sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Mas ainda está pra nascer o doutor, que cure a dor de cotovelo! Ai, ai, ai!

À medida que o o Corinthians sobe na tabela do Brasileirão, aumenta o chororó, aumenta o mi mi mi. Instaura-se o Tribunal da Inquisição e inventam teorias de conspiração. Chega a ser patético o desespero da abutraiada na busca de carniça. Dirigentes, técnicos adversários e pseudo jornalistas procuram desculpas para o fracasso de seus times que tropeçam e, perdendo a noção do ridículo, buscam fora do campo as razões de seus fracassos. E a bola da vez é a arbitragem.
É verdade que a arbitragem brasileira é fraca, que os erros são constantes, que por ela todos os times ora são beneficiados, ora são prejudicados. Seu nível técnico precisa melhorar, e muito. Como existem erros pra todos os lados, nada justifica essa revolta aguda contra erros que possam supostamente ter favorecido o Corinthians e prejudicado seus adversários mais próximos na luta pelo título, nem o silêncio quando os supostos beneficiados são ele próprios. Essa indignação seletiva só pode ser entendida como uma forma de justificar a própria incompetência ou uma baita dor de cotovelo. Quando o erro é a favor deles ninguém reclama. Como bem falou Antero Greco, são uns hipócritas.
Apesar de tanto mi mi mi e de tanto chororó o Corinthians fez um ótimo jogo contra o time do tapetão e a vitória foi o resultado natural do time que teve o domínio da partida, do time mais organizado e melhor postado, do time que melhor marcou e que mais criou. Ah! Mas teve um gol mal anulado, dizem os revoltados on line e of line. Mas, se o gol fosse validado, também venceríamos, e a diferença estaria apenas no saldo de gols.
Mesmo desfalcado e recheado de garotos, o Corinthians impôs seu jogo ao adversário, foi pra cima, marcou, driblou, pedalou e fez valer não só o mando de campo, mas a sua superioridade técnica e tática. Mesmo com os reservas manteve seu padrão de jogo, com marcação forte, bom toque de bola, posicionamento correto, com triangulações, infiltrações e boas tabelas. 
Dominou totalmente o 1º tempo e logo de início abriu o placar com uma jogada precisa do garoto Marciel, que em seu 1º jogo como titular demonstrou que pode repetir no time principal o êxito que teve na base alvinegra. Na etapa final o jogo foi mais equilibrado, teve o gol mal anulado do Fluminense, mas o Corinthians reagiu e não deixou o adversário gostar do jogo. E, trocando passes com facilidade, trabalhando a bola com tranquilidade chegou ao 2º gol, numa cobrança de falta do Jadson cabeceada pelo Ralf.
Assim com a experiência e a segurança de Danilo, que substituiu Renato Augusto de última hora, e com a energia da garotada, aliadas à segurança de Ralf e Gil na marcação, à criatividade de Jadson na armação, ao apoio dos laterais, à infiltração do Marciel e ao corre corre de Malcom e Vagner Love, o time compensou as ausências e apresentou-se como um coletivo coeso e integrado. Superando seus desfalques, apresentou um futebol de bom nível e se mostrou bastante competitivo.
Jadson, um dos melhores em campo, ditou o ritmo do jogo e deu assistência aos dois gols. Marciel não sentiu o peso da camisa. Marcou, roubou bolas, teve boa saída de bola, deu bons passes, fez uma boa transição para o ataque e ainda marcou um belo gol. O garoto Guilherme Arana entrou com muita confiança e foi bem no apoio, ajudando Malcom na armação pela esquerda. E o garoto Malcom movimentou-se bem, mas precisa ser mais objetivo nos arremates finais das jogadas. Danilo, com sua visão de jogo e precisão nos passes, foi o protótipo da experiência, da segurança e da tranquilidade. E Ralf, com sua marcação firme e precisa, proporcionou muita tranquilidade na proteção da zaga e ao avanço dos laterais. E ainda fez um gol. Cássio teve pouco trabalho e Vagner Love sofreu marcação cerrada.
Com o resultado, o Corinthians atingiu 49 pontos, abrindo uma vantagem de sete pontos sobre o Atlético-MG, segundo colocado, que foi derrotado pelo Atlético-PR em Minas Gerais. Já o Fluminense permanece em sétimo lugar, com 33 pontos. Na próxima rodada, o Timão jogará o clássico com o Palmeiras, fora de casa, domingo, às 16 horas (de Brasília). No mesmo dia e horário, o Fluminense enfrentará o Flamengo no Maracanã.
Melhores momentos
Ficha Técnica - Corinthians 2 X 0 Fluminense
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 2 de setembro de 2015, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci - SC (FIFA)
Árbitro Assistente 1: Fabio Pereira - TO (FIFA)
Árbitro Assistente 2: Carlos Berkenbrock - SC (ESP-1)
Quarto Árbitro: Célio Amorim - SC (ESP-2)
Árbitro Assistente Adicional 1: Marcelo Aparecido de Souza - SP (CBF-1)
Assessor: Almir Alves de Mello - SP (000)
Delegado: Jose Carlos Santiago Andrade - RJ (000)
Público: 29.328 pagantes
Renda: R$ 1.553.141,50
Cartões amarelos: Antônio Carlos, Renato e Marcos Júnior (Fluminense)
Gols: Marciel, aos quatro minutos do primeiro tempo, e Ralf, aos 25 minutos do segundo tempo
Corinthians: Cássio; Fagner, Edu Dracena, Gil e Guilherme Arana; Ralf e Marciel; Jadson (Rildo), Danilo e Malcom (Rodriguinho); Vagner Love (Romero); Técnico: Tite
Fluminense: Diego Cavalieri; Renato, Henrique, Antônio Carlos e Gustavo Scarpa; Edson e Jean; Marcos Júnior, Cícero (Vinícius) e Gerson (Osvaldo); Wellington Paulista (Michael); Técnico: Enderson Moreira

Créditos e fontes de imagens e vídeos
globoesporte.globo.com
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com
youtube.com/user/corinthiansoficial
meutimao.com.br
Sergio Barzaghi-Gazeta Press-gazetaesportiva.net/Daniel Augusto Júnior-Agência Corinthians-meutimao.com.br/MAON
Adriano Vizone-Folhapress-esporte.uol.com.br/Djalma Vassão-Gazeta Press-gazetaesportiva.net/Sergio Barsaghi-Gazeta Press-gazetaesportiva.net/MAON
twitter.com/@TimaoFanatics
Sergio Barsaghi/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
youtube.com.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário