sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Freguês bom volta sempre. Ops... nunca vai embora

Nossos garotos foram valentes. Determinados, raçudos, disciplinados taticamente e acima de tudo, comprometidos com a nossa camisa. Foram corinthianos. Jogo de garotos com futebol de gente grande. O Timãozinho foi um Timãozinhão. Deu gosto de vê-lo em campo. Para esses garotos, não só neste jogo e na Copinha, mas também nos campeonatos Brasileiro e no Paulista, onde se sagraram campeões, não teve bola perdida. Eles não refugam, não se acomodam, não fogem das divididas. E não ficam com mi mi mi, reclamando e choramingando.
Esses garotos me representam, porque têm a alma corinthiana. Eles são Corinthians de alma, são o Corinthians socrático. Jogam com alma, com o coração no bico da chuteira, vestem a camisa e me fazem lembrar o Corinthians dos velhos tempos, do Corinthians mais raça e menos business, mais amor à camisa, mais sentimento, mais comprometimento. 
 
E não foi diferente na semifinal, quando não deram chance para os garotos treinados no Castelo de Caras, ops, no Palácio de Cotia. O Timãozinhão foi pra cima, teve o controle total da partida e os alvinegros logo mostraram quem mandava no jogo. E, com gols de Matheus Vargas e Léo Príncipe, foram para o vestiário com a vantagem de 2 a 0. 
Não conseguindo vencer na bola, os meninos de Cotia partiram para provocação, com empurrões, xingamentos e cusparadas.
Na etapa final, os tricolores, perdendo o jogo, vieram pra cima, mas no estilo vaca louca, no bumba meu boi. Mas em inferioridade técnica e física, o máximo que conseguiram foi bola no travessão ou morrendo nas boas defesas do Caíque França. 
Superior no jogo, física, técnica e taticamente, o Corinthians manteve o controle e, aproveitando um vacilo da defesa tricolor, aos 26 minutos, ampliou o placar com Gabriel Vasconcelos. Aí foi só administrar o resultado e correr para o abraço.
 
Os garotos que ainda não têm CT, que treinam no campo do Flamengo de Guarulhos, em condições muito longe do ideal, pelo talento, pelas suas condições físicas e técnicas, pela sua disciplina tática, pela sua garra e determinação superaram aqueles que tem à disposição uma das melhores estruturas de base do futebol. 
 
Mérito dos meninos, mas seria injusto não reconhecer o trabalho magnífico da comissão técnica, comandada por Osmar Loss, o técnico gaúcho, mas não representante da escola gaúcha de futebol. Sem dúvida, o comandante é o grande responsável pelo futebol que temos visto na equipe sub 20. No ano anterior, com poucos meses de treino, levou o time para o vice campeonato e agora o colocou na final, com 100% de aproveitamento, com 25 gols marcados e 4 sofridos.
Com esta postura e com este futebol, temos tudo pra conquistar o 9º título da Copinha.
 
Melhores momentos
Ficha Técnica - Corinthians 3 x 0 São Paulo
Semifinal, Copa São Paulo de Futebol Júnior
Data: 20/01/2015
Horário: 21:00 horas
Local: Estádio Major Levy Sobrinho, Limeira-SP
Árbitro: Leonardo Ferreira Lima
Árbitro Assistente 1: Alex Ang Ribeiro
Árbitro Assistente 2: Osvaldo Apipe de Medeiros Filho
Cartões Amarelos: Matheus Cassini e Tocantins (Corinthians) Hugo (São Paulo)
Gols: Matheus Vargas, Léo Príncipe e Gabriel Vasconcelos (Corinthians)
Corinthians: Caique França; Léo Príncipe, Rafael Augusto, Pedro Henrique e Arana; Marciel, Maycon, Matheus Vargas e Matheus Cassini; Gabriel Vasconcelos e Tocantins; Técnico: Osmar Loss.
São Paulo: L. Paes; W. Cabral, Hugo, V. Tormena e M. Reis; G. Hebling, L. Fernandes e L. Prado; João, L. Araujo e Inácio; Técnico: Menta 

Créditos e fontes de imagens e vídeos

globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
blogsobreocorinthians.blogspot.com
Gazeta Press
Gazeta Press
facebook.com/CORINTHIOSIDADES
Gazeta Press
Gazeta Press
Gazeta Press
Gazeta Press
Gazeta Press
youtube.com/sportv/globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário