quinta-feira, 30 de março de 2017

Safári em Itaquera

Nunca foi tão fácil caçar um elefante. Com três tiros certeiros, o Mosqueteiro abateu o Elefante da Noroeste na selva de Itaquera. Léo Jabá, Jadson e Romero acertaram o alvo e, mesmo com uma tentativa de reação, o Elefante saiu derrotado. Foi um dos melhores jogos do Timão na temporada. E o time estava desfalcado e repleto de garotos, mostrando o acerto de aproveitar a base e mesclar a força da juventude com a experiência dos mais velhos. Fiquei muito satisfeita com a postura do time e com a garra da molecada. Infelizmente, por uma desatenção da defesa, tomamos um gol. Com uma atuação envolvente, com Léo Jabá e Pedrinho trocando de lado e confundindo o adversário e com muita movimentação, o Corinthians não só venceu, mas convenceu. A entrada de Romero, substituindo o lesionado Pedrinho, manteve o ritmo de jogo. 
O primeiro gol saiu de um cruzamento perfeito de Guilherme Arana para Léo Jabá marcar de cabeça, aos 10 minutos do primeiro tempo. O segundo gol, aos 38 minutos, teve origem num passe de Léo Jabá para Jadson, que acertou um belo chute de fora da área, ampliando o placar. O terceiro foi de Romero, o artilheiro de Itaquera, com uma bela assistência de Jadson.
Gols
Embora o time como um todo tenha ido bem, merecem destaque as atuações dos três jogadores que marcaram os gols, bem como do lateral Guilherme Arana e do estreante goleiro Caíque. Firme na marcação, com bons toques de bola, bem na transição e na criação e mais objetivo no ataque, o Timão se superou e fechou com chave de ouro a fase de grupos do Campeonato Paulista. O time que começou desacreditado pela mídia e parte da torcida, aos poucos vem superando suas dificuldades e limitações. Carille vem fazendo um bom trabalho, o que comprova os erros da diretoria com as contratações de Cristóvão Borges e Oswaldo de Oliveira. 
Com o resultado, o Corinthians, com 24 pontos, sete vitórias, três empates e duas derrotas, classificou-se em primeiro lugar no Grupo A, em segundo na classificação geral, e, nas quartas de final, enfrentará o Botafogo-SP, o segundo do seu Grupo com 17 pontos. O Linense, com 17 pontos na chave B, enfrentará o São Paulo, primeiro colocado, com 20 pontos. 
Os confrontos das quartas de final do Paulistão serão os seguintes: 
Corinthians x Botafogo-SP
1º de abril - sábado - 18:30 minutos - Ribeirão Preto 
9 de abril - domingo - 16:00 horas - Arena Corinthians 
São Paulo x Linense
2 de abril - domingo - 16:00 horas - Morumbi 
8 de abril - sábado - 16:00 horas - Morumbi
Palmeiras x Novorizontino
2 de abril - domingo - 19:00 horas - Novo Horizonte 
7 de abril - sexta-feira - 21: horas - Pacaembu
Santos x Ponte Preta
1º de abril - sábado - 16:00 horas - Campinas 
10 de abril - domingo - 20:00 horas - Pacaembu 
Melhores momentos
Ficha Técnica - Corinthians 3 X 1 Linense
Local: Arena Corinthians em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 29 de março de 2017, quarta-feira
Horário: 21:45 horas (de Brasília)
Árbitro: José Cláudio Rocha Filho (SP)
Assistente 1: Daniel Paulo Ziolli (SP) 
Assistente 2: Alex Alexandrino (SP) 
Quarto árbitro: Rodrigo Pires de Oliveira
Público: 12.159 pagantes (total de 12.369)
Renda: R$ 471.297,90
Cartões amarelos: não houve
Gols: Corinthians: Léo Jabá, aos 10, e Jadson, aos 38 minutos do primeiro tempo; Romero, aos 21 minutos do segundo tempo; Linense: Thiago Humberto, aos 30 minutos do segundo tempo
Corinthians: Caíque; Léo Príncipe, Balbuena, Pedro Henrique e Guilherme Arana; Gabriel, Camacho, Pedrinho (Romero), Jadson (Fellipe Bastos) e Léo Jabá (Marciel); Jô; Técnico: Fábio Carille
Linense: Edson Kolln; Bruno Moura, Rodrigo Lobão, Samuel e Bruno Costa; Pio, Maycon, Diego Felipe (Murilo Rangel) e Thiago Humberto; Tatá (Joãozinho) e Thiago Santos (Giovanni); Técnico: Márcio Fernandes
Coletiva do Carille

Créditos e fontes de imagens e vídeos
globoesporte.globo.com-Jorginhocorinthians.blogspot.com.br-sedivirta.net-MAON
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/meutimao.com.br-Luis Moura/Gazeta Press-Djalma Vassão/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-MAON
youtube.com/iFootbaalGoals-globo.com
Djalma Vassão/Gazeta Press
youtube.com/Ligados no Timão-globo.com
youtube.com/Só Entrevistas-globo.com

segunda-feira, 27 de março de 2017

Majestoso sem majestade

Era um clássico do futebol paulista. Mas não teve o brilho de clássicos anteriores. Faltou futebol para os dois lados, faltou brilho e faltou entusiasmo. Parece que o empate deixou ambos os times satisfeitos, o que foi confirmado pelo Carille ao considerar o empate fora de casa num clássico, um bom resultado. O ponto positivo foi não ter perdido nenhum clássico. O negativo foi a recorrente má atuação da arbitragem, bastante tendenciosa pró rival e incapaz de conter a violência dos tricolores. Não expulsou o Wellington Nem após dois lances criminosos, respectivamente em Léo Jabá e Arana, e tentou compensar, expulsando-o no final, quando não mais havia tempo para reação corinthiana, além de anular o gol que seria da vitória do Timão. Após a não expulsão do jogador tricolor, o árbitro ficou perdidinho, distribuindo cartões à esmo e sem justificativas. Também foi mal a comemoração do gol do Maicon, imitando uma galinha, numa tentativa de provocar o Corinthians. Fiquei em dúvida se ele, também botou um ovo ou se apenas cacarejou.
Mérito para o atacante Jô, que marcou em todos os clássicos paulistas e é o artilheiro alvinegro na temporada. 
Cada time usou uma estratégia com ênfase ao que tem de melhor. Os anfitriões foram mais ofensivos e os visitantes priorizaram a defesa e a saída no contra ataque. O gol são paulino saiu de uma jogada de bola parada, num vacilo da nossa defesa, inclusive do goleiro Cássio, e o corinthiano de um cruzamento perfeito do Guilherme Arana, em que Rodrigo Caio falhou ao deixar Jô livre para cabecear. 
Se não fossem os erros de arbitragem poderíamos ter vencido o clássico. Mas nossa omissão ofensiva, problemas na criação e os vacilos defensivos no gol tricolor, também influíram negativamente e impediram um melhor resultado. Erros que precisam ser corrigidos antes do início dos mata mata. E alguns jogadores precisam voltar a jogar, principalmente Rodriguinho e Léo Príncipe. 
Com o resultado, o São Paulo chegou aos 18 pontos no Estadual e não pode mais ser alcançado pelo Red Bull Brasil, que soma 12 e foi derrotado pelo Botafogo-SP. O Linense, com 17 pontos, é quem briga pela primeira posição do Grupo com o Tricolor. O Corinthians chegou a 21 pontos e mantém a liderança do Grupo A, mas não pode alcançar o Palmeiras na liderança geral do Campeonato, pois o rival tem cinco pontos a mais, restando apenas três em disputa. 
Foi um jogo morno e sem brilho, em que o São Paulo não conseguiu se beneficiar do apoio de mais de 50 mil torcedores nem do apoio da arbitragem para vencer a partida. Outro aspecto negativo é essa excrescência de torcida única, pseudo solução para a segurança encontrada como alternativa pelos responsáveis pela segurança pública. Pelo que foi o jogo, pela incompetência da arbitragem e pela torcida única imposta pelos organizadores e responsáveis pelo jogo, constatamos que o mesmo foi um Majestoso sem majestade. 

Créditos e fontes de imagens 
globoesporte.globo.com-Flavio Hopp/Raw Image/Gazeta Press
Twitter.com/@SporTV

sexta-feira, 24 de março de 2017

Nem desempenho nem resultado

Com algumas exceções, o Corinthians deixou a desejar em Itaquera. Maycon e Pedrinho foram os melhores em campo, enquanto Léo Príncipe perdeu a nobreza e o Rodriguinho teve uma recaída de RUIMdriginho, errando tudo o que tentou. O desempenho do time como um todo ficou devendo e o resultado nos colocou praticamente fora da liderança geral do campeonato. Faltou atenção, faltou concentração, faltou entrosamento e ritmo de jogo. E por erros nossos, o Red Bull Brasil criou asas e empatou o jogo nos minutos finais. Mas, para sermos justos, se o Fagner, jogador de seleção e experiente, cometeu um pênalti que nos custou uma derrota amarga contra a Ferroviária, não devemos crucificar os garotos Léo Príncipe e Pedro Henrique pelas suas falhas, até porque o time não correspondeu.  
Apesar de 54% de posse de bola, tivemos dificuldades em todos os setores do campo e na transição da defesa para o ataque, além de erros de passe, cruzamentos, lançamentos e finalizações. E na hora que precisou substituir, o banco estava desfalcado e sem opções. Quando a opção para o ataque é o Guilherme, estamos sem opções. A solução foi rechear o time de volantes, o que pouco adiantou. 
Também não dá para colocar a responsabilidade de quatro jogos sem vitória, só na conta do Carille. O elenco é fraco e limitado, o regulamento do campeonato permite apenas a inscrição de 28 jogadores, há desfalques por contusões e convocações, e a herança maldita de tiriças contratados com o aval de técnicos anteriores é um complicador a mais. Não dá para fazer banquete quando faltam os ingredientes necessários. Na realidade, com uma diretoria omissa e incompetente, que contratou errado e não tem dinheiro para reforçar as posições carentes, não dá para jogar o mau desempenho e os maus resultados apenas nas costas dos jogadores e da comissão técnica, pois eles apenas refletem os desmandos da diretoria alvinegra.
Gols
Individualmente, merecem destaque o gol de falta do Maycon e a boa estreia do Pedrinho. De negativo assinalamos a má performance do Rodriguinho e o vacilo da defesa no gol adversário. 
Com o resultado, o Timão, já classificado, continua em primeiro lugar do Grupo A. Mas com quatro pontos atrás do Palmeiras e com apenas dois jogos a serem realizados, afastou-se da liderança geral do campeonato. O Red Bull Brasil chegou a 12 pontos no total, apenas dois atrás do Linense, segundo colocado, e ainda tem chances de se classificar no Grupo B. 
Na próxima rodada, os corinthianos terão o clássico contra o São Paulo, às 16:00 horas (de Brasília) de domingo, 26/03, no Morumbi e o Red Bull Brasil recebe o Botafogo-SP, no mesmo horário, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. 
Ficha Técnica - Corinthians 1 X 1 Red Bull Brasil 
Local: Arena Corinthians, em Itaquera,  São Paulo (SP)
Data: 23 de março de 2017, quinta-feira
Horário: 17:00 horas (de Brasília)
Árbitro: Salim Fende Chavez
Árbitro assistente 1: Risser Jarussi Corrêa
Árbitro assistente 2: Vitor Carmona Metestaine
Quarto Árbitro: Ricardo Bittencourt da Silva
Público: 16.861 pagantes
Renda: R$ 675.886,90
Cartões amarelos: Saulo (Red Bull)
Cartão vermelho: Saulo (Red Bull)
Gol: Corinthians: Maycon, aos 28 minutos do segundo tempo
Red Bull Brasil: Guilherme Lazaroni, aos 47 minutos do segundo tempo
Corinthians: Cássio; Léo Príncipe, Pedro Henrique, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Maycon (Marciel), Pedrinho (Guilherme), Rodriguinho e Léo Jabá (Fellipe Bastos); Jô; Técnico: Fábio Carille
Red Bull Brasil: Saulo; Lucas Taylor, Willian Magrão (Anderson Marques), Luan Peres e Thalysson; Alison, Nando Carandina e Fillipe Soutto (Guilherme Lazaroni); Luan, Élton (Daniel) e Bruno Alves; Técnico: Alberto Valentim
Entrevista do Carille

Créditos e fontes de imagens e vídeos 
globoesporte.globo.com-Marcelo Braga/globoesporte.globo.com 
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/corinthians.com.br 
youtube.com/LeandroSports-globo.com 
youtube.com/Corinthiano Fiel SCCP 

segunda-feira, 20 de março de 2017

Resultado ruim, desempenho pior

Perder é sempre ruim. Perder para o lanterna é humilhante. Perder com erro de arbitragem é injusto e desconcertante. Não acredito em coincidências. O que ocorreu ontem tem sido recorrente em jogos do Timão, o que me faz supor que os erros frequentes contra nós não decorrem apenas do despreparo da arbitragem, mas de uma dose de má fé. Alguns assopradores de apito sempre "erram" contra nós e nunca a nosso favor e, ao vermos seus nomes na escalação, já ficamos apreensivos. E o apitador de domingo é um desses que nos assustam, pois a atuação Raphael Claus em jogos do Corinthians é sempre um caos. Reconheço que não jogamos bem, que o time ficou devendo, que alguns jogadores foram péssimos, mas isso não anula o fato da arbitragem, despreparada e tendenciosa, ter influído diretamente no resultado do jogo. E até agora não vi nenhuma ação da nossa diretoria sobre o erro crasso do apitador. 
O próprio técnico reconheceu que o time foi mal, o que inviabilizou uma reação capaz de reverter a situação e anular o erro da arbitragem. Foi evidente um certo relaxamento, talvez devido a própria classificação antecipada. As mudanças no time também foram determinantes no mau desempenho e no mau resultado. Uns por falta de ritmo de jogo, outros por deficiência técnica, não conseguiram aproveitar a oportunidade que tiveram. Moisés, afobado na marcação e atrapalhado no apoio, e Guilherme, omisso e apagado, desperdiçaram suas chances de, pelo menos, ameaçarem os titulares. Marciel, quando atuou improvisado na lateral, foi muito mais eficiente. Camacho e Marlone também ficaram devendo, enquanto Pedrinho movimentou-se bem e criou várias oportunidades, credenciando-se para uma futura titularidade. 
Além das falhas individuais apontadas, e também devido a elas, o Corinthians apresentou problemas na transição da defesa para o ataque, falhas na armação, na criação e perdeu muitos gols. Destaque, também para o goleiro adversário, o melhor jogador da partida. 
Com o resultado, o Timão continua líder do Grupo A, mas perdeu a liderança geral do campeonato. O próximo compromisso do Corinthians será na quinta feira, 23/03, às 17:00 horas, na Arena Corinthians, em Itaquera, contra o Red Bull. 
O fato do técnico Carille ter reconhecido e admitido o mau desempenho do time, bem como a volta dos titulares, exceto Jadson, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, bem como a entrada de Pedrinho, sinaliza para a correção dos erros e a melhora da atuação da equipe alvinegra. 

Créditos e fontes de imagens 
globoesporte.globo.com 

sexta-feira, 17 de março de 2017

Jogando para o gasto

Se o empate de domingo fora de casa contra a Ponte Preta pelo Paulista mereceu elogios, o de quinta feira na Arena contra o Luverdense foi uma grande decepção. Com o time quase completo, apenas com um reserva (Pedro Henrique), jogando em casa e com o apoio da Fiel, contra um adversário fraco, o mínimo que se esperava era uma vitória. O Corinthians até teve uma boa movimentação, um bom posicionamento, criou e buscou o gol, principalmente no primeiro tempo. Mas das 21 finalizações durante o jogo, apenas cinco foram no alvo. Nunca vi perder tanto gol assim. Não faltou vontade, faltou foi técnica e capricho no arremate final.
O gol, marcado por Jô, saiu na etapa inicial. Com a classificação garantida, no segundo tempo o Corinthians tirou o pé, tentou administrar o resultado, o Luverdense se animou e empatou o jogo. Nada desesperador, mas muito pouco para um time técnica e estruturalmente superior ao nosso fraco adversário da noite. E assim, entre mais gols perdidos, terminou o jogo em Itaquera. O Corinthians, que jogou para o gasto, está classificado para a próxima fase e enfrentará o Internacional. Classificado, mas devendo futebol. 
Individualmente, merecem destaque as atuações de Pablo, Rodriguinho, Jô, Arana e Maycon. Jadson foi bem enquanto teve fôlego e Marlone entrou bem. De negativo, a atuação de Giovanni Augusto, o pior em campo. 
O próximo desafio do Timão será no domingo, 19/03, às 16:00 horas, contra a Ferroviária, na Arena da Fonte, em Araraquara, pelo Campeonato Paulista. 

Créditos de imagens 
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/corinthians.com.br-globoesporte.globo.com 

segunda-feira, 13 de março de 2017

Empate com susto

 
Gols
Não foi o resultado esperado nem desejado. Mas, também não foi o fim do mundo nem algo para se desesperar. Nem foi surpresa, pois a Macaca, em seus domínios, sempre apronta pra cima dos grandes times e sempre joga umas cascas de banana para fazê-los escorregar. O importante foi que nos equilibramos em cima da Ponte e, se não conseguimos derrubar a Macaca, trupicamos, mas não caímos. E voltamos para São Paulo com um mísero pontinho, mas que nos garantiu na liderança do Grupo A e do campeonato. 
Quanto ao jogo em si, sofremos com o calor, com os jogadores reservas que entraram, desentrosados e sem ritmo de jogo, com o desgaste de viagens e jogos contínuos, com os meias bem marcados e principalmente com uma barreira mau formada, mau posicionada e com o Cássio chegando atrasado na bola da falta cobrada pelo Lucca, jogador corinthiano emprestado para a Ponte Preta. No intervalo, o time melhorou com a mudança tática do 4-2-3-1 para o 4-4-2 e com a entrada do Kazim e do Marlone. Mas o melhor lance ficou por conta do garoto Léo Santos, que substituiu o lesionado Balbuena, e fez o gol de empate, surpreendendo aqueles que não acompanharam seu bom desempenho nas categorias de base. Jadson, que ainda não está em suas melhores condições, pouco rendeu e a falta de ritmo pesou no forte calor de Campinas. Com a entrada de Marlone o desempenho do meio campo melhorou. Paulo Roberto, em sua estreia como titular, surpreendeu positivamente. Jô teve importante participação no gol de empate e Kazim foi muito raçudo.
O time não teve o bom desempenho de jogos anteriores, mas isso é normal em início de temporada e num time que teve várias mudanças no elenco e na comissão técnica. O time vai oscilar e, se tivemos paciência com alguns medalhões que não renderam de início e depois deslancharam, por que não tê-la com nossos garotos e com os que estão chegando? 

Créditos e fontes de imagem e vídeo 
globoesporte.globo.com-Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/corinthians.com.br 
youtube.com/FC Barcelona BR Oficial-globo.com

sábado, 11 de março de 2017

Vitória sem sustos

Após garantir o placar, o Corinthians voltou do intervalo para administrar o jogo e garantir o resultado. Apesar do mau estado do gramado, o jogo fluiu, com boas trocas de passes e triangulações. O bom desempenho da defesa e a boa marcação fizeram o time não tomar gol, a sincronia da dupla de meias proporcionou a qualidade do meio campo, os gols surgiram e a vitória foi construída sem sustos e sem sofrimento. Foi um jogo tranquilo e na etapa final, o cansaço e o calor contribuíram para que o time tirasse o pé e apenas administrasse o resultado. Foi um bom jogo, muito mais próximo dos clássicos paulistas que do sofrido jogo contra o Brusque. O bom desempenho dos jogadores, que atuaram com muita raça e vontade, demonstra que Carille está no caminho certo e que o time encontra-se em evolução. Merecem destaque as atuações de Guilherme Arana, Gabriel, Maycon, Jadson e Rodriguinho. Tanto Jô quanto Kazim tiveram uma atuação aquém do esperado, por terem ficado isolados no ataque. A bola pouco chegou neles. 
Gols
Os gols foram marcados por Rodriguinho e Gabriel, em jogadas bem trabalhadas.
Com o resultado o Timão leva uma boa vantagem para o jogo de volta, na próxima quinta feira, 16/03, às 19:30 horas na Arena Corinthians. O Luverdense precisa vencer em Itaquera por ao menos três gols de diferença. Vitória por dois gols de diferença com mais gols marcados (3 a 1, 4 a 2, 5 a 3…) também dá a vaga ao clube mato-grossense. 
Melhores momentos
Ficha Técnica - Luverdense 0 X 2 Corinthians 
Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT)
Data: 9 de março, quinta-feira
Horário: 21:30 horas (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Garcia Cavaleiro – RJ (CBF)
Árbitro Assistente 1: Dilbert Pedrosa Moises – RJ (CBF)
Árbitro Assistente 2: Eduardo de Souza Couto – RJ (CBF)
Quarto Árbitro: Alinor Silva da Paixão – MT (CBF)
Público: 13.248 pagantes
Renda: R$ 807.710,00
Cartões amarelos: Marcos Aurélio, Paulinho (Luverdense); Balbuena (Corinthians)
Gols: Corinthians: Rodriguinho, aos 21, e Gabriel, aos 25 minutos do primeiro tempo
Luverdense: Diogo Silva; Aderlan, Dalton, Neguete e Paulinho; Ricardo; Diogo Sodré (Rodrigo Fumaça), Marcos Aurélio, Rafael Silva e Erik (Café); Raphael Macena (Kazu); Técnico: Odil Soares
Corinthians: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Jadson (Marlone), Rodriguinho, Maycon e Romero (Léo Jabá); Jô (Kazim); Técnico: Fábio Carille
Entrevista

Créditos e fontes de imagens e vídeos
Chico Ferreira/Futura Press/globoesporte.globo.com
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/corinthians.com.br
youtube.com/Sc Timão - Corinthians-globo.com
Diego Ribeiro/globoesporte.globo.com
youtube.com/Central de notícias e esportes-globo.com
youtube.com/Esporte Mundial-globo.com 

terça-feira, 7 de março de 2017

Peixada em Itaquera

Mesmo com uma crise de vesícula, com muita dor e desconforto, não deixei de ver o Timão pescar lambari em Itaquera. Somente após o jogo fui para o Pronto Socorro, onde fui encaminhada para uma cirurgia de emergência. Porco na quarta feira e peixada no sábado, minha vesícula não aguentou. Mesmo entre dores, não deixei de curtir o jogo e me deliciar com a peixada em Itaquera. Já em casa, não vou fazer análise tática, pois isso já deve ter sido devidamente tratado pela mídia séria ou ignorado e adulterado pala mídia anti, que deu mais importância ao Tite comemorar um gol do time que agregou seu DNA tático do que analisar o bom desempenho do Corinthians e os apuros santistas, salvo de uma goleada pela boa atuação do goleiro Vladimir. 
Aos poucos Carille vai acertando o time, a equipe vem se entrosando e raça não tem faltado aos jogadores. Temos hoje um time bem diferente daquele amorfo e apático amontoado de jogadores sem vontade e sem entusiasmo que atuou em 2016. Aparentemente, a molecada da base e os que chegaram conseguiram injetar intensidade nesse novo timão, e a comissão técnica está conseguindo integrar o entusiasmo e a energia dos garotos com a experiência dos mais velhos. 
Gol
Pressionando o campo de ataque, o Timão dominou todo o jogo e se não fossem os "milagres" do goleiro santista, teríamos vencido de goleada. Mas, a eficiência e a garra foram maiores que os "milagres" e numa tabela entre Rodriguinho, Jadson, Romero e Arana, que cruzou para Jô cabecear, fazer o gol e abrir o placar em Itaquera, a Fiel foi à loucura.
Mesmo ainda fora de forma, Jadson foi o diferencial técnico no meio campo. Também merecem destaque as atuações do polivalente Maycon, do Guilherme Arana, da dupla de zaga e do atacante Jô. 
Do lado santista, Renato e Lucas Lima foram as grandes ausências sentidas pelo time. 
Com a vitória no clássico o Timão alcançou 18 pontos, se mantém como melhor campanha do Campeonato Paulista e abre mais vantagem no Grupo A. O Santos permanece com 10 pontos e segue atrás de Ponte e Mirassol, líderes da sua chave e, no momento, classificados à fase seguinte.
Na próxima rodada do Paulista, o Corinthians enfrentará a Ponte Preta, no Estádio Moisés Lucarelli, enquanto o Santos enfrentará o São Bernardo no estádio Baetão, ambos no domingo. Antes, porém, os clubes entram em campo por outras competições. O Timão fará o primeiro jogo da terceira fase da Copa do Brasil, contra o Luverdense, fora de casa, na quinta-feira, mesmo dia em que o Peixe visita o Sporting Cristal, em Lima, no Peru, pela estreia na Taça Libertadores. 
Melhores momentos
Ficha técnica - Corinthians 1 X 0 Santos
Local: Arena Corinthians em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 04 de março de 2017, sábado
Horário: 18:30 horas (de Brasília)
Arbitro: Leandro Bizzio Marinho
Arbitro Assistente 1: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa
Arbitro Assistente 2: Daniel Paulo Ziolli
Quarto Arbitro: Vinicius Furlan
Público: 36.111 pagantes
Renda: R$ 1.991.856,80
Cartões amarelos: Gabriel, Jadson, Rodriguinho, Pablo (Corinthians); Vladimir (Santos)
Gol: Corinthians: Jô, aos 2 minutos do segundo tempo
Corinthians: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Jadson, Rodriguinho (Giovanni Augusto), Maycon e Romero (Léo Jabá); Jô (Kazim); Técnico: Fábio Carille
Santos: Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Cleber e Zeca; Yuri (Rafael Longuine), Thiago Maia e Vitor Bueno; Bruno Henrique, Copete (Rodrigão) e Kayke (Thiago Ribeiro); Técnico: Dorival Júnior 
Entrevista

Créditos e fontes de imagens e vídeos 
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com-globoesporte.globo.com-cbhsaofrancisco.org.br-MAON 
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com 
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.com
youtube.com/FVcomps-globo.com 
youtube.com/Futebol Rei-globo.com 
youtube.com/Esporte Mundial-globo.com 

sexta-feira, 3 de março de 2017

Corinthians X Santos

Pela sétima rodada do Campeonato Paulista, o Corinthians enfrentará o Santos neste sábado, 04/03, às 18:30 horas, em sua Arena em Itaquera. Líder do Grupo A com 15 pontos, cinco vitórias, uma derrota e 83% de aproveitamento, o Timão terá por adversário o terceiro colocado do Grupo C com 10 pontos, três vitórias, um empate e duas derrotas. O Santos precisa da vitória para alcançar a classificação para a próxima fase e o Corinthians, jogando em casa, busca retomar o bom futebol que vinha jogando, antes do empate com o Brusque na Copa do Brasil, quando só conseguiu sua classificação nas cobranças de pênaltis. 
Ficha Técnica - Corinthians X Santos
Local: Arena Corinthians em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 04 de março de 2017, sábado
Horário: 18:30 horas (de Brasília)
Arbitro: Leandro Bizzio Marinho
Arbitro Assistente 1: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa
Arbitro Assistente 2: Daniel Paulo Ziolli
Quarto Arbitro: Vinicius Furlan
Corinthians: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Jadson, Rodriguinho, Fellipe Bastos e Marlone (Giovanni Augusto); Jô; Técnico: Fábio Carille
Santos: Vladimir; Victor Ferraz, Cleber (Lucas Veríssimo), Yuri e Zeca; Renato, Thiago Maia e Vitor Bueno; Bruno Henrique, Copete e Kayke; Técnico: Dorival Júnior 
Além dos possivelmente escalados, também foram relacionados os seguintes jogadores;
No Corinthians, o goleiro Caíque, os laterais Léo Príncipe e Moisés, os zagueiros Pedro Henrique e Vilson, os volantes Camacho, Maycon e Paulo Roberto, e os atacantes Kazim, Léo Jabá e Romero.
No Santos, o goleiro João Paulo, o lateral Matheus Ribeiro, os zagueiros David Braz e Fabian Noguera, o volante Leandro Donizete, os meias Lucas Lima, Rafael Longuine, Jean Mota, Matheus Oliveira, e os atacantes Ricardo Oliveira, Artur Gomes e Thiago Ribeiro.
No Corinthians, Marlone e Rodriguinho voltam ao time, sendo que este, juntamente com Jadson será responsável pela armação da equipe. Carille não divulgou a escalação mas sinalizou que poderá promover mudanças e que a escalação será definida juntamente com os profissionais da fisiologia. Os jogadores mais desgastados não iniciarão o jogo. 
No Santos, Dorival não poderá contar com Lucas Lima e Ricardo de Oliveira, ainda não totalmente recuperados e sem condições de atuar os 90 minutos. Ambos ficarão no banco de reservas. O volante Renato, recuperado de lesão, voltará ao time. 
Embora o Santos se encontre no campeonato numa situação mais delicada que o Corinthians, clássico é sempre um campeonato à parte. Mas, como mandante e com o apoio da torcida, o Corinthians, se recuperar o futebol que vinha jogando no Paulista, se entrar com garra e determinação, tem plenas condições de sair com a vitória. 
Não podemos deixar de lamentar a excrecência da torcida única, atestado inconteste da incompetência dos responsáveis pela segurança nos estádios e da Federação Paulista de Futebol.

Créditos e fontes de imagens 

Créditos e fontes de imagens 
meutimao.com.br-fotografiasaereas.com.br-MAON 
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/corinthians.com.br-Ricardo Saibun/Santos FC/espnfc.espn.uol.com.br-MAON 
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/corinthians.com.br 
twitter.com/@Corinthians 

quinta-feira, 2 de março de 2017

Sufoco, susto e a classificação nos pênaltis

Pênaltis
No pior jogo do ano, o Corinthians passou o maior sufoco e só conseguiu se classificar para a próxima fase da Copa do Brasil nos pênaltis e graças aos erros dos jogadores adversários. Embora o Brusque seja um time bem arrumado e bem treinado, nada justifica a má atuação alvinegra. Com três volantes e sem nenhum meia de ofício, o Corinthians quase nada criou na etapa inicial, deixando Kazim isolado na frente. Diante de um time, muito fechado, que não deu espaço, o Corinthians se afobou e não teve tranquilidade para trabalhar a bola e furar a retranca do Brusque. E, com bom preparo físico, os adversários souberam aproveitar os contra ataques, levando perigo à meta corinthiana. Carille demorou para mexer no time, que só conseguiu trabalhar melhor a bola após a entrada do Jadson, que mesmo fora de forma conseguiu melhorar a armação e a ofensividade dalvinegra. Mas, tal melhoria não se transformou em gol e a decisão foi para os pênaltis.
Jadson foi o primeiro a cobrar pelo Timão e, ao chutar para fora, quase se transformou em vilão. Mas o Timão foi salvo de ser eliminado por dois erros de jogadores do Brusque. João Carlos, que podia definir a partida para o adversário, acabou chutando a bola na trave. Jô, com a ajuda do morrinho artilheiro, deixou tudo igual no placar. Nas cobranças alternadas, o ex corinthiano Carlos Alberto errou e a cobrança de Romero garantiu a classificação corinthiana para a próxima fase. O placar final dos pênaltis foi 5 a 4 para o Timão. 
Na próxima fase o Corinthians enfrentará o Luverdense, que venceu o Avaí, também nos pênaltis. Os jogos serão realizados nos próximos dias 9 e 16 de março, respectivamente, no estádio Passo das Emas (ida), em Lucas do Rio Verde (MT), e Arena Corinthians (volta). 
Melhores momentos
Ficha Técnica - Brusque 0 (4) X (5) 0 Corinthians
Local: Estádio Augusto Bauer, em Brusque (SC)
Data: 1º de março de 2017, quarta-feira
Horário: 21:45 horas (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez - PE (CBF)
Árbitro Assistente 1: Marcelino Castro de Nazaré - PE (CBF)
Árbitro Assistente 2: Bruno Cesar Chaves Vieira - PE (CBF)
Quarto Árbitro: Edson da Silva - SC (CBF)
Cartões amarelos: Eliomar, Carlos Alberto (Brusque); Gabriel, Giovanni Augusto e Fagner (Corinthians)
Pênaltis: Brusque: Jônatas Belusso, Willian, Eliomar, Ricardo Lobo; Corinthians: Giovanni Augusto, Maycon, Fagner, Jô e Romero
Brusque: Rodolpho; João Carlos, Cleiton, Neguete e Carlos Alberto; Mineiro, Boquita (Willian), Leílson e Eliomar; Ricardo Lobo e Jônatas Belusso; Técnico: Pingo
Corinthians: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Fellipe Bastos (Jadson), Romero, Maycon e Léo Jabá (Giovanni Augusto); Kazim (Jô); Técnico: Fábio Carille 

Créditos e fontes de imagem e vídeo 
globoesporte.globo.com 
youtube.com/Soccer 7i-foxsports.com.br 
youtube.com/Futebol Mil Grau live-foxsports.com.br 

quarta-feira, 1 de março de 2017

Brusque X Corinthians - Copa do Brasil

Pela segunda fase da Copa do Brasil, o Corinthians foi para Santa Catarina enfrentar o Brusque nessa quarta feira, 01/03, às 21:45 horas, no estádio Augusto Bauer, em Brusque, SP. Dono da melhor campanha do Campeonato Paulista, o Timão terá por adversário o vice líder do Campeonato Catarinense, que eliminou o Remo na primeira fase, da Copa do Brasil vencendo por 2 a 1. O Corinthians, na primeira fase, eliminou o Caldense, ao vencê-lo por 1 a 0. 
Pelo regulamento, passa para a fase seguinte o time que vencer a partida. Se der empate, a decisão vai para os pênaltis.
Ficha Técnica - Brusque X Corinthians
Local: Estádio Augusto Bauer, em Brusque (SC)
Data: 1º de março de 2017, quarta-feira
Horário: 21:45 horas (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez - PE (CBF)
Árbitro Assistente 1: Marcelino Castro de Nazaré - PE (CBF)
Árbitro Assistente 2: Bruno Cesar Chaves Vieira - PE (CBF)
Quarto Árbitro: Edson da Silva - SC (CBF)
Brusque: Rodolpho; João Carlos, Willames José, Neguete e Willian; Carlos Alberto, Boquita, Leílson e Eliomar; Ricardo Lobo e Jônatas Belusso; Técnico: Pingo 
Corinthians: Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel; Romero, Fellipe Bastos, Maycon e Léo Jabá; Kazim; Técnico: Fábio Carille
No Corinthians, além dos escalados, também foram relacionados os goleiros Matheus Vidotto e Caíque França, o lateral Léo Príncipe, os zagueiros Pedro Henrique e Vilson, os volantes Paulo Roberto e Marciel, os meias Jadson, Giovanni Augusto e Pedrinho, e o atacante Jô. Estão fora Walter, Danilo, Rodriguinho, Guilherme, Marquinhos Gabriel e Marlone. 
As grandes novidades estão no banco de reservas, os meias Jadson e Pedrinho.
Carille promoveu três mudanças em relação à equipe que venceu o Mirassol. Fagner e Balbuena entram no lugar de Léo Príncipe e Pedro Henrique e Romero no lugar de Jô. O esquema tático, também mudou. Ao invés do 4-4-2 do jogo anterior, volta o 4-1-4-1, com Fellipe Bastos e Maycon liberados para ajudar na criação e com Kazim mais à frente no ataque. 
No último treino, no palco do jogo, com a presença de cerca de três mil pessoas na arquibancada, o técnico definiu o time e fez os últimos ajustes na equipe. Em entrevista coletiva Carille prometeu “marcar pressão, sair no campo do adversário, trocar bastante posse de bola, valorizar a posse de bola e quando, tiver a oportunidade, fazer o gol”. 
O time do Brusque, vice líder do catarinense, que perdeu apenas um jogo, para o Avaí, é um time ofensivo, com a média de dois gols por jogo e tem como características a marcação alta e a posse de bola. Seu esquema tático é o 4-4-2. Seu ponto vulnerável é o espaço nos lados do campo, em decorrência da ofensividade de seus laterais, o que favorece o contra ataque do adversário. Carille afirmou ter estudado o Brusque e assistido cinco jogos do adversário. O time da casa é comandado pelo ex-corintiano Pingo, que tem dois meio-campistas com passagens pelo clube do Parque São Jorge à disposição, Boquita e Carlos Alberto.
O Brusque conta com o fator campo para vencer o jogo e o Timão com a boa fase, a técnica e a garra de seu elenco. A grande expectativa é a reestreia do meia Jadson, após passar uma temporada na China. Sem jogar desde outubro, ele deverá entrar no decorrer da partida. O jogo tem caráter decisivo e só a vitória interessa.

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br-Fabiano Linhares/CBN Diário/globoesporte.globo.com-MAON
Jamira Furlani-Avaí F.C./globoesporte.globo.com-MAON
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians-meutimao.com.br-MAON
Agência Corinthians/corinthians.com.br
twitter.com/@Corinthians