segunda-feira, 8 de maio de 2017

Conquista na raça - É campeão

Ao empatar com a Ponte Preta por 1 a 1 no domingo, em sua Arena em Itaquera, (placar agregado 4 a 1) o Corinthians comemorou dignamente os 40 anos do Campeonato Paulista de 1977 e conquistou seu 28º título estadual. Descreditado pela imprensa, pelos adversários e até por alguns torcedores no início da temporada, o Timão superou as melhores expectativas e queimou a língua de muitos. De quarta força a campeão paulista, foi um trajeto de muita raça, comprometimento, entrega e superação. Carille, o grande comandante, soube tirar o melhor de cada jogador e levantar o ânimo do combalido elenco de 2016. Sem recursos financeiros e sem grandes contratações, soube se virar com o que tinha disponível e montar uma equipe organizada, com um padrão tático definido, aguerrida e disciplinada. E os jogadores, compactuando com a seriedade e a proposta do técnico, contribuíram com muita entrega e disciplina tática para a existência de um time capaz de almejar algo mais que a figuração no campeonato. 
Entrevista do Carille
Assim, a chamada "quarta força" foi se impondo no torneio estadual, lutando de igual para igual e, até superando adversários que se reforçaram com grandes "estrelas" do futebol, chegar, com todos os méritos, à conquista do título paulista. Título este que começou com a classificação, continuou com as eliminações do Botafogo-SP e São Paulo e culminou com o placar agregado de 4 a 1 sobre a Ponte Preta. 
O resultado final foi construído no 1º jogo em Campinas na vitória por 3 a 0. Na partida de volta na Arena Corinthians, quando poderia perder até por dois gols de diferença, sem dois jogadores fundamentais, Gabriel e Rodriguinho, o Corinthians administrou o jogo e empatou com a Macaca por 1 a 1, com gol de Romero, e sagrou-se, pela 28ª vez, campeão paulista. Talvez por ter uma grande vantagem ou pelo próximo compromisso na quarta feira, 10/05, em Santiago, no Chile, ou pelos desfalques, o jogo de volta em nossa casa não repetiu a atuação primorosa do time no Moisés Lucarelli, em Campinas. 
Mas, o importante foi o título, comemorado condignamente com a participação dos heróis de 1977 e com o encontro do Pé de Anjo Basílio e o Pé de Angel Romero, além das presenças de Tobias, Vaguinho, Vladimir, Zé Maria e de Marlene Matheus.
A festa foi linda e emocionante, digna da nossa história e das nossas tradições. 
AQUI É CORINTHIANS
Quando não dá na técnica vai na raça

Créditos e fontes de imagens e vídeo 
Djalma Vassão/Gazeta Press/gazetaesportiva.com-Daniel Augusto Jr/ Agência Corinthians/corinthians.com.br 
Daniel Augusto Jr/ Agência Corinthians/corinthians.com.br 
youtube.com/canal Corinthians 
twitter.com/@sccpmais-Marcos Ribolli/globoesporte.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário