quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Renovando as esperanças

Melhores momentos
video
Os últimos jogos do Corinthians mostram uma evolução do time na temporada e enche de esperanças seus torcedores. Embora sem o brilho de outros tempos, o time vai se encontrando. Conseguiu estancar as derrotas, fez as pazes com os gols e com as vitórias. 
Com o elenco renovado, com uma nova postura em campo, com jogadores empenhados em construir um futuro promissor e não em usufruir as glórias do passado, com um time mais ofensivo, aos poucos as peças estão se encaixando e a cada nova estreia, renovam-se as esperanças e o otimismo.
Mano teve a coragem de romper com o esquema anterior, de desfazer a panela, de buscar novos jogadores, de enquadrar os antigos e de impor um novo padrão tático. Quem não se enquadrou, espirrou. Ou foi espirrado...
Mas, nem tudo são flores, até porque as mais belas, tem seus espinhos. E, no último jogo, muitos espinhos nos espetaram, fazendo-nos sangrar de sustos e de muita pancadaria.
Sim, o Comercial não veio para jogar, mas para marcar e bater. Na marcação, até que foram bem, pois marcando individualmente, dificultaram muito a vida do Jadson, do Romarinho e do Guerrero, na criação e no ataque, obrigando o Bruno Henrique a assumir a armação. Mas, na pancadaria, exageraram. Bateram sem dó nem piedade e o juiz, pouco enérgico, deixou a agressão correr solta.
O jogo foi feio, truncado com faltas e ainda acabamos perdendo o Guerrero por contusão. Sem conseguir o tão almejado gol, ele, que apanhou muito, deixou o campo com suspeita de contusão grave no joelho. Eta zica Bárbara. Felizmente, parece que não é tão grave como pareceu num 1º momento, mas ainda são aguardados os resultados dos exames.
Com a saída do Guerrero, parecia que o jogo iria piorar. Mano colocou em campo um garoto de 20 anos, recém chegado do Avaí, que pouco havia treinado. E que no 1º lance abriu o placar num cruzamento de Uendel. E o garoto Luciano, vibrando muito e aplaudido pelos companheiros, chorou na comemoração.
No 2º tempo, embora Jadson, conseguindo quebrar a marcação já criasse algumas jogadas, o Corinthians não conseguia ampliar o placar e se contentava em administrar o resultado. Mas, a noite era do Luciano e aos 44 minutos, quando a bola chegou para ele na entrada da área, ele iludiu a marcação e acertou um bom chute rasteiro no canto direito do gol adversário. Um golaço.
Mas, o jogo ainda não tinha acabado e aos 48, no último lance, após cobrança de escanteio, Gil cabeceou e fez seu 1º gol com a camisa do Timão.
video
Mano Menezes reconheceu que o jogo não foi brilhante, mas gostou do comportamento da equipe na busca pelo resultado diante de um adversário que se fechou bastante.
“Não foi um jogo brilhante. Em determinados momentos, esteve até longe de ser brilhante. Mas a equipe não sofreu gols, ofereceu muito pouco ao adversário. Você separa os fundamentos e vê que a equipe vem amadurecendo. Fizemos um jogo médio e soubemos encontrar o caminho para a vitória. É um fato positivo que a gente leva”, afirmou o técnico.
Segundo ele, a falta de brilho do jogo teve a ver com o tipo de marcação proposto pelos visitantes. Levi grudou em Jadson durante todo o primeiro tempo até ser substituído por causa do cartão amarelo. Romarinho teve a companhia constante de Xaves.
“A equipe foi madura, porque foi um jogo de marcação forte, com marcação individual dentro do campo de defesa para Jadson, para Romarinho, para Guerrero, que é o centroavante, nem se fala. Os alas espetaram nos nossos laterais. Tivemos um pouco de dificuldade, mas tivemos muito controle do jogo e paciência”, comentou Mano.
Se o Timão não foi brilhante, teve inteligência e segurança suficientes para superar as dificuldades impostas pela forte e violenta marcação do adversário. A participação do Luciano foi fundamental para a vitória. Além de ter feito dois gols, ele se mostrou um jogador destemido e abusado. Deu chapéu, confundiu a marcação adversária e sempre apareceu para tabelar com os companheiros.
Grupo B
A vitória deixou o Corinthians com 17 pontos, contra 18 do Ituano e 19 do Botafogo. Os primeiros colocados do Grupo B entrarão em campo entre sexta-feira e sábado, pressionados pela ascensão alvinegra. O Comercial, estacionado nos oito pontos, há quatro rodadas do final da primeira fase, segue na luta contra o rebaixamento.
O Timão volta a jogar na próxima quarta feira contra o Linense e o Comercial, no mesmo dia, receberá o Ituano em Ribeirão Preto.
Ainda longe do ideal, o Corinthians está melhorando a cada jogo. Quanto a possibilidade de classificação, não depende só dele. Mas, o importante é que o time está evoluindo e encontrando um padrão de jogo, o que nos dá esperanças de uma boa atuação na Copa do Brasil e no Brasileirão.
Ficha Técnica - Corinthians 3 X 0 Comercial
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 26 de fevereiro de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: José Cláudio Rocha Filho (SP)
Assistentes: Marco Antônio Gonzaga da Silva e Fábio Rogério Baesteiro (ambos de SP)
Público: 11.648 pagantes;  total: 12.873
Renda: R$ 343.435,90
Cartões amarelos: Danilo (Corinthians); Levi, Mateus e William Simões (Comercial)
Gols: Corinthians: Luciano, aos 42 minutos do primeiro tempo e aos 44 minutos do segundo tempo; Gil, aos 48 minutos do segundo tempo
Corinthians: Cássio; Fagner, Cleber, Gil e Uendel; Ralf, Guilherme, Bruno Henrique e Jadson (Paulo Victor); Romarinho (Danilo) e Guerrero (Luciano); Técnico: Mano Menezes
Comercial: Marcelo Henrique; Marcos Pimentel (Cassiano Bodini), Luiz Eduardo, Edimar e Willian Simões (Ralph); Xaves, Levi (João Henrique), Patrick e Mateus; Clebinho e Edson; Técnico: Vagner Benazzi
Escalação
 Resumo do jogo

Créditos e fontes de imagens e vídeos
esportes.terra.com.br
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
globo.com
Alan Morici/esportes.terra.com.br
globoesporte.globo.com
Alan Morici/esportes.terra.com.br
Alan Morici/esportes.terra.com.br
Alan Morici/esportes.terra.com.br
globo.com
esporte.uol.com.br
facebook.com/SC Corinthians
esporte.uol.com.br
esporte.uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário