segunda-feira, 23 de maio de 2016

Levando três cocos no coco

Quando pensamos que tudo vai melhorar e que o time vai engrenar, nos deparamos com um apagão e ao invés de três pontos, o Corinthians voltou da Bahia com três cocos no coco. O time até começou bem, fez um bom primeiro tempo, mas teve uma queda de produção vergonhosa na etapa final e acabou levando a virada do fraco time do Vitória. Bem na criação, com Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto armando bem o jogo e com Guilherme aproximando-se bem da área, as bolas até chegavam e se tivéssemos atacante poderíamos até termos saído para o intervalo com um placar mais dilatado. Mas, como André é café com leite, não adianta o meio campo criar que o ataque não se efetiva.
Mas, nem tudo foi bom no meio campo. Bruno Henrique como cabeça de área é um zero à esquerda. Erra passes, não sabe marcar e deixa a defesa vulnerável e a zaga desprotegida. E falhou em dois lances que propiciaram os gols do empate e da virada dos baianos. Aos 31 minutos do primeiro tempo ele perdeu a disputa de bola com Leandro Domingues, o que determinou o empate da partida e aos 20 minutos da etapa final, deixou novamente Domingues livre para dar o passe para o Kieza desempatar o jogo a favor do Vitória. Mas, não foi o único responsável pelos gols que tomamos. Felipe perdeu a bola que originou o 2º gol do adversário, Balbuena deixou Kieza em condição de marcar o terceiro e Uendel não afastou a bola no segundo gol do Vitória. Foi um apagão geral da defesa alvinegra, denotando uma falta de concentração inadmissível. Elias foi outro que teve uma atuação abaixo de suas condições. Devia estar com a cabeça na seleção ou na China. No Corinthians é que não estava. 
As substituições foram tardias e equivocadas. Deixar os improdutivos Bruno Henrique e André até o final do jogo é incompreensível. A fixação do técnico com esses dois jogadores deve decorrer do amor de vidas passadas. Somente isso pode explicar tanta insistência. Elias demorou para sair e como já tinha cartão amarelo, deixou muito a desejar na marcação, prejudicando o desempenho do time. Marlone, Luciano e Romero, em poucos minutos em campo, foram muito mais produtivos que o André.
Apesar do Campeonato Brasileiro estar só iniciando, em duas rodadas, o Timão soma apenas um ponto, conquistado no empate sem gols com o Grêmio na estreia e precisa melhorar muito para o time engrenar.. O que preocupa é que já são cinco partidas sem vencer, com quatro empates e uma derrota. Dois desses empates terminaram em eliminações, no Paulista para o Audax, e na Copa Libertadores para o Nacional-URU. 
O time, neste último mês, caiu de produção e, volto a dizer, é muito previsível. Qualquer técnico mais atento consegue anular suas jogadas mais que manjadas. Até a defesa, que era sólida, está falhando muito, principalmente pela desproteção proporcionada pelas falhas da marcação do 1º volante. O time está desentrosado, comete erros em todos os fundamentos, os jogadores estão desconcentrados, dispersos, nervosos, ansiosos e sem confiança. Não dominam a bola nem a si próprio. E o técnico parece não encontrar alternativas para reverter a situação. Nas entrevistas elogia o time, ignorando, não vendo ou não querendo admitir os erros. E reclama da pressão da torcida. Reconheço o seu passado vitorioso, mas hoje, talvez alguém precise lembrá-lo que aqui é Corinthians, e não Caxias ou Veranópolis. E jogador que não aguenta a pressão não serve pra jogar no Timão. Portanto, quem não aguenta, deixe de mi mi mi e peça para sair. 
Que o Tite tenha o discernimento necessário para promover em todos os setores as mudanças necessárias, afastando os improdutivos e dando chance aos que quando entram têm mostrado serviço. Ou pelo menos garra e vontade, já que muitos dos que estão no time titular estão deixando a desejar, perderam o foco e estão mais preocupados com seus próprios interesses do que com o Corinthians. Outros estão mal e têm apresentado um futebol medíocre. Se Cristian e Willians estiverem pior que o Bruno Henrique, devem estar treinando de muleta ou de andador. Luciano e Romero não são piores que o André. Marlone quando entrou não decepcionou. E o garoto Maycon pode não ter a experiência do Elias, mas certamente não está focado na Copa América nem na transferência para a China. 
Mais difícil é a situação da zaga, com o Felipe focado na transferência para o Porto, o Yago suspenso, o Balbuena na seleção paraguaia e o Pedro Henrique sem jamais ter atuado na temporada, restando apenas o Vilson, que teve poucas oportunidades. 
Mas é evidente e incontestável que é preciso mexer nos outros setores, como aconteceu no meio campo, buscando alternativas aos jogadores improdutivos. Para isso é preciso coragem e ousadia da comissão técnica e mais energia com os jogadores. Tite precisa chamar a boleirada na chincha, exigir mais, parar com o desculpismo e parar de passar a mão na cabeça dos atletas, exigindo, no mínimo, que façam jus ao salário que recebem. Está na hora de tratar seus jogadores como adultos e não como garotos mimados. Mais futebol e menos desculpas e reclamações.
Melhores momentos
Ficha técnica - Vitória 3 X 2 Corinthians 
Local: Estádio Barradão, em Salvador (BA)
Data: 22 de maio de 2016, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-SC)
Assistente 1: Kleber Lúcio Gil (Fifa-SC) 
Assistente 2: Bruno Boschilia (Fifa-PR) 
Quarto árbitro: Ricardo Vasconcellos Laranjeira
Cartões amarelos: José Welison, Diego Renan, Vander e Norberto (Vitória); Balbuena, Elias, André e Bruno Henrique (Corinthians)
Cartão vermelho: Vander (Vitória)
Gols: Vitória: Leandro Domingues, aos 29 minutos do primeiro tempo; Marinho, aos 11, e Kieza, aos 19 minutos do segundo tempo; Corinthians: Uendel, aos 25, e Fagner, aos 38 minutos do primeiro tempo
Vitória: Fernando Miguel; José Welison (Norberto), Victor Ramos, Ramon e Diego Renan; Amaral, Marcelo, Leandro Domingues (Leandro Domingues) e Marinho; Vander e Kieza (Dagoberto); Técnico: Vagner Mancini
Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Balbuena e Uendel; Bruno Henrique, Elias (Luciano), Marquinhos Gabriel (Marlone), Guilherme e Giovanni Augusto (Romero); André; Técnico: Tite 

Créditos e fontes de imagens e vídeo 
globoesporte.globo.com-pt.dreamstime.com-MAON 
youtube.com/globo.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário