domingo, 25 de março de 2018

Misto frio

O mistão do Corinthians sucumbiu no Morumbi. Foi um jogo feio, muito fora dos padrões dos times do Carille. Os desfalques pesaram e fizeram muita falta. Dessa vez Carille não conseguiu tirar leite de pedra e sofremos os 90 minutos. Mesmo com três volantes, o time não conseguiu parar o adversário, a defesa vacilou, o meio campo pouco criou e o ataque pouco finalizou. Faltou organização, faltou entrosamento e faltou concentração. Os jogadores pareciam perdidos, errando passes e perdendo a bola. Com sete ausentes (Fagner, Balbuena, Renê Júnior, Jadson, Rodriguinho, Clayson, Romero) a comissão técnica alvinegra não conseguiu montar um time capaz de segurar o motivado time tricolor, que sentiu menos os seus desfalques (Anderson Martins, Edimar, Júnior Tavares, Hudson, e Valdívia, Rodrigo Caio, e Cueva). E tudo indica que a ausência inesperada de Rodriguinho, que se contundiu no aquecimento, desnorteou ainda mais o time, que já vinha bastante remendado. 
Carille pecou por excesso de zelo ao escalar a equipe com três volantes, deixando o meio campo sem capacidade de criação. Emerson, que substituiu o Rodriguinho, é um atacante e não sabe armar o time. Júnior Dutra, além de não ser jogador de criação, se atrapalha sozinho e apanha da bola. Teria sido mais adequado ter entrado com Pedrinho, que se movimenta bem e é jogador de infiltração. 
As substituições foram tardias e não surtiram efeito. Deveria ter voltado do vestiário com Pedrinho no lugar de um dos volantes e Danilo ou Matheus Matias no de Junior Dutra. Colocar o Pedrinho aos 30 minutos da etapa final e criticá-lo porque ele não resolveu o jogo, como alguns fizeram nas redes sociais, só pode ser má fé. Sua entrada tornou o time mais dinâmico, mas ele não joga sozinho. Lucca pouco produziu e hoje perdeu mais uma oportunidade de mostrar serviço. Matheus Vital movimentou-se bem, chamou o jogo, foi o mais criativo do time, mas foi prejudicado pela má atuação coletiva. 
Mesmo com 57% de posse de bola, o Corinthians não conseguiu se impor, finalizou pouco (6 finalizações, 3 certas e 3 erradas, contra 12 do São Paulo, 3 certas e 9 erradas), errou 39 passes, 22 cruzamentos, 13 lançamentos e foi desarmado 18 vezes. Com esses números, não dá para creditar o mau resultado só na conta do Mantuan, que errou o lançamento que originou o gol são-paulino, mas antes, tinha travado Nenê na hora certa dentro da área. Volante de origem, está jogando improvisado na lateral direita, posição que não temos reserva para o Fagner, que está a serviço da seleção. 
Os melhores corinthianos em campo foram Matheus Vital, Emerson, Pedrinho e Sidcley. Júnior Dutra e Lucca foram os piores. No entanto, como o coletivo foi mal, o time não conseguiu nem empatar o jogo. 
Com o resultado, o Corinthians precisa vencer por dois gols de diferença no jogo de volta. A vitória por um gol leva a decisão para os pênaltis e o empate, por qualquer placar, classifica o São Paulo. A partida está marcada para a próxima quarta feira, 28/03. às 21:45 horas, na Arena Corinthians, em Itaquera. 

Créditos e fontes de imagem 
globoesporte.globo.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário