se fechou bastante.
“Não foi um jogo brilhante. Em determinados momentos, esteve até longe de ser brilhante. Mas a equipe não sofreu gols, ofereceu muito pouco ao adversário. Você separa os fundamentos e vê que a equipe vem amadurecendo. Fizemos um jogo médio e soubemos encontrar o caminho para a vitória. É um fato positivo que a gente leva”, afirmou o técnico.
Segundo ele, a falta de brilho do jogo teve a ver com o tipo de marcação proposto pelos visitantes. Levi grudou em Jadson durante todo o primeiro tempo até ser substituído por causa do cartão amarelo. Romarinho teve a companhia constante de Xaves.
“A equipe foi madura, porque foi um jogo de marcação forte, com marcação individual dentro do campo de defesa para Jadson, para Romarinho, para Guerrero, que é o centroavante, nem se fala. Os alas espetaram nos nossos laterais. Tivemos um pouco de dificuldade, mas tivemos muito controle do jogo e paciência”, comentou Mano.
Se o Timão não foi brilhante, teve inteligência e segurança suficientes para superar as dificuldades impostas pela forte e violenta marcação do adversário. A participação do Luciano foi fundamental para a vitória. Além de ter feito dois gols, ele se mostrou um jogador destemido e abusado. Deu chapéu, confundiu a marcação adversária e sempre apareceu para tabelar com os companheiros.
Grupo B
A vitória deixou o Corinthians com 17 pontos, contra 18 do Ituano e 19 do Botafogo. Os primeiros colocados do Grupo B entrarão em campo entre sexta-feira e sábado, pressionados pela ascensão alvinegra. O Comercial, estacionado nos oito pontos, há quatro rodadas do final da primeira fase, segue na luta contra o rebaixamento.
O Timão volta a jogar na próxima quarta feira contra o Linense e o Comercial, no mesmo dia, receberá o Ituano em Ribeirão Preto.
Ainda longe do ideal, o Corinthians está melhorando a cada jogo. Quanto a possibilidade de classificação, não depende só dele. Mas, o importante é que o time está evoluindo e encontrando um padrão de jogo, o que nos dá esperanças de uma boa atuação na Copa do Brasil e no Brasileirão.
Ficha Técnica - Corinthians 3 X 0 Comercial
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 26 de fevereiro de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: José Cláudio Rocha Filho (SP)
Assistentes: Marco Antônio Gonzaga da Silva e Fábio Rogério Baesteiro (ambos de SP)
Público: 11.648 pagantes;  total: 12.873
Renda: R$ 343.435,90
Cartões amarelos: Danilo (Corinthians); Levi, Mateus e William Simões (Comercial)
Gols: Corinthians: Luciano, aos 42 minutos do primeiro tempo e aos 44 minutos do segundo tempo; Gil, aos 48 minutos do segundo tempo
Corinthians: Cássio; Fagner, Cleber, Gil e Uendel; Ralf, Guilherme, Bruno Henrique e Jadson (Paulo Victor); Romarinho (Danilo) e Guerrero (Luciano); Técnico: Mano Menezes
Comercial: Marcelo Henrique; Marcos Pimentel (Cassiano Bodini), Luiz Eduardo, Edimar e Willian Simões (Ralph); Xaves, Levi (João Henrique), Patrick e Mateus; Clebinho e Edson; Técnico: Vagner Benazzi
Escalação
 Resumo do jogo

Créditos e fontes de imagens e vídeos
esportes.terra.com.br
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
globo.com
Alan Morici/esportes.terra.com.br
globoesporte.globo.com
Alan Morici/esportes.terra.com.br
Alan Morici/esportes.terra.com.br
Alan Morici/esportes.terra.com.br
globo.com
esporte.uol.com.br
facebook.com/SC Corinthians
esporte.uol.com.br
esporte.uol.com.br

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Corinthians X Comercial

Com o ânimo renovado, após estancar as derrotas e voltar a vencer dois jogos seguidos, o Corinthians enfrentará o Comercial, nesta 4ª feira, 26/02, às 22 horas, no estádio do Pacaembu. Sem perder há quatro partidas, mas ainda numa situação complicada na tabela do Grupo B, em 4º lugar, com cinco pontos atrás do líder e quatro atrás da zona de classificação às quartas de final, o Timão precisa da vitória e tem que torcer pelo fracasso de seus concorrentes do Grupo B.
O adversário do Corinthians não faz boa campanha, vive crise por salários atrasados e até ameaçou não entrar em campo. Ele voltou a perder na última rodada, após uma rápida ameaça de reação, e divide a lanterna do Grupo A com o Atlético Sorocaba. Um empate no Pacaembu será comemorado pelo técnico Vagner Benazzi.
Ficha Técnica - Corinthians X Comercial
Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 26 de fevereiro de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: José Cláudio Rocha Filho
Assistentes: Marco Antônio Gonzaga da Silva e Fábio Rogério Baesteiro
Corinthians: Cássio; Fagner, Cleber, Gil e Uendel; Ralf, Guilherme e Bruno Henrique; Romarinho e Jadson; Guerrero; Técnico: Mano Menezes
Comercial: Marcelo Henrique; Marcos Pimentel, Edimar, Reniê e William Simões; Xaves, Marcos Vinícius, Marcone e Mateus; Clebinho e Edson; Técnico: Vagner Benazzi
Estão fora, no Corinthians, Renato Augusto, Fábio Santos e Emerson, todos em fase final de recuperação de lesões. No Comercial, o goleiro Júlio Sérgio, o lateral Graffite, o zagueiro Reniê e o meia Marcelo Toscano, contundidos e o meia Cacá, por opção do técnico.
No banco de reservas, Mano Menezes terá Walter, (goleiro); Guilherme Andrade, (lateral); Felipe, (zagueiro); Rodriguinho, Luciano e Danilo (meias); e Paulinho (atacante).
Embora tenha fechado o treino tático para a imprensa, Mano deverá manter o mesmo time que venceu o Rio Claro.
Na defesa, Cléber agradou mais que Felipe e ainda fez um gol. Ainda sem poder contar com Fábio Santos, Uendel continua na lateral.
No meio campo, permanecem os três volantes, com Ralf mais fixo e com Bruno Henrique e Guilherme com liberdade para avançarem e com Jadson responsável pela armação, enquanto no ataque, permanece a dupla Romarinho e Guerrero.
Mano Menezes fechou a 1ª parte do treino para a imprensa, mas afirmou que quer dar sequência à formação que ele considera ideal para o momento. 
"Colocamos poucas vezes a mesma formação em campo e estamos indo na direção deste padrão, então precisamos caminhar na direção correta", afirmou Mano.
Considerando as condições técnicas do adversário, bem como o bom momento do Timão e o fator casa, o Corinthians tem plenas condições de fazer um bom jogo, vencer e conquistar os três pontos. Mas, mesmo vencendo este e os demais jogos, não terá garantida a classificação, pois o regulamento esdrúxulo do campeonato, que não prevê a disputa com os times do mesmo grupo, coloca-nos na dependência do fracasso dos adversários do grupo.
Mesmo assim, um bom desempenho hoje é fundamental para o sucesso na temporada 2014.

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
gazetaesportiva.net
gazetaesportiva.net
globoesporte.globo.com
facebook.com/Zagueiro Gil
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
facebook.com/Torcedores Corinthianos/vaicorinthians

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Já tem cara de time

Melhores momentos
Depois de alguns sustos e de amargar maus resultados, quando alguns até consideravam que o Corinthians estava morto, eis que, qual Fênix, o Timão ressurge e vai mostrando sua nova cara.
O que deveria estar pronto para iniciar a curta pré temporada e, dar um pouco de tranquilidade no início do campeonato, não aconteceu. Iniciamos o ano e o Paulistão com a mesma base dos desmotivados de 2013 e após um início com duas vitórias, começaram os tropeços e os apertos.
Sem a necessidade de ser grato aos jogadores, Mano mudou o esquema e os equívocos tornaram-se evidentes. A melhor defesa só era a melhor porque todos marcavam e a marcação era a prioridade tática. Com cada um tendo que assumir a função correspondente ao seu setor, defender, criar e fazer gol, a fragilidade da zaga ficou evidente, a defesa virou uma peneira, o meio campo não sabia criar nem os atacantes sabiam golear. De tanto marcar não sabiam mais armar nem atacar. Sem auxílio na marcação, na época em que atacante virava volante e tinha que cobrir lateral, azedou para  a defesa, que teve suas dificuldades ampliadas pela mudança nas laterais, não só pelo desentrosamento, mas pelas características ofensivas dos novos jogadores.
Consequentemente, o desempenho piorou. Ruiu a melhor defesa e o ataque continuou sendo um mau ataque. Mano mexeu nas peças que tinha a seu dispor, mudou o meio campo, o ataque e não adiantou. O desempenho não melhorou, os resultados não vieram, a torcida reclamou e cobrou. E, assim como parafuso, é na hora do aperto que sabemos qual é o jogador que funciona. E quem espanou, do time espirrou.
E o que deveria ser fruto de um planejamento e acontecer naturalmente, acabou ocorrendo num clima de tensão e desequilíbrio e em momento inoportuno e inadequado. A situação se complicou e pode ser comparada à necessidade de trocar os pneus e regular o motor do carro com o veículo em movimento, com todos os transtornos que isso possa representar. Nesse processo, amargando derrotas, parecíamos ter chegado ao fundo do poço e que tudo estava perdido..
O grande desafio era fazer o carro andar e chegar ao seu destino, trocando e ajustando as peças no caminho. E a grande surpresa é que algumas peças que chegaram, inclusive o novo motor, ajustaram-se perfeitamente e até contribuíram para recondicionar algumas peças avariadas. E trocando uma peça aqui, outra acolá, apertando alguns parafusos, ajustando algumas engrenagens, o veículo voltou a andar. De início, dando umas afogadas e depois acertando a marcha. Ainda não dá para deslizar na velocidade máxima, mas já não para tanto nas oficinas da estrada.
Nos três últimos jogos já foi possível constatar que, após tantos percalços e trocas, agora temos um time e não mais um amontoado de jogadores perdidos em campo. Já existe uma definição e uma articulação entre os setores do campo, o meio campo está criando, os atacantes estão chutando a gol, e mesmo errando, estão finalizando. E o Romarinho, ressuscitando.
Obviamente, nem tudo está perfeito. Estamos sofrendo para ajustar a defesa; parece que acertamos a zaga mas temos que arrumar as laterais, que estão deixando de marcar e criando imensas avenidas, principalmente pela esquerda do campo. A bola tem chegado ao ataque, mas de efetivo e intenso, só temos o Romarinho. Guerrero está em má fase e com uma zica Bárbara, o Émerson continua tri atleta, corre, pedala e nada... Os garotos que vieram da base precisam de mais experiência.
No meio campo, enquanto o Jadson, de chuteiras, comanda o espetáculo, Renato Augusto, o moço de cristal, continua se preparando para reestrear, Danilo no último jogo entrou bem, Guilherme atua na bipolaridade, alternando bons e maus momentos, Ralf continua brigador, mas erra muitos passes e Bruno Henrique está se ajustando sem comprometer. 
E ainda temos os não citados goleiros Cássio, titular, Valter, Danilo Fernandes e Júlio César, os laterais Fábio Santos, Guilherme Andrade e Diego Macedo, os zagueiros Felipe, Wanderson e Pedro Henrique, o volante Jocinei, os meias Luciano, Ramires, Zé Paulo e Rodriguinho e os jovens atacantes Paulinho e Malcon. Neste processo de reconstrução, creio ser necessário uma peneirada, para manter no time apenas aqueles que demonstrarem qualidade e possibilidades e reforçar o ataque com um reserva/sombra para o Guerrero.
Estamos evoluindo, o time já tem cara de time e quem não fugiu da raia tem mostrado mais vontade e determinação que em 2013, enquanto quem está chegando está se esforçando e lutando por seu espaço. 
Tenho fé e esperança que o Guerrero vai superar essa má fase. Sua postura é aguerrida e ele não está tranquilo e feliz com a situação. Tem errado muito, tem faltado gol, mas não tem faltado garra nem raça.
No último jogo, em que vencemos com algumas dificuldades, o Corinthians deu sinais claros da sua reconstrução e da sua evolução. Os jogadores estão se entrosando e reencontrando o caminho da vitória. Nos três últimos jogos já deu para perceber alguns avanços. Depois de quase 6 meses, voltamos a vencer em casa. E, como o jogo foi no horário da balada, apesar das dificuldades, colocamos o Rio Claro pra dançar.
Ficha Técnica - Corinthians 3 X 2 Rio Claro
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 22 de fevereiro de 2014 (sábado)
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral
Assistentes: Bruno Salgado Rizo e Maria Eliza Correia Barbosa
Público: 12.230 pagantes (total 13.038)
Renda: R$ 389.274,50
Cartões amarelos: Robson e Alex Afonso (Rio Claro)
Gols: Corinthians: Romarinho, aos 40 minutos do primeiro tempo e aos 35 minutos do segundo tempo; e Cleber, aos 43 minutos do primeiro tempo; Rio Claro: Léo Costa, aos 24 e Carlinhos, aos 40 minutos do segundo tempo
Corinthians: Cássio; Fagner, Cleber, Gil e Uendel; Ralf, Guilherme e Bruno Henrique (Danilo); Romarinho (Luciano) e Jadson (Rodriguinho); Guerrero; Técnico: Mano Menezes
Rio Claro: Cléber; Carlinhos, Renan Diniz, Marcos Vinicius e Thiago Christian; Nando, Samuel, Léo Costa e Rafael Costa (Wendell); André Luiz (Patrik) e Robson (Alex Afonso); Técnico: Fahel Júnior
Escalação
Resumo do jogo 

Créditos e fontes de imagens e vídeo
meutimao.com.br
facebook.com/SC Corinthians
globo.com
Djalma Vassão/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
Djalma Vassão/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
meutimao.com.br
facebook.com/Fãaclub Paolo Guerrero
esporte.uol.com.br
esporte.uol.com.br 

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Corinthians X Rio Claro

Pela 10ª rodada do campeonato Paulista, o Corinthians enfrentará hoje, dia 22/02, às 21 horas, o Rio Claro no estádio do Pacaembu. Apesar de estar num processo de evolução, devido às falhas no seu planejamento, o Timão encontra-se numa situação complicada no campeonato, na lanterna de seu grupo, com 11 pontos e distante 4 pontos do 2º colocado.
Seu adversário, o Rio Claro, vem embalado por uma sequência de cinco jogos sem derrota e está na vice-liderança do Grupo D, com 15 pontos.
 
Ficha Técnica - Corinthians X Rio Claro
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 22 de fevereiro de 2014, sábado
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral
Assistentes: Bruno Salgado Rizo e Maria Eliza Correia Barbosa
Corinthians: Cássio; Fagner, Cleber, Gil e Uendel; Ralf, Guilherme e Bruno Henrique; Romarinho e Jadson; Guerrero; Técnico: Mano Menezes
Rio Claro: Cléber; Carlinhos, Renan, Marcus Vinícius e Thiago Cristian; Nando Carandina, Rodrigo Celeste, Patrick Silva e Rafael Costa; Robson e André Luiz; Técnico: Fahel Júnior
No banco do Corinthians estarão o goleiro Valter, o lateral Guilherme Andrade, o zagueiro Felipe, o volante Jocinei, os meias Danilo, Rodriguinho, Ramires, Zé Paulo e Luciano e o atacante Paulinho.
Duas novidades na possível escalação do Corinthians. Na zaga Cléber substitui Felipe, que após sucessivos erros foi sacado do time, e o volante Guilherme retorna após cumprir suspensão. Volta o esquema tático com 3 volantes, com Guilherme tendo liberdade para avançar e um meia de criação, Jadson. Com a trinca formada por Ralf, Guilherme e Bruno Henrique, Jadson, sem obrigação de marcar, terá total liberdade para criar as jogadas no meio de campo. Romarinho e Guerrero formam a dupla de ataque.
Com a nova formação espera-se maior sustentação da defesa e maior poder de criação no setor ofensivo. E que não se errem tanto as finalizações.
Estão fora, no Corinthians, Emerson, em recuperação de cirurgia para retirada de um abscesso embaixo do braço, Renato Augusto, em recondicionamento físico, e Fábio Santos, em fase final de preparação para retornar ao time após lesão na região do quadril. No Rio Claro: o volante Rodrigo Celeste e o zagueiro Alex Bruno, ambos lesionados.
Considerando a boa campanha do Rio Claro no campeonato, o Timão deverá encontrar mais dificuldades que no jogo anterior. Mas, o fator casa, bem como as mudanças promovidas, poderão fazer a diferença. O novo esquema, com três volantes, deverá tornar a defesa menos frágil e favorecer a transição entre defesa, meio campo e ataque. E a dupla Jadson/Romarinho, mais uma vez, poderá ser o diferencial da partida. Além disso, o time está mais confiante e o novo ânimo da equipe serão determinantes na postura em campo. Com o astral em alta e com a recuperação da auto estima, teremos um time mais aguerrido e determinado. Portanto, temos plenas condições para sair do Pacaembu com a vitória e com os três pontos.

Créditos e fontes de imagens e vídeo
globoesporte.globo.com
loucoporticorinthians.com.br
gazetaesportiva.net
globoesporte.globo.com
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
gazetaesportiva.net/MAON

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Saindo do sufoco

Melhores momentos
No começo, um susto. No 1º ataque do Oeste, com a defesa do Timão mais confusa que o samba do crioulo doido, com todo mundo mal posicionado, com cada um tentando cobrir o outro, Felipe, de canela fez um belo passe dentro da área para o atacante adversário e tomamos o gol aos dois minutos de jogo.
Nosso time sentiu o baque e demorou uns 15 minutos para voltar para o jogo. E como o outro time não joga essa bola toda, foi só se acalmar que o Corinthians conseguiu se equilibrar, empatando com Romarinho e virando o placar com o Jadson.
Gols
Entrevistas - Romarinho e Jadson
Os dois gols saíram de dois belos chutes de fora da área e possibilitaram a reconciliação do Corinthians com a vitória, sendo que o gol do Jadson está vencendo a enquete do gol mais bonito da rodada.
Apesar da vitória, ainda temos alguns problemas. Nossos laterais tem falhado na marcação, sobrecarregando os zagueiros, Ralf tem apresentado problemas na saída de bola e errado passes, Danilo pouco ajudou na armação e o Guerrero parece que brigou com a bola. Mais reclama do que joga e perde gols adoidado. 
Mas, mesmo com essas falhas, o time vem evoluindo e as trocas de jogadores do elenco foram fundamentais para esse progresso. Jadson mudou a cara do time e Bruno Henrique entrou muito bem nos dois jogos.
Romarinho, sem a obrigação de voltar para marcar e cobrir lateral, está reaprendendo a ser atacante e já fez mais gols este ano do que no Brasileirão de 2013.
Grupo B
Embora tenha vencido o jogo, o Corinthians permanece em posição delicada no Grupo B do Paulistão, com 11 pontos e em último lugar. Mas, apesar de estar na lanterna, está há apenas quatro pontos do Ituano, segundo colocado e hoje classificado para a segunda fase. Com os dois próximos jogos em casa, contra Rio Claro, sábado, e Comercial, quarta que vem, tem grandes chances de melhorar sua posição.
O resultado do jogo foi construído no 1º tempo. Na etapa final, o Corinthians, aparentando cansaço, diante de um adversário limitado, tratou de administrar o jogo. O Oeste levou perigo ao Timão em apenas duas jogadas, num chute de João Denoni, bem defendido por Cássio, e num toque de Sassá, que venceu o goleiro do Corinthians, mas a bola foi afastada por Felipe, em cima da linha.
Comentários da imprensa e entrevista do Mano
Mano Menezes aprovou o desempenho do time, que saiu atrás do placar, mas soube buscar o resultado. Ressaltando a necessidade da vitória, ele afirmou:
“Tínhamos feito um bom jogo no domingo, mas não adiantava ficar avaliando a atuação se os três pontos não aparecessem no somatório da tabela. A gente não podia deixar os concorrentes se distanciarem. Precisava mostrar a eles que estávamos vindo. Foi a reação prática”. (...) “A gente está muito contente. Eu disse aos jogadores que a gente precisava passar por algumas das coisas por que passamos. Sabemos da importância. Falei depois de domingo que o campeonato agora era outro. Precisamos dar continuidade”.
Mesmo não tendo sido um jogo brilhante e apesar das limitações do adversário, a vitória contra o Oeste tem um significado importante para a atuação do Corinthians no Paulistão. Não podemos nos esquecer que o atual Corinthians é uma equipe que se reconstrói durante o campeonato e que passa por uma reformulação tardia. Muitos jogadores não participaram da pré temporada, o que interfere negativamente no entrosamento da equipe, um novo esquema tático está sendo implantado e existem alguns vícios e cacoetes oriundos do esquema anterior que vem atrapalhando o desempenho de alguns jogadores.
Mas, apesar dessas dificuldades, os jogadores tem demonstrado vontade em campo, a transfusão de sangue novo está surtindo efeito e nos últimos jogos já foi possível perceber uma evolução, reacendendo a chama da esperança de novas vitórias.
Ficha Técnica - Oeste 1 X 2 Corinthians
Local: estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto (SP)
Data: 19 de fevereiro de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Luiz Vanderlei Martinucho
Assistentes: Mauro André de Freitas e Alberto Poletto Masseira
Cartões amarelos: Fernandinho, Lelê e Marcos Paraná (Oeste); Uendel (Corinthians)
Gols: Oeste: Lelê, aos dois minutos do primeiro tempo; Corinthians: Romarinho, aos 27 minutos do primeiro tempo, e Jadson, aos 42 minutos do primeiro tempo
Oeste: Fernando Leal; Arnaldo, Dezinho, Ligger e Fernandinho; João Denoni, Adriano Alves, Wagninho (Sassá) e Piauí (Dênis); Lelê e Jheimy (Marcos Paraná); Técnico: Sérgio Guedes
Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Uendel; Ralf, Bruno Henrique, Danilo e Jadson (Zé Paulo); Romarinho (Paulinho) e Guerrero (Rodriguinho); Técnico: Mano Menezes
Escalação
Resumo do jogo

