sábado, 30 de maio de 2015

Corinthians X Palmeiras

Pela 4ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Corinthians enfrentará domingo, 31/05, às 16 horas, o Palmeiras, na Arena Corinthians em Itaquera, São Paulo. Iniciando a rodada em 3º lugar na tabela de classificação, com 7 pontos, mas com o mesmo número de pontos dos dois primeiros colocados, perdendo pelo saldo de gols, terá como adversário o 16º colocado, que tem apenas 2 pontos e ainda não venceu no torneio. 
O Corinthians volta à Itaquera para tentar se redimir dos últimos fracassos na Arena, onde foi eliminado do campeonato Paulista e da Copa Libertadores, e o Palmeiras, próximo à zona de rebaixamento, tentará se redimir no palco onde se classificou para a final do campeonato estadual. Para os dois times, a vitória é crucial. O Timão, com duas perdas no seu ataque, Guerrero e Emerson, tenta se reorganizar e voltar a ter o bom desempenho do início do ano. O Palmeiras, apesar de ter contratado de baciada, tenta encontrar um time e um padrão de jogo na temporada.
Ficha Técnica - Corinthians X Palmeiras
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 31 de maior de 2015, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo – SP (CBF-3)
Árbitro Assistente 1: Rogério Pablos Zanardo – SP (ASP-FIFA)
Árbitro Assistente 2: Daniel Paulo Ziolli – SP (ASP-FIFA)
Quarto Árbitro: Antônio Rogério Batista do Prado 
Corinthians: Cássio; Fagner, Edu Dracena, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique, Jadson, Renato Augusto e Petros; Romero; Técnico: Tite
Palmeiras: Fernando Prass; Lucas, Jackson, Vitor Hugo e Egídio; Gabriel e Arouca; Rafael Marques, Valdivia e Zé Roberto; Cristaldo (Kelvin). Técnico: Oswaldo de Oliveira
Estão fora, no Corinthians, Malcom (na seleção brasileira sub-20), Vagner Love (em recuperação da melhor forma física) e Luciano (lesionado). No Palmeiras: Victor Ramos (suspenso e com inflamação no pé), Robinho (lesão muscular), Dudu (suspenso), Allione (em recuperação de cirurgia no joelho direito), Mouche (em recuperação de cirurgia no joelho direito), Gabriel Jesus e João Pedro (na seleção brasileira sub-20).
O Corinthians não tem nenhum jogador pendurado com dois cartões amarelos. Leandro Pereira está pendurado no Palmeiras.
No Corinthians, além dos possíveis titulares, também foram relacionados os goleiros Walter e Matheus Vidotto, os laterais Edilson e Uendel, os zagueiros Felipe e Yago, os volantes Elias, Cristian e Marciel, o meia Danilo e o atacante Mendonza.
No Palmeiras, também foram relacionados os goleiros Aranha e Jaílson, os laterais Ayrton e João Paulo, os zagueiros Tobio e Wellington, o volante Amaral, os meias Cleiton Xavier e Alan Patrick e os atacantes Leandro e Leandro Pereira.
No Timão, Vagner Love e Emerson não ficarão nem no banco. Enquanto Vagner Love encontra-se em processo de recuperação física, Emerson não terá seu contrato renovado. A novidade no banco é a presença do garoto Marciel, volante que teve ótima atuação na conquista da Copa São Paulo.
Romero será o único atacante de ofício a iniciar o jogo, substituindo Guerrero, que não teve seu contrato renovado.
No último treino, no sábado pela manhã, Tite realizou uma atividade de dois toques, em meio campo, e a seguir um trabalho tático, sem adversário, quando orientou a movimentação dos jogadores, as tabelas, jogadas ensaiadas e de bolas paradas.
No Palmeiras, por lesões ou suspensões, Osvaldo de Oliveira tem tido dificuldades para manter um time titular, sendo obrigado a fazer várias mudanças. Mas, mesmo com as constantes mudanças, ele vai manter o esquema tático, com dois volantes, três meias e um atacante como referência no setor ofensivo. Tal formação tem rendido certas críticas de parte da torcida, principalmente nas últimas rodadas. Para o clássico contra o Corinthians, o técnico tenta manter a estrutura da equipe que vem atuando nos últimos confrontos, com Zé Roberto e Valdivia no meio de campo. Mas o setor ofensivo deve passar por alterações. Recuperado de gripe, Rafael Marques treinou normalmente na Academia de Futebol e será relacionado. Ele vai ocupar a vaga de Kelvin ou Cristaldo. 
Apesar do momento difícil de ambos os times, clássicos sempre implicam em surpresas e superações. O Corinthians tem o fator torcida a seu favor. Até o final da tarde de sábado, 28 mil ingressos já tinham sido vendidos. Pelas dificuldades das equipes, creio que o derby será decidido na raça e que vencerá o time que mais se doar em campo. Determinação e postura em campo serão primordiais. Assim, espero que a torcida consiga contagiar nossos jogadores e que tenhamos em campo uma equipe aguerrida e que atue com vontade, garra e determinação. Uma equipe que jogue como Corinthians.

Créditos e fontes de imagens e vídeos
meutimao.com.br
Agência Estado/globoesporte.globo.com
Palmeiras/Divulgação/globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
Djalma Vassão-Gazeta Press/gazetaesportiva.net
gartic/uol.com.br

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Não venceu nem convenceu - Mas deu muito sono - E raiva

A foto acima retrata o que foi o último jogo do Corinthians. Nem o ídolo Rivelino aguentou ver o jogo. E bocejou... E cochilou...
Mas o maior cochilo foi o dos times no gramado. Parece que ninguém queria jogar futebol, só queriam ver o tempo passar e o jogo acabar.
No 1º tempo, o Corinthians com mais posse de bola, não sabia o que fazer com ela, e continuou não sabendo na etapa final. Somente a defesa funcionou e Cássio nos salvou várias vezes, garantindo o empate. No mais, nada de criação, raras finalizações e perda de gol até sem goleiro. Emerson e Guerrero, totalmente desconcentrados, e, possivelmente, já focados em negociar com outros times, demonstraram já estarem fora do Corinthians e que apenas cumpriam tabela. As substituições, tardias e nem todas adequadas, não surtiram efeito. 
Resumindo: foi um jogo xoxo, morno, com uma arbitragem tendenciosa, sem pegada, com o resultado garantido pelo Cássio. Na realidade, com o empate ficamos no lucro.
Ficha técnica: Fluminense 0 x 0 Corinthians
Local:
Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 24 de maio de 2015, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Héber Roberto Lopes - SC (FIFA)
Árbitro Assistente 1: Alessandro Rocha de Matos - BA (FIFA)
Árbitro Assistente 2: Fabrício Vilarinho da Silva - GO (FIFA)
Quarto árbitro: João Batista de Arruda - RJ (CBF-1)
Delegado: Sérgio Cristiano Nascimento - RJ (ASS)
Público: 14.932 pagantes (total de 17.419)
Renda: R$ 645.225,00
Cartões amarelos: Renato e Gum (Fluminense); Jadson e Petros (Corinthians)
Fluminense: Diego Cavalieri; Renato (Wellington Silva), Gum, Antônio Carlos e Giovanni; Edson, Jean, Gerson (Magno Alves), Wagner e Vinícius (Lucas Gomes); Fred; Técnico: Enderson Moreira
Corinthians: Cássio; Edílson, Edu Dracena, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique (Elias), Petros, Jadson (Danilo) e Mendoza (Emerson); Guerrero; Técnico: Tite

Créditos e fonte de imagem
globoesporte.globo.com
globo.com

domingo, 24 de maio de 2015

Fluminense X Corinthians

Pela 3ª rodada do campeonato Brasileiro, o Corinthians enfrentará o Fluminense neste domingo, 24/05, às 16:00 horas, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. O Timão, com  seis pontos e duas vitórias defende a invencibilidade no campeonato e o Fluminense, com três pontos, uma vitória e uma derrota encontra-se no 12º lugar da tabela.
Ficha Técnica - Fluminense X Corinthians
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) 
Data: 24 de maio de 2015, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília) 
Árbitro: Héber Roberto Lopes - SC (FIFA)
Árbitro Assistente 1: Alessandro Rocha de Matos - BA (FIFA)
Árbitro Assistente 2: Fabrício Vilarinho da Silva - GO (FIFA)
Quarto árbitro: João Batista de Arruda - RJ (CBF-1)
Delegado: Sérgio Cristiano Nascimento - RJ (ASS)
Fluminense: Diego Cavalieri; Renato, Gum, Antônio Carlos e Giovanni; Edson, Jean, Gerson, Wagner e Vinícius; Fred; Técnico: Enderson Moreira
Corinthians: Cássio; Edílson, Edu Dracena, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique, Jadson, Petros e Mendoza; Guerrero; Técnico: Tite
Estão fora, no Fluminense, Robert, com fratura no pé, Kenedy, recuperando de cirurgia de apendicite, e Marlon, na seleção brasileira sub 20; no Corinthians, Fagner, com gripe, Renato Augusto, com dores na perna esquerda e Malcom, na seleção brasileira sub 20.
No Corinthians, além dos possíveis escalados, também foram relacionados o goleiro Walter, o lateral Uendel, o zagueiro Felipe, os volantes Cristian e Elias, os meias Matheus Cassini e Danilo e os atacantes Emerson e Romero.
Na zaga, Edu Dracena ganhou a posição de Felipe, na lateral, Edilson substituirá o gripado Fagner, no meio campo, Bruno Henrique e Petros ocuparão as posições de Elias e Renato Augusto e no ataque, Mendoza substituirá Malcom, convocado para o Mundial sub 20.
Pela 1ª vez e sob o eco de uma possível transferência para a Itália, Matheus Cassini foi relacionado.
Com vários desfalques e com mudanças em todos os setores, Tite começa a remontar o time, que não contará no 2º semestre com Emerson e Guerrero. Por conta disso, Vagner Love, que veio do fraco futebol chinês e não participou da pré temporada, ficará 15 dias afastados dos jogos para aprimoramento físico e técnico. 
Já o Fluminense, com um novo técnico, Enderson Moreira, virá a campo com um time mais ofensivo, no intuito de furar a defesa corinthiana. Com pouco tempo pra trabalhar, Enderson trocou o rachão por um treinamento técnico e promoveu várias mudanças na equipe, além de treinar jogadas de bola parada.
Às duas equipes só interessa a vitória. Ao time carioca para se redimir no campeonato, após ser goleado pelo Atlético-MG, e ao Timão, para manter o 100% e espantar uma possível crise, decorrente das dificuldades financeiras e das duas eliminações sofridas em 2015.
Até o final da tarde de sábado, (17 horas), apenas 7 mil ingressos tinham sido vendidos para o jogo.
Apesar dos desfalques, o Corinthians tem condições de voltar do Rio com a vitória e os três pontos. Tudo vai depender da postura da equipe em campo.

Créditos e fontes de imagens
facebook.com/Renato Silva
Nelson Perez-Fluminense FC/Djalma Vassão-Gazeta Press-gazetaesportiva.net/MAON
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
Leonardo Lourenço/globoesporte.globo.com
facebook.com/Corinthians AMOR Eterno

terça-feira, 19 de maio de 2015

Venceu, mas não convenceu - Valeram os 3 pontos

Dois jogos, duas vitórias, 6 pontos e liderança isolada do Brasileirão. Parece estar tudo ótimo, mas a realidade não é tão tranquila quanto parece. Se analisarmos os últimos jogos, constatamos que desde o 1º tempo do jogo contra o Santos no campeonato Paulista, o futebol do Corinthians sumiu e pelo que apresentamos nos dois jogos do Brasileiro, apesar das vitórias, continuamos devendo futebol.
O jogo contra o Chapecoense em Araraquara foi o anti jogo, o anti futebol. O Corinthians começou bem, parecia até recuperar o bom futebol do início da temporada, mas, passados 20 minutos, o time abdicou da bola e se não fosse o gol achado do Fábio Santos, com desvio na cabeça do Mendonza, enganando o goleiro Danilo, o jogo teria acabado em 0 a 0. Mesmo jogando contra um time técnica e estruturalmente inferior, não conseguimos criar nem acertar o gol.
Foi um jogo triste de ver, de um time sem pegada, sem poder de criação e sem objetividade nas finalizações. Um jogo feio, sonolento, com má atuação dos jogadores, com o Guerrero isolado no ataque, com um esquema tático manjado, sem variações de jogadas e com os atletas perdidos em campo. As substituições não conseguiram melhorar o time, que jogou muito recuado no final. Devem ter pensado: "Já que achamos um gol, vamos segurar o resultado..."
Já passou da hora do treinador arrumar o time e de encontrar alternativas ao seu esquema tático mais que manjado. Se problemas extra campo, como atraso de pagamentos ou reformulação do time, estão interferindo no rendimento dos jogadores, que a diretoria tenha competência para resolvê-los. Que se decida quem fica e quem sai, que paguem o que devem e se dê tranquilidade para o time trabalhar e voltar a jogar futebol. E se quiserem que a torcida pare com as cobranças, que cada um faça a sua parte e parem de mi mi mi e de desculpas esfarrapadas. 
Melhores momentos
Ficha Técnica - Corinthians X Chapecoense
Local: Estádio Fonte Luminosa, em Araraquara (SP)
Data: 16 de maio de 2015 (sábado)
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (PE)
Assistentes: Clóvis Amaral da Silva e Albino Andrade Albert Júnior (ambos de PE)
Quarto Árbitro: Marcio Henrique de Gois - SP
Cartões amarelos: Emerson (Corinthians); Apodi, Ananias, Bruno Silva (Chapecoense)
Gol: Corinthians:  Fábio Santos, aos 27 minutos do primeiro tempo
Corinthians: Cássio; Edílson, Edu Dracena, Gil e Fábio Santos; Ralf, Elias (Bruno Henrique), Malcom (Petros), Jadson e Mendoza (Emerson); Guerrero; Técnico: Tite
Chapecoense: Danilo; Apodi, Rafael Lima, Vilson e Dener; Bruno Silva (Hyoran), Elicarlos, Gil (Neném) e Camilo; Roger (Bruno Rangel) e Ananias: Técnico: Vinícius Eutrópio

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com/youtube.com

sábado, 16 de maio de 2015

Corinthians X Chapecoense

O Corinthians enfrentará o Chapecoense, hoje, 16/06, às 21 horas, na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara, pela 2ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em 5º lugar na tabela de classificação, com 3 pontos, terá como adversário o 4º colocado, com o mesmo número de pontos. Na 1ª rodada, o Timão venceu o Cruzeiro e o time catarinense venceu o Coritiba. Ambos os times, vindo de eliminações recentes, o Corinthians da Libertadores, e o Chapecoense da Copa do Brasil, têm no jogo de hoje a oportunidade de se redimirem dos maus resultados. 
Ficha Técnica - Corinthians X Chapecoense
Local: Estádio Fonte Luminosa, em Araraquara (SP)
Data: 16 de maio de 2015, sábado
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (PE)
Assistentes: Clóvis Amaral da Silva e Albino Andrade Albert Júnior (ambos de PE)
Quarto Árbitro: Marcio Henrique de Gois - SP
Corinthians: Cássio; Edílson, Edu Dracena, Gil e Fábio Santos; Ralf, Elias, Malcom, Jadson e Mendoza; Guerrero; Técnico: Tite
Chapecoense: Danilo; Apodi, Rafael Lima, Vilson e Dener; Elicarlos, Gil, Abuda e Camilo; Roger e Ananias; Técnico: Vinícius Eutrópio 
Estão fora, no Corinthians, o zagueiro Felipe e o meia Renato Augusto, com dores musculares, e o atacante Luciano, com lesão muscular na coxa; e no Chapecoense, o atacante Wiliam Barbio e o volante Maylson, lesionados.
No Corinthians, além dos possíveis titulares, também foram relacionados, o goleiro Walter, os laterais Fagner e Uendel, o zagueiro Yago, os volantes Cristian e Bruno Henrique, os meias Petros e Danilo e os atacantes Emerson, Vagner Love e Romero.
Sem mais precisar poupar jogadores, Tite deixou fora apenas aqueles que não têm condições físicas de atuar. Fagner, desgastado, foi relacionado, mas ficará no banco. A surpresa foi a perda de posição do Emerson no ataque, que será formado por Malcom, Mendonza e Guerrero.
Embora jogando em Araraquara, o Corinthians é o mandante e deverá ter a torcida apoiando. Espero que os protestos, que considero válidos, tenham ficado restritos ao CT e ao Parque São Jorge, da mesma maneira que espero que jogadores, comissão técnica e diretoria tenham entendido o recado. O importante, no momento, é que o time reencontre-se com o futebol e que volte a jogar bola. E que saiba aproveitar o jogo para se redimir pelos fracassos dos últimos jogos e pelas duas eliminações. Que abandonem o desculpismo, o mi mi mi e tenham em campo a raça e a vontade que não tiveram nos últimos jogos. Taticamente, espero que o Tite tenha conseguido encontrar alternativas à mesmice e ao esquema manjado.

VOLTA CORINTHIANS

Créditos e fontes de imagens e vídeos
facebook.com/Renato Silva
futebolinterior.com.br
globoesporte.globo.com
Djalma Vassão-Gazeta Press-gazetaesportiva.net/Daniel Augusto Júnior-Agência Corinthians-globoesporte.globo.com/extra.globo.com/MAON

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Tô voltando

Após uma cirurgia para colocação de uma prótese no joelho, estou voltando para o blog e para as mídias sociais. Confesso que gostaria de voltar comemorando, mas diante do atual quadro futebolístico, só me resta voltar lamentando. Lamentando a decepção da Nação Corinthiana, que se iludiu e acreditou num Corinthians Barça's Cover e que achou que o rei da retranca havia mudado radicalmente, como se fosse possível fazer transplante de DNA. Mas, quem tem os gens da Escola Gaúcha de Futebol, mais cedo ou mais tarde tem uma recaída e tudo volta ao "normal". E quando uma péssima administração atrapalha, o desastre acontece bem antes que o esperado. 
Mas, meu objetivo não é caçar culpados para crucificá-los, mas sim refletir sobre o momento atual, em que fomos do paraíso ao inferno. No início do ano, com uma base mantida e com os outros times em formação, nadamos de braçada, vencemos rivais históricos e outros times de menor expressão. Ainda não tínhamos ganho nada, mas os bons resultados no início da Libertadores e do Paulista, potencializados pelos incensos de comentaristas esportivos, insuflaram o ego dos corinthianos e nosso técnico, alçado a categoria de pop star, exibia na mídia seus novos conhecimentos, suas táticas e estratégias, enaltecendo seus estudos com expoentes do futebol mundial. Estudos que não passaram de assistir alguns jogos, algumas conversas e entrevistas, eufemisticamente chamados de estágios. Simultaneamente, nosso jogadores já se achavam craques imbatíveis e se comportavam como estivessem disputando a Champions League. 
Enquanto isso, nossos adversários se reforçavam e seus técnicos estudavam nossas jogadas que, não apresentando grandes variações, eram fáceis de serem anuladas. E, não foi preciso ser nenhum Guardiola para encontrar o caminho da pedras. Sofremos pra empatar com o Red Bull e com o Ituano e após o 1º tempo com o Santos no Campeonato Paulista, não fizemos nenhum bom jogo e só vencemos a Ponte Preta no 1º mata devido a um erro de arbitragem. Resultado: eliminados do campeonato estadual e da Libertadores.
No 1º caso, a "culpa" foi do cansaço, apesar de termos sempre alternado os jogadores nos dois campeonatos que disputávamos. Na eliminação da Libertadores, está difícil até pra encontrar uma desculpa, pois na realidade, subestimamos o adversário, fizemos um péssimo jogo no Paraguai, jogamos sem raça e sem vontade, erramos passes, o Cássio frangou e ninguém se empenhou. No jogo de volta, mostraram mais vontade, mas o time errou muito, não apresentou nenhuma variação tática e foi facilmente anulado pelo adversário. E com os nervos descontrolados, com faltas bobas e desnecessárias acabamos o jogo com duas expulsões, o que tem sido recorrente neste início de temporada. Perdemos o jogo e amargamos outra eliminação.
Mas, a maior perda não foi a do jogo e sim do futebol corinthiano, da humildade, do respeito ao adversário. Perdemos para nós mesmos, da soberba, da incompetência da diretoria, que contrata jogadores sem critério, que administra mal nossos escassos recursos, das estratégias de jogo manjadas e equivocadas, do exibicionismo tático, dos treinos insuficientes e/ou mal conduzidos, das substituições erradas, da falta de ousadia e da mesmice, da insistência com jogadores que já não têm mais lenha pra queimar...
É triste ter que admitir que nosso sucesso inicial não passou do voo da galinha e que nosso time não tem humildade para admitir seus erros, a única maneira existente para corrigi-los. As entrevistas pós jogo de ontem deixaram claro que ninguém assume nada e que para eles as eliminações não passaram de acidente de percurso.
Espero que quando a poeira baixar, diretoria, comissão técnica, jogadores e torcedores caiam na real e que se faça a necessária faxina. Não tem cabimento pagar salários altíssimos pra quem não produz em campo e pra jogador que não serve nem pra compor o banco. Nem pra quem não sabe tirar de cada jogador o máximo que ele poderá dar.
E pra terminar, nada mais patético do que aplaudir um time que foi eliminado por falta de raça, de empenho, de humildade e por excesso de soberba. Sou contra a violência, contra depredar estádio e agredir jogadores. Mas, acho absurdo aplaudir jogadores que não produziram o necessário e que foram eliminados por falta de empenho e por descontrole emocional. Na realidade, eles, a comissão técnica e a diretoria mereciam apenas uma sonora vaia.