sábado, 11 de janeiro de 2014

Sargento Mano põe a tropa pra ralar

Ainda não dá para saber qual será o time que entrará em campo contra a Portuguesa no próximo dia 19/01 nem qual esquema tático será utilizado. Mas, já é possível perceber que algo mudou no Corinthians. A comissão técnica não está pra brincadeira, não está passando pano nem dando moleza.
Mano anunciou mudanças que poderão desagradar alguns e o preparador físico pôs a bolerada pra correr e até ressuscitou a caixa de areia. Treinos físicos pesados, jogadores cansados e nada de rachão. E a bolerada tendo que trabalhar com chuva e com sol, pois as atividades programadas só param com tijoladas de granizo.
E nada de muita conversa, nada de média com a imprensa... Pouco riso, poucas andanças pelo CT, muito trabalho e nos intervalos, só descanso para recuperar as forças, pois ninguém é de ferro. E todo mundo mostrando serviço, pois ninguém mais tem cadeira cativa no time titular.
Parece que uma verdadeira ordem unida foi instalada no CT. Jogadores aquartelados e treinando em dois períodos, Émerson tendo que fazer treinamento extra para compensar falta, treino fechado para a imprensa, maior cobrança nos treinos com bola e nos treinos físicos e folga semanal somente após o treino de domingo. Um verdadeiro chacoalhão, capaz de fazer a bolerada voltar da letargia, acordar e voltar a jogar.
Oxalá o melhor CT da América Latina deixe de ser um SPA e um clube recreativo e volte a ser um Centro de Treinamento capaz de tirar dos jogadores o que cada um tem de melhor. Oxalá permaneça durante todo o ano esta seriedade demonstrada na 1ª semana e o time recupere a garra perdida ou esquecida junto aos troféus no Memorial.
Com os reforços que estão chegando e com a seriedade e o ritmo demonstrados neste início da pré temporada, dá para ficarmos otimistas, esperançosos e confiantes. 
Ao declarar que o Corinthians necessita mais de mudança de atitude do que de modificações táticas, o zagueiro Paulo André confirmou que a postura do time em 2013 foi a causa principal da frustante temporada no ano que passou. E ao contrapor o Mano Sargentão ao humano Tite, corroborou a necessidade de mais firmeza para lidar com um elenco que, após tantas conquistas, cristalizou-se nas vitórias do passado e estava se achando a cereja do bolo, a azeitona da empada e a última bolacha do pacote, esquecendo-se que esta ou está murcha ou está quebrada.

Créditos e fontes de imagens e vídeo
Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians/globoesporte.globo.com
Rodrigo Faber/globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
globoesporte.globo.com
corinthians.com.br
gazetaesportiva.net
gazetaesportiva.net
gazetaesportiva.net/MAON

Nenhum comentário:

Postar um comentário