quarta-feira, 18 de março de 2015

Jogo feio, futebol pragmático e classificação encaminhada

Estádio acanhado e de iluminação precária, muita pancadaria do adversário e arbitragem confusa e caseira. Tudo no estilo CONMEBOL, que acredita fazer um torneio tipo Champions League, mas que está aquém de muitos campeonatos estaduais. Mas, essa é a Libertadores, um dos caminhos para disputar o Mundial FIFA. Seguindo o script, o Corinthians foi lá e faturou os três pontos que precisava para garantir-se na liderança, independentemente do resultado do jogo de hoje entre o São Paulo e o San Lorenzo no Morumbi. 
Não foi um jogo bonito, mas valeram os três pontos. Foi um jogo pegado, com o adversário agindo como se estivesse num octógono e não num campo de futebol, com muito agarra agarra e com uma arbitragem confusa, omissa e caseira. Depois de um 1º tempo ruim, com Tite gritando muito à beira do campo e alterando o esquema tático, o time melhorou na etapa final com o adiantamento dos laterais. Renato Augusto ressentiu muito dos dias parados e da contusão, chegando inclusive a desperdiçar um pênalti. A entrada de Danilo melhorou a articulação e deu mais tranquilidade à equipe.
Depois de muito apanhar e ter sofrido um pênalti claro, ignorado pelo árbitro, aos 24 minutos da etapa final, Guerrero abriu o placar após receber um cruzamento de Fagner. E aos 34 minutos, Felipe ampliou, ao aparecer livre na área, numa cobrança de falta de Jadson. Mas, nos minutos finais, numa vacilada geral da defesa alvinegra, Barreto marcou para o Danubio. Mas, não havia mais tempo para nada, a não ser para a comemoração alvinegra. 
O que me deixou intrigada foi o lance do pênalti perdido por Renato Augusto. Se ele estava contundido e só foi liberado pelo Departamento Médico no último treino, será que ele treinou cobrança de penalidade máxima? Se o próprio jogador admitiu não estar bem na partida, por que foi o responsável pela cobrança se tinha Jadson, Guerrero, Emerson e Elias em melhores condições físicas e técnicas? Mas, agora não adianta lamentar, apenas tirar uma lição para as próximas partidas. 
Com a vitória no Uruguai, o Timão se mantém com 100% de aproveitamento na fase de grupos da competição (três vitórias em três jogos, sendo dois como visitante) e deixa sua classificação às oitavas de final bem encaminhada. Ainda não tem nada ganho, mas com dois jogos na Arena e um no Morumbi, o Corinthians tem grandes possibilidades de classificação e de se manter na liderança do Grupo 2.
Melhores momentos
Ficha técnica -  Danubio 1 x 2 Corinthians
Local: estádio Luis Franzini, em Montevidéu (URU)
Data: 17 de março de 2015, terça-feira
Horário: 20 horas (de Brasília)
Árbitro: Julio Bascunãn (CHI)
Assistentes: Francisco Mondria (CHI) e Claudio Rios (CHI)
Quarto árbitro: Fernando Falce (URU)
Delegado: Jorge Larrionda (URU)
Cartões amarelos: Ricca e Gravi (Danubio)
Gols: Corinthians: Guerrero, aos 24 minutos do segundo tempo, e Felipe, aos 34 minutos do segundo tempo; Danubio: Barreto, aos 47 minutos do segundo tempo
Danubio: Torgnascioli; Velázquez (Gravi), Cristian González, De los Santos e Ricca; Formiliano, Milesi (Barreto) e Sosa; Tabárez (Ignacio González), Castro e Fornaroli; Técnico: Leonardo Ramos
Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Uendel; Ralf; Jadson, Elias, Renato Augusto (Danilo) e Emerson; Guerrero; Técnico: Tite

Créditos e fontes de imagens
globoesporte.globo.com
Pablo Porciuncula/AFP/esporte.uol.com.br
AFP/gazetaesportiva.net/Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/corinthians.com.br/MAON
facebook.com/Zagueiro Gil
folha.uol.com.br
foxsports.com.br/youtube.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário