sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Tinha um atacante no meio do caminho... No meio do caminho tinha um atacante...

 
Perdemos o jogo, os três pontos e a liderança, mesmo jogando melhor e mantendo um bom padrão de jogo, mas para não variar, erramos no arremate final e de 10 finalizações não aproveitamos nenhuma. Ou erramos o alvo ou paramos na defesa do bom goleiro Santos. Tivemos um 1º tempo mais equilibrado e na etapa final o Corinthians adiantou a marcação e acuou o Atlético-PR no seu campo de defesa. Mas, faltou-nos justamente a pedra que encontramos no caminho: um atacante matador, um centro avante. Não traduzimos o domínio do jogo em gols e em duas vaciladas perdemos a bola e o jogo. A marcação frouxa no meio-campo, permitiu que o Paulo André roubasse a bola, nossa defesa não acompanhou, a bola foi alçada na área, Pablo fez o corta luz e Walter dominou com a barriga, ajeitou com a perna esquerda, bateu forte, rasteiro, cruzado, sem chances para Cássio. Depois, numa falta mau cobrada pelo Giovanni Augusto, a bola bateu na barreira e, no rebote, Uendel errou o passe e deu contra-ataque para Lucas Fernandes, que carregou até deixar Walter frente a frente com Cássio e ampliar o placar. Assim, o Atlético-PR, com o oportunismo e com a habilidade do seu centro avante, mesmo fora de forma, impingiu-nos uma derrota num jogo dominado, em que fomos superiores na maior parte do tempo. 
Por incompetência e omissão de sua diretoria, o Corinthians não se reforçou na janela de transferência internacional e o time está pagando um preço alto por essa situação. Nosso ataque, na maioria das vezes não passa de um ataque de nervos para os corinthianos e de um ataque de riso para os rivais. Perdemos gols no atacado e marcamos no varejo e, dos 27 gols corinthianos no campeonato brasileiro, apenas 10 foram de atacantes. Com o mercado internacional fechado, e com a maioria dos atacantes já tendo completado os 7 jogos, sobram apenas opções da Série B. Além disso, o Corinthians não quer gastar dinheiro com novas contratações. Uma tentativa de solução seria utilizar os garotos Isaac Prado e Gabriel Vasconcelos, que está voltando de empréstimo do Joinville. 
Com o resultado, o Corinthians, com 33 pontos, caiu para o 3º lugar, com a mesma pontuação do líder Santos e do vice líder Palmeiras, perdendo a liderança pelo saldo de gols. O Atlético-PR, com 30 pontos, está em 7º lugar. 
Nessas circunstâncias, a perda da liderança preocupa, não pela posição em si, pois, além de estarmos com o mesmo número de pontos dos dois primeiros colocados, ainda estamos chegando na metade do campeonato. O que preocupa é a ausência de um atacante matador e a inoperância da diretoria corinthiana. Pouco adianta cobrar o técnico. Se ele não tem os recursos humanos que necessita, não dá para fazer milagre e num passe de mágica transformar seus jogadores em goleadores. E a ansiedade na busca pelo gol tem jogado contra e até aqueles que marcavam não estão acertando o alvo e cometendo erros primários e inadmissíveis. E ficam as dúvidas. Será que o André vai melhorar? E o Luciano voltará ao mesmo nível anterior à contusão e à cirurgia? Por que o Romero parou de fazer gols? Os garotos Gabriel Vasconcelos e Isaac Prado terão chaces e estrutura psicológica para aguentar a pressão de jogar no time principal? Cristóvão é bom técnico, mas não é santo milagreiro. Além disso, parte da torcida e da mídia apenas atrapalham com suas críticas e o técnico está pagando por uma dívida que não é dele e que foi causada por falta de planejamento, omissão e incompetência da diretoria. Se Roberto de Andrade administrasse sua agência de automóveis como administra o Corinthians, a mesma já teria falido. O jeito é pedir uma ajuda para São Jorge e para Santo Expedito, o santo das causas difíceis. E confiar na mística corinthiana, na esperança que, mais uma vez, a raça e a garra superem as dificuldades.
Na próxima rodada, o Corinthians enfrentará o Cruzeiro, na segunda-feira, 08/08, às 21:00 horas, no estádio do Pacaembu e o Atlético-PR jogará sábado, às 18:30 horas, contra o Flamengo, no estádio Kleber Andrade, em Cariacica, no Espírito Santo.
Melhores momentos
Ficha Técnica - Atlético-PR 2 X 0 Corinthians 
Local: Estádio Joaquim Américo Guimarães - Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 03 de agosto de 2016, quarta-feira
Horário: 21:45 horas (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco - RS (FIFA)
Assistente 1: Elio Nepomuceno de Andrade Júnior - RS (CBF-1)
Assistente 2: Lúcio Beiersdorf Flor - RS - (CBF-1) 
Quarto árbitro: Paulo Roberto Alves Júnior - PR (CBF-1) 
Inspetor: Afonso Vitor de Oliveira - PR (000)
Público: 25.379 pagantes
Renda: R$ 965.945,00
Cartões amarelos: Léo, Paulo André e Lucas Fernandes (Atlético-PR)
Gols: Atlético-PR: Walter, aos 31 e aos 42 minutos do segundo tempo
Atlético-PR: Santos; Léo (Rafael Galhardo), Thiago Heleno, Paulo André e Sidcley; Otávio, Hernani e Vinícius (Rossetto); Marcos Guilherme (Lucas Fernandes), Pablo e Walter; Técnico: Paulo Autuori
Corinthians: Cássio; Fagner, Yago, Balbuena e Uendel; Bruno Henrique (Luciano), Elias, Giovanni Augusto e Marquinhos Gabriel (Guilherme); Romero e Lucca (Marlone); Técnico: Cristóvão Borges

Créditos e fontes de imagens e vídeos
globoesporte.globo.com-Giuliano Gomes/PR Press/globoesporte.globo.com-MAON
meutimao.com.br
youtube.com/Work-globo.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário