domingo, 2 de fevereiro de 2014

Ponte Preta X Corinthians

VAI TER JOGO
Não sou a favor de corpo mole e nem sou contra cobranças, da mesma forma que sou contra depredação do patrimônio do clube, ameaças a funcionários, roubos e outros atos de violência.
No post anterior declarei estar na hora de uma cobrança, que a torcida estava acomodada e que não poderia se omitir. Mas, também, deixei clara minha posição contra agressão, violência e destruição do patrimônio, bem como a existência de formas pacíficas de reivindicar, e da necessidade de sermos criativos e inteligentes em nossas ações reivindicatórias. E que se cobrasse quem deve ser cobrado, que se eliminassem as causas e não apenas os sintomas da crise que está se instalando no Corinthians. 
Entendo que, embora os jogadores tenham muita responsabilidade pela situação vigente, os maiores responsáveis são aqueles que se omitiram e não tomaram providências quando o time despencou ladeira abaixo. E estes atuam no Parque São Jorge, 5º andar e não no CT. 
Mesmo assim, acho válida cobranças no CT, mas repudio a violência, as ameaças aos funcionários, roubos e depredações. Segundo a nota oficial do clube, na ação de torcedores no sábado de manhã, "pessoas foram agredidas e ameaçadas, pertences foram roubados, e o patrimônio do clube violado". Isso é inadmissível e desqualifica a própria ação dos manifestantes.
O episódio, de início, chegou a ameaçar a realização da partida, até porque a Ponte Preta, que também perdeu de goleada na 4ª feira, também foi objeto de um protesto por seus torcedores. Mas, analisando mais friamente a situação, o jogo foi mantido.
Como a manifestação impediu a realização do último treino, os torcedores que vandalizaram, possivelmente, alguns que foram responsáveis por perdas de mandos de campo em 2013 e 2014, causaram mais um problema para o Corinthians.
Precisando reagir e se recuperar na tabela, é num clima de instabilidade que  o Timão entrará em campo hoje, 02/02, em Campinas, no estádio Moisés Lucarelli. 
Ambos os times estão com problemas semelhantes. Ambos foram goleados no último jogo e estão fora da zona de classificação em seus respectivos grupos, precisando recuperarem-se rapidamente, além de terem sido alvo de protestos de torcedores.
video
Ficha Técnica - Ponte Preta X Corinthians
Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Data: 2 de fevereiro de 2014, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Marcelo Rogério
Assistentes: Daniel Luis Marques e Ricardo Pavanelli Lanutto
Ponte Preta: Roberto; Ferrugem, Cesar, Diego Sacoman e Magal; Bruno Silva, Fernando Bob e Adrianinho; Silvinho, Ademir e Alemão; Técnico: Vadão
Corinthians: Walter; Fagner, Gil, Paulo André e Uendel; Ralf, Guilherme e Danilo; Romarinho, Guerrero e Emerson; Técnico: Mano Menezes
Estão fora do jogo, na Ponte Preta: Alef, suspenso, e Thiago Carleto, ainda sem a documentação regularizada. No Corinthians, Cássio, com uma lesão na mão esquerda, Fábio Santos, com problema na região abdominal e Renato Augusto e Guilherme Andrade, em fase final de preparação física.
Embora Mano tenha declarado que só vai confirmar o time 45 minutos antes do início do jogo, o último treino realizado indica duas substituições, a estreia de Fagner, no lugar de Diego Macedo e de Émerson no lugar de Rodriguinho.
Mesmo tendo entrado no lugar de Rodriguinho, Émerson não fará a mesma função do meia, pois, Romarinho jogará mais recuado para ajudar Danilo na armação.
Segundo o treinador "o Emerson entrou no lugar do Rodriguinho, mas não é para fazer a função dele. É um sistema diferente. O Romarinho vai jogar mais atrás nessa formação. Busco ter um jogador de aproximação com o Guerrero, para que a equipe não fique com ponta de um lado, centroavante, e outro ponta. Os jogadores ficariam muito distantes e passaríamos a sofrer com problemas que estamos tentando solucionar".
No treino realizado, apenas com os titulares, Mano conversou bastante com os homens de frente e com o volante Guilherme, autor do único gol do Timão na derrota para o Peixe. O técnico deu ênfase às jogadas de linha de fundo, com passagens dos laterais, principalmente pelo lado direito, com Fagner. Mais tarde, tirou Paulo André e Sheik e colocou Cléber e Pato.
Para o técnico, o time deve preocupar-se em atacar, mas sem desorganizar a defesa. Segundo ele, “foi possível ver, nos jogos que vencemos, que a equipe teve outra característica. Também sofreu ataques do adversário, mas se manteve organizada e soube se comportar. Contra o Santos, não soube. Tem a ver com os méritos do adversário também, é preciso reconhecer”.
Mano Menezes ressaltou, também, que a equipe não pode se desestabilizar em caso de desvantagem, como ocorreu na Vila. “Não podemos nos desestruturar em cima da dificuldade. Por isso falei que a equipe foi inexperiente. A reação não foi adequada para um time como eu gosto nem para o histórico dessa equipe que o Corinthians construiu.”
Este poderia ser o jogo da reabilitação, pois nosso adversário está numa situação bastante desfavorável. Derrotada por 4 a 1 pelo XV de Piracicaba, a equipe campineira encontra-se em crise na temporada, dispensou o técnico Sidney Moraes e contratou Vadão, com o intuito de reerguer o time. O novo técnico, que foi apresentado no sábado, vai estrear neste domingo com a missão de iniciar a recuperação o quanto antes para que a Ponte siga na briga por uma vaga às quartas de final. Com o planejamento atrasado, 15 jogadores saíram e 12 foram contratados, mas nem todos já estão à disposição, a Ponte aparece em terceiro do Grupo C, com três pontos e o Timão, com seis, também é terceiro do seu grupo.
No entanto, com os acontecimentos de sábado no CT, a preparação do Corinthians foi totalmente comprometida, pois o elenco passou mais de três horas trancafiado enquanto mais de cem torcedores vandalizavam o CT em busca dos atletas. Guerrero chegou a ser hostilizado e ameaçado antes de se juntar aos colegas na sala protegida.
O treino previsto para o sábado não ocorreu, os jogadores foram liberados da concentração e devem se apresentar no CT pela manhã. O comportamento e o rendimento do time, são imprevisíveis, num momento em que um bom resultado é fundamental para a sua recuperação.

Diante do ocorrido, resta-nos lamentar a desastrada ação de torcedores, cujos comportamentos estão mais próximos dos homens das cavernas do que da racionalidade e do equilíbrio mental e emocional e vibrar para que o time tenha a capacidade de superação, que sempre esteve presente no Corinthians. E esperar que os torcedores que forem para Campinas não sejam contaminados pela ação dos vândalos travestidos de torcedores que ontem desrespeitaram a instituição Corinthians. Que lá compareçam torcedores autênticos e responsáveis e que apoiem o time em campo, dando, assim, a sua contribuição, para a extinção da crise que nos ameaça.
Estar com o Corinthians nos bons momentos, nas vitórias e nas conquistas é fácil. Qualquer torcedor modinha é capaz. 
Estar com o Corinthians nos maus momentos, nas dificuldades, eis o desafio e para aqueles que realmente amam o Corinthians.

Créditos e fontes de imagens e vídeos
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
Rodrigo Faber e Agência Estado/globoesporte.globo.com
Caio Maciel-EPTV-globoesporte.globo.com
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
Daniel Augusto Júnior/Agência  Corinthians-gazetaesportiva.net
Daniel Augusto Júnior/Agência  Corinthians-gazetaesportiva.net
globoesporte.globo.com
MAON

Nenhum comentário:

Postar um comentário