quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

6 verdades sobre a Copa Intercontinental que nenhum anti quer saber!


Autor: Daniel Keppler
Publicado originalmente no blogdofielcorinthiano.blogspot.com

1 - Existem TRÊS Copas Intercontinentais diferentes no mundo.
A que conhecemos é a disputada entre os campeões da Europa e América do Sul. O nome OFICIAL desse torneio não é nem nunca foi Copa Intercontinental, mas sim Copa Europeia/Sulamericana. Isso está tanto registrado no site oficial da CONMEBOL (link) quanto no da UEFA (link).

As outras duas Copas Intercontinentais que existem são a Copa Interamericana, disputada entre 1968 e 1998 entre os campeões da Libertadores e da Copa dos Campeões da CONCACAF; e a Copa Afro-Asiática de Clubes, disputada entre 1987 e 1999 entre os campeões da Ásia e África. 

Porque então somente os campeões da Copa Europeia/Sulamericana poderiam se considerar campeões mundiais?

2 - A Copa Europeia/Sulamericana NUNCA teve a pretensão de ser um Mundial.

Basta ver o pôster da edição 2003 do torneio... tente encontrar algo que afirme que o torneio é de caráter "mundial".

O torneio foi idealizado pelo presidente do Real Madrid, Santiago Bernabeu em 1960, com o simples e único intuito de colocar em jogo o "título simbólico" de detentor dos títulos europeu e sul-americano. E somente isso. Foi organizado primeiramente pelas

Desde a década de 1960 as confederações da Ásia (AFC) e das Américas do Norte e Central (CONCACAF) fizeram pedidos para participar do campeonato, mas tanto UEFA quanto CONMEBOL foram CONTRA. Logo, nunca foi intenção dessas confederações transformar o torneio em Mundial. Confira isso em uma matéria do jornal Mundo Deportivo de 3 de novembro de 1967, nesse link.

3 - A FIFA NUNCA oficializou o torneio e SEMPRE o considerou um torneio amador.

Quando da criação do campeonato, as duas confederações pediram à FIFA para que auxiliasse na organização e oficializasse o torneio. A FIFA disse NÃO (página 15 desse documento da UEFA, nesse link). Pior: quando o Real Madrid venceu a primeira edição, em 1960, e se auto-intitulou "campeão mundial", a FIFA vetou e ordenou ao clube que se referisse à competição somente como "intercontinental" (Mundo Deportivo de 22/11/1979, link).

O mal-estar foi tão grande que a FIFA chegou a PROIBIR a realização do torneio em 1961 (Mundo Deportivo, 03/06/1961, link), a menos que os clubes aceitassem considerá-lo um torneio amistoso privado. Mas a competição seguiu, à revelia da FIFA.

Em 1967, quando Racing (ARG) e Glasgow Rangers (ESC) fizeram três violentos jogos na disputa da taça, tendo no último nada menos que seis expulsões, chocando imprensa e torcida, a FIFA foi acusada de fugir de suas responsabilidades por não ter intervido no torneio. A entidade precisou vir a público para reforçar o que já havia dito antes: não poderia fazer nada pois oficialmente tratava-se de um torneio amistoso, que nunca fez parte das suas competições oficiais (Mundo Deportivo, 25/11/1967, link).

3 - Desde 1979, tanto UEFA quanto CONMEBOL não eram mais responsáveis pelo torneio.

Durante toda a década de 1970, o torneio perdeu em força e credibilidade:; nessa década, nada menos do que 7 dos 10 campeões europeus abriram mão de disputar o torneio. Em 1973, a decisão foi em jogo único ao invés dos jogos de ida e volta. Pra piorar, em 1975 e 1978 nem sequer chegou a ser disputado! 

Quando o torneio parecia fadado à extinção, houve a proposta, por parte da Federação Japonesa de Futebol, de passar a sediar o torneio, com o patrocínio da Toyota. Então, a partir daí, o seu nome oficial passou a ser Copa Europeia/Sulamericana Toyota, ou Copa Toyota.

O interesse era um, e somente um: impulsionar o desenvolvimento do futebol no Japão. Uma matéria da revista Placar de 12/02/1988 (link) cita que a Copa Europeia Sul-Americana Toyota era transmitida para o mundo inteiro, via TV, e que "por isso é que essas finais não podem ser adiadas", citando o exemplo da final de 1987 entre Porto (POR) e Peñarol (URU), que jogaram sob pesada neve; a matéria deix claro que os interesses midiáticos se tornaram maiores que os esportivos.

Para isso, valia até obrigar os clubes a disputá-lo: a partir de 1980, a UEFA passou a fazer os clubes que participassem da Copa dos Campeões da Europa a assinarem um contrato, comprometendo-se a participar da Copa Toyota se fossem campeões europeus. Em 1992, o Barcelona (ESP) chegou a cogitar não disputar o torneio, mas por causa desse contrato foi ao Japão mesmo contra a vontade (Mundo Deportivo, 18/09/1992, link).

4 - A FIFA queria organizar seu Mundial desde 1970; mas a UEFA sempre foi contra.

No Congresso Internacional da FIFA em 1970, a entidade já havia manifestado o interesse em organizar uma Copa do Mundo de Clubes, com representantes de todos os continentes (Mundo Deportivo, 24/04/1970, link). Uma comissão discutiu o assunto e apresentou a ideia na Assembleia reunida no México, em junho desse ano. Mas muitas confederações europeias foram contra e inviabilizaram a ideia.

Em 1973, o assunto ressurgiu com força por conta de dois motivos: o então candidato a presidente da FIFA, o brasileiro João Havelange, se manifestou a favor da criação do torneio; e o diário francês L'Équip lamçou uma campanha chamada "Organizar a Primeira Copa do Mundo de Clubes em Paris". Segundo a proposta, o torneio seria nos meses de outubro ou novembro de 1973, com todos os campeões continentais da temporada (Mundo Deportivo, 29/11/1973, link). Mas a oposição da UEFA foi forte o bastante pra fazer a FIFA novamente ter que esperar.

Em 1983, a Federação Inglesa se lançou como possível sede de um Campeonato Mundial de Clubes em 1985, mas desistiu da ideia antes de apresentar a ideia à FIFA, pois sifreu forte oposição, novamente, da UEFA (Mundo Deportivo, 20/04/1983, link). 

Em 1993, a FIFA relançou a idéia de uma Copa do Mundo de Clubes na reunião do seu Comitê Executivo, realizada em Las Vegas em dezembro daquele ano. Em 1996, o Comitê Executivo da FIFA aprovou a idéia da competição. E em 1997, a FIFA anunciou que criaria uma competição mundial de clubes, projetado para julho de 1999 mas que acabou ocorrendo somente em janeiro de 2000 (Jornal da Tarde, página 31, 24/07/1997, link).

5 - A Copa Toyota só não acabou em 2001 por causa do cancelamento do Mundial-2001. 

O torneio seria na Espanha, tendo como sedes Madrid e La Coruña. Seriam 12 times, em três grupos.; O calendário estava definido (link) e os clubes se preparavam, quando em maio de 2001 houve a notícia de que a ISL teve seu contrato de marketing com a FIFA quebrado, e assim não seria mais possível realizar o torneio (Folha de São Paulo, 18/05/2001, link). 

Não fosse esse cancelamento, o torneio teria ocorrido e possivelmente até mesmo o fim da Copa Toyota tivesse sido acelerado. Afinal, o sucesso da edição 2000 do Mundial havia sido tão grande que a UEFA chegou a solicitar à FIFA um aumento 4 vagas no número de participantes, dando à própria UEFA mais duas e para a CONMEBOL, mais duas. A ideia só não foi para a frente pois a falência da ISL veio antes.

Cogitou-se voltar a realizar o Mundial em 2003, mas ficou mesmo pra 2005, após o fim da Copa Toyota.

6 - SOMENTE os clubes brasileiros consideram esse torneio um Mundial de faro; os europeus, não.

Basta verificar as páginas oficiais dos clubes europeus que já venceram o Mundial de Clubes: Manchester United (ING), Milan (ITA) e Internazionale (ITA). Ambos separam as suas conquistas e diferenciam o Mundial de Clubes da Copa Europeia/Sulamericana. 

Consulte o site de Milan, Manchester United e Inter de Milão e confira.


MUDANDO DE ASSUNTO... MAS NEM TANTO ASSIM!

Pesquisando, descobri uma coisa sobre o Mundial-2000 que responde bem aos que dizem que nós fomos pro Mundial por convite...

Saibam que os critérios de escolha dos participantes do Mundial estavam definidos DESDE 1997 - INCLUSIVE o campeão do país-sede!

Em 1997 o Corinthians viveu um ano de extremos: um título paulista com a Excel como parceira e um poço sem fundo ao término da parceria. Já nessa época se sabia que tanto o campeão nacional do país-sede quanto o campeão da Copa Toyota participariam do Mundial (Mundo Deportivo, 03/09/1997, link).

Por isso Corinthians e Real Madrid (ESP) disputaram o Mundial. Um como campeão do país-sede; o outro, como campeão da Copa Toyota. Ambos de 1998, pois não se sabiam os campeões de 1999 até a data do sorteio dos grupos.

Mande esse texto para um anti e colabore para um mundo melhor informado!

O Mundial de verdade começa hoje, mais uma vez! Vai Corinthians!!! 

Sugiro que este texto seja enviado para todos os corinthianos que você conhece, para subsidiar os embates com aqueles que menosprezam nosso Mundial e consideram como Mundial seus títulos intercontinentais. 

2 comentários:

  1. é claro pro antis, as comquistas gloriosas do maior alvinegro do planeta,nunca são relevantes.timão é dono do mundo hj de fato e direito.

    ResponderExcluir
  2. A RAIS DESTAS COMPETIÇÕES INTERCONTINENTAIS DE CLUBES - INTERCLUBES 1960 A 2004 E MUNDIAL DE CLUBES DA FIFA SEM DUVIDAS É O TORNEIO DE PARIS DE 1957.

    ResponderExcluir