sexta-feira, 1 de março de 2013

Millonarios? Não de futebol

Melhores momentos
Numa situação atípica, sem seu 12º jogador - a torcida -  o Corinthians, mais uma vez se superou e sobrou no Pacaembu. Diante de um Millonarios muito pobre de futebol, o Timão não teve dificuldades de vencer a partida e o resultado de 2 a 0 não traduz a nossa superioridade sobre o time colombiano. Passados os momentos iniciais de estranhamento, os jogadores partiram pra cima do fraco adversário, que teve no seu goleiro o melhor jogador em campo. 
Mas, logo aos 9 minutos de jogo, numa cobrança de escanteio, Renato Augusto cobrou, Paulinho desviou e Guerrero abriu o placar. Mas, "goleando" de 1 a 0, o time não tirou o pé, criando novas chances de gol com Pato e com Guerrero, por pouco não convertidas.
O Corinthians voltou do intervalo disposto a matar o jogo, o que aconteceu aos 3 minutos da partida, quando Danilo sofreu falta na direita, Ralf aproveitou a vantagem para cruzar, Pato apareceu bem, bateu de primeira e marcou o 2º gol, apesar do desvio em Delgado.
Pato e Guerrero ainda criaram boas oportunidades, mas o resultado não foi alterado. Com a vitória garantida e sem ser ameaçado pelo adversário, o Corinthians passou a administrar o resultado.
Resumo do jogo
Mesmo contra um adversário fraco, é importante salientar que o novo esquema tático, com dois meias e dois atacantes, aumentou a eficiência da equipe, fazendo a bola fluir do meio campo para o ataque, criando-se oportunidades de gol. Jogando num 4-4-2 com os meias Renato Augusto e Danilo abertos e com bastante movimentação entre os atacantes Pato e Guerrero, com Paulinho com liberdade para avançar e com Ralf firme na marcação, o meio campo voltou a funcionar. Com o meio campo funcionando bem, os laterais foram pouco ofensivos. Desta vez a zaga não bobeou e o Cássio passou a maior parte do jogo sem trabalhar.
Entrevista do Tite
Mudando duas peças e o esquema tático, Tite parece estar próximo do time ideal. Renato Augusto, mais entrosado com os companheiros e mais adaptado ao futebol brasileiro, fez boas jogadas, movimentou-se bem, fez boa dupla com Paulinho, soube trocar de lado com Danilo para confundir o adversário e deu outra dinâmica ao meio campo enquanto Pato, embora ainda não esteja em sua melhor forma, como ele próprio afirmou, mostrou que é um jogador de muita qualidade. 
O grande diferencial da partida não foi apenas a troca de jogadores. O novo esquema tático corrigiu as falhas do meio campo e permitiu que os laterais apoiassem mais a defesa e, finalmente, não levamos nenhum gol. Mas, o fator determinante da vitória e do bom desempenho do Timão, foi a postura da equipe que, motivada e pressionada pela necessidade da vitória, conseguiu corrigir seus erros no sistema defensivo e no meio campo e, consequentemente melhorou a atuação do ataque. O Corinthians correu desde o início e, mesmo o Millonarios sendo um time pobre de futebol, foi possível perceber sua evolução em relação aos jogos anteriores.
A dupla de ataque Pato e Guerrero destacou-se não só pelos gols marcados, mas, também, pela qualidade do futebol apresentado.
E o técnico Tite conseguiu dar conta da árdua tarefa de, após uma semana difícil, pelo trauma da morte do torcedor boliviano e seus desdobramentos, ter conseguido manter o equilíbrio, a motivação e a concentração da equipe. Mais do que um técnico, foi um bom psicólogo e está de parabéns.
Entrevista do Guerrero
Apesar da vitória e do bom desempenho, foi muito triste ver o Pacaembu vazio e o time atuar sem a presença física da Fiel, sem os gritos da torcida e a coreografia da arquibancada, sem as baterias, sem os bandeirões... Mas, a Fiel estava lá, em Espírito e em pensamento e se um vidente adentrasse ao Pacaembu, iria testemunhar que ele nunca esteve tão lotado. Sim, com certeza lá estavam o Doutor Sócrates, Cláudio, Luizinho, Teleco, Idário, Vicente Matheus, Dona Elisa, Flávio La Selva, Tia Dirce e milhares de corinthianos que já partiram para o mundo espiritual. Mas estávamos, também, nós, mais de 30 milhões de loucos, ausentes de corpo, mas presentes de alma. Pois, em cada tijolinho do Pacaembu, em cada grade do alambrado, no ar que o envolve, em tudo o que o cerca tem a energia e o amor da Fiel. Estávamos presentes em espírito e em pensamento e nossa presença foi uma das alavancas da vitória. E essa presença, bem como dos irmãos desencarnados, era tão marcante, que fez o Pato ir comemorar seu gol com a torcida, invisível aos olhos do corpo, mas presente através das vibrações e da energia que conseguimos fazer chegar aos nossos guerreiros através do nosso pensamento.
Quando menciono torcida e apoio ao time, quero deixar claro que falo de torcedores e não de consumidores, pois pra mim ser corinthiano é um ato de amor e não o consumo de uma simples mercadoria. Eu posso lutar até as últimas consequências para garantir o meu direito de ser corinthiana, mas jamais apelaria para o direito do consumidor, pois isso seria reduzir o Corinthians a uma mercadoria, a um bem consumível, perecível e como tal, substituível e que poderia deixar de ser consumido, caso surgisse no mercado um produto de melhor qualidade. Seria transformar o Corinthians em um objeto de consumo, em algo descartável, sem vida, sem alma. E o Corinthians não é isso. Como bem definiu o Doutor, o Corinthians é um estado de espírito e como tal, transcende à matéria, é perene, é imortal.
Só posso lamentar que hoje, no ambiente corinthiano, exista consumidores travestidos de torcedores, pessoas que pensam mais em si do que no coletivo e que para garantir seus direitos individuais, não titubeiam em colocar em risco os interesses do Corinthians e, que neste momento grave e difícil para a Nação Corinthiana, não abrem mão de um benefício individual, mesmo sabendo que sua atitude poderá agravar a situação do Sport Club Corinthians Paulista, diante da arbitrária CONMEBOL. Felizmente, não são a maioria.
Pela Copa Libertadores da América, o Corinthians volta a jogar na próxima quarta-feira, dia 6 de março, contra o Tijuana, no estádio Caliente, em Tijuana, no México, na fronteira com os Estados Unidos. A equipe mexicana lidera o Grupo 5 com seis pontos, enquanto os alvinegros estão em segundo, com quatro. San José-BOL, com um, e o Millonarios-COL, sem ponto, completam a classificação da chave. Pelo Paulistão, o Timão joga no domingo, às 16 horas, contra o Santos, no estádio do Morumbi, pela décima rodada.
Ficha Técnica - Corinthians 2 X 0 Millonarios
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 27 de fevereiro de 2013, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Nestor Pitana (Argentina)
Assistentes: Hernan Maidana e Diego Bonfa (ambos da Argentina)
Público: 4 pagantes
Renda: R$ 870,00
Cartões amarelos: Renato Augusto e Emerson (Corinthians); Franco e Martínez (Millonarios)
Cartão vermelho: Martínez (Millonarios)
Gols: Corinthians: Guerrero, aos 9 minutos do primeiro tempo, e Alexandre Pato, aos 3 minutos do segundo tempo
Corinthians: Cássio; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Renato Augusto (Douglas) e Danilo (Romarinho); Alexandre Pato (Emerson) e Guerrero. Técnico:Tite
Millonarios: Delgado; Ochoa, Franco, Ithurralde e Martínez; Robayo (Ortíz), Blanco, Otálvaro e Candelo (Mosquera); Rentería e Montero (Perlaza). Técnico: Hernán Torres
Estatísticas

Créditos e fontes de imagens
meutimao.com.br
Sergio Barzaghi/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
globo.com
esporte.uol.com.br
youtube.com
Marcos Ribolli/globoesporte.com
Marcos Ribolli/globoesporte.com
spotv.globo.com
Marcos Ribolli/globoesporte.com
globoesporte.com
Sergio Barzaghi/Gazeta Press/gazetaesportiva.net
republicadocorinthians.wordpress.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário