terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Entregando o ouro

Passada a raiva pela perda do 10º título da Copinha e já conseguindo analisar a partida com menos emoção, ficam as lições do jogo e do campeonato. Após uma campanha brilhante, com 100% de aproveitamento e algumas goleadas, o Timãozinho foi confiante para a disputa final. Tão confiante, que nem se lembrou que teria que vencer mais um jogo para garantir a taça. E já entrou em campo achando que a taça estava na mão. Em contrapartida, o Flamengo entrou em campo ciente que teria que vencer o jogo para conquistar o título.
Enquanto nossos garotos entraram se salto alto, os rubro negros entraram com a faca nos dentes e sangue nos olhos. Mesmo levando sufoco do adversário, o Timãozinho foi para o vestiário vencendo por 2 a 0. Após o intervalo, voltou sossegado, achando que o título já estava ganho, enquanto o Flamengo chegou pilhado. Parecia que nossos garotos tinham tomado dormonid com suco de maracujá. Voltaram dormindo, desatentos, desconcentrados e só acordaram para o jogo após tomarem dois gols. Mas, melhor postado em campo, o Flamengo não dava brecha enquanto os corinthianos, sem controle emocional, cometiam erros infantis, perdiam a bola com facilidade e não conseguiram fazer o resultado no tempo normal.
Na disputa de pênaltis, o Corinthians teve o jogo na mão. Bastaria Matheus Pereira converter sua penalidade, o que não ocorreu. Em dia de Pato, o garoto do empresário deu uma cavadinha e acabou cavando a derrota corinthiana. E ainda tivemos mais dois gols desperdiçados por Gabriel Vasconcelos e Claudinho. 
E assim, em pleno Pacaembu, com a torcida jogando junto, perdemos o deca campeonato da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Mas, não perdemos do Flamengo, perdemos para nós mesmo, o que foi reconhecido até pelo técnico Osmar Loss. Perdemos devido à desconcentração, à desatenção, imaturidade dos garotos, à soberba ao excesso de confiança e ao preciosismo. 
Não fomos derrotados por deficiência técnica nem tática. Fomos derrotados pela postura dos jogadores que entraram em campo de salto alto e não tiveram maturidade nem equilíbrio para reverter o resultado desfavorável. 
Perdido o título, não adianta chorar pelo leite derramado. O importante é aprender com os erros, é tirar as lições possíveis, é utilizar essa perda para a aprendizagem do time e dos garotos. Eles são jovens, estão em formação e ainda têm muito que aprender, têm muito para evoluir. Não se trata de minimizar os erros, mas sim de utilizá-los em benefício do próprio grupo. Não vamos buscar vilões nem crucificar ninguém, mas não podemos passar a mão na cabeça. Para existir aprendizagem, os que erraram têm que assumir seus erros para poder corrigi-los. Os erros foram mais de postura do que táticos ou técnicos. Entraram de salto alto, alguns foram desatentos, soberbos e displicentes. Futebol é um esporte coletivo, mas as qualidades e os erros individuais interferem no conjunto. Nossos garotos ainda não são craques, mas também não são uns perebas. Muitos têm qualidade e suas carreiras futuras não podem ser jogadas no lixo devido aos erros de um único jogo. 
Que as comissões técnicas, do sub 20 e do time principal, tenham discernimento e competência para reconduzir o processo educativo que se faz necessário neste momento. 

Créditos e fontes de imagens e vídeos 
globoesporte.globo.com/facebook.com-Walter Falceta DEMOCRACIA CORINTHIANA/MAON
esporte.uol.com.br 
corinthians.com.br/MAON 

Um comentário:

  1. Amigos blogueiros e Corintianos de coração, precisamos impedir isso :
    estão desprezando o patrocínio da Caixa e amarrando o clube com o Bradesco em traca de mixaria.
    http://globoesporte.globo.com/futebol/times/corinthians/noticia/2016/01/corinthians-negocia-naming-rights-com-banco-e-incluira-o-fiel-torcedor.html
    Vejam essa matéria !!!!
    Que Negocio Estranho !!!
    trocar o patrocinio da Caixa de de R$ 30 mi ano, por um naming Rigths de R$ 20 mi ano ainda com os ganhos absurdos da OMNI de 50% do fiel Torcedor (eta contrato estranho esse também).
    Nação Corintiana estamos prestes a tomar um golpe que vai perdurar por 20 anos.
    Se isso acontecer todos os envolvidos deverão responder criminalmente. Só o fiel torcedor bem trabalhado e não dando 50 % para uma financeira dá mais que isso por ano!!!
    Por favor vamos discutir e pedir transparência nesse negocio estranho.
    Nosso sócio torcedor fica metade nas mão da OMNI. Não podemos se roubados novamente !!!

    ResponderExcluir