Créditos e fontes de imagens e vídeos
meutimao.com.br
globoesporte.globo.com
globo.com
globoesporte.globo.com
Rubens Cardia/Agência Estado/globoesporte.globo.com
globo.com
gazetaesportiva.net
esporte.uol.com.br
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/gazetaesportiva.net
globo.com
globoesporte.globo.com
facebook.com/SC Corinthians
esporte.uol.com.br
esporte.uol.com.br

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Oeste X Corinthians

Pela 9ª rodada do campeonato Paulista 2014, o Corinthians enfrentará o time do Oeste, nesta 4ª feira, dia 19/02, às 22 horas, no estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto. Precisando da vitória para continuar sonhando com a classificação, mas otimista, em virtude do bom desempenho no empate com o Palmeiras no domingo, o Timão, com 8 pontos e em último lugar no Grupo B, terá como adversário o lanterna no Grupo D, com apenas 5 pontos.
Com duas vitórias em oito rodadas, o Corinthians precisará de um aproveitamento muito melhor nas últimas sete partidas da primeira fase para avançar às quartas de final e o primeiro passo será vencer o jogo contra o Oeste, em São José do Rio Preto. Para conseguir a classificação, o Corinthians tem pela frente 7 decisões. 
Ficha Técnica - Oeste X Corinthians
Local: estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto (SP)
Data: 19 de fevereiro de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Luiz Vanderlei Martinucho
Assistentes: Mauro André de Freitas e Alberto Poletto Masseira
Oeste: Fernando Leal; Dezinho, Ligger e Mauro Vianna; Arnando, João Denoni, Adriano Alves, Marcos Paraná e Fernandinho; Lelê e Jheimy; Técnico: Sérgio Guedes
Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Uendel; Ralf, Bruno Henrique e Danilo; Romarinho e Jadson; Guerrero; Técnico: Mano Menezes
O Corinthians terá no banco o goleiro Valter, o zagueiro Cléber, os volantes Jocinei e Guilherme Andrade, os meias Rodriguinho, Ramires e Zé Paulo e os atacantes Émerson e Paulo Victor.
Estão fora, no Corinthians, o meio-campista Renato Augusto, ainda em reabilitação física, o volante Guilherme, suspenso, e o lateral Fábio Santos, que se recupera de cirurgia no abdômen. No Oeste, o meia Mauro Viana, suspenso.
A única mudança prevista para o jogo deverá ser a entrada do meia Danilo no lugar do volante Guilherme, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Zé Paulo também foi testado, mas a vaga deverá ficar com o veterano.
Diante de um adversário mais fraco Mano Menezes abriu mão do esquema com três volantes que deu certo no clássico e reconduziu Danilo ao time, retornando à formação que ele considera ideal, com dois meias de ligação, Jadson e Danilo. Ralf jogará mais recuado, com Bruno Henrique um pouco mais avançado. Danilo atuará à frente da linha de volantes, com Jadson à sua frente, armando o jogo para Romarinho e Paolo Guerrero.
Apesar das péssimas atuações nos últimos jogos, o zagueiro Felipe foi mantido na equipe. Para Mano, Felipe é mais técnico que Cléber e tem boa saída de bola (?), fundamentos que segundo o técnico, faltam ao Gil e ao Cléber. Mano considera que é o momento para dar confiança ao defensor, independentemente dos vacilos e que os técnicos não podem criar instabilidade a cada falha técnica. Que São Jorge proteja e guarde nossa defesa!
Diante de um adversário que vem de quatro derrotas consecutivas, o Corinthians tem a obrigação de vencer. Jogando melhor nos dois últimos jogos, com um novo esquema tático e, resolvido o problema da armação com a chegada do Jadson, basta o ataque deixar de perder gols para voltar a vencer. Assim, se mantiver a pegada do derby e com os pés mais calibrados, grandes serão as possibilidades de quebrar o jejum e voltar com os necessários três pontos de São José do Rio Preto.

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/globoesporte.globo.com
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/esporte.uol.com.br
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/globoesporte.globo.com
Marcos Bicudo/MAON