quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Foco nos guerreiros

Nosso próximo desafio colocará o Corinthians frente a frente com Guerrero, um jogador que teve um importante papel na conquista do nosso bi mundial, e muitos tentam transformar o jogo num embate contra o atacante. Enquanto o Emerson, apesar de sua malandragem, saiu pela porta da frente e até foi homenageado, Guerrero, mesmo tendo concluído uma jogada coletiva que nos deu o bi mundial, teve uma saída conturbada que não foi digerida pela Fiel. Como também não foi digerido o gol perdido contra o Fluminense, seu pedido para não jogar contra o time verde, suas exigências descabidas de luvas e salários e toda a enrolação de seus empresários. Mesmo considerando a inabilidade da diretoria corinthiana na negociação, Guerrero protagonizou uma farsa quando, após juras de amor e ter afirmado que no Brasil só jogaria no Timão, transferiu-se para o time da Gávea. 
Mas, isso é passado, como, igualmente, Guerrero é passado no Corinthians. Tudo o que fez, inclusive os gols do Mundial, foi pago e bem pago, pelo salário e prêmios recebidos e pela sua valorização profissional. Existem dois Guerreros, o antes e o depois do Corinthians. Na Alemanha era apenas mais um jogador, no Corinthians seu futebol cresceu e apareceu para o mundo. 
Agora, na sua volta à Arena Corinthians, do outro lado, com outra camisa, jogando em outro time, deve ser encarado apenas como mais um adversário. Ele fez a sua escolha e esta pagando por ela, enquanto o Corinthians lidera o campeonato. Temos um futuro promissor, com grande possibilidade de título e não podemos gastar energia com alguém que ficou no passado, nem correr o risco de punição por manifestação hostil ao jogador. Além disso, ele sempre se motivava e jogava melhor quando o adversário o insultava, como quando nosso ônibus era atacado no Morumbi pela torcida do time do Jardim Leonor.  
Além de nenhum jogador, por mais decisivo que possa ter sido, jamais ser maior do que o Corinthians, nessa fase do campeonato, todo jogo do Timão será uma decisão. Por isso nosso foco deverá ser apenas o Timão. No jogo, nossa única preocupação deverá ser o Corinthians. Toda energia das arquibancadas deverá ser direcionada ao incentivo e apoio aos nossos jogadores, entoando nosso hino, nossos cantos de torcida, nossas palavras de ordem. Nada de queimar vela pro defunto que nem é nosso, sem essa de dar importância para quem não merece e que só está em campo para nos atrapalhar. Deixe o Guerrero por conta do Gil, do Ralf e de nosso time. Vamos ignorar o peruano e direcionar a energia da Fiel no estímulo e no apoio aos nossos jogadores.
Ignoremos o Guerrero  
Todo foco em nossos guerreiros

Créditos e fontes de imagens 
facebook.com/Walter Falceta ‎DEMOCRACIA CORINTHIANA 
loucoporticorinthians.com.br/André Durão-globoesporte.globo.com/MAON 
facebook.com/Walter Falceta ‎DEMOCRACIA CORINTHIANA 



Nenhum comentário:

Postar um comentário