quinta-feira, 17 de setembro de 2015

O gosto amargo do chimarrão

Vacilante na defesa e inoperante no ataque, o Corinthians perdeu o jogo, os três pontos, mas não perdeu a liderança e manteve a diferença de cinco pontos do 2º colocado, pois o Atlético-MG foi derrotado pelo Santos. Menos mal, mas não deixa de ser preocupante, principalmente pela forma como atuou, com falhas na defesa e no ataque. Mais preocupante ainda são as contusões recorrentes, que tem desfalcado o time nos jogos. 
Com a nova contusão de Uendel, mesmo com Yago no banco, um zagueiro que atua pela esquerda, que em duas ocasiões já foi improvisado na lateral, Tite optou por improvisar o lateral direito Edílson. Se na sua posição original, ele já é um desastre, imagine improvisado. E não precisava ter bola de cristal nem a faculdade da premonição para prever que ele iria vacilar e nos complicar.
Mas, não dá para colocar a derrota só na conta do Edílson, pois outros também ramelaram e o técnico colorado foi inteligente ao mudar o esquema tático e criar as condições para a vitória gaúcha. Elias, como sempre ocorre às vésperas de jogos da seleção da CBF, não se apresentou para o jogo, esteve em campo, mas nada fez de útil, não deu combate, não foi em dividida, talvez por medo de se contundir e ficar fora da selecinha, e no 2º gol do rival ficou parado assistindo de camarote. JadSHOW não compareceu e foi substituído pelo JadSONO, Malcom fez o gol, depois caiu de produção e Edílson, com atuação ridícula, levou o drible da vaca e não foi para a bola, contribuindo decisivamente para a virada. 
E o nosso técnico, embora esteja no campeonato tirando leite de pedra, devido a um elenco limitado e desfalcado, fez todas as substituições erradas. Colocou o inútil Edílson e não o Yago na lateral, o fraquíssimo Romero no ataque e o Cristian no lugar do Ralf. Não mudou o esquema tático, mesmo podendo colocar Danilo para ganhar nas bolas aéreas e na organização. E por falar em bola aérea, nem com o time todo na área nos livramos de tomar gol de bola parada. Com Edílson, Romero e Cristian no time é pedir pra perder.
Mas, quem venceu a partida foi o técnico que soube ler corretamente o jogo e fazer as mudanças necessárias. Argel Fucks, ao desmanchar o esquema com três volantes, sacar Wellington e colocar Lisandro López, substituindo um volante por um atacante, mudou a estratégia do time e ganhou o jogo. Tite, ao contrário, improvisou errado com Edílson e trocou 6 por meia dúzia com Romero e Cristian. E ainda absolveu Edílson de sua má atuação e do seu vexame no 2º gol.
E já que ele acha que precisamos saborear a derrota, voltamos de Porto Alegre, apenas, com o gosto amargo do chimarrão.
Parecia que o Corinthians estava satisfeito com o empate. Além de errar muitos passes e finalizações, recuou e vacilou quando poderia fazer o 2º gol. Perdeu várias oportunidades de matar o jogo e foi ineficaz quando precisou correr atrás do prejuízo. Tivemos muita sorte do Peixe ter fritado e Galo, ajudando-nos a manter a diferença de 5 pontos do vice líder, mas precisamos ficar atentos com o Grêmio que está crescendo no campeonato e já encostou no Atlético-MG. 
Não poderia deixar de destacar a atuação do Renato Augusto, que tudo fez para reverter o placar. Mas, se ele é muito bom, não é santo milagreiro e, lutando praticamente sozinho, não conseguiu atingir seu objetivo.
Melhores momentos
Ficha Técnica - Internacional 2 X 1 Corinthians
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data: 16 de setembro de 2015, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Jaílson Macedo Freitas - BA (ESP-2)
Árbitro Assistente 1: Fabiano da Silva Ramires - ES (ESP-2)
Árbitro Assistente 2: Elicarlos Franco de Oliveira - BA (CBF-1)
Quarto Árbitro: Rafael Traci - PR (CBF-1)
Delegado: José Mocellin - RS (ASS)
Renda: R$ 471.610,00
Público: 19.073
Cartões amarelos: Nilton e Ernando (Internacional); Edílson (Corinthians)
Gols: Internacional: Réver, aos 37 minutos do primeiro tempo; Valdívia, aos 28 minutos do segundo tempo; Corinthians: Malcom, aos 18 minutos do primeiro tempo
Internacional: Alisson; William, Paulão, Réver e Ernando; Rodrigo Dourado, Nilton, Wellington (Lisandro López) e Alex; Valdívia (Silva) e Vitinho (Rafael Moura); Técnico: Argel Fucks
Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Uendel (Edílson); Ralf (Cristian), Elias, Jadson, Renato Augusto e Malcom (Angel Romero); Vágner Love; Técnico: Tite

Nenhum comentário:

Postar um comentário