sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Cliente fidelizado - Mudamos de endereço, mas a freguesia continua a mesma

Não teve torcida única, mas teve um único time jogando futebol. Muricy escondeu tanto a escalação e o esquema tático, que nem os jogadores o encontraram. Muito mistério para pouco futebol. O Corinthians passeou em campo e o próprio treinador tricolor reconheceu em entrevista: "A gente produziu muito pouco" (...) "O Corinthians foi muito superior em todos os sentidos". Com poucas alternativas para enfrentar a bem postada defesa corinthiana, desentrosado e desorganizado em campo, desarticulado e com pouca velocidade, com os jogadores muito nervosos e irritados, o time do Jardim Leonor não foi páreo para um Timão compactado na defesa, organizado no meio campo e com variações táticas no ataque. 
Atuando com muita objetividade e intensidade, com uma estratégia de jogo bem definida, com toque de bola rápido, mas com qualidade, o Corinthians dominou o jogo e não deixou o São Paulo jogar. 
Ganso só apareceu para reclamar e tomar cartão, Luiz Fabiano pouco pegou na bola, os três volantes tricolores não conseguiram parar Elias e Jadson, enquanto Danilo, com sua inteligência e visão de jogo, abria os espaços para o time atacar e contra atacar. Mesmo com mais posse de bola, (56%), o São Paulo não conseguiu avançar e pouco chegou à meta de Cássio, que apenas assistiu o jogo dentro do campo. Podemos dizer que o time adversário foi um verdadeiro latifúndio improdutivo. O Corinthians atraia o São Paulo para a sua área para contra atacar e parecia o gato brincando com o rato para cansá-lo e depois dar o bote. Muito bem postado e esperando pra contra atacar, o Timão não deixou o São Paulo jogar e transformou o Majestoso num clássico de um time só. 
O 1º gol saiu logo aos 11 minutos, com Elias, num lançamento preciso de Jadson. E foi do meia, ex tricolor, o 2º gol, aos 23 minutos da etapa final, quando Emerson ganhou na dividida com Bruno, avançou em velocidade, (lembrando seu gol na final da Libertadores de 2012), passou para Jadson, que driblou Reinaldo e tocou por baixo de Rogério Ceni. Os tricolores reclamaram de falta do Sheik, mas o árbitro mandou seguir o jogo. Assim, com uma assistência e com um gol, Jadson deu o troco no seu ex time, que o descartou  em 2014, trocando-o por Alexandre Pato.
Apoiado pela Fiel, que como sempre deu show, o Timão confirmou seu bordão "caiu em Itaquera já era", ou se preferir, "a gente atropela", mantendo a freguesia, Elias continuou no seu papel de carrasco, Jadson saiu de campo de alma lavada e Danilo, mesmo não tendo feito gol, foi mais uma vez decisivo contra seu ex time. 
E ainda depenamos o Ganso, que saiu do campo espumando de raiva, e para esconder sua incompetência e a dos seus companheiros, chamou o juiz de ladrão e está sendo processado pelo árbitro. Mesmo que tenha havido a falta do Emerson em Bruno e não acontecesse o 2º gol, eles não conseguiriam sequer empatar a partida. Como afirmou o técnico são paulino "Se não valesse o 2º, (gol) já perdíamos de 1 a 0".  
E por falar em arbitragem, Denilson deu um tapa no Elias, semelhante ao que custou ao Guerrero três jogos de suspensão e o juiz amaciou, dando apenas o cartão amarelo. Aí o Ganso e seus companheiros não reclamaram.
Tite deu um nó tático no Muricy. Enquanto o técnico corinthiano estudou, pesquisou, se reciclou e evoluiu, o técnico são paulino parou no tempo, ou melhor, regrediu, para irritação dos torcedores e até de dirigentes do seu clube, que reclamam que ele recebeu todos os jogadores que pediu, escalou o time nesta temporada com 6 formações diferentes e ainda não conseguiu dar um padrão de jogo nem definir um esquema tático.
Neste jogo o Timão quebrou seu recorde de público em Itaquera. Até então, tinha 38413 diante do Criciúma, em 2014, mas alcançou 39026 no clássico na soma de pagantes e não pagantes. Quebrou, também, o record de renda, R$ 3.528.236,00 e de audiência da TV Globo, com 33 pontos de média, com participação de 51% das televisões ligadas.
O Corinthians volta a campo no próximo domingo, 22/02, contra o Ituano, às 16 horas, no estádio Novelli Júnior, em Itu, pela sexta rodada do Campeonato Paulista. Na Libertadores, seu próximo compromisso será no dia 4 de março, contra o San Lorenzo, em Buenos Aires, na Argentina.
Ficha técnica: Corinthians 2 x 0 São Paulo
Local: Arena Corinthians, em Itaquera, São Paulo (SP)
Data: 18 de fevereiro de 2015, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Assistentes: Cleriston Clay Barreto Rios (SE) e Guilherme Dias Camilo (MG)
Quarto Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira - SP
Público: 39.029 espectadores (38.029 pagantes)
Renda: R$ 3.528.236,00
Cartões amarelos: Felipe (Corinthians); Denilson, Ganso e Luis Fabiano (São Paulo)
Gols: Elias, aos 11 minutos do primeiro tempo, e Jadson, aos 22 minutos do segundo tempo
Corinthians: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Fábio Santos; Ralf; Jadson (Mendoza), Elias (Bruno Henrique), Renato Augusto e Emerson (Malcom); Danilo; Técnico: Tite
São Paulo: Rogério Ceni; Bruno, Rafael Toloi, Dória e Michel Bastos; Denilson, Souza, Maicon (Thiago Mendes) e Ganso; Alan Kardec (Reinaldo) e Luis Fabiano; Técnico: Muricy Ramalho

Créditos e fontes de imagens
twitter.com/@aleexrodrigo
facebook.com/Renato Silva
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
facebook.com-Daniel Augusto Jr/Fernando Dantas-Gazeta Press/gazetaesportiva.net/MAON
facebook.com-Silvio Romoaldo Júnior
tubaltrentino.blogspot.com
esporte.uol.com.br
Fernando Dantas/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
domingossccp.blogspot.com
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com
Marcos Ribolli/globoesporte.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário