segunda-feira, 15 de maio de 2017

A maratona pesou

Cinco jogos decisivos, viagem para o Chile, mudança de clima e um vírus foram suficientes para deixar o time baleado. É natural uma baixada da adrenalina após grandes emoções, o campeonato está só no início e o empate não é motivo para desespero nem para achar que, por isso, o time é ruim. É o mesmo time que venceu o Paulista e deu uma aula de futebol na Universidad de Chile. Oscilações são comuns e ainda precisamos de algumas peças de reposição. Pesou o cansaço, pesou a queda da adrenalina após cinco jogos desgastantes, pesaram as pernas dos jogadores, que não conseguiram manter o ritmo na etapa final e deixaram o Chapecoense empatar o jogo. 
Após um bom primeiro tempo, a queda de rendimento foi nítida. Depois do intervalo, o Corinthians não conseguiu manter o ritmo e sucumbiu à marcação do Chape. O cansaço era visível e a maratona de jogos decisivos cobrou o seu preço. Após o gol que empatou a partida, os jogadores descontrolaram-se e, afobados, não mantiveram o equilíbrio e a concentração necessárias para virar o jogo. Com dificuldade na criação e com os jogadores baleados, conseguimos segurar o empate. E lá se foram dois pontos perdidos em Itaquera. Num campeonato de pontos corridos, em casa jamais poderemos ter pontos perdidos. A contusão de Pablo fez Carille perder uma substituição ofensiva, no momento em que faltavam pernas para nossos atletas. Pedrinho poderia ter possibilitado maior movimentação ao time e mais infiltração, mas o técnico optou por Kazin, que nada acrescentou à equipe alvinegra. 
É preocupante o fato do time não estar conseguindo vencer na Arena. Embora o cansaço, a maratona de jogos e a gripe possam ser atenuantes, é urgente que Carille busque alternativas, o que implica, necessariamente em melhor utilização de setor ofensivo, inclusive com reforços para algumas posições. E, dependendo da gravidade da lesão do Pablo, a contratação de mais um zagueiro. 
Felizmente, teremos uma semana cheia, tempo necessário para o descanso e recuperação física e psicológica dos jogadores, bem como para a correção das falhas da equipe. Os dois próximos jogos serão fora e precisamos recuperar os pontos perdidos na Arena. E que venha a primeira vitória. 

Créditos e fontes de imagens 
portaldocorredor.com-globoesporte.globo.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário