quinta-feira, 29 de março de 2018

Superando limites

Foi o jogo da superação. 
Superação do placar adverso, revertido aos 47 minutos da etapa final, numa magistral cobrança de escanteio pelo Clayson para uma cabeçada certeira do Rodriguinho. 
Superação do adversário na cobrança de pênaltis, com impecável participação do goleiro Cássio, que sempre cresce nas decisões. 
Superação do cansaço da viagem do Fagner, que voltou da Alemanha, onde estava com a seleção brasileira, direto para o jogo em Itaquera.
Superação da contratura da coxa do Rodriguinho que, mesmo jogando no sacrifício, fez o gol que levou à decisão por pênaltis. 
Superação da condição física do Clayson que, mesmo com câimbras, cobrou o escanteio com perfeição. 
Superação da idade do Emerson, que correu como um garoto, e foi o melhor jogador do primeiro tempo. 
Superação da pouca experiência do Pedrinho e do Matheus Vital, que compensaram a pouca idade com muita qualidade, com a bola rolando e na cobrança dos pênaltis. 
Superação da torcida anti e de parte da imprensa que já davam como certa a eliminação do Timão. 
Superação da soberba do adversário que até tentou vender ingressos para a final, mesmo antes da bola rolar em Itaquera. 
Superação da retranca tricolor que não queria deixar o Corinthians avançar. 
Superação da cera dos são paulinos, nas reposições de bola e nas cobranças de lateral. 
Superação dos desfalques daqueles que, por convocações e lesões, não puderam entrar em campo. 
Superação de todos os limites impostos pelas circunstâncias, de todas as dificuldades e obstáculos e da desconfiança daqueles que não acreditaram.  
Superação pela raça, pela entrega e pela dedicação. Superação pela mística e pela alma corinthiana. Alma de mais de trinta milhões de torcedores que, com sua vibração, emanaram energias para os onze que estavam em campo, fortalecendo-os na luta e na superação de tudo que pudesse limitá-los. 
E assim, superando limites, o Corinthians, numa noite heroica em Itaquera, carimbou o passaporte para mais uma final de campeonato. Porque aqui é Corinthians, aqui é Timão, aqui é raça, aqui é superação. 

Créditos e fontes de imagens 
esporte.uol.com.br-Djalma Vassão-Gazeta Press-gazetaesportiva.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário