domingo, 15 de março de 2015

Direto para o Uruguai

A torcida estava presente e deu show. Mais de 31 mil torcedores foram à Itaquera apoiar o time, na expectativa de ver um bom futebol. Mas o show se restringiu à arquibancada, onde a torcida, como sempre, não decepcionou. Já no gramado, a situação foi o inverso. Embora de corpo presente, o time não compareceu. Apesar dos jogadores negarem, a cabeça deles embarcou direto para o Uruguai e o pensamento e o raciocínio não entraram em campo. Com raríssimas exceções, o time estava travado e aparentava estar jogando com o freio de mão puxado. Lento na marcação, pouco objetivo, nulo na criação, o Timão jogou como timinho e sucumbiu à retranca do Red Bull. O 1º ataque com algum perigo só ocorreu aos 30 minutos de jogo com um chute de Fagner. Aliás, nos primeiros 20 minutos, até levou certo sufoco e o Cássio teve que trabalhar. Na realidade, o Corinthians não só deixou o Red Bull criar asas, mas também foi incapaz de cortá-las.
Na etapa final, a entrada de Vagner Love melhorou o desempenho do time. O atacante se esforçou muito e Guerrero saiu mais para o jogo, mas as investidas paravam na defesa bem postada do Red Bull. Os jogadores quase sempre falhavam no último passe e nas finalizações. Mesmo com quatro atacantes, o Corinthians não conseguiu abrir o placar e com o empate, ficamos no lucro.
O jogo foi equilibrado, como mostram as estatísticas. o que foi péssimo para o Corinthians, que não só tem um elenco tecnicamente melhor, com melhores salários, bem como melhor estrutura e condições de treinamento. Continuamos tendo dificuldades de jogar com times retrancados.
Sei que é impossível ganhar todos os jogos e até entendo uma derrota diante de um time similar. Mas, não consigo engolir o fato do Corinthians não conseguir fazer pelo menos um golzinho num time que levou seis do Grêmio Osasco Audax.
Por mais que a diretoria e a comissão técnica priorizem a Copa Libertadores, considero inadmissível que o Corinthians atue com o freio de mão puxado e com jogadores apáticos, sem vontade e se poupando. Tenho certeza que o time reserva teria feito melhor, entrando no jogo focado, e com os jogadores querendo mostrar serviço pra ganharem a titularidade. 
Vagner Love, sem dúvida, foi o melhor jogador da partida, embora tenha sido atrapalhado pela ansiedade de fazer seu 1º gol com a camisa o Timão. Cristian foi o pior, estava travado e com muita dificuldade na saída de bola, não conseguindo ajudar na criação. Elias também foi decepcionante, Uendel é outro que ficou devendo e Jadson não conseguiu quase nada na armação. Dificilmente ele atua bem quando é o único armador. No ataque Emerson e Vagner Love até se esforçaram, destoando do ânimo da equipe.
Com o empate, o Corinthians, com um jogo a menos, segue na liderança, com 23 pontos em nove jogos, agora cinco à frente da Ponte Preta, vice-líder do grupo B. Já o Red Bull chega aos 12 pontos e fica a três do Mogi Mirim, 2º colocado do grupo. O Mogi tem um jogo a menos.
O próximo compromisso corintiano será terça-feira, 17/03, às 20 horas, contra o Danúbio, no Uruguai, pela terceira rodada da fase de grupo da Libertadores. No Paulista, a equipe de Tite enfrenta o Capivariano, no domingo, 22/03, às 16:00 horas, fora de casa. Já o Red Bull recebe o Botafogo-SP, às 19:30 horas de sexta-feira, 20/03.
Ficha técnica: Corinthians 0 x 0 Red Bull
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 14 de março de 2015, sábado
Horário: 16:00 horas (de Brasília) 
Público: 31.471 pagantes (total de 31.764)
Renda: R$ 1.569.799,20
Árbitro: Luiz Vanderlei Martinucho (SP) 
Assistentes: Gustavo Rodrigues de Oliveira e Renata Ruel Xavier de Brito (ambos de SP)
Quarto Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araújo
Cartões amarelos: Elias e Fagner (Corinthians); Marcelo (Red Bull)
Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Uendel; Ralf, Jadson, Elias (Malcom), Cristian (Vagner Love) e Emerson (Luciano); Guerrero; Técnico: Tite
Red Bull: Juninho; Everton Silva, Anderson Marques, Fabiano Eller e Romário; Willian Magrão, Andrade, Jocinei (Marcelo), Allan Dias (Wilson Júnior) e Lulinha; Edmilson (Isac); Técnico: Maurício Barbieri

Créditos e fontes de imagens

globoesporte.globo.com
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians/meutimao.com.br
folha.uol.com.br 
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
Diego Ribeiro/globoesporte.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário