sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Não é uma comédia, é uma tragédia que está virando um filme de terror

Quinta feira, 06/10, um grupo de torcedores fez um protesto bem humorado contra a diretoria do Corinthians, em frente ao CT Dr Joaquim Grava. Compararam a diretoria ao ator Jim Carrey, que no cinema interpretou "O mentiroso" e "Deb&Loide". Diante de tudo o que vem ocorrendo, os protestos são válidos e até esperava que fossem maiores e mais frequentes. 
Sem dúvida, não faltam motivos para protestar e para se indignar. Dois desmanches do time, desmanche da comissão técnica, falta de transparência nas contas, péssimos negócios na compra e venda de jogadores, ingressos inacessíveis para o povão, reposição de jogadores vendidos por outros de nível técnico inferior, não venda do name rights, desprezo pelo torcedor, preços abusivos dos produtos oficiais, desrespeito às tradições alvinegras, escândalos da base que terminaram em pizza, omissão na defesa do time diante das arbitrariedades cometidas pela arbitragem e pelos ataques da imprensa e de técnicos e dirigentes rivais são apenas alguns sintomas dos desmandos e omissões da diretoria e do grupo renovação e transparência. 
Se o protesto foi válido, se serviu para mostrar a insatisfação de quem ama o Corinthians diante dos atos dos que mamam no Corinthians, ele teve alguns equívocos. 
Ele deveria ter sido realizado no 5º andar do Parque São Jorge, ou mesmo na Nova Veículos, localizada na Avenida Celso Garcia nº 5000, onde o presidente despacha os assuntos referentes ao Corinthians. Além disso, não vejo semelhança entre essa diretoria com o grande comediante Jim Carrey. Ela não é uma comédia, e sim uma tragédia muito próxima a um filme de terror. 
Infelizmente, o Corinthians atual está se afastando cada vez mais dos ideais de seus fundadores e da sua concepção original. Que time do povo é esse que inviabiliza que o povo assista aos jogos, que para tentar pagar o palácio de mármore substituiu o torcedor que apoia pelo cliente que só cobra, vaia e xinga? Como o povo vai fazer o time, se ele é marginalizado e excluído por aqueles que se apropriaram do Corinthians e usam o clube em seus próprios interesses? 
Já passou da hora dos torcedores, organizados e não organizados, unirem-se em prol do resgate do Corinthians e do corinthianismo autêntico. Se o Corinthians não é um time que tem uma torcida, mas uma torcida que tem um time, vamos buscar o time, libertando-o daqueles que o usurparam de seus verdadeiros donos. Vamos fazer valer a declaração do nosso primeiro presidente. Honremos a memória de Miguel Bataglia. 
O CORINTHIANS É O TIME DO POVO, E É O POVO QUE VAI FAZER O TIME

Crédito e fonte de imagem 
Diego Ribeiro/globoesporte.globo.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário