sexta-feira, 3 de maio de 2013

Perdemos do Boca com um futebol meia boca

Melhores momentos
Perder e ganhar fazem parte do jogo. Mas jogar mal é outra história. E na Bombonera, o Corinthians estava irreconhecível. Sempre vou lamentar uma derrota, mas jamais deixaria de reconhecer o esforço do time na busca da vitória. Infelizmente, no jogo contra o Boca, além de lamentar a derrota, lamento também a postura do time, a falta de atitude, o mau desempenho, a falta de concentração e de objetividade. 
Diante de um Boca desfalcado de seu principal ídolo e com um time inferior ao de 2012, o Corinthians, com a mesma base do ano passado, reforçada por novas contratações, sucumbiu à catimba e ao empenho do adversário.
Entrevista do Tite
video
Entrevista do Cássio
video
Comentários e entrevistas
Com falhas na defesa, com falta de criação no meio campo, sem a transição para o ataque e com os atacantes de volantes, fomos inoperantes e o resultado de 1 a 0, ficou no lucro. Ninguém ficou satisfeito e técnico e jogadores reconheceram que jogaram mal e que faltou futebol.
Time muito recuado, com duas avenidas nas laterais, por onde os jogadores do Boca avançavam com facilidade, corinthianos perdidos em campo e o técnico sem decisão, embora tivéssemos opções no banco. No 1º tempo o time não estava bem, mas sempre existe a esperança do chocalhão no intervalo acordar a bolerada. Mas, desta vez, o psicólogo falhou e o time voltou pior. Será que tomaram a água do Maradona no vestiário? E pra piorar, a contusão do Danilo mandou para o espaço o pouco que havia de criação, pois, embora tivesse um meia no banco, Danilo foi substituído por Jorge Henrique, um jogador de marcação. 
Mas, o pior ainda estava por vir. Numa vacilada da defesa, com a colaboração do Fábio Santos e do Paulo André, o Boca abriu o placar. E o que fez o Tite? Alguns minutos depois, trocou o melhor jogador em campo, o Romarinho, pelo Pato, deixando em campo Jorge Henrique e Émerson, que estavam mal. Obviamente, sem criação, a bola não chegou redonda para o Pato, como não havia chegado para o Guerrero.
A partir daí, só correria e no final, no desespero, muita chuveirada, mas gol que é bom, nada. E ainda levamos um susto, com o gol impedido do Ledesma, que levou o amarelo por tirar a camisa na comemoração e logo depois, foi expulso pelo 2º amarelo. Aos 42 minutos, o Tite resolveu colocar um meia de criação, substituindo Ralf por Douglas, como se fosse possível fazer milagre em 3 minutos. Mesmo não estando em sua melhor forma, Douglas, se tivesse substituído Danilo,  poderia fazer chegar uma bola redonda para os atacantes ou bater uma falta como nos velhos tempos. Até apareceu a falta, que Paulinho desperdiçou.
O resultado foi lamentável. O time aceitou o jogo e as provocações do adversário. Os jogadores estavam nervosos, perdidos, descontrolados, desconcentrados, desorganizados e sem atitude. O técnico parecia não ver o que acontecia em campo. Não conseguiu mudar a postura dos jogadores, demorou pra mexer e quando resolveu mexer no time, mexeu nas peças erradas, piorando a situação. 
Orion empurrando Paulo André
video
A arbitragem, no padrão Libertadores de falta de qualidade, foi um caso à parte. Confusa e despreparada, inverteu faltas e não conseguiu controlar a pancadaria argentina, apesar de ter distribuído muitos cartões amarelos, mas economizado no vermelho. E o cartão dado ao Paulo André, que levou um empurrão do Orion, foi um auto atestado de incapacidade, de despreparo e de má fé.
Em resumo, jogando um futebol meia boca, fomos derrotados pelo Boca. Agora vamos ter que correr atrás do prejuízo e vencer por 2 gols de diferença no Pacaembu. Impossível não é, mas não vai ser fácil. O técnico deles é muito bom, foi comentarista no Mundial de Clubes e conhece muito bem o Corinthians, tanto que com um time mediano, conseguiu nos anular. Eles vão vir fechadinhos pra garantirem um empate sem gols. Teremos que jogar muito pra furar o ferrolho. Se dermos a moleza que demos na Bombonera, já era. Até lá Tite vai ter o tempo necessário pra arrumar o time. E para treinar cobrança de faltas e de escanteios.
Ficha Técnica - Boca Juniors 1 X 0 Corinthians
Local: La Bombonera, em Buenos Aires (Argentina)
Horário: 22 horas (de Brasília)
Data: 1º de maio de 2013 (quarta-feira)
Árbitro: Enrique Osses (Chile)
Assistentes: Carlos Astroza (Chile) e Sergio Roman (Chile)
Cartões amarelos: Somoza, Marín, Burdisso, Erviti, Erbes e Bravo (Boca Juniors); Paulo André e Guerrero (Corinthians)
Cartão vermelho: Ledesma (Boca Juniors)
Gol: Blandi, aos 13 minutos do segundo tempo
Boca Juniors: Orión; Marín, Caruzzo, Burdisso e Clemente Rodríguez; Somoza, Erbes (Bravo), Erviti (Ledesma) e Sánchez Miño; Martínez e Blandi (Magallán). Técnico: Carlos Bianchi
Corinthians: Cássio; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf (Douglas) e Paulinho; Romarinho (Alexandre Pato), Emerson e Danilo (Jorge Henrique); Guerrero. Técnico: Tite
Estatísticas

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br
globoesporte.globo.com
globo.com
globoesporte.globo.com
espn.com.br
globo.com
globo.com
esporte.uol.com.br
globo.com/videologo.tv/meutimao.com.br
facebook.com/corinthians
republicadocorinthians.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário