domingo, 30 de outubro de 2016

Jogo feio de doer

Jogo feio de se ver. Jogo feio de doer. Time apático, amorfo, inoperante, apagado e atrapalhado. O oposto do time voluntarioso, determinado e corajoso que atuou no Maracanã. Só queria entender como um time pode oscilar tanto. Essa oscilação deixa de ser um problema técnico para ser um problema a ser resolvido por um psiquiatra. Um desastre que, mais que a perda do G6, nos faz perder a esperança de terminar 2016 com um mínimo de dignidade. Compreendo os limites técnicos do time, mas não compreendo nem aceito a falta de empenho e a displicência dos jogadores em campo, indiferente ao apoio recebido da torcida. 
Mesmo desgastado pelo jogo no meio da semana pela Copa Sul Americana, o Chapecoense foi muito melhor no 1º tempo. Firme na marcação e nos desarmes, acuou o Corinthians no campo de defesa e só não abriu o placar porque erraram as finalizações. No 2º tempo o Corinthians melhorou um pouco com as substituições, chegou a abrir o placar com um pênalti bem cobrado pelo Giovanni Augusto, mas levou o empate, com um pênalti desnecessário cometido pelo estabanado zagueiro Pedro Henrique. 
Mas, mesmo tendo tendo atuado um pouco melhor, a melhora não foi suficiente para reverter o placar, pois continuamos com muitos erros em todos os fundamentos e não soubemos aproveitar o cansaço que abateu o adversário ao final da partida. Pela incompetência corinthiana, não podemos reclamar do resultado e sim do desempenho dos jogadores.
O jogo, no seu todo, teve um baixo nível técnico, com erros de ambos os lados. Se o adversário foi melhor na marcação e nos desarmes, errou no arremate final. Das 14 finalizações, errou 12. Já do lado corinthiano, só não houve erro na cobrança do pênalti. Pouco efetivo na defesa e na marcação, inoperante no meio campo e no ataque, quase nada produziu, apesar do esforço individual de alguns jogadores, em especial do Rodriguinho, Giovanni Augusto e Rildo. Com mais lançamentos e menos bola no pé, na ilusão que o baixinho Romero iria vencer os zagueiros catarinenses, errou passes, perdeu muitas bolas, pouco criou, foi mal na transição da defesa para o ataque, foi lento, pouco objetivo e impreciso no ataque, oferendo contra ataques perigosos ao adversário, que só não resultaram em gols pelos erros de finalizações. Romero e Marlone cometeram erros bisonhos ao finalizar, Marquinhos Gabriel fez um gol na banheira e Fagner perdeu um gol imperdível até na várzea. 
Com um time desligado, desentrosado, desconcentrado, sem criatividade e pouco objetivo, com o empate, ficamos no lucro. Marlone errou tudo o que tentou. Ele e Marquinhos Gabriel foram os piores em campo. Romero não rende como centro avante, além de ser tecnicamente limitado. Tem horas que não basta só ter raça. Pedro Henrique tem potencial, mas é imaturo e estabanado e foi responsável pelo gol do empate. Do rescaldo do incêndio que queimou nossas ilusões, salvaram-se Rodriguiho, Giovanni Augusto e Rildo.
Nem vou criticar o Oswaldo de Oliveira, pois com esse elenco e com o descompromisso dos jogadores em campo, só um milagre salvará esse time.
Com o resultado, o Corinthians alcançou 50 pontos e saiu do G6, pois o Atlético-PR venceu o Cruzeiro por 1 a 0. Já a Chapecoense atingiu 43 pontos e subiu para a 11ª posição.
Na próxima rodada, o Corinthians enfrentará o o São Paulo, sábado, ás 19:30 horas (de Brasília), no Morumbi e o Chapecoense receberá o Figueirense no domingo, às 19:30 horas (de Brasília), na Arena Condá. 
Melhores momentos
Ficha técnica - Corinthians 1 X 1 Chapecoense
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 29 de outubro de 2016, sábado
Horário: 16h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima - RS (ASP-FIFA)
Árbitro assistente 1: Elio Nepomuceno de Andrade Júnior - RS (CBF-1)
Árbitro assistente 2: Leirson Peng Martins - RS (CBF-1)
Quarto árbitro: Bruno Arleu de Araújo - RJ (ASP-FIFA)
Cartões amarelos: Lucca (Corinthians); Gimenez e Dener Assunção (Chapecoense)
Gols: Corinthians: Giovanni Augusto, aos 29 minutos do segundo tempo; Chapecoense: Bruno Rangel, aos 38 minutos da segunda etapa
Corinthians: Walter (Cássio); Fágner, Vilson, Pedro Henrique e Uendel; Camacho; Marquinhos Gabriel (Lucca), Giovanni Augusto, Rodriguinho e Marlone (Rildo); Romero; Técnico: Oswaldo de Oliveira
Chapecoense: Danilo; Gimenez, Thiego, Neto e Dener Assunção; Gil (Hyoran), Matheus Biteco e Cléber Santana; Ananias (Lucas Gomes), Tiaguinho e Bruno Rangel; Técnico: Caio Júnior

Créditos e fontes de imagens e vídeos
globoesporte.globo.com-Mauro Horita/Agif/Gazeta Press-comentariojovem.com.br-MAON
Mauro Horita/Agif/Gazeta Press
letrasdobviw.blogspot.com.br-solostocks.com.br-MAON
Diego Ribeiro/globoesporte.globo.com
youtube.com/Futebol Rei-globo.com

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Corinthians X Chapecoense

Pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Corinthians receberá o Chapecoense neste sábado, 29/10, às 16:30 horas, em sua Arena em Itaquera. Sexto colocado na tabela de classificação com 49 pontos, 14 vitórias, 7 empates, 11 derrotas e 51% de aproveitamento, o Timão terá por adversário o 12º colocado com 42 pontos, 10 vitórias, 12 empates, 10 derrotas e 44% de aproveitamento. Para o Corinthians só interessa a vitória, pois qualquer outro resultado colocará em risco a vaga para a Copa Libertadores. Já o adversário, que disputará as quartas de final da Copa Sul Americana, não tem mais chance de alcançar o G6 e, também não está ameaçado da degola.
Ficha Técnica - Corinthians X Chapecoense
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 29 de outubro de 2016, sábado
Horário: 16:30 horas (horário de Brasília)
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima - RS (ASP-FIFA)
Árbitro assistente 1: Elio Nepomuceno de Andrade Júnior - RS (CBF-1)
Árbitro assistente 2: Leirson Peng Martins - RS (CBF-1)
Quarto árbitro: Bruno Arleu de Araújo - RJ (ASP-FIFA)
Corinthians: Walter; Fágner, Vilson, Pedro Henrique e Uendel; Camacho, Marquinhos Gabriel, Giovanni Augusto, Rodriguinho e Marlone; Romero; Técnico: Oswaldo de Oliveira
Chapecoense: Danilo; Gimenez, Neto, Thiego e Dener Assunção; Josimar, Gil , Cleber Santana e Ananias; Tiaguinho e Kempes; Técnico: Caio Júnior
No Corinthians, também foram relacionados os goleiros Cássio e Matheus Vidotto, o lateral Léo Príncipe, os zagueiros Balbuena e Léo Santos, os volantes Willians, Cristian, Marciel e Jean, e os atacantes Lucca, Gustavo e Rildo. Estão fora Guilherme, suspenso, Yago, Danilo, Bruno Paulo e Guilherme Arana, no Departamento Médico. Estão pendurados com dois cartões amarelos, Giovanni Augusto, Balbuena, Vilson e Uendel.
Oswaldo de Oliveira fez três mudanças no time. Pedro Henrique comporá a zaga com Vilson e Balbuena, pendurado com dois cartões amarelos, será preservado, para o próximo jogo contra o São Paulo. Com Balbuena e Vilson pendurados, Oswaldo não quis correr o risco de ter que jogar o clássico com dois garotos na zaga. Na cabeça de área Camacho entrará no lugar do Willians. No setor ofensivo, Romero atuará mais adiantado e Marlone substituirá o atacante paraguaio. Os volantes Jean e Marciel são as novidades no banco de reservas. 
No último treino na manhã de sexta feira no CT Dr Joaquim Grava, o técnico manteve o esquema 4-1-4-1 e comandou um coletivo com ênfase nas jogadas de bola parada e contra ataques. Durante a semana, Oswaldo através de conversas com o elenco e orientação nos treinos priorizou a correção das falhas do sistema defensivo e pediu maior concentração e atenção dos jogadores. 
Pela primeira vez desde que retornou ao Corinthians, o técnico teve uma semana cheia para treinar e corrigir as falhas do time, o que nos dá esperanças de ver um time melhor organizado, mais atento e concentrado. Tais fatores, aliados à raça demonstrada no último jogo e ao apoio da torcida, poderão ser o diferencial que nos levará à vitória em Itaquera.

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br-fotografiasaereas.com.br-MAON
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/meutimao.com.br-chapecoense.com-MAON
Djalma Vassão/Gazeta Press-Rodrigo C. Lopes/Agência Eleven/Gazeta Press-Mauro Horita/Agif/Gazeta Press-MAON
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-MAON

Terror no Maracanã

Quando acabou o jogo domingo no Maracanã julgamos que tínhamos sido roubados apenas no campo. Ledo engano. A torcida do Corinthians foi roubada, também nas arquibancadas. Roubada de seus direitos, do direito da presunção da inocência, do direito de ir e vir e principalmente de sua dignidade. Se não se deve admitir agressões contra policiais, também não se deve admitir agressões contra torcedores. Não defendo a impunidade, mas sou totalmente contrária à impunidade coletiva quando não se tem competência para identificar os culpados para mascarar a incompetência daqueles que não conseguiram prevenir o conflito nem a capacidade de identificar os que dele participaram. E, na situação ora analisada, ignora a sua origem, a provocação e a tentativa de invasão do espaço corinthiano pela torcida da casa.
Se os responsáveis pela segurança do estádio tivessem um mínimo de competência teriam evitado o conflito, com a ação de pessoal suficiente e devidamente preparado para um policiamento preventivo. E, ao não conseguirem evitá-lo, teriam identificado os que lhe deram origem, os envolvidos no mesmo, evitando-se a punição de inocentes, a humilhação coletiva e o viés clubista e xenófobo. 
Mas, além da incompetência na prevenção e na identificação dos culpados, todos os corinthianos presentes no estádio foram submetidos aos abusos de uma polícia despreparada e sádica através de xingamentos, ameaças, agressões físicas, revista ilegal de celulares, (sem ordem judicial), pertences apreendidos, humilhações e constrangimentos. 
Após as humilhações, 64 torcedores foram separados por critérios duvidosos, uma vez que negros e tatuados eram alvos preferidos da polícia carioca. Segundo o relato de um torcedor presente, (conforme publicado no site meutimao.com.br) "Cada um que era supostamente identificado era agredido claramente com socos e com os cassetetes da PM, e levavam essas pessoas para algum lugar do estádio que não sei onde e nem o que é".
Destes, 31 permanecem presos, sendo que um deles tem provas que durante o conflito ainda não havia chegado ao estádio. Na audiência de custódia, a juíza, que dizem ser flamenguista, manteve a prisão e dois habeas corpus já foram negados. 
Curiosamente, mesmo com as tentativas de invasão do estádio e as imagens que comprovam seu envolvimento, nenhum flamenguista foi preso.
E o Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), numa atitude típica de sistemas ditatoriais, já puniu o Corinthians, mesmo sem ter havido julgamento, (portanto, cerceando todo e qualquer direito de defesa), com a interdição do setor norte da Arena e a proibição de todas as torcidas organizadas comparecerem aos jogos do Timão. Mais uma arbitrariedade desse tribunal, que pela ação de alguns (os envolvidos no conflito não chegam a 30 pessoas) pune toda uma torcida e o clube. Assim, o torcedor que nem foi para o Rio de Janeiro, impedido de entrar nos estádios, paga pela ação de uma minoria e pela incompetência dos responsáveis pela segurança do Maracanã. 
Para algumas pessoas, as imagens da ação policial lembraram o Carandiru. Para mim, as imagens lembraram o estádio Nacional do Chile do Pinochet. Em ambos os casos, suspeitos foram tratados como bandidos, embora bandidos, como seres humanos devam ser tratados como tal e conforme a lei. Mas, não tenho notícia de toda essa coragem e ousadia da polícia com os integrantes do PCC e do CV.
Sou contra a violência, não defendo a impunidade, mas sou totalmente contrária às arbitrariedades cometidas, ao descumprimento da lei, ao abuso da autoridade e à punição sem julgamento e sem direito de defesa. Que os culpados sejam identificados, julgados conforme a lei e punidos, inclusive aqueles que não cumpriram com seus deveres em relação à manutenção da segurança no Maracanã. E que apenas os comprovadamente culpados sejam punidos.
Para melhor entendimento do que ocorreu domingo pós jogo no Maracanã consultem no site meutimao.com.br as seguintes matérias:

Crédito e fonte de imagens
meutimao.com.br

Créditos e fontes de vídeos 
youtube.com/meutimao.com.br 
youtube.com/meutimao.com.br 
youtube.com/Camila Freitas

Parabéns Meninas!!! Campeãs da Copa do Brasil do Futebol Feminino

Plagiando minha amiga Analu Tomé, comentarista da Rádio Coringão, parabéns para as minas pela conquista da Copa do Brasil de Futebol Feminino. 
Na noite de quinta feira, 27/10, a equipe do Audax/Corinthians conquistou o título inédito ao vencer o São José por 3 a 1, no estádio José Liberatti em Osasco, (SP), após ter empatado o jogo de ida da final por 2 a 2 e conquistou a vaga para a Copa Libertadores de 2017. 
Num jogo em que o adversário, um dos maiores vencedores da competição, com dois títulos, (2012 e 2013) veio em busca do tri campeonato, o Audax/Corinthians, com um jogo bastante ofensivo, conseguiu superar a pressão e vencer com folga. Os gols da equipe corinthiana foram marcados por Pardal, Chu Santos, (artilheira da equipe na Copa do Brasil e na temporada) e Gabi Nunes. Raquelzinha marcou o gol de honra do São José. 
A conquista representa mais um passo na luta pelo espaço do futebol feminino no cenário esportivo e no próprio Sport Club Corinthians Paulista que, embora tardiamente, está reabrindo o espaço para a modalidade.
Na vitoriosa campanha da Copa do Brasil de Futebol Feminino, em 10 jogos o time do Audax/Corinthians teve 6 vitórias, 3 empates e apenas uma derrota.
Trajetória do Audax/Corinthians na Copa do Brasil Feminina
Primeira fase
Audax/Corinthians 9 x 0 Pinheirense-PA (casa)
Pinheirense-PA 0 x 2 Audax/Corinthians (fora)
Oitavas de final
Audax/Corinthians 3 x 0 Santos (casa)
Santos 2 x 2 Audax/Corinthians (fora)
Quartas de final
Flamengo 1 x 1 Audax/Corinthians (fora)
Audax/Corinthians 1 x 0 Flamengo (casa)
Semifinais
Audax/Corinthians 2 x 0 Cresspom-DF (casa)
Cresspom-DF 1 x 2 Audax/Corinthians (fora)
Final
São José 2 x 2 Audax/Corinthians (fora)
Audax/Corinthians 2 x 1 São José (casa)
Bastidores

Créditos e fontes de imagens
facebook. com/Movimento Toda Poderosa Corinthiana-Reprodução/TV/meutimao.com.br-MAON
youtube.com/Ligados no Timão
Tião Martins/Divulgação PMSJC/globoesporte.globo.com 
youtube.com/Corinthians

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Assalto no Maracanã - As armas foram um apito e duas bandeiras

Foi um assalto diferente. Ao invés de revólver, as armas foram um apito e duas bandeiras, vergonhosamente empunhadas pela arbitragem. Até dá para entender a ocorrência de erros numa arbitragem tão despreparada como a brasileira numa movimentação intensa durante um jogo de futebol. Mas não dá para entender nem aceitar o que ocorreu hoje no Maracanã, onde ao despreparo foi acrescentada a má fé e o favorecimento ao time da casa, através do uso de critérios diferentes para situações de jogo idênticas, invenção de faltas e escanteios, inversão de faltas, economia de cartões para os mandantes e validação de gol impedido. Emerson e Guerrero, por diversas vezes atrapalharam o Walter na reposição de bola e não aconteceu nada, mas bastou o Guilherme impedir uma cobrança rápida de falta para levar o 2º cartão amarelo e ser expulso. Foi um verdadeiro assalto à mão armada, armada de duas bandeiras. Foi, também, um assalto à boca armada, armada de um apito.
Gol impedido
A situação foi tão vergonhosa que causou mau estar até naqueles comentaristas que babam ovo para os times cariocas e o impedimento do gol foi reconhecido até pelo presidente do Flamengo.
Mas, nem com a ajuda da arbitragem o Flamengo conseguiu vencer e só empatou porque atuamos contra 14 e não contra 11 jogadores. Assim, nem vou me ocupar de fazer análise técnica e tática da partida, pois não foram esses fatores que decidiram o resultado e sim a marmelada dos discípulos do Amarilla. No entanto, não posso deixar de registrar minha satisfação por ver em campo um time determinado, voluntarioso, lutador e buscando a vitória durante os 90 minutos. Demos um cala boca naqueles que diziam que entregaríamos o jogo para prejudicar a porcada e provamos que aqui não é delivery, aqui é Corinthians. Apesar de alguns erros pontuais, pudemos perceber, além da raça, um time melhor organizado, boas atuações, dois golaços e Lucca, indignado, mitando na entrevista após o jogo. Destaque para as atuações de Walter, Guilherme, Rodriguinho e Fagner, que reconciliou-se com a bola. Será influência da presença do Tite no jogo? Será que ficou com medo de jogar mau e ser desconvocado? Mas, apesar dos destaques corinthianos, o prêmio de melhor jogador em campo vai para o árbitro Anderson Daronco.

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.globo.com-facebook.com/Ricardo Leonoro/Democracia Corinthiana
facebook.com/Ronaldo Giovaneli
youtube.com/Rodrigo Frazão-globo.com
twitter.com/@thadaywascrazy

sábado, 22 de outubro de 2016

Flamengo X Corinthians

Pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Corinthians foi para o Rio de Janeiro enfrentar o Flamengo neste domingo, 23/10, às 17:00 horas, no estádio Maracanã. Sétimo colocado na tabela de classificação, com 48 pontos, 14 vitórias, 6 empates, 11 derrotas e 52% de aproveitamento, o Timão terá por adversário o vice líder com 60 pontos, 18 vitórias, 6 empates, 7 derrotas e 65% de aproveitamento. Distante 4 pontos do líder Palmeiras, o Flamengo ainda tem possibilidades de conquistar o título brasileiro, enquanto ao Corinthians resta apenas a chance de conseguir uma vaga para a Pré Libertadores. O time da Gávea, que perdeu de virada do Internacional, deverá vir com tudo para recuperar-se no campeonato diante de sua torcida na volta ao Maracanã. O Corinthians, embora tenha vencido os dois últimos jogos no Brasileirão, quando enfrentou os dois últimos colocados na tabela, vem de uma derrota para Cruzeiro que o eliminou da Copa do Brasil e precisa vencer o jogo para se recuperar e se manter na briga pela vaga no torneio continental.
Ficha Técnica - Flamengo X Corinthians
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 23 de outubro de 2016, domingo
Horário: 17:00 horas (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco – RS (FIFA)
Árbitro Assistente 1: Rafael da Silva Alves – RS (ASP-FIFA)
Árbitro Assistente 2: Elio Nepomuceno de Andrade Junior – RS (CBF-1)
Quarto Árbitro: Francisco de Paula dos Santos Silva Neto – RS (CBF-1)
Flamengo: Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão, Diego e Mancuello; Emerson Sheik (Marcelo Cirino) e Paolo Guerrero; Técnico: Zé Ricardo
Corinthians: Walter; Fagner, Vilson, Balbuena e Uendel; Camacho, Giovanni Augusto, Romero, Rodriguinho e Marquinhos Gabriel; Guilherme; Técnico: Oswaldo de Oliveira
No Corinthians, além dos escalados, também foram relacionados os goleiros Cássio e Matheus Vidotto, os laterais Guilherme Arana e Léo Príncipe, o zagueiro Léo Santos, os volantes Cristian e Camacho, o meia Marlone e os atacantes Gustavo, Lucca e Rildo.
Estão fora: no Flamengo, Ederson e Everton, lesionados; e no Corinthians, Yago, Bruno Paulo e Danilo, lesionados, e Pedro Henrique, suspenso.
Estão pendurados com dois cartões amarelos: no Flamengo Alan Patrick, Marcelo Cirino, Diego, Rafael Vaz e Mancuello; e no Corinthians Balbuena, Vilson, Uendel e Guilherme.
No Flamengo, o técnico José Ricardo fechou o último treino para a imprensa e fez mistério da escalação, mas deverá vir com o que tem de melhor disponível. O meia argentino Mancuello poderá ganhar a vaga de Gabriel para dividir com Diego a armação, na tentativa de municiar melhor Paolo Guerrero. O também armador Everton, com a coxa direita lesionada, poderá ser substituído por Emerson Sheik ou Marcelo Cirino.
No Corinthians, Oswaldo de Oliveira não fez mistério e definiu o time com algumas mudanças. Gustavo, recuperado de lesão, voltou a ser relacionado, mas ficará como opção no banco de reservas, pois o técnico optou por manter Guilherme como falso 9. Na zaga, Vilson substituirá o suspenso Pedro Henrique. Na cabeça de área, o volante Willians entrará no lugar de Camacho, para aumentar o poder de marcação no meio de campo, e no setor ofensivo, Marquinhos Gabriel e Romero atuarão abertos pelos lados do campo de ataque.
No último treino na manhã de sábado, Oswaldo, para testar as novas opções, trocou o tradicional treino tático por um coletivo, enfatizando as jogadas de bolas paradas e as triangulações pelos lados do campo. Durante a atividade ele cobrou precisão nas bolas aéreas, triangulações ofensivas em velocidade, chegada dos meias e finalizações de fora da área.
Com ambos os times precisando da vitória, o jogo deverá ser bastante pegado e disputado. Em melhor situação no campeonato e aspirando o título, jogando em casa e com o apoio da torcida, o Flamengo deverá ir pra cima, dando trabalho para nossa defesa que, depois das saídas de Gil e Felipe, tem sido uma verdadeira mãe. Temos que ser firmes na marcação, razão pela qual Oswaldo optou por um 1º volante de ofício em detrimento da melhor qualidade do passe de Camacho. Mas, o Willians não pode confundir firmeza na marcação com violência. A presença de Giovanni Augusto e Marquinhos Gabriel, pelo que ambos vêm demonstrando em campo, é preocupante. Considero que Camacho e Marlone seriam melhores opções. Mas, como simples torcedora, proibida de acompanhar os treinos no bunker Dr Joaquim Grava, espero e desejo estar enganada, que eles justifiquem suas presenças e se não produzirem o esperado, sejam rapidamente substituídos. Pelas dificuldades esperadas ninguém pode bobear nem vacilar. Espero que Fagner já tenha esgotado sua cota de vacilos na temporada e que volte a ser o jogador de referência que era antes da "maldição" da seleção. Para não perdermos pontos no Maracanã é indispensável não perder o foco. O time tem que manter total concentração e, no mínimo, não tomar gol. E que São Jorge nos proteja.

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br-Getty Images/esporte.uol.com.br-MAON
Gilvan de Souza/Flamengo/extra.com.br-Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/gazetaesportiva.com-MAON
Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians/meutimao.com.br-Djalma Vassão/Gazeta Press-Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/corinthians.com.br-MAON
facebook.com/Corinthians AMOR Eterno

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Escancarando as deficiências e as limitações

Está certo que a arbitragem deu uma ajuda para o Cruzeiro com um pênalti Mandrake, escanteios inventados, inversões de faltas, vistas grossas à cera dos mineiros, juiz atuando como gandula e sem tomar nenhuma providência com as bolas desaparecidas na reposição, além de dar menos tempo no acréscimo do que seria correto pelo tempo em que o jogo ficou parado. Mas, não podemos creditar a derrota apenas às falhas de arbitragem, pois o futebol apresentado pelo Corinthians nada fez para superá-las e nossos erros foram fundamentais para a derrota e a eliminação. Muitos jogadores, (nem todos) até tentaram, mostraram raça e vontade, mas faltou qualidade técnica, faltou atenção do sistema defensivo, faltou equilíbrio emocional e sobraram falhas individuais. Nosso miolo de zaga é uma mãe e, para piorar, o Fagner ainda deu na bandeja o 1º gol cruzeirense. Com um mal posicionamento, bobeamos na marcação e demos espaço para o ataque adversário, nossa defesa esteve péssima, nosso ataque pouco eficaz e acabamos perdendo para nós mesmos. 
Depois de termos batido em cachorro morto e vencido o Ninguém Futebol Clube, nos iludimos com uma possível reação e com a possibilidade do entusiasmo do novo técnico ressuscitar o time. Mas nenhum psicólogo será capaz de acrescentar qualidade técnica num time tão limitado e que sobrevive na temporada de alguns lampejos individuais. Com apenas 6 dias de trabalho, não dá para colocar esta eliminação na conta do Oswaldo de Oliveira, embora ele tenha a sua responsabilidade por ter demorado para mexer no time, ter tirado o Guilherme e não o Marquinhos Gabriel, jogador improdutivo que parece ter suco de maracujá e não sangue em suas veias. 
Na realidade o mau momento do time só tem um responsável e esse não se encontra no CT Dr Joaquim Grava e sim no 5º andar do Parque São Jorge. É a diretoria corinthiana, ou melhor, o grupo que a representa e que com sua incompetência e ambição, traindo nossa origem e nossa História, optou pela opulência de um palácio de mármore para a Copa do Mundo em detrimento de um time vencedor. Dividas da Arena e outras decorrentes de má administração, gastos fora de propósito com jogadores que por falta de qualidade e de perfil não vingaram, ou que chegaram bichado, recuperaram-se graças aos bons profissionais que tínhamos atuando no CT e se mandaram em busca de novos ares e melhores salários são apenas alguns indicadores de seus desmandos. Como "em casa que falta pão, todos brigam e ninguém tem razão", já tem gente tirando o corpo fora e implodindo o grupo Renovação e Transparência. 
Estamos pagando o preço da incompetência, da ambição e do mau planejamento que nos levou a desmanches sucessivos e a perda de mais de 20 jogadores e da metade da comissão técnica na temporada. E nos deixou com um time limitado tecnicamente, tendo que improvisar jogadores em funções carentes e subir jogadores da base, mas não utilizá-los. Lembrando que a maioria desse elenco foi pedido ou avalizado pelo idolatrado Tite, lamentamos o fato de continuarmos comprando promessas de times da Série B e desprezando as nossas próprias. 
Algumas falhas do time são gritantes e nem todas poderão ser corrigidas este ano, pois dependem de novas contratações para a próxima temporada. Assim, sobram poucas opções para o Oswaldo e poucas esperanças para a torcida. 
Camacho é 2º volante, improvisado de 1º, porque temos apenas o troglodita Willians, o Cristian, um ex jogador em atividade mantendo sua forma física e batendo uma bolinha no SPA Dr. Joaquim Grava e o Jean, que não poderia atuar na Copa do Brasil, e ainda nem sabemos como vai se comportar com a pesada camisa do Timão. Fagner, que estava sendo uma boa referência até ser convocado pelo Tite, deve ter deixado seu futebol nos treinos da seleção, pois está mal, cometendo pênalti, dando gols de presente, falhando na marcação e apoiando pouco. Nosso miolo de zaga vacila muito, Balbuena, embora vá bem pelo alto, não ganha uma corrida, Vilson falha muito e Pedro Henrique ainda carece de experiência. Não entendo porque Arana é reserva do Uendel. Rodriguinho é oportunista e tem marcado gols, mas só joga com a bola nos pés, perde muita bola e pouco participa da marcação. Giovanni Augusto, nervosinho e pouco participativo só dá toquinho de lado, Marquinhos Gabriel frio, paradão e omisso, e Guilherme, ainda irregular, mas com uma sequência pode engrenar. Marlone, entre os meias, é o mais técnico e efetivo. No ataque Romero, apesar de limitado tecnicamente é pura raça e oscila muito. Rildo tem boa movimentação e faro de gol, mas foi prejudicado pelo excesso de contusões, Lucca é muito irregular e Isaac, uma incógnita, pois ainda não saiu do banco. Para o Brasileirão ainda contamos com o Gustavo, que quando entrou em campo, quase nada produziu. No gol, Walter tem que se virar sozinho, pois a 1ª linha de 4 não ajuda e até atrapalha. 
Eis o tamanho do desafio do Oswaldo que para esse ano vai ter que fazer omelete com poucos ovos e preparar a refeição com ingredientes adquiridos na xepa da feira. Talvez, dependendo das contratações, dá para ter esperanças para 2017, pois em 2016 corremos o risco de nem classificar para Pré Libertadores. 

Crédito e fonte de imagem
globoesporte.globo.com 
Felipe Rodrigues/LipeUnião/jornalprimeirominuto.com.br

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Cruzeiro X Corinthians - Copa do Brasil

Pelo jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil, o Corinthians foi para Belo Horizonte para enfrentar o Cruzeiro nesta quarta feira, 19/10, às 21:45 horas, no estádio Mineirão. Tendo vencido o jogo de ida por 2 a 1, o Timão só precisa de um empate para se classificar para a semi final. Se o Cruzeiro vencer pelo mesmo placar, a decisão vai para os pênaltis. Mesmo com a vantagem, o técnico Oswaldo de Oliveira prometeu não jogar com o regulamento debaixo do braço e buscar a vitória na capital mineira.
Ficha Técnica - Cruzeiro X Corinthians
Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 19 de outubro de 2016, quarta-feira
Horário: 21:45 horas (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio GO - (FIFA)
Assistente 1: Fabrício Vilarinho da Silva - GO (FIFA)
Assistente 2: Bruno Raphael Pires GO (FIFA)
Quarto árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão - GO (ASP_FIFA)
Cruzeiro: Rafael; Lucas, Bruno Rodrigo e Léo; Edimar, Henrique, Lucas Romero, Robinho, Rafinha e Rafael Sóbis; Ramon Ábila; Técnico: Mano Menezes
Corinthians: Walter; Fagner, Pedro Henrique, Balbuena e Uendel; Camacho, Giovanni Augusto, Marquinhos Gabriel, (Romero) Rodriguinho e Marlone; Guilherme; Técnico: Oswaldo de Oliveira
Além dos prováveis escalados, também foram relacionados:
No Cruzeiro: os goleiros Luca França e Lucão, os zagueiros Fábio Bruno e Manoel, os volantes Ariel Cabral, Bruno Ramires e Denílson, os meias Alisson, Bruno Nazário e Arrascaeta, e o atacante William.
No Corinthians: os goleiros Cássio e Matheus Vidotto, os laterais Léo Príncipe e Guilherme Arana, os zagueiros Léo Santos e Vilson, os volantes Cristian e Willians, e os atacantes Rildo e Lucca. 
Estão fora:, no Cruzeiro: Fábio, Mayke, Dedé, Marcos Vinícius, Élber e Judivan, no Departamento médico, e Ezequiel, Elisson e Bryan, por já terem disputado a Copa do Brasil por outros clubes; e no Corinthians: Yago, Danilo e Bruno Paulo, no Departamento Médico, e Gustavo e Jean, por já terem disputado o campeonato por seus antigos clubes.
Mano Menezes fechou o treino e fez mistério sobre a escalação, mas, mesmo priorizando o Campeonato Brasileiro, deverá escalar o que tem de melhor. 
No Corinthians, embora relacionado, Marlone, com dores no tornozelo, será avaliado pela equipe médica antes da partida, para saber se tem ou não condições de ir para o jogo. Camacho, recuperado de dores, voltará para a cabeça de área e Willians para o banco. No ataque, Oswaldo de Oliveira ainda não havia decidido se mantém Romero ou se coloca Marquinhos Gabriel.
No último treino, sexta feira à tarde, após o aquecimento, os jogadores titulares participaram de uma atividade sem adversários, para treinarem posicionamento e jogadas ensaiadas, enquanto os demais realizaram um coletivo em gramado reduzido. Logo após, treinaram penalidades, caso seja necessário, se o Cruzeiro vencer o jogo por 2 a 1.
Embalados por duas vitórias no Brasileirão e contagiados pelo entusiasmo do novo técnico, os corinthianos estão esperançosos e prometem atuar ofensivamente na busca pela classificação. 
Mesmo estando num melhor momento na temporada, o Timão precisa estar atento na marcação, pois a Raposa tem jogadores ágeis e qualquer vacilada poderá ser fatal. Todo cuidado é pouco e a zaga não pode bobear. A expectativa é de um jogo equilibrado e pegado. Precisando da vitória, o Cruzeiro deverá vir pra cima e nossa marcação precisa ser implacável e não dar espaços. Além disso, não podemos desperdiçar nenhuma oportunidade e aproveitar os contra ataques. Se atuarmos concentrados e focados, teremos grandes possibilidades de classificação.

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br-Renato Cobucci e Gil Leonardi/Imprensa MG/fotospublicas.com-MAON
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/torcedores.com-Daniel Vorley/Lightpress/hojeemdia.com.br-MAON
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/globoesporte.globo.com
Agência Corinthians/corinthians.com.br 

Matando um Coelho com duas cajadadas

Precisando do resultado contra o lanterna do Brasileirão, o Corinthians foi à caça e, sem dificuldade, matou o Coelho no 1º tempo e depois só administrou o resultado. Superior em todo o jogo, dominou totalmente a partida, atuando com muita movimentação e velocidade, num jogo que, pela superioridade técnica do Timão, poderia acabar em goleada. Não sei se foi para se poupar para o jogo em Belo Horizonte contra o Cruzeiro pelas quartas de final da Copa do Brasil, ou se foi por cansaço, a verdade é que o Corinthians satisfeito com o resultado, tirou o pé, uma vez que o adversário não oferecia perigo. 
Gols
Os gols saíram no 1º tempo. Aos 16 minutos, Rodriguinho deixou Guilherme livre na área, que rolou para Romero empurrar para o fundo gol, abrir o placar em Itaquera e tornar-se o maior goleador da Arena Corinthians, com 16 gols, superando o traíra mercenário (15 gols). Aos 38 minutos, num contra ataque, Guilherme tocou de peito para Uendel, que arrancou em velocidade e devolveu para o camisa 10, que cruzou na medida para Rodriguinho finalizar marcando um golaço.
Com o jogo controlado e sem que o América-MG oferecesse algum perigo, o Corinthians diminuiu o ímpeto e o placar manteve-se alterado até o final da partida. Com 60,4% de posse de bola, o Timão poderia ter saído com um placar mais elástico, não fossem as boas defesas do goleiro adversário. Do lado alvinegro, Walter não teve muito trabalho, mas quando solicitado, no único lance de perigo do América-MG, fez uma bela defesa.
Merecem destaque as atuações de Guilherme, com boa movimentação, ajudando na armação da equipe e as assistências aos dois gols, bem como as de Romero e Rodriguinho. O garoto paraguaio, além do gol, mostrou muita raça e ajudou na marcação, com carrinhos precisos. Rodriguinho iniciou a jogada do primeiro gol, marcou um golaço e distribuiu bons passes. 
Entrevista
Talvez pelo efeito Oswaldo e para mostrar serviço ao novo técnico, os jogadores demonstraram mais vontade em campo. Oxalá esteja de volta a velha raça corinthiana. A torcida voltou a prestigiar o time, comparecendo e apoiando. Com pouco tempo no Timão, o novo técnico ainda não pode imprimir sua marca no time, a não ser em relação ao aspecto psicológico, motivando os jogadores. Mesmo assim, Marlone credita a ele o acerto de algumas jogadas de bola parada, que deram certo, como as diagonais do Guilherme, e as passagens dos laterais.
Com o resultado, o Corinthians subiu da nona para a sétima colocação, com 48 pontos, os mesmos do Atlético-PR, última equipe dentro do G6, zona de classificação para a Copa Libertadores da América de 2017. 
Pelo Campeonato Brasileiro, o Timão volta a campo no próximo domingo, 23/10, à 17:00 horas (de Brasília) para enfrentar o Flamengo, possivelmente, no Maracanã. Antes, porém, vai encarar o Cruzeiro pelo duelo de volta das quartas de final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, 19/10, às 21:45 horas, no Mineirão. Após vencer o primeiro encontro por 2 a 1, em Itaquera, a equipe paulista joga pelo empate em Belo Horizonte.
Melhores momentos
Ficha Técnica - Corinthians X América-MG
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 16 de outubro de 2016, domingo
Horário: 18:30 horas (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva - PA (FIFA)
Assistente 1: Márcio Gleidson Correia Dias - PA (ASP-FIFA)
Assistente 2: Hélcio Araújo Neves - PA (CBF-1)
Quarto Árbitro: Paulo Schleich Vollkoph - MS - (CBF-1)
Público: 25.965 torcedores no total
Renda: R$ 1.285.708,00
Cartão Amarelo: Giovanni Augusto e Pedro Henrique (Corinthians); Tony (América-MG)
Gols: Corinthians: Ángel Romero, aos 16 minutos do primeiro tempo, e Rodriguinho, aos 38 minutos do primeiro tempo
Corinthians: Walter; Fagner, Pedro Henrique, Balbuena e Uendel; Camacho, Giovanni Augusto (Marciel), Romero, Rodriguinho e Marlone (Rildo); Guilherme (Lucca); Técnico: Oswaldo de Oliveira
América-MG: João Ricardo; Jonas, Éder Lima, Messias e Gilson (Sávio); Leandro Guerreiro, Juninho (Christian Sávio), Ernandes, Tony e Nixon (Danilo Barcelos); Osman; Técnico: Enderson Moreira
Bastidores
Pós jogo

Créditos e fontes de imagens e vídeos
globoesporte.globo.com-Agência Corinthians/corinthians.com.br-MAON
facebook.com/Cris Girao-Sergio Barzaghi/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-MAON
youtube.com/Esportes HD-globo.com
Sergio Barzaghi/Gazeta Press/gazetaesportiva.com
Sergio Barzaghi/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-facebook.com/Cris Girao-MAON
youtube.com-CORINTHIANOS ROXOS CANAL-globo.com
Marcelo Braga/globoesporte.globo.com-facebook.com/Cris Girao-MAON
youtube.com/Futebol Rei-globo.com
youtube.com/Corinthians
youtube.com/Corinthians

sábado, 15 de outubro de 2016

Corinthians X América-MG

Pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Corinthians receberá o América-MG neste sábado, 16/10, às 18:30 horas, em sua Arena em Itaquera, São Paulo. Nono colocado no Brasileirão, com 45 pontos, 13 vitórias, 6 empates, 11 derrotas e 50% de aproveitamento, o Timão terá por adversário o lanterna do campeonato com 21 pontos, 5 vitórias, 6 empates, 19 derrotas e 23% de aproveitamento. Enquanto o time paulista vem de uma vitória por 4 a 2 sobre o vice lanterna Santa Cruz, o América-MG vem de uma derrota por 3 a 0 para o Atlético-MG. 
Estando a apenas um ponto do último colocado do G6, ao Corinthians, só interessa a vitória. Jogando em casa, na estreia do técnico Osvaldo de Oliveira, contra o lanterna, que de 30 jogos só venceu 5 e empatou 6, a vitória é obrigação.
Ficha Técnica - Corinthians X América-MG
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 16 de outubro de 2016, domingo
Horário: 18:30 horas (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva - PA (FIFA)
Assistente 1: Márcio Gleidson Correia Dias - PA (ASP-FIFA)
Assistente 2: Hélcio Araújo Neves - PA (CBF-1)
Quarto Árbitro: Paulo Schleich Vollkoph - MS - (CBF-1)
Corinthians: Walter; Fagner, Pedro Henrique, Balbuena e Uendel; Camacho, Giovanni Augusto, Romero, Rodriguinho e Marlone; Guilherme; Técnico: Oswaldo de Oliveira
América-MG: João Ricardo; Jonas, Messias, Éder Lima e Gilson; Leandro Guerreiro, Juninho, Ernandes, Tony e Nixon; Osman; Técnico: Enderson Moreira
No Corinthians, além dos escalados, também foram relacionados os goleiros Cássio e Caíque, os laterais Léo Príncipe e Guilherme Arana, os zagueiros Vilson e Léo Santos, os volantes Cristian, Marciel e Warian, e os atacantes Lucca, Rildo e Isaac.
No Timão estão fora Marquinhos Gabriel, suspenso, Yago, Gustavo, Danilo, Camacho e Bruno Paulo, lesionados, e Léo Jabá, com a seleção brasileira sub 20. Estão pendurados, com dois cartões amarelos, Balbuena, Pedro Henrique, Vilson, Guilherme e Uendel.
Osvaldo de Oliveira manteve o mesmo esquema tático (4-1-4-1) e fez três mudanças no time. Willians substituirá Camacho, com dores musculares, Fagner, que retornou da seleção brasileira, retomará a titularidade na lateral direita, e Romero, de volta da seleção paraguaia, substituirá Marquinhos Gabriel, suspenso pelo 3º cartão. Embora Cássio esteja recuperado da lesão no ombro, o técnico manteve Walter no gol. Guilherme continuará atuando como falso 9, e se repetir a boa atuação do último jogo, dificilmente deixará o time titular. 
No último treino, na manhã de sábado, o agora auxiliar técnico Fábio Carille, supervisionado por Osvaldo de Oliveira, comandou o treino fantasma com os titulares. O novo técnico orientou os jogadores em exercícios de triangulações, de bolas paradas e finalizações, falou muito, mostrou na prática o que deseja que eles façam e teve uma conversa particular com o volante Willians.
No América-MG, Enderson não poderá contar com o jovem zagueiro Roger nem com o experiente Alison, ambos no departamento médico. 
Jogando em casa com o lanterna do campeonato, o Corinthians tem a obrigação de vencer. A boa atuação contra o Santa Cruz e a chegada do novo técnico servem de incentivo para o time que precisa da vitória não só pela vaga na Libertadores, mas para encerrar dignamente o campeonato. E, também para dar moral para a disputa do jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil. 
Osvaldo de Oliveira não é o técnico dos sonhos da torcida corinthiana, mas tem experiência e alguns títulos importantes, inclusive no Timão. É também um motivador, algo essencial para trabalhar com um time que precisa superar na raça as suas próprias limitações. Com uma postura, mais entusiasmada que a do Cristóvão e do Carille, poderá ganhar o grupo e conseguir tirar o melhor de cada um. Não, vou pré julgar. No momento, limito-me a torcer e a vibrar para que tenha uma boa atuação e que tenha êxito no Timão.

Créditos e fontes de imagens 
meutimao.com.br-fotografiasaereas.com.br-MAON
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/corinthians.com.br-Carlos Cruz/Assessoria/AFC.valadaresnatv.com.br-MAON
Marcelo Braga/globoesporte.globo.com-Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/corinthians.com.br-MAON
Marcelo Braga/globoesporte.globo.com-MAON

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Reconciliando com a vitória, com o gol e com a bola

Finalmente o Corinthians desencantou, a bola entrou e a Fiel comemorou. Após dois meses e meio sem vencer fora de casa, o Corinthians deu uma alegria à Fiel. Começamos bem, mas o Santa Cruz equilibrou a partida e o Grafite abriu o placar. Mas o time não desanimou, reagiu, empatou e virou. Jogando com o vice lanterna e com a torcida a favor, vencer era obrigação. Fizemos o dever de casa fora de casa e continuamos vivos na busca do que nos restou: conseguir a vaga para a Copa Libertadores. Tem horas que penso que estamos no trânsito ou em um estacionamento. Só procurando vaga.
Gols
O Corinthians poderia ter saído no lucro já no 1º tempo, não fossem os gols desperdiçados por Marlone, Giovanni Augusto e Rodriguinho. Ainda houve um pênalti de Danny Morais em Léo Príncipe, não marcado pelo árbitro. Não desistindo do jogo, o Timão empatou ainda no 1º tempo. Após cobrança de lateral por Léo Príncipe, Giovanni Augusto tocou para Marlone, que cruzou para Guilherme dentro da área, que bateu colocado e empatou a partida. Com a alteração da posição de Marlone da esquerda para a direita o Corinthians melhorou sua atuação ofensiva e continuou pressionando. Aos dois minutos da etapa final Marlone recebeu passe de Camacho na direita, cortou para o meio, e bateu de perna esquerda no cantinho do goleiro do time pernambucano, virando o jogo a favor do time paulista. Aos nove minutos, Giovanni Augusto cruzou da direita, Guilherme se antecipou a Néris e mandou a bola, de cabeça, para o fundo do gol. Com as mudanças promovidas por Carille, (entrada de Willians no lugar de Camacho e de Cristian no de Giovanni Augusto), o Santa Cruz, que não havia desistido do jogo, diminuiu a diferença com um gol de Keno. Mas, aos 46 minutos, Lucca, que havia substituído o Guilherme, aumentou o placar para o Timão. Marlone bateu falta para dentro da área, a zaga afastou, Marquinhos Gabriel chutou cruzado e no rebote, Lucca esticou a perna e mandou a bola para o fundo do gol, definindo a partida.
Apesar de ter maior posse de bola (51,6%), o Corinthians chutou menos ao gol (11 finalizações, sendo 6 certas e 5 erradas) que o time pernambucano (16 finalizações, sendo 9 certas e 7 erradas), desarmou menos (14 desarmes contra 22 do adversário) e errou mais cruzamentos, com apenas 5 cruzamentos certos e e 19 errados, contra 6 cruzamentos certos e 8 errados do Santa Cruz.
Embora tenham bons atacantes, a defesa pernambucana é uma mãe para os adversários, embora a nossa não tenha sido muito diferente. Se não fosse o Walter, o resultado poderia até não ter sido tão favorável para o Timão.
Além do goleiro, merecem destaque a atuação de Guilherme, não só pelos gols, mas também pela movimentação, a qualidade no trato da bola e a precisão na finalização. Saiu-se bem no ataque e merece uma continuidade. Outro jogador que teve uma atuação destacada foi o Marlone, com um gol, uma assistência, boa movimentação e jogadas de linha de fundo. É, sem dúvida, um dos melhores no setor ofensivo. Lucca, embora tenha entrado aos 42 minutos da etapa final, não desperdiçou a oportunidade e marcou o seu.
Se o ataque foi bem e voltou a marcar, a defesa deixou a desejar. A zaga bateu cabeça, Léo Príncipe sofreu com a velocidade de Keno e Uendel não comprometeu. No meio campo, Camacho foi preciso, Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto ainda continuam devendo e as entradas de Willians e Cristian, pioraram a marcação. Aliás não entendi porque entrou o Cristian e não o Marciel. 
Com o resultado, o Corinthians vai a 45 pontos e fica a um ponto do G6, mas permanece na mesma posição na tabela de classificação. O Santa Cruz, continua com 23 pontos e na vice lanterna do campeonato. 
Na próxima rodada, o Corinthians, já sob o comando de Osvaldo Oliveira, receberá o lanterna América-MG em sua Arena em Itaquera, no próximo domingo, 16/10, às 18:30 horas, enquanto o Santa Cruz, na mesma data e no mesmo horário, irá ao Moisés Lucarelli, em Campinas, para enfrentar a Ponte Preta. 
Melhores momentos
Ficha Técnica - Santa Cruz 2 X 4 Corinthians
Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT)
Data: 12 de outubro de 2016, quarta-feira
Horário: 21:45 horas (de Brasília)
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha - RJ (CBF-1)
Assistente 1: Eduardo de Souza Couto - RJ (CBF-1) 
Assistente 2: Carlos Henrique Alves de Lima Filho - RJ (CBF-2)
Quarto árbitro: Marcelo Alves dos Santos - MT (CBF-2)
Cartões amarelos: Néris e Marion (Santa Cruz); Marquinhos Gabriel e Willians (Corinthians)
Gols: Santa Cruz: Grafite, aos 29 minutos do primeiro tempo, e Keno, aos 35 minutos do segundo tempo; Corinthians: Guilherme, aos 37 minutos do primeiro tempo e aos 9 minutos do segundo tempo; Marlone, aos 2, e Lucca, aos 46 Santa Cruz: Edson Kolln; Léo Moura, Néris, Danny Morais e Roberto; Uillian Correia, Jadson (Marion) e João Paulo (Wagner); Arthur, Grafite (Bruno Moraes) e Keno; Técnico: Doriva
Corinthians: Walter; Léo Príncipe, Pedro Henrique, Balbuena e Uendel; Camacho (Willians), Giovanni Augusto (Cristian), Marquinhos Gabriel, Rodriguinho e Marlone; Guilherme (Lucca); Técnico: Fábio Carille

