segunda-feira, 11 de abril de 2016

Misto Quente

Como prevíamos no pré jogo, o Misto do Corinthians foi um misto quente e jogou com muito mais vontade, garra e determinação que o time morno que domingo se poupou no Pacaembu. Hoje os jogadores entraram com a cabeça, a alma e o coração no jogo. Não estavam pensando na Libertadores nem se pouparam para evitar desgastes e contusões. Focados no jogo, não fugiram das divididas e, quando fazem o certo, o correto, o resultado positivo acontece. O placar foi 3 a 0, mas até poderia ser mais. E os reservas mostraram que podem ameaçar os titulares. 
Walter, no gol, foi pouco acionado, mas quando exigido, foi preciso e seguro. Tranquilo, com ele não levamos nenhum susto. Boa sombra para o Cássio. Balbuena foi um dos melhores em campo, um verdadeiro Xerife. Danilo, muita técnica e domínio da bola, não jogou, bailou em campo, tal a harmonia demonstrada em cada jogada. Romero, pura raça. Com ele não tem bola perdida, Não foge das divididas. Compensa as limitações técnicas e se supera com a garra, a raça e a entrega em campo. 
Luciano lutou, correu, não se omitiu, mas foi prejudicado pela ansiedade excessiva na busca do gol que só virá quando colocar a cabeça no lugar e serenar seu coração. Alan Mineiro, após ter entrado em forma, está sabendo agarrar sua oportunidade. Fez um golaço e se coloca como alternativa para o meio campo. Fez muitos gols no Bragantino e tomara que esse seja o primeiro de muitos que virão. Marlone, voltando de contusão, substituiu o cansado Romero e, no pouco tempo em que atuou, deu bons passes e mostrou empenho em campo. Willians atuou pouco tempo, mas precisa ser menos afoito na marcação e tomar cuidado com as faltas e entradas desnecessárias.
Como previsto, os reservas entraram com muita garra, na busca de se colocarem como alternativas no time titular. Mas, os titulares não deixaram por menos. Vimos um Fagner e um Elias vibrantes, propositivos, intrépidos e muito atuantes. Juntos com Danilo, os melhores em campo. Fagner comandou o setor ofensivo, marcou dois gols e foi bem na defesa. Foi o nome do jogo. Elias apareceu bem no ataque, deu bons passes e foi muito participativo. Bruno Henrique e Guilherme atuaram melhor que em jogos anteriores, com o volante conseguindo parar as investidas adversárias e com o meia muito mais participativo. Mas, precisa melhorar as finalizações, pois perdeu três gols seguidos. Yago não teve muito trabalho, mas fez os desarmes necessários, e Uendel errou alguns cruzamentos, mas não comprometeu o jogo. 
Gols
Coletivamente, o time foi bem, o que permitiu que as individualidades sobressaíssem e os gols acontecessem. Isso deve-se, principalmente à postura do time em campo, muito diferente daquela apatia, talvez covardia, demonstrada no derby. O Corinthians dominou a partida, ditando o ritmo do jogo. A defesa e a marcação foram precisas, o meio campo criou e, com o apoio dos laterais, as oportunidades de gol surgiram naturalmente. Foram três gols marcados, além dos muitos perdidos. 
Foi um jogo sem sustos, sem sufoco e sem nervosismo. Foi um jogo de muita movimentação, troca de passes, infiltrações e triangulações. Foi um jogo de responsabilidade, de dedicação, de vontade e de determinação. Foi um jogo de empenho, no qual o bom desempenho determinou o bom resultado, a vitória e a confirmação da liderança do campeonato.
Diferentemente do que ocorreu domingo no Pacaembu, foi um jogo de Corinthians. 
A vitória por 3 a 0 sobre o Novorizontino rendeu também ao Timão a maior série de resultados positivos na Arena Corinthians. O Alvinegro alcançou o décimo triunfo seguido em Itaquera e segue com 100% de aproveitamento no estádio na atual temporada.
Já classificado, o Timão enfrentará o Red Bull Brasil no próximo final de semana, em sua Arena, em Itaquera. A FPF marcou o jogo para domingo, 17/04, às 16:00 horas, mas a Secretaria de Segurança Pública solicitou que, devido às manifestações programadas, contra e a favor do golpe, os jogos de domingo sejam cancelados. 
Melhores momentos
Ficha Técnica - Corinthians 3 X 0 Novorizontino 
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 10 de abril de 2015, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Douglas Marques das Flores
Assistente 1: Rogerio Pablos Zanardo
Assistente 2: Leonardo Augusto Villa
Quarto árbitro: Magno de Sousa Lima Neto
Público: 30.475 pagantes (total de 30.687)
Renda: R$ 1.580.493,50
Cartões amarelos: Luciano (Corinthians); Paulinho, Fahel, Rayllan, Luisão e Domingues (Novorizontino)
Gols: Corinthians: Fagner, aos 40 minutos do primeiro tempo e aos 2 minutos do segundo tempo; Alan Mineiro, aos 43 minutos do segundo tempo
Corinthians: Walter; Fagner, Balbuena, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Elias (Willians), Danilo (Alan Mineiro), Guilherme e Romero (Marlone); Luciano; Técnico: Tite
Novorizontino: Veloso; Jeci, e Luisão e Domingues; Fahel, Michel, Cléo Silva (Luiz Araújo), Pedro Carmona (Adriano) e Paulinho; César (Rayllan) e Roberto; Técnico: Guilherme 

Créditos e fontes de imagens e vídeos 
globoesporte.globo.com-Daniel Augusto Jr./corinthians.com.br-MAON 
Luiz Moura/WPP/Gazeta Press-Mauro Horita/Agif/Gazeta Press-Luiz Moura/WPP/Gazeta Press-Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/gazetaesportiva.com-MAON 
Mauro Horita /Agif/Gazeta Press-MAON 
youtube.com/globo.com 
gazetaesportiva.com 
youtube.com/globo.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário