segunda-feira, 1 de junho de 2015

Acorda Timão!!!

No post do pré jogo afirmei que o jogo seria decidido na raça, que venceria o time que mais se doasse em campo e que determinação e postura seriam primordiais para a vitória. E não me enganei, Venceu o time que entrou determinado, decidido, lutando pela vitória, disputando cada bola como se fosse a última chance da vida. Venceu a equipe mais aguerrida, que atuou com mais garra e com mais vontade.
E, infelizmente, esse time não foi o Corinthians e sim nosso adversário e arqui rival, o Palmeiras.
Além da superioridade tática e de apresentar um padrão de jogo minimamente organizado, nosso adversário atuou com postura de vencedor, com espírito de luta, acreditando na possibilidade de vencer e ignorando a pressão da Fiel.
O Corinthians, embora de início tenha apresentado-se ligeiramente superior, abdicou de jogar e foi engolido em campo. Além da desorganização tática, faltou vontade, faltou determinação, faltou respeito do time à camisa do Corinthians, faltou respeito ao torcedor. Descontrolado emocionalmente e bagunçado taticamente, foi um time desorganizado, descoordenado, sem iniciativa e sem alma. Com uma defesa inoperante, um meio campo sem criatividade e com o Romero isolado, sem receber uma bola decente foi facilmente anulado por um time que não havia vencido no campeonato e que na Copa do Brasil não conseguiu sequer ganhar do Asa de Arapiraca. 
Time mal armado que jogando em casa foi a campo com 3 volantes e um atacante. Defesa péssima, que, sem nada fazer, só assistiu os gols do adversário. Se não fosse o Cássio no 2º tempo teríamos levado uma goleada. Erros de passes em profusão e nulidade nas raras oportunidades de finalização. Meio campo perdido. Quando Petros conseguia roubar a bola, não sabia o que fazer com ela. Bruno Henrique mal e Elias e Cristian esquentando banco. Mendonza correu muito e só. Um ataque de nervos e Vagner Love vendo o jogo pela televisão. O Corinthians estava tão mal, que desta vez, nem a entrada do Danilo conseguiu melhorar o time.
Pelo que foi apresentado em campo, pela escalação do time e por tudo que vimos, ficou evidente que Tite armou o time pra empatar e Osvaldo de Oliveira organizou o time, tática e emocionalmente, pra ganhar. Seus jogadores atuaram com altivez e nem se abalaram com a torcida alvinegra. E o Tite, com seu esquema super manjado e sem variação de jogada, levou mais um nó tático na temporada.
E na entrevista coletiva pós jogo, o Sr Adenor falou, falou e não disse nada. Só enrolou. Por incrível que pareça, disse que o time está em construção. Como em construção se só perdeu dois jogadores?
O momento desastroso do Corinthians reflete o planejamento equivocado de uma diretoria incompetente e omissa, que com seus desmandos permitiu que se instalasse no clube um verdadeiro caos administrativo e financeiro. Contratações desastrosas e pagamentos de altos salários para jogadores atuarem em outros times, treinarem em separado ou ficarem no banco, dívidas com jogadores e empresários, não aproveitamento da base, influência perniciosa de empresários de jogadores e ingressos com preços abusivos são apenas alguns sintomas dessa crise que assola o Corinthians.
Crise que foi criada pelo mesmo grupo que se elegeu prometendo tirar o Corinthians do caos que se encontrava em 2007, que de início até foi bem, mas acabou se perdendo no caminho, aderindo ao futebol moderno e transformando o time do povo em um time que afasta o povo de sua própria casa na tentativa de transformar torcedores em clientes e jogo de futebol em espetáculo de ópera teatral.
Já passou da hora do povo retomar o seu time e dos torcedores, não só das torcidas organizadas, buscarem o que lhes foi usurpado. Um time fundado por operários para no início do século se contrapor à elitização do futebol, não pode ficar refém de uma nova elite que dele se apropriou. 
Façamos cumprir o ideal de Miguel Bataglia:
O CORINTHIANS É O TIME DO POVO E É O POVO QUE VAI FAZER O TIME

Nenhum comentário:

Postar um comentário