Créditos e fontes de imagens e vídeos
globoesporte.globo.com-Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians/gazetaesportiva.com-MAON
twitter.com/@marloneoficial-Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians/gazetaesportiva.com-MAON
youtube.com/Futebol Gols da Rodada-globo.com
twitter.com/@walterartune2 
Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians/corinthians.com.br
youtube.com/Sempre Futebol Oficial-globo.com~
Reprodução Instagram-@gioaugusto10
youtube.com/Corinthians

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Santa Cruz X Corinthians

Pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Corinthians viajou para Cuiabá, no estado de Mato Grosso, para enfrentar o Santa Cruz nesta quarta feira, 12/10, às 21:45 horas, na Arena Pantanal. Praticamente rebaixado, o Santa Cruz vendeu o mando de campo e o jogo foi transferido do Recife para Cuiabá, o que acaba invertendo o mando, pois a torcida do Corinthians, no estado do Mato Grosso, supera a torcida do Santa Cruz. Há um mês sem vencer no Brasileirão e nono colocado na tabela de classificação, com 42 pontos, 12 vitórias, 6 empates, 11 derrotas e 48% de aproveitamento, o Timão ainda tem chances matemáticas de chegar ao G6 e classificar-se para a Copa Libertadores. Já o Santa Cruz, que vem de quatro derrotas no campeonato, é o penúltimo colocado, com 23 pontos, com 6 vitórias, 5 empates, 18 derrotas e 26% de aproveitamento, dificilmente se livrará da volta para a Série B.
Ambos os times precisam da vitória, o Santa Cruz para tentar salvar-se da degola, e o Corinthians para conseguir uma vaga para o torneio continental.
Ficha Técnica - Santa Cruz X Corinthians
Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT)
Data: 12 de outubro de 2016, quarta-feira
Horário: 21:45 horas (de Brasília)
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha - RJ (CBF-1)
Assistente 1: Eduardo de Souza Couto - RJ (CBF-1) 
Assistente 2: Carlos Henrique Alves de Lima Filho - RJ (CBF-2)
Quarto árbitro: Marcelo Alves dos Santos - MT (CBF-2)
Santa Cruz: Edson Kolln; Léo Moura, Neris, Danny Morais e Luan Peres (Roberto); Uillian Correia, Jadson e João Paulo; Arthur, Keno e Grafite; Técnico: Doriva
Corinthians: Walter; Léo Príncipe, Pedro Henrique, Balbuena e Uendel; Camacho; Marquinhos Gabriel (Lucca), Rodriguinho, Giovanni Augusto e Marlone, Guilherme; Técnico: Fabio Carille
No Corinthians, também foram relacionados o goleiro Matheus Vidotto, o lateral Guilherme Arana, os volantes Willians, Cristian, Marciel e Warian, e os atacantes Rildo, Bruno Paulo e Isaac.
Estão fora, no Santa Cruz, Derley, Pisano e Thiago Costa, lesionados, e Alan Vieira, suspenso. No Corinthians, Gustavo, Cássio, Danilo, Vilson e Yago, lesionados, e Romero, com a seleção paraguaia, Fagner, com a seleção brasileira e Léo Jabá, com a seleção brasileira sub 20.
Estão pendurados, com dois cartões amarelos, no Santa Cruz, Grafite, Derley, Danilo Pires, Mário Sérgio, Tiago Cardoso e Wallysson; e no Corinthians, Balbuena, Marquinhos Gabriel, Pedro Henrique, Vilson, Guilherme e Uendel.
O Santa Cruz deve ter o retorno dos zagueiros Neris e Danny Morais, que cumpriram suspensão contra o Flamengo. Devido a expulsão de Allan Vieira no último jogo, Doriva deverá improvisar na lateral-esquerda. Como Roberto, que seria o substituto natural do jogador, não vem agradando, o lateral-direito Vitor e o zagueiro Luan Peres, que já atuaram na lateral, são as opções para o jogo na Arena Pantanal. 
O Corinthians poderá ter quatro mudanças em relação ao empate por 0 a 0 com o Atlético-MG. Na defesa, Yago, com lesão na coxa esquerda, será substituído pelo Pedro Henrique. Na lateral esquerda, Uendel retoma a titularidade no lugar de Guilherme Arana. No setor ofensivo, o centroavante Gustavo, com incômodo na coxa direita, será substituído por Guilherme, que atuará como “falso 9”. O meia Marquinhos Gabriel, com desgaste físico, será reavaliado pelo Departamento Médico antes do jogo e se não for liberado, será substituído pelo Lucca. O esquema tático será o mesmo 4-1-4-1 dos últimos jogos. 
Diante do vice lanterna, o Corinthians tem a necessidade e a obrigação de vencer para manter a esperança de atingir o G6 e a vaga para a Copa Libertadores. Para isso, será fundamental a marcação, não deixar que a bola chegue aos atacantes Keno e Grafite, bem como toda atenção da linha de defesa. Qualquer vacilada poderá ser fatal. Não podemos tomar gol e precisamos fazê-lo. Espero que a semana tenha sido aproveitada para os jogadores calibrarem seus pés, que andam meio tortos e sem força. Daqui pra frente, cada jogo será uma decisão para, pelo menos, terminarmos dignamente o campeonato. 

Créditos e fontes de imagens 
meutimao.com.br-Edson Rodrigues/Secopa/fotospublicas.com-MAON
Marlon Cost/PE Press/globoesporte.globo.com-Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians/esporte.uol.com.br-MAON
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/globoesporte.globo.com-Agência corinthians/corinthians.com.br-twitter.com/@Corinthians-Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/globoesporte.globo.com-Marcelo Braga/globoesporte.globo.com-MAON
produto.mercadolivre.com.br

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Não é uma comédia, é uma tragédia que está virando um filme de terror

Quinta feira, 06/10, um grupo de torcedores fez um protesto bem humorado contra a diretoria do Corinthians, em frente ao CT Dr Joaquim Grava. Compararam a diretoria ao ator Jim Carrey, que no cinema interpretou "O mentiroso" e "Deb&Loide". Diante de tudo o que vem ocorrendo, os protestos são válidos e até esperava que fossem maiores e mais frequentes. 
Sem dúvida, não faltam motivos para protestar e para se indignar. Dois desmanches do time, desmanche da comissão técnica, falta de transparência nas contas, péssimos negócios na compra e venda de jogadores, ingressos inacessíveis para o povão, reposição de jogadores vendidos por outros de nível técnico inferior, não venda do name rights, desprezo pelo torcedor, preços abusivos dos produtos oficiais, desrespeito às tradições alvinegras, escândalos da base que terminaram em pizza, omissão na defesa do time diante das arbitrariedades cometidas pela arbitragem e pelos ataques da imprensa e de técnicos e dirigentes rivais são apenas alguns sintomas dos desmandos e omissões da diretoria e do grupo renovação e transparência. 
Se o protesto foi válido, se serviu para mostrar a insatisfação de quem ama o Corinthians diante dos atos dos que mamam no Corinthians, ele teve alguns equívocos. 
Ele deveria ter sido realizado no 5º andar do Parque São Jorge, ou mesmo na Nova Veículos, localizada na Avenida Celso Garcia nº 5000, onde o presidente despacha os assuntos referentes ao Corinthians. Além disso, não vejo semelhança entre essa diretoria com o grande comediante Jim Carrey. Ela não é uma comédia, e sim uma tragédia muito próxima a um filme de terror. 
Infelizmente, o Corinthians atual está se afastando cada vez mais dos ideais de seus fundadores e da sua concepção original. Que time do povo é esse que inviabiliza que o povo assista aos jogos, que para tentar pagar o palácio de mármore substituiu o torcedor que apoia pelo cliente que só cobra, vaia e xinga? Como o povo vai fazer o time, se ele é marginalizado e excluído por aqueles que se apropriaram do Corinthians e usam o clube em seus próprios interesses? 
Já passou da hora dos torcedores, organizados e não organizados, unirem-se em prol do resgate do Corinthians e do corinthianismo autêntico. Se o Corinthians não é um time que tem uma torcida, mas uma torcida que tem um time, vamos buscar o time, libertando-o daqueles que o usurparam de seus verdadeiros donos. Vamos fazer valer a declaração do nosso primeiro presidente. Honremos a memória de Miguel Bataglia. 
O CORINTHIANS É O TIME DO POVO, E É O POVO QUE VAI FAZER O TIME

Crédito e fonte de imagem 
Diego Ribeiro/globoesporte.globo.com 

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Bom jogo, mau resultado, péssima arbitragem

É fato que piorar seria impossível, mas o Corinthians melhorou muito em relação ao último jogo. Mais organizado, mais compactado e principalmente mais ligado, buscou a vitória durante os 90 minutos e só não venceu porque foi afanado pela péssima arbitragem, que além de anular um gol legítimo, ainda deixou de marcar um pênalti quando Balbuena foi agarrado dentro da área. Apesar de termos sido vergonhosamente afanados, não podemos atribuir o resultado apenas à arbitragem, pois continuamos errando no arremate final. Tivemos mais posse de bola, maior volume de jogo, criamos mais que nas partidas anteriores e, com exceção do gol mau anulado, continuamos errando ao finalizar. Tivemos 19 finalizações, 3 certas e 16 erradas, contra apenas 8 do Galo, 4 certas e 4 erradas. E não acertamos uma cobrança de falta.
Nosso problema continua sendo mais falta de qualidade técnica do que esquema tático. Os jogadores sabem o que têm que fazer, só não sabem como fazê-lo, principalmente quando se trata de chutar a gol. Treinando em dois períodos, Gustavo melhorou seu desempenho. Talvez fosse o caso de repetir essa prática com outros jogadores. 
Enquanto isso, nosso presidente fake dá entrevista dizendo que está tudo bem e que erros de arbitragens são normais. E continua se omitindo. Nem sequer reclama de estarmos sistematicamente sendo prejudicados pela arbitragem. Outros dirigentes reclamam e botam pressão. Os nossos nada fazem. Acredito que se tivéssemos um presidente de fato, e não um fantoche ocupando o cargo, seríamos respeitados e não sistematicamente afanados. 
O empate foi ruim para os dois time, mas principalmente para o Corinthians que já perdeu o título e vê cada vez mais longe a vaga na Copa Libertadores. É com muita tristeza que afirmo que 2016 já acabou. Se houvesse um mínimo de bom senso nesta diretoria, já deveriam estar planejando 2017, procurando jogadores de qualidade e testando os garotos que ainda não foram testados, ao invés de ficar só monitorando e buscando promessas da Série B. Antes de trazer promessas de outros times, vamos testar as nossas. E trazer, para as posições carentes, jogadores que venham para resolver, que cheguem para jogar. 

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.globo.com-Fernando Dantas/Gazeta Press-MAON

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Corinthians X Atlético-MG

Pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Corinthians receberá hoje, quarta feira, 05/10, o Atlético-MG, às 21:00 horas, em sua Arena em Itaquera. Sétimo colocado na tabela de classificação, com 41 pontos, 12 vitórias, 5 empates, 11 derrotas e 49% de aproveitamento, terá o desafio de enfrentar o 3º colocado com 52 pontos, 15 vitórias, 7 empates, 6 derrotas e 62% de aproveitamento. Sem chances na briga pelo título, com as mudanças promovidas pela CONMEBOL no regulamento da Copa Libertadores, o Timão ganhou uma sobrevida na luta por uma vaga, com a transformação do G4 em G6. Mas, em 7º lugar, não depende só de si, tem que fazer a sua parte e torcer para o tropeço dos times que estão à sua frente. Já o adversário da noite, tranquilo na obtenção da vaga, está mais preocupado em assumir a vice liderança, ocupada pelo Flamengo. Com a obrigação de vencer, o Corinthians confia na força de Itaquera para se recuperar de duas derrotas consecutivas no Brasileirão. 
Ficha Técnica - Corinthians X Atlético-MG
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 5 de outubro de 2016, quarta-feira
Horário: 21:00 horas (de Brasília)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques - PR (ASP-FIFA)
Assistente 1: Bruno Boschilia - PR (FIFA) 
Assistente 2: Ivan Carlos Bohn - PR(ESP) 
Quarto árbitro: Márcio Henrique de Gois - SP (CBF-2)
Corinthians: Walter; Léo Príncipe, Yago, Balbuena e Uendel; Camacho, Giovanni Augusto, Marquinhos Gabriel, Rodriguinho e Marlone; Gustavo; Técnico: Fábio Carille
Atlético-MG: Victor; Carlos César, Léo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Leandro Donizete, Lucas Cândido, Robinho, Clayton e Hyuri (Carlos Eduardo); Fred; Técnico: Marcelo Oliveira 
Além dos possivelmente escalados, também foram relacionados
No Corinthians: os goleiros Mattheus Vidotto e Caíque França, o lateral Uendel, o zagueiro Pedro Henrique, os volantes Cristian, Marciel, Warian e Willians, o meia Guilherme, e os atacantes Isaac, Lucca, Bruno Paulo e Rildo
No Atlético-MG: os goleiros Uílson e Giovanni, os laterais Patric e Leonan, os zagueiros Ed Carlos e Jesiel, o volante Yago, os meias Thalis e Dátolo e o atacante Capixaba. 
Estão fora
No Corinthians: Cássio, Danilo e Vilson, lesionados, Romero, com a seleção paraguaia. Fagner, com a seleção brasileira, e Léo Jabá, com a seleção brasileira sub 20. 
No Atlético-MG: Rafael Carioca, com a seleção brasileira, Lucas Pratto, com a argentina, Erazo e Cazares, com a equatoriana, e Rómulo Otero com a seleção venezuelana, Júnior Urso, suspenso, Marcos Rocha, Luan, Maicosuel e Carlos, no departamento médico. 
Apesar dos desfalques, o Corinthians contará com várias novidades, tanto no time titular como no banco de reservas. Léo Príncipe substituirá Fagner na lateral direita, e Gustavo, no lugar de Romero, terá mais uma chance como centro avante. No meio campo, Giovanni Augusto e Rodriguinho voltam, após terem cumprido suspensão. E no banco de reservas teremos as presenças de Uendel, que perdeu cinco jogos por uma lesão muscular na coxa direita; Guilherme, fora por sete partidas por um edema na panturrilha direita; Pedro Henrique, ausente por nove jogos por lesão muscular; e Bruno Paulo, curado de uma lombalgia que o tirou de combate por sete jogos. 
Carille manterá o esquema tático 4-1-4-1. No último treino, com apenas os titulares em campo, enfatizou o posicionamento, as jogadas de bolas aéreas defensivas e treinou finalizações. 
No time mineiro, Marcelo Oliveira, que tem o desafio de montar a equipe com 10 desfalques, fechou o treino para a imprensa e não revelou a escalação. 
Para o Corinthians o jogo é decisivo para colocá-lo na briga por uma vaga na Copa Libertadores. Sem vencer há cinco jogos, com apenas 7 pontos conquistados em 27 disputados, com um péssimo aproveitamento no 2º turno, o Timão terá a oportunidade, contra um Atlético-MG desfalcado e desfigurado, e diante de sua torcida, mostrar que não está virando um timinho e recuperar a confiança do time e da torcida. Após um jogo pífio diante do Botafogo, com a volta de jogadores importantes e com o apoio da Fiel, digo com o apoio e não com vaias e xingamentos, é possível reconciliar-se com a vitória e voltar a pontuar. Para isso, é preciso manter a concentração até os minutos finais, além de jogar com raça. Já vimos o Corinthians sagrar-se campeão com times medianos, mas que sabiam compensar suas deficiências técnicas com muita raça e vontade. Tomara que o time acorde e volte a jogar bola. 

Créditos e fontes de imagens 
meutimao.com.br-Total Corinthians/meutimao.com.br-MAON 
Agência Corinthians/corinthians.com.br-Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro/esporte.uol.com.br-MAON 
globoesporte.globo.com 
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com-MAON