quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Um negócio da China?

Neste ano o Corinthians perdeu seus principais jogadores campeões de 2016 para o futebol chinês. Para lá foram Jadson, Ralf, Renato Augusto e Gil, que se juntaram ao ex corinthiano Paulinho e a muitos outros brasileiros. As vantagens salariais eram grandes, os salários altos eram irrecusáveis e os jogadores foram embora, deixando-nos órfãos de suas jogadas. Até hoje ainda não nos recuperamos. A melhor defesa virou uma peneira, não só pela ausência de um zagueiro que chegava junto, mas principalmente por ter ficado desprotegida sem um cabeça de área com a pegada do antigo pitibull. Nosso meio campo perdeu a capacidade de armar e criar, virou meia boca e o time corre o rico de nem se classificar para o torneio continental.
Para não passarmos o mesmo perrengue deste ano, é imperioso que o time se reforce para 2017. Mas, sem dinheiro, muitas são as dificuldades. Neste ano o clube monitorou, monitorou, monitorou e contratou jogador que nem jogou ou que jogou mal e que no time não se acertou.
Para a próxima temporada, o drama continua. Atrás de jogador barato parece que o processo se inverte. E o 1º reforço que assinou contrato para 2017 veio de onde? Da China. E o mais especulado no momento, o meia Wagner, também. Por ironia do destino, a China que nos lesou, aparece agora como solução. Teve até manchete no site Meu Timão "FUTEBOL CHINÊS PASSA A SER SOLUÇÃO DO CORINTHIANS PARA REFORÇOS EM 2017". https://www.meutimao.com.br/noticia/229183/futebol-chines-passa-a-ser-solucao-do-corinthians-para-reforcos-em-2017
Sem custos dos direitos econômicos, Jô, dispensado do Jiang Suning, já assinou contrato e o meia Wagner, já liberado junto ao Tiangin Teda, está na mira do Timão. 
Será que a China, que provocou tanta tragédia vai contribuir para regenerar nosso futebol? Para lá mandamos, mesmo contra nossa vontade, o que tínhamos de melhor e agora vamos buscar o que ela descartou. 
Será que estamos fazendo um bom negócio? 
Pela nossa precariedade e limitações, tanto financeiras como técnicas, não temos muitas opções. Mas, não deixa de ser uma situação estranha. Pagar luvas para esses jogadores ficará mais barato do comprar no mercado da bola, mas não deixamos de correr o risco de ficarmos sem os melhores. Sem pré julgar, pois não sabemos como eles estão no momento e nem porque estão voltando e deixando os salários milionários do futebol chinês, o jeito é torcer e vibrar para que deem certo, pois alguns dos que voltaram ao Brasil nos últimos tempos não corresponderam e só deram prejuízo ao Corinthians. 
E, também torcer e vibrar para que a história não se repita nem em tragédia nem em farsa.

Crédito e fonte de imagem
meutimao.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário