sábado, 28 de abril de 2018

As mina na Arena Corinthians

Foi um momento histórico para o futebol feminino. Mais do que o resultado, uma goleada por 4 a 1 sobre o São Francisco, o importante foi a ocupação do espaço da Arena Corinthians pelas equipes femininas de futebol, não mais como coadjuvantes, mas como protagonistas. Importante também foi a campanha contra o machismo no futebol e o direito de participação da mulher num esporte que lhe foi proibido por muito tempo. As jogadoras do Corinthians entraram em campo com uma faixa pedindo o fim da discriminação de gênero no futebol e traziam estampada nas camisas o machismo enfrentado no seu dia a dia, em uma campanha que visava denunciar o preconceito e chamar a atenção para o futebol feminino. 
Apesar do horário inconveniente para um dia de semana, (17:30 horas), cerca de quatro mil pessoas prestigiaram a estreia corinthiana no Campeonato Brasileiro da categoria feminina, com destaque para a presença das participantes do Movimento Toda Poderosa Corinthiana que animaram o intervalo com cobranças de pênaltis numa ação da Estrella Galícia, uma das patrocinadoras do Timão. Também prestigiou o evento a ex jogadora Milene Domingues, embaixadora do Futebol Feminino do Corinthians. 
Com a bola rolando, nossas meninas não decepcionaram e golearam o São Francisco por 4 a 1, com gols de Grazi, Adriana, Milene e Cacau. A zagueira Jajá marcou o gol de honra do São Francisco. 
Após a vitória, o elenco corinthiano, muito aplaudido pela torcida, dirigiu-se para  o setor norte da Arena para agradecer o carinho e o apoio da Fiel. 
O evento, mais que um jogo de futebol, foi um marco histórico na luta pelo reconhecimento do futebol feminino. Que outros clubes sigam o exemplo e também disponibilizem seus estádios para a prática do futebol feminino. 
Infelizmente, a maioria da imprensa ignorou o evento, que foi transmitido pela Corinthians TV, canal do youtube, e pela Rádio Coringão, evidenciando que, apesar dos progressos alcançados, a luta pela valorização e visibilidade do futebol feminino ainda é longa e árdua. 

Créditos e fontes de imagens
Sergio Barzaghi/Gazeta Press/gazetaesportiva.com
youtube.com/Olimpíada Todo Dia
facebook.com/Cacau Fernandes 

Nenhum comentário:

Postar um comentário