sábado, 23 de abril de 2016

Sobrou Audax, faltou audácia

Sim, o Audax sobrou em campo e até poderia ter vencido no tempo normal, enquanto para o Corinthians faltou audácia, faltou precisão na marcação e, sobretudo, pontaria na finalização. E ainda teve jogador mau escalado, substituição equivocada e exagerado respeito pelo adversário, gerando uma certa insegurança e afobação, denotando desequilíbrio emocional e falta de confiança. Faltou entrar com a faca nos dentes e sangue-no-zóio, faltou sagacidade, faltou manha, faltou malícia... Será que algum dia o Tite vai entender que ganhar um título é tão importante quanto receber o troféu fair play? 
Faltou um pitbull no meio campo para evitar que o adversário chegasse ao ataque e que chutasse de fora da área, o que teria evitado os gols do time de Osasco. Nossos volantes falharam muito na marcação. O meia Alan Mineiro é mais jogador de meio que de beirada, não rende pelo lado e possui pouca mobilidade. É mais jogador de força do que de velocidade. E vacilou vergonhosamente no gol que perdeu. Romero entrou e mudou a cara do jogo. Marlone é muito melhor que Lucca, mas este, além de iniciar a partida, ficou até o final, mesmo não jogando nada. Jogadas de bolas altas são o ponto vulnerável do time visitante. Balbuena é muito bom para neutralizar essa jogada, mas ficou no banco. E Yago, pego em exame de doping, provavelmente, não estava emocionalmente equilibrado para atuar num jogo decisivo. Arana tem sido mais efetivo que o Uendel, que oscila muito e, contra o Audax, assim como o Lucca, estava totalmente perdido em campo. Guilherme, que continua escalado numa posição que foge das suas características, continua não rendendo o que se espera dele. E, para piorar, Elias esteve apagado e omisso. 
E todo o desequilíbrio e insegurança refletiu nos arremates finais, com a bola rolando e com a bola parada. Um festival de gols perdidos e pênaltis desperdiçados. E o Corinthians eliminado. 
Sei que o time foi desmanchado, que está sendo remontado e que não está pronto. Mas, não estávamos enfrentando o Barcelona nem o Bayern de Munique, e sim um time que vai disputar a Série D e tem uma estrutura e uma folha salarial bastante modestas e muito inferiores às nossas. (O Audax tem folha salarial 20 vezes menor que a do Corinthians). Mesmo sendo um time bem arrumado e bem treinado, as condições estruturais do Corinthians são infinitamente superiores e nada justifica o vexame de mais uma eliminação em casa, nem os recorrentes erros de cobranças de pênaltis. 
Espero que sua diretoria, comissão técnica e jogadores tenham a capacidade de fazer uma auto crítica, de corrigir os erros cometidos e de aprender com eles. E que o Tite reveja seus critérios de ME RE CI MEN TO, colocando no banco jogadores que não estão rendendo, dando oportunidade aos que já mostraram serviço e escalando os atletas nas posições em que possam render mais. Afinal, estamos disputando uma Copa Libertadores e teremos pela frente uma Copa do Brasil e um Campeonato Brasileiro. E novos vexames são inadmissíveis. 


Crédito e fonte de imagem 
globoesporte.globo.com

Um comentário:

  1. Boa Tarde Maria Eugênia! Meu nome é Deborah e eu sou estudante de jornalismo na Anhembi Morumbi e esse semestre estamos realizando um trabalho sobre o clássico Corinthians e Palmeiras, e a sua história de ser a primeira corinthiana em uma família de palmeirenses é muito legal e se encaixaria bem no nosso tema, você teria como me mandar um email para que pudéssemos conversar? O meu é deborah.franco@hotmail.com

    agradeço desde Já e Parabéns pelo Blogs!!!
    bjs

    ResponderExcluir